Conjunto de Ganhadores #7


Oi meus amores :)
Vocês sabem que foram realizadas muitas promoções recentemente aqui no blog, não é? E, nada mais justo, acho legal vocês também conhecerem alguns ganhadores. Infelizmente nem todo mundo gosta de mandar fotos, então acabo não podendo mostrar todos que ganharam. Mas eu adoro quando vocês participam!


A primeira vencedora foi a Luciane, sortuda que levou para Ouro Branco, em Minas Gerais, o prêmio da Promoção Lista de Desejos.


O livro que escolhi na estante de desejados dela foi À Primeira Vista, do Nicholas Sparks, e ela disse que adorou!

~~*~~*~~


A segunda sortuda que mandou uma foto para o Conjunto da Obra foi a Gernilane, que recebeu em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, um exemplar de Esperando por Você, sorteado em parceria com a editora Novo Conceito, via facebook.

~~*~~*~~

Parabéns novamente meninas, e obrigada pela participação.

Leia Mais
23 comentários
Compartilhe:

Resultado: Gincana de Aniversário


Oi meus amores! Hoje vim prestar contas e anunciar quem vai levar para casa vários prêmios por ter participado da gincana :) Obrigada de novo pela participação de todos, já estou me sentindo diferente de não ter mais provas para preparar ;~ rsrs

Mas vamos lá:
- Tivemos 5 pessoas que completaram as 5 provas, obtendo os 50 pontos principais:
Ana Lucia; Carol Souza; Dryh Meira; Fernanda Faria; Nessa Pereira.
- E 2 pessoas que fizeram 4 provas, resultando em 40 pontos:
Luh Cardoso e Kelry Caroline.

Assim, apenas essas seis concorrentes teriam chance de ficar em primeiro lugar. A partir desse dado base, farei as contagens. Vou tentar ser transparente, então esse post vai ficar meio "técnico". Em ordem alfabética:

Ana Lucia:
- 50 pontos das provas
- 1 ponto (Texto 1)
- 4 pontos (prova 5)
- 20 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 75.

Carol Souza:
- 50 pontos das provas
- 4 pontos (prova 5)
- 9 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 63.

Dryh Meira:
- 50 pontos das provas
- 1 ponto (Texto 3)
- 4 pontos (prova 5)
- 5 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 60.

Fernanda Faria:
- 50 pontos das provas
- 4 pontos (prova 5)
- 12 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 66.

Kelry Caroline:
- 40 pontos das provas (sem preenchimento correto dos formulários)
- 4 pontos (prova 5)
- 18 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 62.

Luciana Cardoso:
- 40 pontos das provas
- 4 pontos (prova 5)
- 17 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 61.

Vanessa Pereira:
- 50 pontos das provas
- 1 ponto (Texto 4) + 1 ponto (votação)
- 4 pontos (prova 5)
- 10 pontos por comentários e divulgações nas redes sociais.
Total: 66.

Obs.: O texto 2 da votação era de Brunno Cesar, que não completou as demais provas.

A primeira colocada, portanto, foi Ana Lucia, e tivemos um empate em segundo entre Vanessa Pereira e Fernanda Faria.

Os critérios de desempate estavam estabelecidos no neste post, e o primeiro deles era que seria favorecido quem cumprisse o maior número de provas primeiro. Fernanda Faria entrou na gincana no dia 20/05, e no dia 18/05 a Vanessa já tinha me enviado as três primeiras provas respondidas.

Assim, em segundo lugar ficou Vanessa Pereira, e em terceiro, Fernanda Faria.

Mas, como eu falei também, ainda há um último livro, dos que não forem escolhidos pelas vencedoras, que será sorteado entre os outros participantes. E o vencedor é...

a Rafflecopter giveaway


Parabéns Driely!

Entrarei em contato com todas ainda hoje, e terão 48h para enviar a resposta, ou o prêmio será passado para a próxima que mais pontuou.

Obrigada de novo pela participação de todos, queria poder dar um prêmio para cada um.
Mas realizarei sempre promoções por aqui, e quem sabe a sorte aparece. ;)
Um beijão!


Leia Mais
21 comentários
Compartilhe:

Editora Oxigênio está publicando novos autores evangélicos



A Editora Oxigênio, que têm publicado obras de autores internacionais como Reuben Archer Torrey, Charles Haddon Spurgeon, Sadhu Sundar Singh, entre outros, agora estará se dedicando aos novos autores cristãos brasileiros. A editora busca auxiliar pastores, líderes cristãos e autores evangélicos em todo o Brasil na publicação de seus livros. A mesma está recebendo originais para avaliação pelo site www.editoraoxigenio.com.br
Basta o autor acessar a seção Publique e preencher o formulário de cadastro para envio de sua obra para avaliação.
A Editora Oxigênio é um selo editorial da Editora Dracaena e é dirigida pelo escritor e editor Léo Kades. Com sede em Santa Catarina, ela tem como missão publicar livros que possam trazer qualidade de vida e bem estar aos seus leitores.
Com anos de experiência no mercado editorial brasileiro e contando com cerca de 200 obras editadas e publicadas, a empresa oferece o suporte necessário ao novo autor na realização de seu sonho, contando com uma equipe de revisores, designers e diagramadores, além de assessoria editorial personalizada para cada projeto.
Através de parceiros comerciais no Brasil e no mundo, a editora distribui livros no formato físico e digital por meio de importantes canais de vendas como: Saraiva, Livraria Cultura, Cia dos Livros, Siciliano, Amazon, Kobo, entre outros.

Em breve novo lançamento de Wilma Rejane pela Editora Oxigênio. 

Entrevista:

1- Como foi o processo para chegar até a editora Oxigênio.

Conheci a Oxigênio através da internet, especificamente do Léo Kades e seu livro “O Amor Tudo Vence”. E quando surgiu a oportunidade de lançar meu primeiro livro, fiz contato com a editora e posso afirmar que existe um grande diferencial no atendimento a novos autores e relação editora/autor na Oxigênio.
Eles sonham junto com o autor e isso é importante porque o processo de publicação se torna agradável e não desgastante, prático e possível.

2 - Conte um pouco sobre sua experiência com a editora Oxigênio.

Tive oportunidade de contatar muitas editoras, mas em nenhuma encontrei uma equipe de trabalho que se comparasse a da Oxigênio. A diferença é percebida logo no atendimento com o editor, ele pessoalmente conversa com os autores o que é muito raro de acontecer. Nesse universo editorial brasileiro, novos autores são desconsiderados, até provarem ter potencial de venda e de trabalho o que leva certo tempo, enquanto isso, amargam e sofrem o desprezo de editoras que preferem publicar quem já é popular e consagrado ou quem pague muito caro para ver sua obra pronta e no mercado.

3 - Fale sobre o livro final, capa, papel, diagramação, etc..

Acredito que o grupo Oxigênio tem prosperado também pelo alto padrão de qualidade dos livros lançados. Cada detalhe é uma obra prima, feita com muito esmero. As capas são indiscutivelmente lindas e tudo o mais é bem trabalhado. A Oxigênio nada deixa a desejar em termos de qualidade de material publicado. Quem publica uma vez por essa editora, volta sempre (risos), é um negócio que conquista, sabe? É como o selo Heima que estão lançando agora que significa “em casa”, é bem assim, na Oxigênio o autor se sente em casa. Todos da editora estão de parabéns, inclusive os novos autores que publicam por ela.



Confira os novos lançamentos da Editora Oxigênio




Marketing, Autoajuda e Ficção entre os novos lançamentos da Editora Dracaena


Para maiores informações, clique na capa:

 






Confira matéria do jornal ‘A da manhã’ de Criciúma – SC.

Leia Mais
21 comentários
Compartilhe:

Sociedade Secreta Rosa & Túmulo - Diana Peterfreund


"- Amy Maureen Haskel?
- Sim - falei numa voz um tanto ofegante.
- Rosa & Túmulo: aceite ou rejeite.
Ali estava. Acabara o tempo. E eu não fazia idéia do que pensar.
E então, as palavras de Brandon voltaram a mim: Prometa-me, só uma vez na vida, só por diversão, não pense demais.
Abri a boca.
- Eu aceito." (p. 49)

Um requisito básico de qualquer estudante da Universidade de Eli para o mercado de trabalho era a participação em uma das sociedades secretas. Amy não tinha muitas preocupações quanto a isso: como editora de uma revista da instituição, sua convocação para a Tinta & Pena era certa, pelo menos era o que ela achava.

Após uma convocação realmente macabra, a Sociedade que dizia a estar recrutando era a Rosa & Túmulo. O problema é que a Rosa & Túmulo não convocava mulheres... seria isso um trote? Mas entrar para uma sociedade secreta poderia trazer tantos problemas quanto vantagens, e Amy descobriria isso do jeito mais difícil: com relacionamentos abalados com as pessoas mais próximas, como Lydia e seu quase namorado Brandon, e com influências na sua vida mesmo fora da faculdade. Será que valeria a pena?

Diferentemente de Uma manhã gloriosa, outro livro que li de Diana Peterfreund, Sociedade Secreta Rosa & Túmulo é bastante original. A proposta, ainda que enfoque personagens jovens, foge do estilo colegial, já que se ambienta em uma faculdade, mas ainda não senti grande maturidade e, mesmo que isso não tenha me irritado, também não foi algo que agradou.

O livro parece inicialmente conter um toque sombrio, mas isso não se confirma durante a leitura; não consigo classificar exatamente a qual gênero ele pertence, mas a mistura está longe de ser ruim: há suspense, romance, pegação e um leve humor que deixa o livro quase exagerado, mas gostoso. O porém é que, para mim, foi uma história quase que indiferente: quando lia, as páginas passavam rápido, mas não me identifiquei com a história ou com os personagens e, quando fazia pausas, também não sentia aquela curiosidade que faz continuar.

Essa falta de identificação e de curiosidade talvez seja pelo enredo desse primeiro livro, que se fundamenta principalmente na apresentação da sociedade e de seus integrantes e, acreditem, são muitos. Além dos nomes com que foram batizados, cada um possui também um codinome a ser usado dentro da sociedade, então, esqueçam, só mesmo alguém com grande poder de memorização para lembrar todo mundo.

Como comentei antes, a história é interessante, e o final foi um tanto inesperado, mesmo com pontos que não favoreceram a obra. Mas resolvi continuar e ver como o enredo se desenrola, tanto que já estou com o segundo livro em mãos, e será minha próxima leitura.


Leia Mais
16 comentários
Compartilhe:

Gincana de Aniversário #6: Votação

Ei pessoal, hoje, enfim, é aniversário do blog ;) Dois aninhos muito felizes por aqui, tive surpresas maravilhosas, e agradeço muito a todos que já passaram por aqui, e ainda mais aos que voltaram. Tenho algumas pessoas especiais guardadas no coração, que sinto que fazem parte de minha vida de uma maneira muito incomum, mas intensa. Não vou citar nomes - posso cometer erros e esquecer alguém, e me sentiria imensamente injusta se fizesse isso.
Mas compartilhar essa parte de minha vida com vocês é uma experiência inigualável, e não trocaria esse trabalho de dois anos por nada. Obrigada mesmo, de coração.

E como a festa aqui é para todo mundo, e a Gincana ainda não chegou ao final (ainda dá tempo de participar, leia as regras AQUI), preciso agora da ajuda dos leitores do blog.

É fácil: Na prova 2, era possível que os 5 participantes que enviassem as histórias mais legais ganhassem pontos extras só por aparecerem neste post. Agora, preciso que vocês leiam os textos e votem naquele que mais gostaram, para dar +1 aos dois textos mais votados.

ATENÇÃO: Não coloquei identificação no texto para que não haja desigualdade e estão na ordem que recebi. Os participantes não podem votar em si mesmos. É preciso um e-mail válido para que o voto seja computado. Curiosos?
Texto 1: Enquanto andava por aquele mesmo lugar...
... não conseguia parar de pensar em como é engraçado “as voltas que a vida nos dá”. É eu sei, clichê, mas é verdade.
Engraçado como nunca imaginei que aprender a ser feliz, a construir um futuro, estava ali do meu lado. Com suas palavras de força, de apoio, sempre um ombro amigo com o qual eu podia contar e que eu via como um irmão.
Primeiro foi aquela inimizade típica de crianças, se eu achava ele chato, ele me odiava com toda força do seu pequeno ser.
- meninas são um saco! – ele costumava dizer.
Depois foi a época do “ninguém nos entende” da adolescência e aí sim, nossa amizade surgiu.
Ele sempre atencioso com minhas rebeldias, com meus encontros, até que um dia ele resolveu me trair e namorar. Estou exagerando aqui, mas na época,eu me senti traída porque ele resolveu tocar com sua vida.
Injusto da minha parte, mas não me conformava com aquela situação.
- Você é uma mimada mesmo Lucy! Eu sempre te apoiei mesmo quando via as burradas que você fazia, agora, quando te confesso que estou gostando de alguém você é incapaz de ficar feliz por mim!
- Não diga isso Ben, só disse que ela não é pra você, não fui com a cara dela.
- porque?
Eu queria gritar – porque te amo! Porque finalmente entendi que é você que eu quero do meu lado mas tenho medo desse sentimento!- o máximo que fiz foi ficar com os olhos marejados e corri pra minha casa.
Lembrar desse dia, é lembrar que com cabeça quente não se resolve nada, que esconder o que se sente, pode te fazer sofrer e...
-Está pensativa hoje? – senti seu abraço morno e sua voz no meu ouvido
- estava aqui lembrando do dia que a gente começou nosso felizes para sempre e eternamente.
Sua risada me fez rir também – você como sempre a rainha do drama.
- ei!! Me dê um desconto ok, sou mulher, está na minha natureza ser dramática. As vezes.
Seu beijo calou minhas justificativas e eu não tinha do que reclamar.
Enquanto andava por aquele mesmo lugar, aquela mesma praia, onde nos declaramos pela primeira vez no meio de lágrimas, gritos e risos, lembrei de uma frase do meu filme preferido “não há lugar como nosso lar”. Dorothy tinha toda razão. meu lugar era ali e meu lar estava me abraçando e me beijando não necessariamente nessa ordem, mas quem disse que eu me importava?

Texto 2: Enquanto andava por aquele mesmo lugar de sempre, alguma coisa aconteceu, fui ficando fraco, meus ponteiros começaram a girar lentamente... Eu sabia que estava na hora de alguém trocar minhas pilhas. Eu já não tinha mais forças para continuar, mas, mesmo assim, não perdi minha onisciência parcial. Onisciência que não é um privilégio meu, acho que todos os relógios possuem tal maldição. Maldição de saber de tudo, mesmo sem sair de um bolso de paletó.
Mesmo com o meu tempo petrificado, a folha seca da árvore do parque ainda caia e driblava a mão da criança que tentava apará-la; um garoto olhava para um lado e para o outro, tentado ver se alguém havia percebido o que o seu cão fez no gramado; as formigas carregavam nos ombros vestígios de um piquenique; e o senhor do outro lado da avenida vendia mais um sorvete de chocolate.
Isso serve para sabermos que, quando paramos, as outras coisas continuam sem nós.
Quando fico parado, esses pensamentos me assombram e tudo sai de uma forma totalmente sem lógica. Meus pensamentos vêm e eu simplesmente tenho que jogá-los fora.
O prisioneiro recebe visitas toda semana. Toda quarta-feira, sua mulher, sua mãe e filhos comparecem no presídio para vê-lo. Foi assim durante um ano. Depois disso, seus filhos, cheios de compromissos e afazeres, não puderam visitá-lo com tanta frequência. Mas sua mãe e esposa continuaram firmes com as aparições. E outro ano se passa. Sua mulher, só pode ir uma vez ao mês, e quando vai ela parece não estar lá. Fria e distante... Descrente. Sua mãe faltou muito nestes últimos três meses. Mas isso é normal, seus ombros já sentem a dor de sua idade. A última vinda da esposa foi também a vinda de um “adeus”, sem palavras, apenas um olhar e uma lágrima que apareceu discretamente em seu olho esquerdo. Foram cinco longos anos. O prisioneiro já não recebe visitas toda semana. Às vezes, seus filhos telefonam. Sua mãe até vem de vez em quando, mas não fica muito tempo. O tempo tratou de mostrar àquele prisioneiro quem é que manda. O tempo tratou de mostrar àquele prisioneiro o quanto ele pode ser amargo com quem um dia já foi doce.
O tempo engraçado. O tempo estabanado. O tempo que temos. O tempo que não temos.
Todos me olham para saber sobre o tempo.
O relógio da sala de espera do hospital diz que se passaram trinta minutos, mas o paciente pode jurar que foram duas horas; o operário que sai às seis da tarde garante que nunca vai chegar a hora de ir embora; o rapaz que faz um piquenique com a moça diz que se passaram quinze minutos, mas o relógio da praça da matriz o desmente dizendo que o marcador de minutos já deu uma volta completa; a criança quer virar uma adulta, mas o tempo não passa; a velha quer voltar a ser criança, mas o tempo não volta; a criança diz que o tempo é de uma lentidão de uma tartaruga; a velha diz que o tempo é veloz como um leopardo; a jovem é indiferente quanto ao tempo.
Todos me confundem com o tempo. O tempo pode ser onipresente e onipotente, mas não onisciente, isso é coisa minha!
Acho que a melhor definição sobre o tempo é que ele não tem definição. Ele não é concreto nem abstrato. Ninguém pode tocá-lo, mas ele pode ferir. Ninguém o vê, mas ele pode curar. Eu sou um simples objeto que precisa girar para ser útil para os outros. Mas eu tudo vejo, só não posso contar a ninguém. Talvez por isso eu precise de tantas pilhas.

Texto 3: Enquanto andava por aquele mesmo lugar, lembrava-me das coisas que ele me disse: “Eu te amo”. Isso foi dito no nosso segundo encontro, enquanto tomávamos sorvete de morango numa mesinha decorada. Eu tinha acreditado nele, parecia sincero. Alguns dias depois terminou comigo, dizendo que eu não era boa o suficiente para ele, que eu não merecia seu amor, muito menos a sua atenção. Não conseguia suportar essa rejeição. Fizera tudo por ele, tudo o que eu podia fazer. Ultrapassara meus limites por alguém que, no fundo, nem se importava com o que eu passava, não se importava com as conseqüências que eram lançadas até mim. Sabia que quem não me merecia era ele, mas não podia suportar o fato de que ele me enganara esse tempo todo, que me usara. Essa é minha ultima carta, minha ultima mensagem para aqueles que me amavam. Depois que você ler a ultima palavra, não estarei mais aqui, estarei em qualquer lugar onde eu possa ser feliz, sem me lembrar da existência de um ser que só me fez sofrer.

Texto 4: Enquanto andava por aquele mesmo lugar eu lembrava de um amor passado, eu lembrava de nós dois. Foi tudo muito rápido, você apareceu em minha vida como um cometa. Três dias foram vividos intensamente que pareciam uma eternidade.
Foi neste lugar que nos conhecemos, fizemos juras de amor e aconteceu nosso primeiro beijo.
Foi também neste mesmo lugar que marcamos os outros encontros. E eram sempre ardentes, cheios de paixão e fortes.
Seu olhar lia a minha alma, meus desejos, anseios, minha vida e tudo o mais.
Como é bom andar neste lugar, nesta praça onde caminhamos e fizemos juras de amor. Parece que te vejo e sinto aqui. A sensação é boa e ao mesmo tempo é triste. Tenho saudade daqueles dias, foi amor à primeira vista e depois você se foi.
Vivi toda a minha vida pensando em você, pensei que um dia você pudesse voltar. Sonhei muito com isso, sem ao menos saber onde você estava, o que fez da vida e como viveu.
Mas o amor é para sempre, e sempre o terei comigo. Suas juras de amor estão no meu coração, em um lugar onde só eu posso ler, sentir, viver.
Hoje caminho neste lugar na esperança de te encontrar, quem sabe. A Deus cabe o nosso futuro.
Tudo isso se passava na minha cabeça quando vejo alguém, mais a frente sentado, em um banco com uma folha de árvore seca na mão, é outono e está frio. Aproximo-me, fico espantada, por que até a pouco tempo estava sozinha e perdida em meus pensamentos.
Quando chego mais perto aquele perfume me parece familiar e eu não acredito, lágrimas brotam de meus olhos quando encontram os seus.
Meu coração dispara, fico nervosa sem acreditar no que está acontecendo. Quantas vezes eu voltei aqui querendo te encontrar, e isso já se passam dez anos.
Chego ao seu encontro e nos abraçamos recuperando tempo perdido. Meu coração dispara e você sente a minha emoção em seu peito. Nossos corações batem no mesmo compasso. E nos beijamos.
Foi neste lugar que nos conhecemos, nos perdemos e hoje nos reencontramos, e deixaremos nossa marca aqui, em um tronco de árvore.
Sofia & Gabriel

Obs.: Até o momento da publicação desta postagem, havia recebido apenas 4 textos.


Leia Mais
16 comentários
Compartilhe:

Gincana de Aniversário #5: Imagens e Livros


Oi galerinha, tudo bem com vocês? O que estão achando das provas da Gincana de Aniversário? Estou bastante feliz com a participação de todo mundo :)

Hoje trago a última prova da gincana e aproveito para lembrar que neste sábado postarei os textos escolhidos para ganharem pontos extras e disponibilizarei formulários para votação. Quem ainda não enviou, não perca tempo!

A prova de hoje é de Imagens e Livros, e funcionará da seguinte maneira: abaixo, coloquei 7 imagens relacionadas com livros; algumas delas tirei das capas dos livros, outras têm relação com alguma passagem das histórias. Para pontuar, é preciso que sejam identificadas no mínimo 5 imagens, citando os números de cada uma e relacionando-as com o nome do respectivo livro/série. Após, as respostas devem ser enviadas para o e-mail conjuntodaobra@gmail.com. 

E ATENÇÃO! Esta prova valerá pontos extras. Cada resposta, além das 5 obrigatórias, valerá +2 pontos. Isso significa que, além dos 10 pontos pelo cumprimento da prova, o participante pode adquirir ainda +4.





Não esqueçam de preencher o formulário quando a prova for cumprida e as respostas enviadas para o e-mail conjuntodaobra@gmail.com, para que os pontos sejam computados.



As provas anteriores e as regras também podem ser vistas AQUIAQUIAQUI e AQUI.

Para quem ainda não entrou na gincana, ainda dá tempo de participar!


Leia Mais
15 comentários
Compartilhe: