A última carta de amor - Jojo Moyes


"Nunca pensei que você fosse... Não leve a mal, Ellie, mas você me surpreendeu. Nunca pensei que essas cartas pudessem afetar tanto você.
- Não são só as cartas. - Ela funga.
Ele espera. Está encostado no sofá agora, mas sua mão continua pousada de leve no pescoço dela - e Ellie quer, ela percebe, que continue assim.
- Então? - A voz dele é meiga, inquisitiva.
- Tenho medo...
- De?
Ela fala bem baixinho.
- Tenho medo de que ninguém me ame tanto assim." (p. 312)


MOYES, Jojo. A última carta de amor. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012. 384 p.


Jennifer Stirling pouco se lembrava de como era sua vida antes do acidente. Ela tentava agir com naturalidade, porque sabia que todos ficavam mais relaxados quando ela simplesmente fingia. Também aprendeu a confiar nos seus instintos e nas sensações que seu corpo demonstrava - mesmo que ela não tivesse as lembranças, as memórias sensitivas pareciam ser um bom guia.

Apesar de seus esforços, Jennifer não conseguia fazer seu marido, Laurence, feliz. Ainda que tudo estivesse aparentemente no lugar e que ela cumprisse bem seu papel na sociedade inglesa de 1960, havia alguma lacuna em tudo aquilo, uma peça faltante em sua vida, e sua memória falha não conseguia resgatar. Até que ela encontrou, entre suas próprias coisas, cartas de amor endereçadas a ela. Cartas impregnadas de sentimento que contrastavam com a frieza de seu marido, e ela percebe, então, que havia tido um amante. Quem seria esse homem que parecia amá-la tanto?

"- Sabe, não se pode fazer alguém voltar a nos amar. Por mais que se queira.
Às vezes, infelizmente, a questão do momento apenas não bate."

Quarenta anos depois, Ellie Haworth encontra alguma dessas cartas no fundo do arquivo do Jornal Nation, onde trabalha, enquanto procurava material para seu próximo artigo. Envolvida em seus próprios conflitos sentimentais, por ser amante de um homem casado, ela se vê absorvida por aquelas palavras, e sente que precisa descobrir o fim que teve aquela bela história.

As várias resenhas que li sobre o novo livro de Jojo Moyes me fizeram correr para ler A última carta de amor, também da autora. E a única conclusão que consigo tirar ao final da leitura é que esta autora tem uma sensibilidade incrível, já que conseguiu construir algo original com uma história baseada em acontecimentos comuns.

O jogo de palavras usado por Moyes dá uma sonoridade bela ao enredo, e o jogo de cenas é ainda é melhor colocado, impedindo o leitor de deixar a história de lado. As histórias, mais especificamente. A autora insere vários tempos, enredos diferentes, e os insere de maneira que quase confundimos do que se está tratando. Até que, sem mais nem menos, tudo fica límpido. 

A narração do livro é feita sempre em terceira pessoa, mostrando apenas um ponto de vista, conforme a cena. Há mescla, nos capítulos, entre as diversas épocas em que se passa a história, sem que o leitor seja avisado, e só se dá conta disso muito mais tarde. Pode parecer, por estas razões, um texto confuso no começo, mas cria uma sensação de admiração quando nos damos conta de como todas as cenas convergem em um só ponto. A narração em terceira pessoa também permite maior aproximação com os personagens, bem como perceber seus méritos e defeitos, conhecendo-os por inteiro.

No início, é fácil julgar Jennifer e Ellie por suas atitudes, mas acabamos por mergulhar nos problemas e sentimentos delas, de forma que algumas vezes eles acabam por se confundir com os nossos próprios. Assim, mesmo sem concordar, só o que resta é torcer para que a vida as tenha levado ao tão esperado final feliz.

"- O que acha que teria acontecido se ele tivesse tornado a encontrá-la?
Pela primeira vez, os olhos [...] ficam cheios de água. Ela olha para a linha do horizonte, faz um pequeno movimento negativo de cabeça.
- Os jovens não têm o monopólio dos corações partidos, sabe [...] Aprendi uma coisa há muito tempo: o se é um jogo muito perigoso." (p.337)

Senti-me em outra época, vivendo Londres de 1960, com todo o glamour e a hipocrisia de um tempo em que as aparências importavam ainda mais do que agora. Também gostei de imaginar a cidade atual e todas as outras histórias de amor de que pode ter sido palco. De forma leve, o enredo de A última carta de amor nos envolve e faz suspirar, e sonhar também com lindas cartas de amor.
~~*~~*~~



Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

9 comentários:

  1. Awn!
    Não li esse livro!
    Li Como eu era antes de você e é lindo também!
    Dica anotada
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju*

    Estou muito curiosa para ler este livro. Eu já li Como eu era antes de você e o livro é emocionante, adorei a forma que a autora escreve.
    Vou colocar este na minha lista.
    Que capa mais linda!!

    Beijos*

    ResponderExcluir
  3. Oi Júlia, todo mundo fala tão bem desse livro que eu não aguentei e comprei. Ainda não li, mas estou bem curiosa e sua resenha me deixou bastante animada porque pelo visto vou encontrar uma história incrível.

    Beijos
    Caline
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Júlia! Não conhecia muito bem o livro mas adorei a resenha <3 E agora estou super curiosa... parece ser um livro para relaxar e emocionar. Aliás, a autora é uma linda também!
    Beijos - http://otoemduvida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Júlia você não sabe a quanto tempo tenho esse livro aqui comigo. admito que não foi falta de interesse foi mais falta de oportunidade mesmo. lendo sua resenha, tô me dando um puxão de orelha pq eu não li antes? todos falam muito bem disso mesmo, da sensibilidade sem igual de Jojo Moyes. a história das personagens parece complicada mas todas levam ao amor, esse sentimento que sempre põe a gente em algumas enrascadas... rs a capa é lindinha, e tô achando que vou colocar ele mais pra frente nas minhas prioridades. bj!

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia,
    Sempre ouço ótimos comentários sobre a autora, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre A Ultima Carta de Amor.
    Fiquei bastante curioso com essa mistura entre as épocas que autora faz, pq é bastante criativo.
    Para mim, os melhores livros são aqueles que tem uma premissa comum, mas que se destacam pelo modo como são contados...
    Abraço,
    Alê
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Só li elogios dessa obra, quero muito conhecer a escrita da autora.

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ei Julia

    Eu dei este livro de presente para uma amiga e ia comprar para mim também, porque não li nada da autora ainda. Mas ai ela leu e nem gostou tanto assim, ai desanimei.
    Sua resenha acendeu novamente minha curiosidade hehe.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha! Já li Como eu era antes de você, um dos meus livros favoritos, e quero muito ler esse romance de época da Jojo.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.