Novidades #41: Doe sangue e ganhe um livro



A Campanha Nós queremos o seu sangue tem um único objetivo: Despertar novos doadores de sangue em todo o Brasil e convidar os já doadores a estarem fazendo uma nova doação.

Sabemos que em períodos como o Carnaval, os estoques dos Hospitais e Hemocentros de todo o país ficam esgotados devido ao grande número de acidentes, o que requer uma demanda maior de sangue.


Acesse o Blog da Editora Dracaena, conheça as regras e saiba como participar.

Quem não puder doar, pode ajudar divulgando:

Compartilhe o Banner ou Cartaz da Campanha com seus amigos no Facebook:
 

Ou ainda, twite a frase "Doe sangue e ganhe um livro. Acesse o blog da Editora Dracaena e conheça as regras."


Dracaena anuncia novas edições: 

Os livros Não deixe o sol brilhar em mim, de Evandro Raiz Ribeiro e O Punhal, de Jéssica Anitelli recebem nova edição. Para comprar, é só clicar na capa.
 


 Novos Autores em destaque:






Entrevista com Jorge Plá Y Cid - Autor de O Espelho. Para assistir, clique aqui.






Entrevista com Andreas Andraes autora do livro Ellevar - Embarque no Mundo dos Sonhos. Para assistir, clique aqui.







Dracaena anuncia 20 novos Lançamentos em formato digital:


Entre as obras publicadas exclusivamente em formato digital, pode-se destacar:



Os livros estão disponíveis na Amazon, Google Play, IBooks, IBA, Poisitivo Livros, Gato Sabido, Kobo, Livraria Cultura e outras dezenas de lojas em todo o mundo.

Leia Mais
29 comentários
Compartilhe:

Um Olhar de Amor - Bella Andre


Sinopse: Chloe Peterson está tendo uma noite ruim. Uma noite realmente ruim. O machucado grande em sua bochecha pode provar isso. E quando seu carro patina para fora da estrada molhada em direção a uma vala, ela está convencida de que até o cara maravilhoso que a salvou do meio da tempestade deve ser muito bom para ser verdade.
Ou ele é mesmo? Por ser um fotógrafo de sucesso que viaja frequentemente pelo mundo, Chase Sullivan tem seu jeito com mulheres bonitas, e quando ele está em casa, em São Francisco, um de seus sete irmãos normalmente está acordado para começar um pouco de diversão.
Chase acha que sua vida é ótima do jeito que está — até a noite que encontra Chloe e seu carro destruído na rodovia Napa Valley. Não apenas nunca tinha conhecido alguém tão adorável, por dentro e por fora, mas como também percebe que ela tem problemas maiores do que seu carro batido.
Logo, ele será capaz de mover montanhas por amor — e proteção — a ela, mas ela deixará? Chloe prometeu nunca cometer o erro de confiar em um homem novamente. Mas a cada olhar que Chase lança a ela — e a cada carinho doce e pecaminoso — conforme a atração entre eles sai faísca e esquenta, ela não pode fazer nada a não ser se perguntar se encontrou a única exceção. E apesar de Chase não perceber que sua vida mudaria para sempre em um instante, para melhor, ele não é o único a querer lutar por essa mudança.
Ao contrário, ele está se preparando para uma luta... pelo coração de Chloe. (Skoob)
ANDRE, Bella. Um Olhar de Amor. Os Sullivans #1. Novo Conceito, 2012. 247 p.


Chase Sullivan cresceu em uma família grande, com mais cinco irmãos e duas irmãs, todos criados apenas pela mãe, já que o pai falecera quando eram ainda criança. Fotógrafo e, por isso, rodeado de mulheres bonitas, Chase podia-se dizer satisfeito sexualmente. Mas isso até descobrir que sua real necessidade era outra: amor.

Em uma noite de tempestade, enquanto se dirigia para o vinhedo do irmão, Marcus, onde trabalharia nos próximos dias, percebe um carro caído na vala fora da estrada. Pouco mais à frente, uma mulher seguia na chuva, sozinha. Assim que desceu para ajuda-la, pôde perceber que algo estava errado com Chloe, como o ferimento em seu rosto provava. Percebeu também que a atração que sentiu por aquela mulher jamais seria igual por outra e que precisava ao menos conseguir uma chance de que ela fizesse parte de sua vida.

Levando-a para a casa de hóspedes no vinhedo, Chase viu a oportunidade de oferecer um lugar confortável que Chloe parecia precisar tanto, e uma forma de mantê-la um pouco mais perto.

“E, naquele momento, mais do que nunca. Ele queria entrar no carro e procurar o imbecil e garantir que ele nunca iria se aproximar dela de novo, ter certeza absoluta de que ele nunca tivesse outra chance de colocar as mãos nela.
Entretanto, maldição, sabia que, se fizesse isso, se envolvesse Chloe em cuidados e garantisse que tudo fosse fácil e tranquilo para ela dali por diante, para ela seria quase tão ruim quanto a maneira como o ex-marido tinha lhe roubado a liberdade.
[...] Ela passou as pontas dos dedos pelos lábios dele.
– Tanta fé em mim – falou com a voz suave. – Estou tão feliz por ter sido você a me encontrar na tempestade.” (p. 155)

Um Olhar de Amor, de Bella Andre, trata-se de um romance apimentado que conta a história de um dos irmãos Sullivan, Chase. Antes de ler, vi algumas resenhas negativas sobre a obra, que esfriaram minha expectativa, e a leitura sem compromisso foi muito mais proveitosa.

Homem educado, Chase se mostrou um personagem persistente, controlado, vigoroso e romântico. Chloe, por sua vez, aparentou uma mulher traumatizada e insegura, que se redescobria após um divórcio conturbado e mostrava, cada vez mais, sua força.

Foi interessante a autora ter inserido o assunto sobre a violência que Chloe sofreu no casamento, principalmente a psicológica, ainda que de forma bastante superficial. Como já li em alguns outros comentários, porém, foi tanto rápido e precipitado seu envolvimento com Chase depois de tudo o que passou, mas isso não foi algo que realmente incomodou. Fora o excesso de cenas de sexo sem pausa e, portanto, sem muito conteúdo além da descrição dos atos em si, o romance foi carismático.

Mesmo que a história tenha sido superficial de maneira geral, a escrita de Andre é agradável e atraente, não se tornando cansativa. Além disso, algumas inserções sobre a vida do irmão que protagonizará o livro seguinte faz com que se torne mais atraente a leitura do próximo livro.

É, em resumo, uma história gostosinha de se ler, mas que deve ser feita sem grandes ilusões. Tem um romance bobinho dentro várias cenas calientes, mais no estilo romance de banca. Não é uma leitura indispensável, mas que pode agradar.

Leia Mais
38 comentários
Compartilhe:

Novidades #40: Novo Conceito em fevereiro


Ei galera, fevereiro nem chegou e a editora Novo Conceito já divulgou os próximos lançamentos. Vamos conferir?


Ruby McQueen nunca tivera problemas sendo boazinha, e sempre fez questão de ter um bom relacionamento com sua família, ir bem na escola e tomar boas decisões. Esse é o motivo do porquê ninguém fica mais surpreso do que ela mesma quando o mau caráter Travis Becker a suga para seu mundo de privilégios e ilegalidades, e ela o segue voluntariamente. No entanto, quando Ruby faz o impensável, começa uma louca aventura de várias gerações, conforme seus entes mais íntimos fazem de tudo para salvá-la dela mesma. Será que um verão pode mudar o que Ruby sabe sobre o verdadeiro amor, a família, o destino e seu próprio coração?

Quando Julie tinha 12 anos, sua irmã mais nova desapareceu e nunca mais foi encontrada. Uma perda que corroeu os laços familiares e deixou sua mãe obcecada pela busca da irmã.
Já adulta e com um prestigiado emprego, Julie conhece Monica, que a faz lembrar muito de sua irmã desaparecida há 17 anos. Elas se tornam melhores amigas, uma amizade que começa como um processo de cura para Julie.
No entanto, uma fatalidade abate a amizade e Julie se vê responsável pelo filho de Monica. Ela decide levar o menino para Biloxi, Mississippi, para encontrar a família que ele não conhecera.
A partir dessa viagem, Julie descobrirá segredos que estão ligados a sua família e seu passado…

Tamara Goodwin sempre teve tudo o que quis e nunca precisou pensar no amanhã. Contudo, de repente, seu mundo vira de cabeça para baixo e ela precisa trocar sua confortável vida da metrópole por uma cidadezinha do interior. Assim, Tamara logo se sente solitária e louca para voltar para casa.
Então, uma biblioteca itinerante chega ao vilarejo, trazendo junto um misterioso livro de couro trancado com uma fivela dourada e um cadeado. O que Tamara descobre ao longo de suas páginas a deixa surpresa. E tudo começa a mudar das maneiras mais inesperadas possíveis… Será possível mudar o amanhã?

Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada.
Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.
A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

O governo norte-americano contrata a renomada Agência de Detetives Van Dorn e seu agente igualmente renomado, Isaac Bell, para capturar um lendário ladrão de bancos conhecido como Assaltante Açougueiro. Este assassinara homens, mulheres e crianças, sem deixar nenhuma pista nem testemunhas. O detetive Bell lidera a busca e finalmente descobre a verdadeira identidade do Assaltante Açougueiro. E nesse momento inicia-se a verdadeira caçada.
Com um enredo intrincado, dois vilões extraordinários e a assinatura de Cussler em reviravoltas surpreendentes, A Caçada é o trabalho de um mestre no auge de seu talento.

Maggie Moran e seu marido são comuns, até um pouco tediosos. E é esse realismo que torna esta história tão eficaz e comovente…
Começa em um dia de verão, quando Maggie e Ira viajam de Baltimore para a Pensilvânia para um funeral. Maggie é impetuosa, desastrada, desajeitada, propensa a acidentes e tagarela. Ira é reservado, preciso, respeitável, tem uma mania irritante de assobiar músicas que traem seus pensamentos mais profundos e acha que sua esposa transforma os fatos de maneira que se encaixem na sua opinião sobre as pessoas que ama. Ambos sentem que seus filhos são estranhos, que a cultura das novas gerações está indo por água abaixo e que, de alguma forma, se enganaram com essa sociedade cujos valores não reconhecem mais. Mas esta viagem vai levá-los a refletir sobre estas angústias, e vai mostrá-los como é importante reavaliar seus sentimentos.

Eu fico em dúvida sobre qual me deixou mais curiosa, só não quero A Caçada por já fazer parte de uma série. E vocês?


Leia Mais
26 comentários
Compartilhe:

Além das Páginas #1: A última música


Olá pessoal ;) Quem acompanha o twitter do blog deve ter visto que eu lançaria algumas novidades aqui no Conjunto da Obra. E essa nova coluna, Além das Páginas, é a principal novidade.

Isso porque, com a nova coluna, tentarei trazer para vocês tudo o que é relacionado com o mundo literário, mas que pode não estar diretamente ligado às páginas de um livro.
Será uma coluna onde vocês conhecerão as músicas que me inspiram durante uma leitura por me lembrar determinado livro, as versões cinematográficas que serão lançadas em breve, um bate papo com ou o perfil de algum autor... ou seja, tudo que está além das páginas, tanto para mim, pessoalmente, quanto para os leitores em geral. 

E se algum de vocês também quiserem participar aqui, é só clicar na aba Contato aí em cima e falar comigo, que eu ficarei muito feliz.

E para inaugurar essa coluna, trago hoje um livro que muitos devem conhecer, ainda mais por se tratar de uma obra do nosso querido Nicholas Sparks.

Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão – A ULTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.


Li a obra logo que foi lançada em 2010, pois minha irmã pegou o livro emprestado com uma amiga e eu, claro, não perderia a oportunidade. E, toda vez que via o título do livro, uma música da Rihanna, também chamada The last song, "tocava" na minha mente, até porque a letra, de certa forma, tem muito a ver com a história. Já ouviram? Se não, é só clicar aí em baixo:


E aí, concordam comigo?

Ah, vale lembrar que o livro já ganhou uma versão cinematográfica, que eu tive oportunidade de assistir pouco depois de ler o livro. Fiquei até um pouco frustrada quando a música que tanto me lembrava a história não fazia parte da trilha sonora! (A rima foi não intencional). Quem ainda não teve oportunidade de conferir, pode assistir ao trailer:



O que acharam da nova coluna?

Leia Mais
27 comentários
Compartilhe:

#Bookaholic com moderação



Que todo Bookaholic é um apaixonado por livros não segredo para ninguém. Mas e quando essa paixão começa a se tornar algo prejudicial? Acho que vocês nunca tinham pensando nessa hipótese não é?
Claro que não é o fato de você gostar de ler mais que a média seja algo perigoso, o problema que cerca os Bookaholics é o mesmo que cercam os “Sapatólatros”, os “Bolsólatras” e todos os que não conseguem se controlar na hora de gastar um pouquinho demais em seu “hobby”; o consumismo exagerado. (Fonte)
Hey leitores do Conjunto da Obra. Estão estranhando esse post "diferente", não é? Contudo, há um bom motivo.

Esta blogueira que vos fala resolveu aderir à campanha #Bookaholics com Moderação, criada pela blogueira super querida Ane, do blog My Dear Library. Sim, acredito que não adianta ter coleções e montes de livros que nunca vou conseguir ler, e como não gosto de meus amiguinhos parados na estante sem serem abertos, minha promessa de ano novo foi não comprar livros para poder ler os que já tenho em casa.

Nem um.

No início a promessa se estendia até julho, mas - veja só - eu já comprei. Aí a consciência pesou, e eu percebi que já peguei vários livros emprestados neste ano, que vou receber mais alguns de parcerias, e que eu definitivamente não preciso comprar mais livros. E a tal promessa agora foi prorrogada, pelo menos, até dezembro.

No início, não me animei em participar da campanha, mas depois de ler o post da Ane explicando tudinho, me veio uma luz. Por que não?

Através dessa campanha eu quero propor um desafio a todos vocês. Criar uma meta de compras para 2013 com no máximo 20 livros. Claro que nada impede de você comprar um livro que esteja fora dessa meta, ou até mesmo não comprar nenhum, afinal tem bastante gente que quer aproveitar esse ano para ler sua estante completa. (Fonte)

Como meu objetivo é ler o que eu já tenho na estante, vou fazer uma meta de compra com os 20 livros, conforme as regras da campanha, para, no caso de a vontade de comprar apertar muito, eu só comprar aqueles que realmente interessam. Vou adicionar principalmente os de séries que eu quero ler as continuações, o que já reduz consideravalmente o número de livros a chegarem na estante. Nada dos próximos lançamentos, esses ficam para o próximo ano.



 



E então, o que acharam da minha lista?

E vocês, também estão dispostos a comprar menos?

Leia Mais
43 comentários
Compartilhe:

Uma Princesa em Meu Lugar - Paula Ottoni


Sinopse: Clara Martins está cansada de sua vida. Faculdade, trabalhos, correria do dia-a-dia, transporte público, televisão, comida congelada... O que ela não esperava é que seu desejo de viver em outro mundo fosse, de uma forma estranha, virar realidade. Quando a Princesa Sofia, do reino de Charmelyn, aparece na sala de estar de Clara, atravessando o quadro centenário que seria o presente de aniversário de sua avó, tem início uma troca. Sofia fica no lugar de Clara e esta no lugar da princesa. Agora ela precisa viver no castelo; uma nova vida em outro tempo. Sofia assume sua vida e seus problemas. Tudo até que a passagem resolva se abrir e a troca possa ser desfeita.
Entre proibições de ver os amigos camponeses, um baile para dançar com pretendentes a noivo, uma madrasta má e a paixão por um plebeu, Clara vai descobrir como é viver como uma garota das histórias de época, mas talvez nem tudo seja um conto de fadas... (Skoob)
OTTONI, Paula. Uma Princesa em Meu Lugar. Bookess, 2011. 324 p.

Como qualquer adolescente, Clara tinha uma vida boa, mas que não achava fácil. Seu pai morrera há alguns anos, vivia sozinha com sua mãe, que sempre precisava deixá-la por causa de seu trabalho. Todos os problemas do mundo pareciam ser seus, principalmente porque tantas coisas erradas ao seu redor não poderiam ser mudadas.

Mas a chance de fugir de tudo isso surgiu da maneira como menos esperava: Sofia, uma princesa que vivera séculos atrás, muito parecida com Clara, passou através de um quadro e chegou ao mundo contemporâneo e, por alguma razão, não conseguia retornar ao seu mundo. A única que poderia passar para o outro do quadro era Clara que, após algumas horas de ensinamento mútuo sobre seus próprios mundos, resolveu viver a vida de Sofia em Chamelyn.

A oportunidade de viver tudo o que estiveram privadas por tanto tempo se deu com essa troca, e as duas garotas se sentiam felizes com isso: Clara, com o ar puro, um príncipe dos sonhos e um pai que nunca teve. Sofia, com a liberdade que era dada a Clara, as novidades do mundo moderno e uma mãe, que nunca fizera parte de sua vida. O maior problema para as duas é que elas não sabiam quando e se poderiam voltar às suas próprias vidas.


"De princípio não reparei que um quadro me observava, é claro, porque eu estava dormindo. Só acordei dois minutos depois, com o telefone tocando.
[...]
Foi quando pus o telefone no gancho que percebi que minha cabeça doía à beça. Passei direto pelo retrato, sem reparar que a garota estava em uma posição diferente. Fui até a cozinha e puxei a minha caixinha de remédios da prateleira. Peguei a aspirina, pus na boca e saí tomando um copo de água pela casa. Estava indo para o banheiro quando finalmente reparei na façanha que acontecia em minha própria sala.
A pintura do quadro se mexia. Eu quis dizer que a garota de tinta a óleo SE MOVIA!"

Mesmo com uma história que lembra muito os contos de fada que eram lidos na infância e que, talvez, eu tivesse gostado muito mais se me viesse às mãos há alguns anos, Uma princesa em meu lugar, de Paula Ottoni, me cativou. A narrativa ingênua e bem desenvolvida do livro envolve, e a escrita gostosa da autora quase não passa a impressão de ser seu livro de estreia.

Narrado em primeira pessoa nas passagens de Clara, e em terceira quando o foco se dá nos acontecimentos que remetem a Sofia, as divisões são bem definidas e não confundem. As personagens, inclusive, têm cada uma sua própria personalidade, e seus traços são marcados ao longo da trama, o que contribui para gostar mais de uma ou de outra, de acordo com os gostos. Ainda que com os outros personagens essa identificação não seja tão fácil, são também encantadores e com características próprias.

Cheio de segredos e mistérios, o livro se desenrola em cenários perfeitamente encaixados e conseguimos nos sentir onde as garotas estão, principalmente quanto às passagens de outro século. Todos as pontas foram amarradas no final, que não chegou a ser surpreendente, mas agrada.

O romance que se desenvolve é fofo, só não faz suspirar. Senti como se fosse mesmo um desenho animado em que tudo dá muito certo e se encaixa, que faz do casal bonitinho, e só. Algumas cenas são um tanto engraçadas, o que deu um ar ainda mais leve à obra. O que eu mais gostei mesmo em toda a história foi que, apesar dos pensamentos egoístas das duas personagens principais, elas aprenderam que, nem sempre, os nossos problemas são os maiores do mundo e que, às vezes, um pequeno gesto pode mudar o mundo de alguém.

Notei alguns errinhos gramaticais, principalmente de alguns "há" que deveriam ser apenas "a", mas isto foi a única coisa que sobressaiu. Se fizer uma pequena comparação com a outra obra da autora que li, A Destinada, gostei mais do enredo e desenvolvimento desta última leitura, mas é perceptível que a autora desenvolveu ainda mais seu trabalho de escrita no segundo livro.

Leia Mais
28 comentários
Compartilhe:

Novidades #39: Novo Conceito na Amazon.com



Para aqueles que gostam de E-book, a Editora Novo Conceito anuncia mais uma novidade: os livros digitais da editora estão com um preço especial na Amazon.com.


Com o objetivo de incentivar a leitura dos eBooks, a Editora Novo Conceito está colocando no mercado, a partir de 18 de janeiro, 30% de seu catálogo de best-sellers a preços reduzidos.
Além dos grandes sucessos de vendas da editora, estão disponíveis lançamentos recentes nas áreas de romance, suspense, guias práticos e desenvolvimento pessoal, com opções para todos os públicos e gostos.



Quem ainda não teve acesso a esse tipo de livro ou deseja aumentar seu acervo pessoal, pode conferir a página especial da Editora na Amazon www.amazon.com.br/novoconceito, onde encontrará a lista com os títulos contemplados e os preços promocionais.


Leia Mais
20 comentários
Compartilhe:

Conjunto de Ganhadores #6


Olá pessoal! Hoje é dia de mostrar para vocês os últimos sortudos a levarem para casa os prêmios de Promoções do Conjunto da Obra. Curiosos?


Em uma pequena promoção feita para comemorar o novo layout do blog, a sortuda Taty levou para Taubaté, em São Paulo, o livro "Broquéis, Faróis e Últimos Sonetos", de Cruz e Souza.

~~*~~*~~


A Tairine foi a primeira sorteada na Promoção Natal de Magia e Amor, e levou três livros para casa, em Barbalha, no Ceará. O Conjunto da Obra foi o responsável por enviar o exemplar de Cidade dos Ossos, que aparece com ela na foto.

~~*~~*~~

Meninas, parabéns mais uma vez e muito obrigada pela participação, e também pelo envio das fotos.
Espero que a leitura seja ótima :)


Leia Mais
21 comentários
Compartilhe:

O livro secreto do banheiro feminino - Jo Barrett

Sinopse: "Nadine e Paul já eram", entrego.
Opa, a mocinha de pileque está com a lingua solta. Acabo de infingir o Código Secreto das Mulheres - o que acontece no banheiro morreno banheiro. Jake fica calado. pensativo. Finalmete, ele diz: " Impressionante, Claire. em cinco minutos, você descobriu mais do que descobri em um ano. Essas conversas de mulheres no banheiro são poderosas." (Skoob)
BARRET, Jo. O livro secreto do banheiro feminino. Essência, 2008. 320 p.

Claire St. John tem 34 anos, é divorciada e está naquela fase desesperada de quem acha que nunca mais encontrará O cara. Há pouco tempo descobriu que seu marido tinha uma amante, e isso a fez largar sua vida em Nova York, sua carreira promissora como advogada, voltar para Austin, sua cidade Natal, e tentar a vida como escritora.

Charles, o ex, ainda conseguia fazê-la atacar um pote de sorvete (com a colher grande), mas Jake, o cara com quem vinha saindo há algum tempo estava tomando espaço em seu coração. Apesar de receosa, ela estava tentando fazer dar certo e, dessa vez, pretendia levar à risca os melhores conselhos que já tinha ouvido na vida: aqueles que ouvira dentro do banheiro feminino, que a inspiraram também no tema de seu primeiro livro.

“Erik Estrada volta à minha janela e bate com a caneta no bloquinho de multas. Como já estou na ilha da fantasia, tenho uma rápida fantasia na qual ele me pede para sair do carro e me revista.
Neste momento, lembro que preciso jogar charme para ele.
‘Sabe, seu guarda, o azul de seu uniforme realça a cor dos seus olhos.’
‘Meus olhos são castanhos.’
‘Ah, é.’”

Na feira do livro de Florianópolis, quando passava pelos stands com opções super baratas, O livro secreto do banheiro feminino, de Jo Barrett, me ganhou à primeira vista. A capa simples, com uma combinação fofa de cores, e que diz muito sobre o livro, me chamou a atençãoMas o título, com certeza, foi fundamental para minha compra. Afinal... qual mulher nunca? Rsrs

Claire é uma personagem que passa uma fase complicada, com altos e baixos, mas que nunca deixa de lado o bom humor e a esperança de fazer as coisas melhores. A narração da obra é feita a partir de seu ponto de vista, e os pensamentos voláteis, confusos e contraditórios mostram uma mente inquieta e desesperada, no mais típico exagero do chick-lit sem, contudo, entrar no clichê. Algo que torna as passagens mais interessantes é a inserção de capítulos do livro que Claire escreve durante a história; mas isso, em alguns momentos, pode tornar a leitura cansativa.

Além de Claire, algumas outras personagens entram também no perfil “mais de trinta anos e solteira”, como suas amigas Laura, Lessie e Heather, com histórias paralelas que complementam a trama, mas que, dentre tantas outras figuras e enredos, fica difícil lembrar exatamente quem é quem. Terminei o livro com a sensação de não saber quais pessoas passaram por quais situações. O único que realmente sobressai, além da protagonista, é Aaron, o amigo gay, que sempre tem um “dedinho” nas cenas mais engraçadas.

A formatação do livro é uma graça. Além da capa, a diagramação tem letras em bons tamanhos nas páginas amarelas, com o símbolo do banheiro feminino no início de cada capítulo. A única coisa que estranhei foi a marcação dos diálogos com aspas, e não com travessões, provavelmente copiadas da edição original.

O livro tem uma história boa e divertida que entretém, mas não é uma leitura que vai marcar. O romance é delicado e sem exageros, sem grandes momentos, mas que faz com aqueles que se sentem sozinhos possam perceber que sempre haverá caras legais ou não, mas que o importante é viver para si mesmo e, quem sabe, encontrar alguém especial.

Leia Mais
25 comentários
Compartilhe:

Novidades #38


Olá pessoal, como começou a semana por aí?
Por aqui tudo maravilhoso, finalmente o sol resolveu ir para a praia no mesmo dia que eu. rsrs
Mas que tal agora ficarmos sabendo sobre algumas novidades literárias?

As autoras Janaina Rico, Luciane Rangel e Larissa Siriani estarão no dia 19 de janeiro participando de uma sessão de autógrafos em Recife, no Bistrô&Boteco do Shopping Recife. Para saber mais, basta clicar na imagem e ser redirecionado para o site do evento.



~~*~~*~~

A Editora Planeta divulgou o retorno de duas grandes obras de seu catálogo:

Metrô 2033
Dmitry Glukhovsky
Literatura Local
Páginas:
416 páginas
ISBN:
9788576655473
Formato:
23 x 16 cm.
Encadernação:
Tapa rústica
Selo:
Planeta
Nº de Edição: 
1
Publicação:
Setembro 2010
Sinopse: Países inteiros destruídos, florestas devastadas, escassez de alimentos e água. O ser humano já não tem mais o comando sobre a Terra. Novas formas de vida a dominam. Um desastre nuclear varreu a superfície terrestre obrigando os poucos sobreviventes a uma existência sem sentido e sem esperança nos túneis do metrô de Moscou.
É nesse cenário pós-apocalíptico que Dmitry Glukhovsky traz o tema que enche o ser humano de curiosidade e incerteza: a possibilidade do fim do mundo. Metrô 2033, que inspirou a criação de um dos games mais eletrizantes da atualidade, cria uma atmosfera caótica ao tentar mostrar como se comportaria um ser humano em um ambiente onde o que predomina é o instinto de sobrevivência.
E vale lembrar que o livro está para ser adaptado para o cinema!

Leia Mais
14 comentários
Compartilhe: