O Pagador de Promessas - Dias Gomes

Fonte da imagem: Pausa para um café
Sinopse: Dias Gomes narra nesta peça de renome internacional o emocionante calvário do simplório Zé-do-Burro: para cumprir promessa feira a Iansan, pela cura de seu burro, ele divide seu sítio com os lavradores pobres e carrega pesada cruz de madeira no percurso de sete léguas, com o objetivo de depositá- la no interior da igreja de Santa bárbara, em Salvador. Iansan se confunde com Santa Bárbara na visão popular, mas por certo não é um mito cristão, motivo mais que suficiente para que as autoridades eclesiásticas se opusessem à entrada do herói no sagrado recinto. Zé-do-Burro não esmorece. Sua obstinaçào, sua fé, conduzem a um dos mais empolgantes desfechos do teatro contemporâneo - e universal. O Pagador de Promessas: serviu de tema ao filme do mesmo título, ganhandor da Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1962. (Skoob)
GOMES, Dias. O pagador de promessas. Bertrand Brasil, 2010. 173 p.


Após um acidente que deixa Nicolau (o burro) à beira da morte, sem saber mais ao que recorrer, Zé do Burro promete, dentro de um terreiro de Iansã - "santa" do candomblé que corresponde à Santa Bárbara -, que caso seu burro se curasse, daria parte de suas terras aos que precisavam e caminharia até a Igreja de Santa Bárbara mais próxima carregando uma cruz de madeira, para colocá-la no altar no dia da santa.

Pouco tempo depois de o burro ter se recuperado, Zé sai, acompanhado de sua esposa Rosa, carregando a cruz, e anda léguas e léguas até a igreja. Após esperar algumas horas, Zé tenta explicar ao padre o que quer fazer e o motivo pelo qual fez a promessa. O padre, entretanto, achando um absurdo a promessa ter sido feita em um terreiro e para um burro, além de achar descabido que Zé tenha se comparado a Jesus ao carregar uma cruz, não o deixa entrar.

Sem conseguir cumprir aquilo que tinha proposto à santa por impedimento do padre, Zé do Burro não se dispõe a considerar a promessa cumprida, e resolve esperar em frente à igreja até que sua entrada seja autorizada. Sua estada lá, entretanto, traz mais atenção do que poderia esperar e toma proporções exageradas e catastróficas.

Considerado um clássico da literatura brasileira, O Pagador de Promessas traz consigo críticas sociais de 1959 que continuam atuais, e tem uma história tão simples quanto bela. Escrito em forma de peça de teatro, Dias Gomes insere no livro as misturas do Brasil, da cultura, das raças, da religião, e mostra, de forma sutil mas cabal, as consequências negativas que o não entendimento ou o preconceito infundado podem trazer.

Zé do Burro, um homem simples e ingênuo, tem sua fé tão arraigada que não vê maldade nos outros homens. Mas essa ingenuidade traz muitos problemas para ele: ele, que dividiu suas terras apenas para fazer o bem é visto como alguém político por uns e como uma fonte de renda e ibope por outros, entre outras coisas, mas que traz para seu entorno, por isso, pessoas interesseiras que, por mais inocentes que pareçam, levam ao colapso do fim da peça.

Traído por sua mulher, tem de enfrentar a ignorância de uma sociedade cheia de razão e a intolerância daqueles que, de uma forma ou de outra, detinham o poder, todos influenciados por idéias sem o menor cabimento e que pareciam ver nas palavras honestas daquele homem uma ameaça aos seus "reinados".

O Pagador de Promessas é uma das obras mais "comuns" que já li, que não contém algum detalhe especial ou atraente, mas a mensagem intrínseca na obra é forte como não vi em nenhum outro texto literário. É uma mensagem de cidadania, de humanidade, de honestidade, ou de como a falta dessas características está tão aceita em nosso cotidiano que nem nos damos conta disso, e de como isso pode nos influenciar negativamente. Um livro que, definitivamente, vale a pena ser lido.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

15 comentários:

  1. Oi Ju!
    Este livro é leitura de vestibular, e eu já deveria ter lido ele. Esta é primeira resenha que eu leio e me despertou curiosidade, gostei!!
    Adorei saber um pouco mais sobre este livro,a gora vou criar coragem para ler!

    Bjinhs
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/2012/03/resenha_12.html#comment-form

    ResponderExcluir
  2. Oi, Julia!
    Comecei a ler a resenha achando que não me interessaria pelo livro e fiquei chocada em como mudei de opinião rápido.rs Já tinha ouvido falar desse livro, mas o interesse nunca bateu de verdade. Agora eu quero saber o que aconteceu com Zé do Burro. Provavelmente não foi algo agradável. =/
    Ótima resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju.

    Confesso que tenho esse livro aqui em casa e nunca me interessei muito em ler não rsrsrsrs

    Mas adorei a resenha

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Julia!
    Fiquei interessada pelo livro por causa da mensagem!
    Gosto dessas mensagens fortes, verdadeiras e reflexivas, acho que nos ajudam a enxergar o mundo de um modo diferente, né?
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Já li este livro e gostei bastante
    Um verdadeiro classico da nossa literatura
    E ainda não tive oportunidade de assisti ao filme, mas esta na minha lista a muito tempo

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia,

    Já ouvi muita gente comentando sobre o livro, já assisti ao filme e não tenho tanta vontade de ler. Acho que esta capa feia não ajuda rsrs.

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Julia!

    Acho que nunca tinha lido nada a respeito desse livro. Gostei bastante da sua resenha e pelo que você descreveu, o livro parece mesmo interessante. Parece o tipo de livro que, se lido com verdadeira atenção, nos proporciona algumas reflexões importantes. E acredite, nem o filme eu vi até hoje! hehe, atrasada! :P

    Beijos,
    Amanda || Lendo & Comentando
    ^_^

    ResponderExcluir
  8. Gosto dessas mensagens fortes dos livros.
    Fiquei com vontade de ver
    E ver quem é o 'burro' realmente aí.. parece não ser o protagonista haha

    Imagino que deve rolar um preconceito né, por causa da religião abordada.

    Ótima resenha Ju.

    HAHA sério que falam que Millennium é sua bíblia? Imagina se vc tivesse aqueles livros de Guerra dos Tronos, então.

    beijos
    NANA - OBSESSION VALLEY

    ResponderExcluir
  9. Oie Julia!

    Nossa eu li esse livro na época do ginásio ( faz tempo kkkk.

    Dos autores nacionais mais antigos são poucos o que gosto. Embora eu reconheça que eles tinha uma forma mais real de escrever do que autores de hoje.

    Ótima resenha querida!

    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  10. Nunca li esse livro e muito menos ouvi falar, apesar de não ter me atraído muito, eu talvez o lei.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  11. oi ^^
    O livro de fato não me atrai muito pela capa ou pelo enredo, mas gostei do que vc falou a respeito dele, dessas mensagens que o livro passa. Gosto de terminar um leitura e perceber que aprendi coisas e que pelo oq eu li qro ser uma pessoa melhor!
    boa indicação ;)

    bjs
    TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir
  12. Aaah parabéns para ela...
    nunca ganho nada em sorteios =/
    E sim, seria o maior prazer fazer a coluna Valeapenalerdenovo por aqui...
    basta me falar os detalhes.. ;)

    Beeijos.
    #Resenhada falada.

    ResponderExcluir
  13. Ju, já ouvi muito minha professora de português falar a respeito desse livro. Achei a temática interessante, com toda essa crítica social embutida, mas não é o tipo de literatura brasileira que mais aprecio, confesso.
    Como alguém disse lá em cima, precisarei lê-lo por conta do vestibular...
    E sei que é bobagem, mas a Bertrand poderia ter feito uma capa melhorzinha, né? Essa daí ficou horrível, credo. heiuhiehj

    Beijo!
    Ana - Na Parede do Quarto

    ResponderExcluir
  14. Eu nunca li o livro, mas quando fazia faculdade de Teatro, vi uma peça baseada nele... Até que gostei, mas para ler, realmente não me aventuraria rs

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Ju!
    Não gosto de livros desse estilo, nãos faz meu tipo :s LKJKDJAS

    Tem promoção de Páscoa lá no blog, dê uma conferida! (:

    Beijos, Kamila
    http://vicio-de-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.