Fahrenhein 451 - Ray Bradbury


"- Você pergunta: quanto tudo começou, esse nosso trabalho, como surgiu, onde, quando? Bem, eu diria que ele realmente começou por volta de uma coisa chamada Guerra Civil, embora nosso livro de regras afirme que foi mais cedo. O fato é que não tivemos muito papel a desempenhar até a fotografia chegar à maioridade. Depois, veio o cinema, no início do século vinte. O rádio. A televisão. As coisas começaram a possuir massa.
Montag continuou sentado na cama, sem se mexer.
- E porque tinham massa, ficaram mais simples - disse Beatty. - Antigamento, os livros atraíam algumas pessoas, aqui, ali, por toda a parte. Elas podiam se dar ao luxo de ser diferentes. O mundo era espaçoso. Entretanto, o mundo se encheu de olhos, cotovelos e bocas. [...] O cinema e o rádio, as revistas e os livros, tudo isso foi nivelado por baixo [...]. Livros abreviados. Condensações. Resumos. Tablóides. Tudo subordinado às gags, ao final emocionante." (p. 79)

Você prefere ser feliz ou conhecer de verdade o mundo ao seu redor? Espere, não há mais opção. Os livros são proibidos, e os bombeiros trabalham para colocar fogo, ao invés de apagar. Isso é o máximo que se pode saber sobre o mundo de Fahreinheit 451, de Ray Bradbury, antes de ler o livro, ou toda a maravilha da descoberta se acaba já por aqui.

Foi impressionante! Uma distopia publicada pela primeira vez em 1953 e tão fundamentada, tão possível. É como se nossa sociedade já estivesse se encaminhando para essa realidade descrita na história, com a busca constante de uma felicidade nem sempre real.

A narração em terceira pessoa acompanha o ponto de vista de Montag, que trabalha como bombeiro nessa sociedade futurística. No início, a história pode parecer um pouco confusa, já que o autor não se prende à descrição da vida naquela "nova" realidade e dos objetos diferentes, mas aos próprios acontecimentos: cabe ao leitor fazer sua própria interpretação de como são os salões e dos "parentes", por exemplo. Depois de algumas páginas, essa estranheza vai se desfazendo, e a história vai ficando mais madura e intensa.

É engraçado, inclusive, que se perceba um ritmo de acontecimentos como se fosse um filme: tranquilidade, seguida de adrenalina, e novamente calmaria, com picos para não perder a atenção do leitor. E existe mesmo uma versão cinematográfica, mas não assisti para que pudesse fazer comparações.

Eu me encantei com a referência singela que o autor fez sobre os ciclos históricos reais, já que algumas características dos momentos da História, de uma forma ou de outra, tendem a se repetir no mundo. Assim como em várias épocas houve contrapontos entre opressão e liberdade, pode-se também citar momentos de nossa civilização em que os livros foram queimados: o que garante que isso não aconteceria novamente?

Interessante também as reflexões do autor nas páginas finais do livro, que não sei se estão adicionadas em todas as edições: ele cita acontecimentos reais que se aproximam daquilo que ele descreveu como causa daquele mundo sem livros. O livro todo é uma crítica à superficialidade para a qual a sociedade tem se encaminhado, e há muitas lições a se tirar. Entre elas: qual livro você vai decorar?


Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

39 comentários:

  1. Oi Ju*
    Esta história é muito boa mesmo, eu já li o livro e já assisti ao filme. Vc já assistiu? Eu adoreii.

    Boa dica*
    Beijos*

    ResponderExcluir
  2. Eu não estava preparada pra gostar tanto deste livro. Ele é muito bom, é um livro pequeno, mas tanta coisa acontece. A mulher de Montag era insuportável, já a amiga dele, cujo nome eu esqueci, era muito legal! Não vi o filme e não tenho interesse:)
    "Qual livro você vai decorar?" Seria muito difícil escolher...
    *Algum tempo depois*
    Resposta: Manual de Sobrevivência na selva/deserto/cidade! O mundo é louco e as pessoas são estranhas, então eu decoraria um que me ajudasse a sobreviver.

    ResponderExcluir
  3. Ju, não li esse livro mas leio muitos comentários positivos a respeito. Acho interessante o tema abordado pelo autor, sempre tive enorme vontade de ler "Fahrenhein 451"!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Não conhecia o livro (alguns segundos depois, meu pai disse que é um dos livros da wishlist dele), a história parece ser boa, principalmente de se tratar de uma Distopia, que eu adoro.
    Mas não sei, se eu leria.

    Abraços,
    Marinah | www.marinahgattuso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, e como tenho uma tendência a não gostar de livros futuristas, se o encontrasse na livraria com certeza não seria minha primeira opção. Mas sua resenha foi fundamental. Me fez lembrar de um trecho que acabei de ler em um livro, em que a personagem diz que não achava que a guerra a atingiria, que o Estado e a Igreja tinham mais poder sobre qualquer lider que surgisse pra invocar uma guerra. E de repente, lá estava ela, no meio da confusão. De fato, nos achamos protegidos pela sociedade moderna. Vai saber o que pode acontecer daqui pra frente? Me interessei demais pelo livro! Entrou pra minha lista!

    Blog: O silêncio não existe
    FanPage: www.facebook.com.br/osilencionaoexiste
    Beijos, Lenise

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju!
    Tenho curiosidade pela leitura por ser um clássico entre os distópicos.
    Seus comentários só reforçaram minha curiosidade, e gostei dessa questão dos ciclos históricos.
    Realmente parece interessante!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena Mi, é bem diferente dos distópicos atuais, mas não perde nada em qualidade.

      Beijos

      Excluir
  7. ADORO estórias que falam de distopia, ultimamente tenho lido alguns e estou adorando. Não conhecia o livro.
    Achei o título bem legal e a capa tb.
    Tenho um livro desse autor e realmente ele é maravilhoso, gosto do jeito dele de escrever, de detalhar as coisas.
    Resenha #81 - Procura-se Um Marido - Carina Cassi.
    Confere lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu nem tinha pesquisado para ver outra obra do autor? Vou dar uma olhada.

      Excluir
  8. Oi Julia,
    Gosto muito de distopias e achei a história fascinante,parece estar tudo ao contrário.Os livros são proibidos?Graças a Deus é uma ficção,imagina se fosse possível.Gostei muito de saber que é um livro que nos faz refletir e tenho certeza que acrescenta algo para quem o lê.
    Já o anotei aqui,gostei muito mesmo.

    Bjos
    www.roubandolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, imagina! Mas sabe que não é uma realidade tão distante assim?

      Excluir
  9. A história parece incrívelmente boa. Eu realmente adorei. Mesmo.
    Resenha ótima. Parece totalmente diferente do que estou acostumada a ler.
    Ah, e a capa é linda =D

    - VITAMINA DE PIMENTA -

    ResponderExcluir
  10. Eu li a sinopse desse livro no submarino, me deu uma vontade de comprar, mas ainda não o tenho. Gostei da sua resenha, parece ser uma história muito boa.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, vale a pena ler se você gosta de distopias.

      Excluir
  11. Oie Ju
    não sabia que existia um livro, e muito menos que foi publicado nos anos 50. Uau, adoro quando o autor consegue trazer um enredo atual para e época e chocar literalmente , quebrando todos os padrões!!
    amei a resenha e já anotei a dica aqui
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim, agora eu que preciso assistir ao filme

      Excluir
  12. Oi Ju!tenho vontade de ler o livro, não por me sentir fortemente atraída pelo enredo, seria mais por curiosidade mesmo, o livro é citado em escala mundial e gostaria de saber seu segredo. Deu para imaginar um pouco pela resenha. Bjos!!

    ResponderExcluir
  13. Eita, Julia!
    Eu, que não sou fã de distopia, fiquei com vontade de ler essa depois da sua ótima resenha.
    Ai, cara! Quero esse livro! hahaha

    Um abraço!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  14. Oi Julia!!

    Como você está? :D

    Tenho bastante curiosidade em ler esse livro!
    Pelo o que você falou, parece ser muito interessante! :)

    Beijoooo! =^.^=

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia, nem o filme e nem o livro
    Mas achei esse post muito interessante e vou procurar

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá.
    Uau, adorei sua resenha. Eu já tinha visto esse livro, mas acho que nunca li uma resenha sobre ele. Ou pelo menos não tinha lido uma que me deixou interessada UASHAUSHUA Gostei, espero ter uma oportunidade de lê-lo.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim :) Que bom que gostou da resenha.

      Excluir
  17. Hum...curto muito distopia. Esse livro parece ser interessante, ainda mais quando vemos que a nossa sociedade já caminha para esse caminho falado no livro. Não conhecia, mas gostei.
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  18. Oi Ju.
    Eu adoro distopia, sempre estou a procura de algum para ler. Achei esse bem interessante, vou ver se o leio qualquer dia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Sou louca para ler esse livro desde quando meu professor levou para escola uma resenha maravilhosa dele. A sua só me deixou ainda mais na vontade e esse trecho idem *---*

    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura? Meus professores quase nunca indicavam muita coisa diferente assim.

      Excluir
  20. ADorei sua resenha, você descreveu de modo tão inspirador que eu fiquei aqui babando, eu queeeero! haha
    Adorei minha linda, você citou que é uma distopia escrita há décadas atrás, nossa, agora mesmo que quero ler!

    ResponderExcluir
  21. Olá
    Adorei a resenha.
    Fiquei morrendo de vontade de ler.
    Beijos

    cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Tenho muita vontade de ler este livro, ele parece ser tão interessante. Adorei a resenha *-*
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Esse livro é MUITO BOM.
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
  24. Oie Julia =)

    Fahrenhein é um clássico da distopia que eu ainda preciso ler. Todo mundo fala muito bem dele, e por se tratar de um livro lançando nos anos oitenta acredito que ele seja muito mais atual do que possa parecer, não é mesmo?

    Ótima resenha flor!

    Beijos e uma ótima semana;***

    Ane Reis - mydearlibrary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, Ane, fala de um tema polêmico e bem atual.

      Excluir
  25. Eu tenho vontade de ler esse livro, já ouvi falar muito bem dele.
    Eu fui atrás do filme, mas infelizmente não consegui assistir, é uma versão muito antiga e não prendeu minha atenção.
    O jeito vai ser comprar o livro mesmo.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aix, espero que o filme me anime, pretendo assisti-lo.

      Excluir
  26. Oi Julia, tudo bem flor?
    Nossa, que livro fantástico! Ainda não tinha ouvido falar, mas já anotei a dica pois parece ser um livro muito bom. Gostei e muito da temática, e me lembrou um pouco da segunda guerra quando Hitler queimou muitos livros considerados impróprios.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Amanda, por isso citei os ciclos históricos: a Segunda Guerra, a Idade Média...

      Excluir
  27. Oi Julia!
    Eu tenho muita curiosidade sobre esse livro.
    Distopias mais clássicas me chamam a atenção para o fato de o autor conseguir pensar tão a frente, apesar de nesse caso ser algo que aconteceu e pode voltar a acontecer, a queima dos livros.
    Enfim, adorei a sua resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  28. eu não sou muito fã de distopia... não é um tema que me atraia,mas acho interessante essa "ponte" com a nossa ralidade.sempre tem o "pode ser?" né. não é minha prioridade de leitura,mas quando aparecer a oportunidade,vou ler com certeza.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.