À caça de Harry Winston - Lauren Weisberger


Sinopse: Emmy estava a dois passos do casamento perfeito quando seu namorado a trocou pela personal trainer. Leigh é considerada o novo talento na editora onde trabalha, mas sua vida amorosa não anda tão bem quanto pensava. A brasileira Adriana odeia a palavra compromisso. Para ela, quanto mais homens melhor. As três amigas decidem fazer um grande pacto: mudar radicalmente suas vidas em um ano. Será que elas vão conseguir? (Skoob)
WEISBERGER, Lauren. À caça de Harry Winston. Record, 2009. 432 p.

Emmy foi deixada recentemente por Duncan, seu namorado há quase 5 anos, e se sentia perdida. Não por amá-lo ou não saber o que fazer sem ele, mas por ter de adiar ainda mais o sonho de casar e ter filhos, coisa que ela via estar cada vez mais longe realizar. Desiludida, trocada por uma garota mais nova - e virgem -, ela decidiu que precisava mudar sua vida. Ter dormido com apenas três homens sua vida toda e ser uma monógama doente não havia feito com que sua vida chegasse onde desejava que estivesse, então ela tentaria outro caminho.

Adriana tinha tudo o que poderia querer. Filha de brasileiros ricos, era linda de causar inveja às outras mulheres e possuia uma sensualidade e segurança que deixava qualquer homem aos seus pés. E homens era uma das coisas que mais gostava, quanto mais, melhor. Compromisso era uma palavra fora de seu dicionário, e trabalho também se encaixava nessa categoria. Mas não podia ficar atrás de Emmy nessa história: se a amiga iria transformar sua vida radicalmente, ela também estava disposta a fazer isso.

Leigh não chegava nem a um extremo, nem ao outro. Tinha uma beleza simples, um trabalho como editora adorável, um apartamento agradável e um namorado fiel, lindo, atensioso, perfeito. De fora, todos achavam que ela tinha uma vida maravilhosa, sem ter nada a mudar. Mas ela não estava feliz, gostava de se isolar, e seus vários tipos de TOC vinham atrapalhando consideravelmente sua saúde física e mental. Mas se todos diziam que ela deveria estar satisfeita, por que não estava?

"- Gorda! Gorda! Gorda! - gralhou o pássaro malcriado [...] Garota gorda! Garota gorda! Garota gorda! - gritou ele, a cabeça subindo e descendo como um cachorro de cabeça de mola.
- Agora escute seu imbecil - Adriana sibilou, os lábios quase tocando as barras de metal da gaiola. - Eu sou muitas coisas, muitas coisas péssimas e mesquinhas, mas gorda não é uma delas. Você me entendeu?
O pássaro inclinou a cabeça para o lado como se estivesse pensando na pergunta. Adriana achou que ele podia até ter concordado e voltou para a cama, satisfeita. Nem havia saído pela porta do banheiro quando o pássaro gralhou - mais baixo dessa vez, ela podia jurar.
- Garota gorda!
- Seu filho da mãe [...]. Ah, meu Deus - murmurou ela, para si mesma - Estou falando com um papagaio." (pág. 126)

A única coisa comum entre essas três mulheres, além do fato de que todas estavam se aproximando da faixa dos 30 anos, é que eram amigas desde os tempos de faculdade. Como será que estariam quando os temidos 30 chegassem?

À caça de Harry Winston, de Lauren Weisberger é classificado como um chick-lit e faz bastante sucesso por ser da mesma autora de O diabo veste Prada, mas a principal impressão que eu tive ao lê-lo foi de que era extremamente forçado. Não sei se estava em um momento ruim para esse tipo de leitura, mas eu estava com tanta vontade de ler um livro do gênero que acredito que não era esse o caso. A leitura não foi exatamente ruim, mas sei que quando começo a me arrastar para terminar a leitura do livro é porque realmente não encaixou.

O livro inicia comentando a vida de cada garota, os pequenos defeitos e insatisfações que cada uma tinha consigo. Era claro que as protagonistas não estavam felizes, e a falta de ânimo aliada à demora do enredo para entrar em um ritmo agradável acabou causando certo desinteresse pela história. Depois da metade do livro a situação melhora consideravelmente, mas, até aí, o estrago já estava feito.

Um outro detalhe que me incomodou um pouco, e que talvez nem tivesse sido notado se eu tivesse sido fisgada pela narrativa desde o início, é que o tempo em que decorre a trama fica bastante confuso, já que há uma ordem cronológica, mas aconteciam vários saltos no tempo, e só se sabe quanto tempo se passou de um capítulo para outro se tivermos lido o bastante para nos situarmos.

Mesmo assim, é impossível dizer que os personagens não foram bem construídos. Emmy era uma garota tranquila, que tinha o sonho de construir uma família, e ficava fantasiando coisas simplesmente impossíveis. Leigh, cheia de manias, foi difícil de compreender: quem, em sã consciência, não ficaria maravilhada com aquele namorado simplesmente incrível? Mas né... A Adriana, por sua vez, foi a amiga que eu mais gostei. Cem por cento ela mesma, original e brasileira. Não sei se gostei ou não de mostrarem esse tipo de imagem que se faz das brasileiras lá fora, como mulheres sensuais e "quentes", mas para ser sincera, isso não fez tanta diferença.

O personagem central e estrela do livro foi certamente Otis, o papagaio. Sério gente, era impossível não rir toda vez que ele aparecia. E ele e a Adriana, como no quote citado acima, protagonizaram cenas hilárias - as únicas que me fizeram rir no livro.

Talvez eu não tenha gostado mais da história por causa do exagero típico dos chick-lits que, nesse caso, não fez com que nada se tornasse mais engraçado e me deu a impressão de forçado, como citei acima. Mesmo assim, haviam algumas passagem divertidas e, para algumas pessoas, isso pode valer a leitura.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

17 comentários:

  1. Oi, Julia!

    Nunca tive muito interesse nesse livro... Não sei bem porque. A capa e a sinopse não despertaram minha atenção. E já li algumas resenhas negativas sobre ele... Então, esse livro eu deixo passar. hehe. Que pena que você também não gostou. Mas, que bom que o papagaio te fez rir pelo menos! uhuhu. :} Adoro livros que tem algum animal, muitas vezes eles roubam a cena.

    Beijos,
    Amanda
    ^_^

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju <3
    desculpa estar sumido, mas é que a facul começou e agora meu tempo é super hiper mega power ultra reduzido ): mas n esqueço de vc tá?
    Eu tenho mt vontade de ler esse livro, por gostar de "O diabo veste prada" o filme, pq o livro eu n li. Mas vejo que mt gente foi com esse mesmo pensamento que eu e ficou super desapontado :/
    E não entendi bem o que vc quis dizer com os exageros dos chick-lits, seria no caso, deixar um tombo ou uma ida a padaria mais interessante e divertido do que parece? haha pq se for isso eu adoro. Vejo que os personagens como vc disse, foram bem construídos, isso ajuda muita a leitura.

    bjs,
    Nicholas.

    ResponderExcluir
  3. Oi Julia!
    Não conhecia esse livro, achei interessante (:

    Beijos, Kamila
    http://vicio-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. É exatamente por isso que fico com o pé atrás com os chick-lits, sabe?

    Apesar de ter amado o filme "O Diabo Veste Prada", não sei se eu teria paciência de ler o livro e nem outros livros do mesmo autor. É alto até divertido de se ver, mas de ser ler...

    Quem sabe um dia e dê mais chances aos chick-lis, né?

    Um beijão,
    Pronome Interrogativo.
    http://www.pronomeinterrogativo.com

    ResponderExcluir
  5. Oie Julia =)

    Chick-lit forçado? Ah!!! Ai não dá rs... este tipo de livro tem que ser leve e divertido e não forçado.

    Além disso não sei se sou eu que não dou a minima para este negocio de idade, mas acho que já ficou meio repetitivo essa crise dos 30 para as mulheres rs...

    Envelhecer pelo menos para mim é uma dadiva kkkkkkkkk

    Quero muito ler o Diabo veste Prada por que adorei o filme, mas este livro me desanimou um pouco =/

    Parabéns pela resenha!

    bjus e uma ótima semana para vc!

    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia!
    Eu gosto de chick-lit e gostei de O Diabo Veste Prada (o filme, o livro não li), mas acho que não gostaria desse livro pelas situações forçadas que você falou. Me pareceu meio estereotipado, ainda mais pelo retrato das brasileiras.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  7. Confesso que gosto de chick-lit e faz tanto tempo desde o último que li, que atualmente estou com bastante vontade de ler este livro, além de eu ter muita vontade de ler algum livro da Lauren Weisberger. E eu adorei a sua resenha, eu adorei o jeito como você expressou o seu ponto de vista .E apesar de estar com o pé atrás porque você disse que só depois da metade do livro, o livro melhora, ainda assim, quero lê-lo.
    Bjs

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Júlia comecei a ler seu post e pensei: ainda bem que eu não comprei esse livro na promoção do Sub ou pelo visto teria me arrependido amargamente.

    Li várias opiniões antes de me decidir, ainda bem que tudo que eu li não era exatamente elogioso em relação ao livro.
    Uma pena que você não gostou.

    Beijos, Caline
    Mundo de papel

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju
    Olhei a capa e pensei que fosse continuação de O Diabo Veste Prada HAHAHA

    A história parece ser bem light, gosto de plots envolvendo 'amigas' - 'bagunça' haha é sempre divertido.. e ainda tem um papagaio.

    Espero ter oportunidade de ler algum dia, parece ser bem divertido.. pelo menos achei, pela sua resenha

    beijos e uma ótima semana
    NANA - OBSESSION VALLEY

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Este livro parece ser bom e divertido!
    Adoro chick-list, mas pelo que vc diz isso não foi muito bom no livro!!

    BJinhs
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. oi Ju,
    eu nunca li esse livro e confesso que não tenho muita vontade também não.
    Sou estranha, têm uns chick-lits que me atraem muito e outros simplesmente não despertam meu interesse. =/
    beijos.

    ResponderExcluir
  12. Acho que o personagem que eu mais gostei no livro, sinceramente o Otis... Não fiquei encantada pela história, não acrescentou em nada na minha vida.. kkk'
    Sua resenha está ótima! :D

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ainda não li este livro
    Mas tenho muita vontade e sobre o exagero, eu tenho que ler para ter uma opinião formada
    Mas amo chick-lit...

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Eu adoro Chick lit, mas não sei porque, essa autora não me "fisga", entende? rsrs. Não tenho interesse nos livros dela, apesar de ter gente que fala super bem. Mas a sua resenha, quando você disse sobre os saltos no tempo, me desanimaram ainda mais. Ainda bem, porque não posso colocar mais livros na lista enorme de leitura, haha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi Julia, tudo bem?
    Eu já tinha visto falar desse livro mas ainda não tive vontade de ler...
    E parece que não vou ler tão cedo... não sou muito chegada a Chick lit não... só filme nesse gênero mesmo hahaha

    Beijos.
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Julia!
    Eu estou com esse livro estacionado aqui na estante e não sinto a menor vontade de ler por enquanto. Lembro que li uns dois capítulos e depois...NADA! Sua resenha só confirmou o que eu já achava dele: forçado! Um dia talvez eu termine, mas por enquanto ele vai continuar ali.rs
    beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oi Julia,

    Este é o livro mais fraco da autora, o personagem que eu mais gostei foi o papagaio hehe. Mas O diabo veste Prada e Uma noite no Chateau Marmont são muito bons.

    beijos

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.