Editora Catarinense está publicando autores do Sul do Brasil

Não é segredo que a literatura brasileira tem alcançado um crescimento considerável. Muito disso, se deve aos novos talentos literários que estão sendo colocados no mercado nacional.
Uma editora com sede no estado de SC tem se dedicado a isso: descobrir e publicar autores iniciantes, principalmente no Sul do Brasil.
Essa é a missão da Editora Dracaena que já está no mercado há quatro anos. A empresa buscou seguir um caminho diferente: criar uma editora onde autor e editor tivessem um contato mais próximo durante o processo de publicação de um livro.
Segundo o editor Léo Kades, o autor que sonha em publicar um livro e não conhece os passos para a criação de capa, revisão e outras etapas que envolvem a publicação de uma obra literária, acaba encontrando esse diferencial, uma assessoria editorial que torna o processo todo mais agradável.
“’Na maioria dos casos acabamos nos tornando amigos e assessorando a carreira de muitos autores, complementa o editor.”


SANTA CATARINA
Com Markus Eberhart, de Lages – SC, foi isso mesmo que aconteceu: Buscando ajuda para publicar seu primeiro livro cerca de três anos atrás, encontrou na empresa ajuda profissional e a supervisão profissional que necessitava para dar os primeiros passos no mercado editorial.
De lá pra cá, o autor já publicou cinco obras com o auxílio da editora e sua equipe. Seu mais novo lançamento é o livro Liderança Espiritual pelo selo Oxigênio da Editora Dracaena.
Markus Eberhart ainda declara: “A editora tem sido a grande parceira na concretização dos meus sonhos e projetos”.

PARANÁ
Com o empresário paranaense Edson Vanzella o caminho foi parecido. Logo após terminar o seu primeiro livro A Lenda do Lago Dourado, o autor foi em busca de uma editora que pudesse lhe auxiliar e aconselhar a respeito de uma possível publicação de seu livro. Depois de muito pesquisar, encontrou todo o suporte necessário na Dracaena.
“Conheci a Editora Dracaena através da internet, e logo me chamou a atenção a excepcional apresentação das capas dos livros, muito atrativa, capas inteligentes e de grande apelo”, enfatiza Vanzella.



RIO GRANDE DO SUL
Para a pediatra gaúcha Eleonor Hertzog, autora do livro Cisne, o que mais lhe chamou a atenção foi a relação autor/editor. “Os contatos aconteceram direto com o editor através de telefone ou e-mail. Dúvidas e questionamentos sempre tiveram respostas rápidas, os acertos relativos à parte editorial propriamente dita aconteceram com rapidez e gentileza.” O trabalho da gráfica se mostrou impecável, entregando um livro bem acabado, bem colado e fácil de manusear.





Para interessados em enviar o seu livro para avaliação, basta acessar o site www.dracaena.com.br e preencher o formulário na seção Publique.


Dracaena anuncia lançamentos do mês de maio



Autor: João Simões Lopes Neto
Gênero: Infantojuvenil, Ficção
ISBN: 9788582180846
Nº de páginas: 108
Sinopse: Lendas do Sul é uma das mais importantes obras de João Simões Lopes Neto que foi um dos mais notáveis escritores regionalistas de todos os tempos. Nesse livro temos reunidas as mais belas lendas do Sul do Brasil.
Entre elas: O Negrinho do Pastoreio, O Boitatá, O Saci, O Lobisomem, entre outras.




Autor: George MaCDonald
Gênero: Infantojuvenil, Ficção
ISBN: 9788582180129
Nº de páginas: 48
Sinopse: George MacDonald, nascido em 10 de dezembro de 1824, é um dos mais notáveis escritores de sua época. Foi amigo e mentor de Lewis Carroll e o incentivou a publicar Alice no País das maravilhas. Influenciou autores como J.R.R. Tolkien, C.S. Lewis e Mark Twain.
CS Lewis declarou publicamente em diversas ocasiões ter George Macdonald como seu Mestre e grande inspiração para escrever livros como As Crônicas de Nárnia.
Publicou romances de fantasia e dezenas de contos, que o tornaram conhecido e amado por crianças e adultos.
O próprio autor declarou certa vez: “Eu não escrevo livros infantis, mas escrevo para todas as crianças, sejam elas de 5, 50 ou 75 anos”.
A chave dourada é um dos seus mais importantes trabalhos. Um conto de fadas dotado de beleza e magia que tem encantado milhões de leitores por várias gerações. É um daqueles contos que a criança carrega para a vida adulta, devido à mensagem simbólica, dotada de espiritualidade e pureza. O autor faleceu em 08 de setembro de 1905, mas suas obras são imortais no coração de seus leitores.
Para comprar acesse: http://www.dracaena.com.br/?modulo=Produtos&item=ProdutosView&id=110

   
Autor: Jéssica Anitelli
Gênero: Ficção, Romance
ISBN: 9788582180839
Nº de páginas: 380
Sinopse: Será mesmo certo um humano conviver tão próximo ao seu maior predador?
Júlia pensava que seu amor por Diogo era maior que tudo e que a partir daquele momento as coisas se ajeitariam e eles, finalmente, poderiam ficar juntos.
Será mesmo?
O Conselho dos vampiros não deixará a pobre garota em paz, pois ela carrega consigo a maior arma de eliminação da sua espécie.
E se não bastasse essa perseguição que a deixa transtornada, há também Marta, que continuará a mexer com as emoções do jovem vampiro de olhos verdes e da menina ruiva.
Observando tudo de cima está Henrique, que não abandonará o corpo de seu parente até que o ritual seja realizado e assim possa voltar ao que era há mais de 100 anos.
Mas até que isso aconteça, este vampiro que não possui dentro de si nada de humano, causará conflitos e dores.
O segundo livro da série promete arrebatar o leitor do começo ao fim e levá-lo a manifestar sentimentos dos mais variados.

NOTA: A autora do livro convida você para o lançamento do livro no dia 11/05. Será no Anfiteatro Municipal: Rua Arthur Franco Mourão, 55, Centro – Leme/SP, das 15 às 18 horas.

Autor: Jaqueline Beloto
Gênero: Romance, Ficção
ISBN: 9788582180884
Nº de páginas: 296
Sinopse: Um romance que liberta os amantes de culpas; quando se descobre que o verdadeiro amor não escolhe a hora nem o lugar certo para surgir.
Isadora, que vive um casamento de aparências com o Senador José Augusto, se apaixona perdidamente por outro Senador, Luís Otávio, casado e candidato à presidência da República. Luís não pode nem pensar em assumir o romance publicamente, pois acredita que isso seria o fim de suas possibilidades de ser eleito.
Então, o casal vive um romance às escondidas até que as armadilhas do destino fazem com que eles tenham que tomar decisões; aquelas que mudariam para sempre suas vidas.



Editora Oxigênio anuncia lançamento de obras de Spurgeon e Jaime de Magalhães Lima


Charles Haddon Spurgeon nasceu em 19 de junho de 1834 converteu se ao cristianismo aos 15 anos e começou a pregar logo em seguida.
Ficou conhecido como ‘O Príncipe dos Pregadores’ devido a sua habilidade em pregar a Palavra e tocar os corações de seus milhões de ouvintes.
Escreveu 135 livros e mais de 3000 sermões que foram distribuídos por todo o mundo.
Seu ministério influenciou milhares de outros pregadores e sua mensagem pregada continua atual até os dias de hoje.


Jaime de Magalhães Lima (15 de Outubro de 1859 - 26 de Fevereiro de 1936).
Frequentou a Universidade de Coimbra e se licenciou em Direito no ano de 1880.
Era um defensor dos animais e amante da natureza, tendo dedicado um bom tempo de sua vida na plantação de eucaliptos em sua propriedade. Via nas arvores um símbolo da grandeza de Deus.
Viajou por vários países e ao visitar a Rússia conheceu Tolstoi, por quem tinha grande admiração. Mesmo conhecendo tantos países, nunca deixou Portugal, seu berço natal, onde viveu a maior parte da sua vida. Ali encontrou a calma e paz que precisava, rodeado pela natureza que amava para criar as suas mais belas obras como: Rogações de Eremita e O Vegetarismo e a Moralidade das raças, entre outras de igual importância.
É autor de 30 livros e contribuiu com dezenas de outras obras durante sua vida.


Leia Mais
20 comentários
Compartilhe:

Resultado: Promoção Terra Ardente


Ai, ai, gente! Mais um resultado de Promoção saindo hoje, e acho que fiquei mais ansiosa que vocês ;)


a Rafflecopter giveaway

A sortuda que vai levar para casa um exemplar de Terra Ardente da nova edição é a Ana Lucia!
Ela seguiu todas as regras e participou muito ;) Entrarei em contato por e-mail ainda hoje, e ela terá 48h para responder com seus dados, ou o sorteio será refeito.

Quero agradecer muito à Janice Diniz por disponilizar esse exemplar para sorteio. Quem tiver oportunidade, leia a entrevista com a autora, vale muito a pena.




Leia Mais
5 comentários
Compartilhe:

Fahrenhein 451 - Ray Bradbury


"- Você pergunta: quanto tudo começou, esse nosso trabalho, como surgiu, onde, quando? Bem, eu diria que ele realmente começou por volta de uma coisa chamada Guerra Civil, embora nosso livro de regras afirme que foi mais cedo. O fato é que não tivemos muito papel a desempenhar até a fotografia chegar à maioridade. Depois, veio o cinema, no início do século vinte. O rádio. A televisão. As coisas começaram a possuir massa.
Montag continuou sentado na cama, sem se mexer.
- E porque tinham massa, ficaram mais simples - disse Beatty. - Antigamento, os livros atraíam algumas pessoas, aqui, ali, por toda a parte. Elas podiam se dar ao luxo de ser diferentes. O mundo era espaçoso. Entretanto, o mundo se encheu de olhos, cotovelos e bocas. [...] O cinema e o rádio, as revistas e os livros, tudo isso foi nivelado por baixo [...]. Livros abreviados. Condensações. Resumos. Tablóides. Tudo subordinado às gags, ao final emocionante." (p. 79)

Você prefere ser feliz ou conhecer de verdade o mundo ao seu redor? Espere, não há mais opção. Os livros são proibidos, e os bombeiros trabalham para colocar fogo, ao invés de apagar. Isso é o máximo que se pode saber sobre o mundo de Fahreinheit 451, de Ray Bradbury, antes de ler o livro, ou toda a maravilha da descoberta se acaba já por aqui.

Foi impressionante! Uma distopia publicada pela primeira vez em 1953 e tão fundamentada, tão possível. É como se nossa sociedade já estivesse se encaminhando para essa realidade descrita na história, com a busca constante de uma felicidade nem sempre real.

A narração em terceira pessoa acompanha o ponto de vista de Montag, que trabalha como bombeiro nessa sociedade futurística. No início, a história pode parecer um pouco confusa, já que o autor não se prende à descrição da vida naquela "nova" realidade e dos objetos diferentes, mas aos próprios acontecimentos: cabe ao leitor fazer sua própria interpretação de como são os salões e dos "parentes", por exemplo. Depois de algumas páginas, essa estranheza vai se desfazendo, e a história vai ficando mais madura e intensa.

É engraçado, inclusive, que se perceba um ritmo de acontecimentos como se fosse um filme: tranquilidade, seguida de adrenalina, e novamente calmaria, com picos para não perder a atenção do leitor. E existe mesmo uma versão cinematográfica, mas não assisti para que pudesse fazer comparações.

Eu me encantei com a referência singela que o autor fez sobre os ciclos históricos reais, já que algumas características dos momentos da História, de uma forma ou de outra, tendem a se repetir no mundo. Assim como em várias épocas houve contrapontos entre opressão e liberdade, pode-se também citar momentos de nossa civilização em que os livros foram queimados: o que garante que isso não aconteceria novamente?

Interessante também as reflexões do autor nas páginas finais do livro, que não sei se estão adicionadas em todas as edições: ele cita acontecimentos reais que se aproximam daquilo que ele descreveu como causa daquele mundo sem livros. O livro todo é uma crítica à superficialidade para a qual a sociedade tem se encaminhado, e há muitas lições a se tirar. Entre elas: qual livro você vai decorar?


Leia Mais
39 comentários
Compartilhe:

Novidades #49: Maio com a Novo Conceito


Daqui a uma semana, abril chega ao seu fim... O tempo passa mesmo rápido, não?
O lado bom? A gente pode conferir a nova lista de lançamentos que as editoras divulgam, e a Novo Conceito trará, em maio, novidades de deixar qualquer um babando:
 



Sophie Sullivan, uma bibliotecária de São Francisco, tinha cinco anos de idade quando se apaixonou por Jake McCann. Vinte anos depois, estava convencida de que o bad boy ainda a via como a gêmea Sullivan boazinha. Isso quando ele se dava ao trabalho de olhar para ela.
Ao se envolver na magia do primeiro casamento dos Sullivan, Sophie sente que já passou da hora de fazer o que quer que seja preciso para que Jake a veja como a mulher que realmente é.
No entanto, ela terá dificuldade em mostrar a Jake que pode ser uma mulher forte e decidida, capaz de amá-lo para sempre. E não só porque ela é a inacessível irmã de seus melhores amigos, mas porque ele tem medo de tê-la perto demais. Na verdade, ele desconfia que seu segredo mais vergonhoso poderá ser desvendado.





No início da Primeira Guerra, Jimmy, o marido de Belle Reilly, é levado para as trincheiras mortais do norte da França e Belle percebe que não pode ficar de braços cruzados quando tantos estão sacrificando suas vidas.
Armada de coragem e boa vontade, ela se torna voluntária como motorista da Cruz Vermelha, também na França.
Então, enquanto cumpre seu dever humanitário, um trágico acidente lhe coloca frente a frente com Etienne — o homem que fez parte de seu passado e a quem nunca esqueceu completamente.
Dividida entre a paixão proibida por Etienne e a lealdade e o amor por Jimmy, Belle encontra-se em uma situação impossível. A confusão de seus sentimentos, misturada à escuridão da mais brutal das guerras, a levará a sucumbir para sempre, ou a força da vida será maior e a conduzirá, finalmente, à verdadeira felicidade?





Em um mundo devastado pela doença, Hig conseguiu escapar à gripe que matou todo mundo que ele conhecia. Sua esposa e seus amigos estão mortos, e ele sobrevive no hangar de um pequeno aeroporto abandonado com seu cachorro, Jasper, e um único vizinho, que odeia a humanidade, ou o que restou dela.
Mas Hig não perde as esperanças. Enquanto sobrevoa a cidade em um avião dos anos 1950, ele sonha com a vida que poderia ter vivido não fosse pela fatalidade que dizimou todos que amava. Hig é um guerreiro sonhador. E tem uma imensa vontade de gente, apesar da desilusão que se abateu sobre ele. Por isso é capaz de arriscar todo seu futuro quando, um dia, o rádio de seu avião capta uma mensagem…
Voe com Hig e Jasper e se encante ao descobrir que um mundo melhor pode estar em cada um de nós.






Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos Best-seller do The New York Times e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James.
As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria.
Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes.
Paperboy é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética.




Em uma cidadezinha, a 100 quilômetros de Detroit, há uma loja antiga com mais de 78 anos que se tornou um ícone em roupas para casamento e vestidos de noiva. Por ali já passaram mais de cem mil moças: noivas, mães e madrinhas. Seus vestidos vão além de roupas elegantes para mais uma cerimônia: eles representam, no imaginário das noivas
e de seus pais, a garantia de uma noite de princesa, um símbolo do “felizes para sempre”. Para estas moças, este lugar é, certamente, uma linha divisória: de um lado está a fé no amor e no romance e, do outro, a ingenuidade e o medo.
Da substância desses sentimentos contraditórios, Jeffrey Zaslow selecionou histórias que às vezes nos fazem rir, às vezes nos partem o coração, mas que oferecem um panorama do que é o casamento e do que as famílias ensinam às suas filhas sobre amor e compromisso.




Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks).
Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias.
Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados.
Um Gato de rua chamado Bob é uma história comovente e edificante que toca o coração de quem a lê.





Gabriella Mondini é uma médica com estranhos poderes de cura, poderes que vão além de seus conhecimentos científicos. No fim do século 16, uma mulher médica — e tão sensível quanto ela — é praticamente uma heresia. Assim, se quiser continuar praticando a medicina, deverá ter o aconselhamento de um homem.
Seu pai, também médico, seria o conselheiro ideal, mas ele a abandonou há dez anos: saiu em busca de curas inimagináveis por uma Europa cheia de crendices e magias. E, agora, por meio de suas poucas cartas, é possível perceber que sua sanidade mental está desaparecendo.
Disposta a reencontrar o pai e, quem sabe, salvá-lo a tempo de continuar praticando a medicina, ela atravessa os Alpes da Suíça e os campos da Alemanha, encontra-se com os maiores médicos da Europa e caminha por cidades e vilarejos estranhos até chegar ao Marrocos.
A jovem médica enfrentará caminhos que lhe ensinarão o que é viver no mundo dos clínicos e herboristas daquela época; um mundo onde as praças públicas exalam cheiro de corpos queimados, onde ervas exóticas destroem todos os desejos e onde doenças como a Inveja (“um verme invisível”) saem do corpo dos mortos para destruir os vivos…
Até o fim de sua aventura, ela tentará conquistar a sabedoria tão desejada, mas também terá que lidar com o conhecimento dos segredos de sua família, que são, afinal, os seus próprios segredos.


O que eu mais gostei foi Na Companhia das Estrelas. E vocês?



Leia Mais
36 comentários
Compartilhe:

Promoção: Meu amor, Meu bem, Meu querido


Então... Quem aí está interessado em uma nova promoção?

Desta vez, o blog Conjunto da Obra, em parceria com a Editora Novo Conceito, vai sortear um exemplar de Meu amor, Meu bem, meu querido.

Para participar é simples: basta seguir o blog pelo Google Friend Connect (clicar em "Participar deste site" na barra lateral direita) e, após preencher esse item, novas opções ficarão disponíveis.

  a Rafflecopter giveaway
O sorteio será feito por meio da ferramenta Rafflecopter. Para os que ainda têm dúvidas sobre como utilizá-la, podem ver este tutorial aqui. As inscrições são válidas até dia 18/05.

Após o resultado, o vencedor terá até 48 horas para responder o e-mail que eu encaminharei solicitando seus dados, ou o sorteio será refeito. O prêmio poderá ser remetido em até 30 dias após. Estas e outras regras estão expressas no terms and conditions do formulário.






Leia Mais
16 comentários
Compartilhe:

Essa Semana... #48


Ei pessoal, como tem sido as leituras de vocês?
As minhas deram uma freiada, estou sem tempo e muito, MUITO cansada. Tenho que reorganizar meus horários, mas está difícil e tenho dormido tão pouco! :(
Então, vamos ver o que rolou por aqui nos últimos dias?

Leitura do momento:


Estou lendo As Violetas de Março, da Sarah Jio. Ainda li pouco e, apesar de não ter bem uma opinião sobre a história, posso dizer que algo dela conseguiu me prender.

Li essa semana: 


Nos últimos dias apenas concluí a leitura de Eu sei o que você está pensando, de John Verdon, que logo terá resenha.

Resenhei:

- As vantagens de ser invisível, que foi bem elogiada :) rsrs

Hey, Mr. Postman:

Chegaram tantas coisinhas *-* E algumas eu só esqueci de mostrar na semana passada:


Minha irmã ganhou Lua de Mel de aniversário, e recebi Nosso Último Verão de uma troca no skoob.


Recebi Sociedade Secreta Rosa & Túmulo de booktour, e comprei Enjaulado para ler para a faculdade.

E mais no blog essa semana: 

- Conjuntando #16: Mais filmes;
- Última semana para participar das promoções Terra Ardente e Não Posso me Apaixonar.

Leia Mais
26 comentários
Compartilhe:

Anna e o Beijo Francês - Stephenie Perkins

Sinopse: Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto — que tem namorada. Ele e Anna se tornam amigos próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer? (Skoob)
PERKINS, Stephanie. Anna e o Beijo Francês. Novo Conceito, 2011. 286 p.


"Sinto tanta falta de casa e isso dói fisicamente. Meu coração bate acelerado, meu estômago está nauseado e é tudo tão injusto. Nunca pedi para ser mandada para cá. Tinha os meus próprios amigos, minhas próprias piadas particulares e os meus próprios beijos roubados. Queria que meus pais tivessem me dado alguma escolha: - Você gostaria de passar seu último ano em Atlanta ou em Paris?
Quem sabe? Talvez eu tivesse escolhido Paris.
O que os meus pais nunca levaram em consideração é que eu queria, ao menos, ter tido escolha." (p. 33)
Não farei uma resenha comum desta vez; a blogosfera já teve uma enxurrada de opiniões sobre este livro. Quero apenas deixar registradas, resumidamente, minhas principais impressões.

Anna e o Beijo Francês, de Stephanie Perkins é um romance adolescente delicioso de ler, mas nada muito além disso. Apesar de tratar de um ou outro assunto mais sério, não se aprofunda neles, que não são foco. O que mais se destaque mesmo é o romance: não daqueles avassalador e de tirar o fôlego, mas dos que vão tomando espaço aos pouquinhos, se infiltrando e que, quando se percebe, deixa sem ar. E vamos sentindo isso com Anna, que narra a história em primeira pessoa. A narrativa de Perkins é ótima, cheia de um humor doce e envolvente. Nos apaixonamos perdidamente por St. Clair, e nos encantamos por cada personagem criado pela autora. Perkins tem tato para criar uma boa história.


Leia Mais
34 comentários
Compartilhe:

Hangout com Sarah Jio


Atenção pessoal, última chamada!

Nesta quarta-feira, dia 17 de abril, a editora Novo Conceito promoverá um Hangout com a autora de As Violetas de Março, Sarah Jio.

O bate-papo será transmitido na Página da editora no Google Play, a partir das 16h:30.


E todo mundo ainda pode participar e concorrer a 05 kits do livro "As Violetas de Março", enviando perguntas para a autora. O kit conta com 01 livro, 01 vaso, 01 saco com sementes de violetas e 01 linda bolsa. Os autores das 05 primeiras perguntas selecionadas, que serão realizadas no bate-papo com a autora, serão os ganhadores.

Envie suas perguntas AQUI.

O nome dos vencedores será divulgado em nossas redes sociais no dia 19/04.

Sarah Jio é jornalista e escreve para revistas como SELF, Real Simple, Cooking Light e O, The Oprah Magazine, entre outras. Nos últimos anos mantém um blog na “Glamour.com” sobre saúde e bem-estar. Vive em Seattle com o marido, seus três filhos e um golden retriever. As Violetas de Março é o seu primeiro romance e foi considerado o melhor livro do ano (2011) pelo Library Journal.


Leia Mais
19 comentários
Compartilhe:

Resultado: Promoção Esperando por Você


Ei pessoal, quem acompanha o blog pelo Facebook ou no twitter já viu que o resultado da promoção de Esperando por Você, feita através da página do blog no Facebook, já saiu. A vencedora foi comunicada e já respondeu, mas, acho que cabe divulgar também aos leitores do blog:


A vencedora foi Gernilane Oliveira, quem quiser conferir pode clicar AQUI.
Agradeço a participação de todos, e aviso que há mais promoções ativas por aqui ;)

Beijos

Leia Mais
8 comentários
Compartilhe:

Conjuntando #16: Mais filmes


Devido à minha recente falta de tempo (para ler, para postar e para visitar outros blogs - o que tenho feito apenas algumas vezes na semana), não consegui preparar algumas coisas diferentes que pretendia trazer aos leitores do blog: textos meus, coisas curiosas, entre outras.

Mas, para os que assim como eu vivem na corrida, que tal dar uma pausa e assistir a uns filminhos?

Trilogia Bourne




Comprei um box com os três DVD's em uma super promoção do Submarino e fiz uma maratona com o namorado. Ok, é uma trilogia que segue à risca as regras de filmes holliwoodianos, mas entretém e tem um bocado de correria e lutas (para os que gostam). Mas tem também conspiração, corrupção e um quebra-cabeça que espectador tem de montar junto com Boune. Personagem que, por sinal, é um enigma para ele mesmo, já que perdeu a memória e precisa descobrir no que esteve envolvido, especialmente se quiser continuar vivo. Eu gostei, e indico para os que gostam do gênero.

Mas... como toda a trilogia de sucesso, obviamente não pararia por aí. Recentemente (talvez não tão recente assim, não sei) foi lançado um quarto filme, mas que não tem Bourne como protagonista:


Já assisti a esse também, e foi interessante, mas não gostei tanto quanto os anteriores.

P.S.: Não consegui encontrar os trailes legendados.


Leia Mais
30 comentários
Compartilhe:

As vantagens de ser invisível - Stephen Chbosky



"Depois, Patrick apontou para mim e disse uma coisa ao Bob:
- Ele é uma figura, né?
Bob concordou. Patrick depois disse alguma coisa que acho que eu nunca vou esquecer:
- Ele é invisível.
E Bob assentiu com a cabeça. E todos no porão fizeram a mesma coisa. E comecei a ficar nervoso como Bob, mas Patrick não me deixou ficar nervoso demais. Sentou-se ao meu lado.
- Você vê as coisas. Você guarda silêncio sobre elas. E você compreende."


Querido Charlie,

Acabei há pouco de ler suas cartas, e gostaria de poder dividir um pouco do que sinto depois disso.

Eu gostei de conhecer você. Gostei muito. Gostei de entender o que se passa na cabeça de um garoto de 15 anos que entra no ensino médio depois de perder seu único amigo. Percebi que demorou um pouco, mas você conseguiu fazer parte de um grupo, e amigos como Patrick e Sam são realmente especiais. Eu vi como foi importante para você se sentir simplesmente aceito. E amado.

Mas sabe o que mais gostei em você, Charlie? Você é inteligente, e divertido, e tem pensamentos voláteis e que mudam de foco rapidamente. E talvez seja um pouco sem noção também, mas pode ser que seja apenas ingenuidade. Você faz algumas coisas meio loucas às vezes, como quando comeu aquele brownie, ou quando deixa que façam as coisas por você. Você é muito engraçado Charlie, e tem pensamentos pouco convencionais.

Foi interessante observar, durante esse tempo, as mudanças pelas quais você passou. As descobertas que essa fase de sua vida trouxe mudaram você, e é sempre assim que acontece. Acredito que não seja mesmo fácil lidar com o sexo oposto; muito menos saber como agir perante o primeiro amor. Mas são as experiências que nos moldam e nos fazem melhor, como você mesmo disse.

Sensibilidade; você é repleto dela. E isso faz de você um garoto fofo, ainda que faça um monte de coisas erradas. Mas como podemos lhe julgar, quando você não consegue fazer isso e age com tanta naturalidade perante as coisas que são os maiores tabus da humanidade? Isso faz de você um garoto especial Charlie, como bem provam a relação que construiu com seu professor Bill e o amor que transmitiu à sua família e aos seus amigos. E chorar não é mesmo motivo para ter vergonha.

Fico orgulhosa em ver como você conseguiu, aos poucos, enfrentar seus traumas e medos e descobrir por si mesmo que antes de um momento muito bom, há períodos ruins. "Por favor, acredite que está tudo bem comigo, e mesmo quando não estiver, ficará bem logo depois. E eu acredito que seja assim com você também."

Com amor,






Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo. (skoob)
~~*~~*~~

Obs.: Esta não foi uma resenha convencional, mas este também não foi um livro convencional. Senti como se aquelas cartas fossem para mim, e precisava responder. Minha opinião está contida nestas palavras, e não via melhor forma de colocá-las. Para os que se interessam, o livro se tornou favorito.

Leia Mais
35 comentários
Compartilhe: