Leituras do mês - Novembro

Admito, desisti de vez de fazer a coluna "Essa Semana". Eu simplesmente não cumpria, então não fazia sentido ter um post com esse nome.

Por isso, resolvi fazer apenas uma publicação por mês, com um resumo sobre o que foi lido e o que chegou, e que deverá ir ao ar sempre no último post de cada mês.

E em novembro a quantidade de leitura ficou na média, e foram em geral básicas e leves, não teve nenhuma que se destacou. 

Todos os livros selecionados foram da Editora Novo Conceito (isso não foi totalmente intencional, juro!).


Terminei de ler Esc@ndalo, de Therese Fowler, que foi um livro que gostei, apesar de ser um pouco lento. A resenha já está disponível. Logo em seguida li O Dom, de James Patterson e Ned Rust, leitura bem rápida, mas que foi um pouquinho desanimadora. A opinião completa pode ser vista na resenha.



Também li A Agenda, de João Varella. Com certeza fui surpreendida, mas minha opinião completa ainda não está desenvolvida. Por último, mais um livro rápido, Se você fosse minha, de Bella Andre. Surpreendendo a mim mesma: gostei bastante.


Hey, Mr. Postman:

Recebi, em parceria com o Grupo Editorial Novo Conceito, os lançamentos do mês de novembro:


Quero ser seu, de Bella Andre, O Presente, de Cecelia Ahern, De coração para coração, de Lurlene McDaniel, e Anjos à mesa, de Debbie Macomber.


Recebi também, da Editora Seguinte, O Lírio Dourado, escrito por Richelle Mead, que é a continuação de Laços de Sangue.


Para Novembro foi isso... E vocês, o que tiveram por aí?

Leia Mais
11 comentários
Compartilhe:

Esc@ndalo - Therese Fowler

Sinopse: Amelia Wilkes tem um pai rigoroso que não permite que ela namore, mas isso não a impede de viver um romance secreto com o cativante Anthony Winter.
Desesperadamente apaixonados, os dois sonham uma vida juntos e planejam contar tudo sobre seu amor aos pais de Amelia...
Mas só depois que ela completar dezoito anos — e for legalmente reconhecida como adulta. No entanto, a paixão do casal é exposta mais cedo do que o previsto...
Eles são jovens, andam grudados aos seus celulares e postam todo tipo de informação — inclusive aquelas informações mais particulares, que só deveriam dizer respeito a eles mesmos — até que o pai de Amelia encontra fotos de Anthony, nu, no computador de sua filha. Poucas horas depois, Anthony é preso.
Apesar dos protestos de Amelia, seu pai usa de todo o poder e influência entre os policiais, e entre os meios de comunicação, para transformar Anthony em um pervertido que caçava sua inocente filha.
De mãos atadas, cabe aos dois apaixonados arriscar uma última saída, ousada e perigosa, e apagar a acusação de sexting que Anthony recebeu. (Skoob)
FOWLER, Therese. Esc@ndalo. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2013. 384 p.


Anthony Winter era apaixonado por duas coisas: Amelia Wilkes e a arte. Junto com a namorada, sonhavam terminar o ensino médio e conseguir uma vaga na New York University para, quem sabe um dia, atuarem juntos na Brodway.

Até que Amélia completasse 18 anos, no entanto, precisavam esconder esse romance; o pai de Amélia desenhou outro futuro para a filha, e ela sabia que só poderia definir sua própria vida quando fosse legalmente apta para isso. No entanto, a intimidade de Amelia e Anthony não estava resguardada, e quando Wilkes descobre fotos de Anthony nu no computador da filha, e ele só consegue entender aquelas fotos como uma prova de que o garoto estava corrompendo sua menininha. A partir dessa crença cega, todos aqueles futuros previstos começam a ruir.

"[...] O mundo precisava de menos cinismo, mais amor. O amor era a resposta. O amor fazia o mundo girar. O amor era tudo de que se precisava. O amor, na verdade, estava por toda a parte.”

A escrita de Therese Fowler, em Esc@ndalo, é repleta de uma sensibilidade semelhante à poesia, tem certa musicalidade, a partir de uma construção inteligente de palavras que, por si só, dá beleza ao texto. Provavelmente não se trata de mera coincidência, mas uma tentativa de construir uma tragédia típica de Sheakspeare, como um Romeu e Julieta moderno, rodeados por diversas ferramentas tecnológicas. Mesmo não conhecendo pessoalmente a escrita deste autor senão por adaptações, ouso dizer que a influência de seu texto é clara no livro de Therese. 

“Nem todo segredo era prejudicial ou vergonhoso;
às vezes, os segredos eram práticos. Necessários.”

Apesar da beleza das palavras, não se pode dizer que o enredo cause impacto. Começa com um amor verdadeiro e forte entre os jovens e se envereda pelo jogo de poder do pai de Amélia e, ainda, sobre a perda de controle deste sobre os fatos. A partir disso, há conseqüências sérias na vida de todos, mas não se pode imaginar grandes aventuras. É por inteiro um texto calmo, o que o torna mesmo exageradamente extenso por algumas vezes. Não chega a ser cansativo, devo dizer, mas se encontra no limite disso.

O caminho pelo qual foram levados os acontecimentos traz incômodo, principalmente porque coisas naturais passaram a ser vistas como crimes. Acredito que não teria como ser semelhante no Brasil – os sistemas jurídicos pouco têm de parecidos. Mas o livro serve, mesmo nesse caso, para dar ênfase sobre os perigos de manter coisas tão íntimas – como a nudez e o sexo – em ferramentas tão vulneráveis.

Escândalo ficou distante de se tornar um favorito, mas foi uma companhia boa por algum tempo. O final conseguiu me surpreender, mesmo que tenha sido simples, porque foi inteligente e, em contraposição com todo o texto, mostrou que tudo tem lados positivos e negativos. Terminei o livro satisfeita, e com certeza leria outra obra de Therese.


Leia Mais
7 comentários
Compartilhe:

Resultado: Promoção Só tenho olhos para você


As inscrições para a promoção Só tenho olhos para você se encerraram neste último domingo, então estou devendo o resultado ;x Quem aí está curioso?

Gostei muito da participação ativa de muitos concorrentes, e agradeço muito por estarem sempre por aqui ;)

Mas vamos ao que interessa no post de hoje:

a Rafflecopter giveaway

A sortuda da vez foi a Jéssica Gomes, que cumpriu a opção obrigatória e participou de várias chances extras. Parabéns Jéssica!

Vou entrar em contato com você por e-mail, o qual deverá ser respondido em 48h. O livro poderá ser remetido em até 30 dias.

E não esqueçam que tem outras promoções ativas no blog! Corram lá e participem.


Leia Mais
6 comentários
Compartilhe:

Novidades #60: Lançamentos Grupo Editorial Novo Conceito


Como eu comentei no último post de Novidades do Grupo Editorial Novo Conceito, eu estava super atrasada com a divulgação dos lançamentos. Mas agora, para resolver essa questão, vou mostrar as últimas novidades anunciadas pela Editora, lançadas no mês de novembro.


Mantida em cativeiro por 460 dias, Amanda converteu-se ao islamismo como tática de sobrevivência, recebeu “lições sobre como ser uma boa esposa” e se arriscou em uma fuga audaciosa. Ocupando uma série de casas abandonadas no meio do deserto, ela sobreviveu através de suas lembranças — cada um dos detalhes do mundo em que vivia antes do cativeiro —, arquitetando estratégias, criando forças e esperança. Nos momentos de maior desespero, ela visitava uma casa no céu, muito acima da mulher aprisionada com correntes, no escuro e que sofria com as torturas que lhe eram impostas.





Uma mulher que foi obrigada a fugir — desde criança— de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios.

Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram.

Um pingente que foi parar em mãos erradas — e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos.

Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente.

Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns!




Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo. Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “;doadora de órgãos”;. Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica – quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido.

Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga. Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos. Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava — mas inicialmente ela e sua mãe não sabem a quem devem agradecer. Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada. Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga. Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.



Depois dos acontecimentos do homecoming, Reeve foi parar no hospital, com uma perna quebrada, e seu futuro como atleta está ameaçado. As meninas se sentem culpadas por toda a situação. Não esperavam que as consequências do plano fossem tão graves. Quase perderam o controle.

Já que Reeve está mais arrogante do que nunca, o jeito será aplicar nele uma dose do seu próprio veneno e esperar que aprenda a lição. O acidente no baile deixou marcas profundas na consciência de Lillia, Kat e Mary. Sentimentos como amizade, lealdade e ódio se misturam, questionamentos sobre limites... Alguns segredos são mais difíceis de guardar. Aliás, o que são essas coisas estranhas que estão acontecendo com Mary?

À medida que Lillia, Kat e Mary descobrem verdades incômodas sobre os moradores da ilha, percebem também que não se conheciam como pensavam. Cada vez mais elas lidarão com o sentimento de que talvez tenham ido longe demais...



Ryan Sullivan sempre gostou muito de Vicki, a quem conheceu na adolescência, quando ela lhe salvou a vida: no estacionamento da escola, um carro desgovernado só não o atropelou porque Vicki o empurrou para longe. Desde então, eles se tornaram melhores amigos — pelo menos, melhores amigos até onde um homem e uma mulher lindos e sedutores conseguem ser...

O tempo passou, Vicki casou-se e se separou, e Ryan seguiu sua vida de solteiro. Até o dia em que Vicki pediu-lhe um favor: será que Ryan poderia fazer as vezes de seu namorado para afastá-la de um homem mal-intencionado e pegajoso?

Ryan não negaria esse favor a sua amiga, de forma alguma... Não só pelo carinho que nutre por ela, mas também por uma característica de sua personalidade: Ryan faz o tipo protetor (o tipo de homem com que toda mulher sonha em algum momento da vida).



Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte e, quando está em casa com a esposa e os filhos, sua cabeça está, invariavelmente, em outro lugar.

Numa manhã de inverno, Lou conhece Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.

Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça que usa Louboutins com o rapaz de sapatos pretos...

Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.

Mas logo o executivo se arrepende de ter ajudado Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber...

Quando começa a entender quem realmente Gabe é e o que ele faz em sua vida, Lou percebe que passará pela mais dura das provações.


Shirley, Goodness e Mercy sabem que o trabalho de um anjo é interminável — especialmente na véspera do Ano-novo. Ao lado de seu novo aprendiz, o anjo Will, elas se preparam para entrar em ação na festa de fim de ano da Times Square. Quando Will identifica dois solitários no meio da multidão, ele decide que a meia-noite será o momento perfeito para dar aquele empurrãozinho divino de que eles precisam para acabar com a solidão. Então, por “acidente”, Lucie Ferrara e Aren Fairchild esbarram-se no meio da alegria da festa, mas, assim como se aproximam, acabam se perdendo: um encontro marcado que não acontece os afasta pelo resto da vida. Ou será que não? Um ano depois, Lucie é a chef de um novo e aclamado restaurante, e Aren é um colunista de sucesso em um grande jornal de Nova York. Durante todo o ano que passou, os dois não se esqueceram daquela noite. Shirley, Goodness, Mercy e Will também não se esqueceram do casal... Para uni-los novamente, os anjos vão usar uma receita antiga e certeira: amor verdadeiro mais uma segunda chance (e uma boa dose de confusão), para criar um inesquecível milagre de Natal.


Toda manhã, o psicanalista Gabriel se surpreende ao acordar: sempre encontra uma mulher diferente dormindo ao seu lado. Ele nunca se lembra do seu nome, nem da maneira como a conheceu. A única coisa que resta de suas aventuras noturnas é um lapso de memória. Mas esta noite tudo se repetirá: quando cruzar com uma bela mulher, na noite seguinte, perderá o controle de quem é, porque o seu outro “;eu”; é capaz de tudo para satisfazer seus desejos mais primitivos.

Mantendo esse segredo somente para si, Gabriel leva uma vida aparentemente normal na grande Londres, ouvindo diariamente os problemas de seus pacientes, enquanto tenta fugir das loucuras de sua ex-namorada. Mas nada é verdadeiramente normal para um homem que pode ser controlado pelo Príncipe da Noite...




Leia Mais
14 comentários
Compartilhe:

O Dom - James Patterson e Ned Rust

Sinopse: Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos...
Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor...
Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas.
Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la. (Skoob)
PATTERSON, James. RUST, Ned. O Dom. Série Witch & Wizard #2. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2013. 288 p.


Depois de verem seu mundo virar de cabeça para baixo com a instauração do governo da Nova Ordem, Whit e Wisty são considerados fugitivos. No meio de todas as mudanças e das descobertas sobre a magia, os irmãos começam a conhecer alguns dons que possuem, e que têm grande relevância para o Único que é Único.

"- Sei que às vezes você finge que já fez coisas que só leu nos livros.
- Mas não é um fingimento total. Quando você lê um livro bom, meio que acaba fazendo as coisas sobre as quais leu." (p. 150)

Não quis revelar muitas informações sobre O Dom, segundo volume da série Bruxos e Bruxas, escrito por James Patterson e Ned Rust, para não soltar spoilers da obra, que não se diferencia muito de seu antecessor, por ter exatamente as mesas características do primeiro livro. Isso significa dizer que, para quem não se animou com a leitura do anterior, não vale esperar muito de O Dom.

Os capítulos extremamente curtos – de no máximo três páginas – mantêm frenética a narrativa e tornam a leitura bastante rápida, principalmente por serem terminados em pontos inconclusos, que nos leva a ler um pouquinho mais. A escrita do autor tem uma dinâmica bem particular que torna o livro leve, o que é bom para quem procura por leituras sem compromisso. Esses capítulos se alternam, em primeira pessoa, entre as visões de Whit e Wisty, com um adicional neste volume: entre certo número de capítulos, foram inseridos um ou outro, em terceira pessoa, sobre o ponto de vista de outros personagens, como Byron e O Único.

A sensação de desconhecido que havia no primeiro livro já estava dissipada, o que contribui para que não haja nova frustração. O contexto agora não é totalmente novo e sabe-se que a série é voltada para o público adolescente, com emprego de uma linguagem cheia de humor e ironia. No primeiro livro, achei essa linguagem desnecessária, mas desta vez isso realmente incomodou. A conclusão é de que Wisty e Whit são tão sem noção que não vêem o peso das barbaridades cometidas pelo Único na vida das pessoas, a irreversibilidade daquilo tudo. Wisty, por exemplo, narra sua tortura como se contasse uma piada, sem se lembrar de muitos outros que poderiam estar passando pela mesma situação.

Outro ponto fraco da história e que acontece desde o primeiro livro é a falta de respostas. O autor insere sempre novos mistérios no enredo e passa por cima deles, sem dar quaisquer explicações. Mesmo coisas que dariam base ao contexto – sobre como surgiu a Nova Ordem ou de onde veio O Único – jamais foram citadas. Todos os conceitos criados pelos autores, como os portais e os perdidos, talvez não necessitassem de explicações se já fizessem parte daquela sociedade antes do início da história. Aí, só nos caberia aceitar. Mas fomos descobrindo essas novidades junto dos personagens, então mereceriam justificativas. 

- Música, minha querida, é uma força mais potente do que você imagina. (p. 106)

Ainda estou pensando se continuarei ou não a ler essa série, mas é preciso comentar que, por outro lado, alguns pontos tomaram relevos mais interessantes e aguçaram a curiosidade. A magia de Whit e Wisty está mais definida, e é possível ter idéia sobre o que eles podem fazer. Os últimos capítulos também convencem a continuar e tentar dar uma terceira chance para a série.

Para quem ainda não leu Bruxos e Bruxas, não vale ir com muita sede ao pote, por se tratar de um texto mais raso do que se imagina. O Dom segue no mesmo nível – sem as expectativas que frustraram no primeiro, pode ser uma leitura mais agradável.



Leia Mais
13 comentários
Compartilhe:

Resultado: Concurso Cultural "Qual o seu mundo?"


Hora de apurar as notas para declarar o vencedor do Concurso Cultural "Qual o seu mundo?"! Alguém aí ansioso? :)

Quero agradecer mais uma vez pela participação de todos, e dizer que eu gostaria muito de presentear a todos que participaram. Infelizmente isso não é possível, mas sinto que fazemos uma troca incrível aqui no blog.

Mas, ao que interessa:

O primeiro texto, de autoria de Vanessa Pereira, recebeu notas máximas e mínimas. Acredito que tenha dividido opiniões. A média de pontos desse texto foi de 3,66, conforme imagem abaixo, que pode ser confirmada neste link.



O texto 2, escrito por Monica Schneider, também recebeu uma nota máxima, mas no geral ficaram um pouco mais comedidas. O resultado foi de 3,2, conforme imagem abaixo, que pode ser confirmada neste link.



O último texto, de Rita Cruz, teve uma forte campanha para as notas, acredito. Foram 50 votações, com maioria de notas máximas. A média ficou em 4,86 e todas as notas podem ser vistas aqui.




Então, com a maior média entre as três concorrentes, Rita Cruz levará para casa um exemplar de Simplesmente Ana e um de A outra vida. Parabéns Rita!

Entrarei em contato com você em breve, que terá 48h para responder com seus dados.


Leia Mais
7 comentários
Compartilhe:

Promoção: Proclamação dos Livros


Para aqueles que não sabem exatamente o que fazer neste feriado nacional, nada melhor do que ler obras de autores nacionais, não é mesmo? Mas e quem está sem livros brasileirinhos para ler?

Foi pensando nisso que os blogs Aritmética das Letras, Conjunto da Obra e Obsession Valley se uniram para sortear, para dois sortudos, exemplares de livros nacionais na Promoção Proclamação dos Livros!

O primeiro sorteado que seguir as regras receberá como prêmio os livros Simplesmente Ana e Claro que te amo!:


E, para dar uma segunda oportunidade, o segundo sorteado levará para casa também um exemplar de Claro que te amo!:


Para participar é simples! É preciso seguir os três blogs pelo Google Friend Connect (clicar em "Participar deste site" na barra lateral direita de cada blog) e, após preencher esse item, novas opções ficarão disponíveis.

a Rafflecopter giveaway

O sorteio será feito por meio da ferramenta Rafflecopter. Para os que ainda têm dúvidas sobre como utilizá-la, podem ver este tutorial aqui. As inscrições são válidas até dia 15 de dezembro.

Após o resultado, o vencedor terá até 48 horas para responder o e-mail que será encaminhado solicitando seus dados, ou o sorteio será refeito. O prêmio poderá ser remetido em até 30 dias após pelos blogs responsáveis.
 
Participe!

Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Laços de Sangue - Richelle Mead


“Também percebi de repente que, por mais improvável que fosse, Adrian e eu tínhamos muito em comum. Nós dois vivíamos tolhidos pelas expectativas dos outros. Não fazia diferença se as pessoas esperavam tudo de mim e nada dele. Nós continuávamos iguais, ambos sempre tentando fugir dos limites que os outros tinham definido para nós e sermos donos do próprio nariz. Adrian Ivashkov – vampiro baladeiro e irreverente – era mais parecido comigo do que qualquer outra pessoa que eu conhecia.”


MEAD, Richelle. Laços de Sangue. Série Bloodlines, v. 1. São Paulo: Seguinte, 2013. 432 p.

Já perdi as contas das vezes que comentei por aqui meu carinho pela série Academia de Vampiros e a maneira como me encantei pela escrita da autora Richelle Mead. Depois que terminei de ler a referida série, senti-me um pouco órfã por ter perdido um pouco daquele mundo fantástico criado pela autora, ainda que outras séries dela já tenham livros publicados no Brasil, alguns dos quais, inclusive, já li. Mas, como havia dito na resenha de O Último Sacrifício, aquele final na verdade mais parecia reticências, que dava abertura para a série Bloodlines e eu mal podia esperar para saber o que aconteceria com os personagens que eu tanto amava.

Hoje, 12 de novembro, é o aniversário de Richelle Mead e, graças a uma ação da Editora Seguinte, da indicação da Aione, do blog Minha Vida Literária, e do contato da Mari e do Ale, do blog Além da Contracapa, tive uma oportunidade inesperada de ler o primeiro volume do Spin-off, Laços de Sangue. E fiquei mais do que feliz com essa leitura. 

~~*~~*~~

Uma revolta ameaçava eclodir no mundo dos Moroi – os vampiros “vivos”, que se alimentavam de sangue, mas que, diferente dos “mitos”, sentiam apenas desconforto com sol, e envelheciam e morriam como qualquer humano. Para evitar a possível crise, Jill precisava ser protegida, e foi enviada para uma escola humana em Palm Springs, na Califórnia. Como forma de garantir o disfarce, os Alquimistas precisaram ser envolvidos. Sidney ficou incumbida dessa missão, junto com Eddie e... Adrian.

Após ler seis volumes de uma história narrada em primeira pessoa por Rose, não poderia ser diferente a sensação de estranhamento ao iniciar Laços de Sangue, que é narrado por Sidney, uma humana alquimista que trabalha para proteger sua raça da existência dos vampiros. É perceptível a diferença de personalidade entre as duas garotas, e fiquei mais uma vez encantada com a competência da autora para construir tão bem essas diferenças.

O núcleo principal da história é todo bem conhecido para quem leu a série que deu origem a Bloodlines, mas quem não leu Academia de Vampiros não fica perdido. A autora consegue de forma sucinta ambientar o leitor, apresentar os personagens e mesmo resgatar alguns acontecimentos que são importantes para compreender o contexto, sem deixar falhas aos que não conheciam toda a estrutura Moroi. Um dos pontos altos da narrativa da autora, inclusive, é concisão que consegue imprimir em seu texto, que não fica devendo em detalhes, mas não precisa dar voltas para descrever lugares ou características.

Laços de Sangue é recheado de aventuras, ainda que não se trate da luta entre Moroi e Strigoi especificamente – o bom é que isto também não falta, fica o aviso. Há mistérios que vão sendo revelados apenas nos momentos certos, e que dão mais dinâmica ao enredo. Também, como não poderia ser diferente, Richelle entremeia toda a trama com reviravoltas, nos surpreendendo positivamente ao mesmo tempo em que passa a sensação pesada da incredulidade. Porque, até agora, os livros da autora dificilmente foram pelo caminho que eu esperava.

O uso da magia pelos vampiros e o dom do espírito, que haviam sido comentados na série anterior, estão novamente em evidência e trazem algumas implicações importantes para o contexto do livro. Estão em conflito, no entanto, com aquilo que Sidney aprendeu e acredita, e ainda mais com aquilo que ela sente. É interessante ver um outro ponto de vista para os conceitos que tantos leitores já haviam aceitado, já que a magia não é tão natural para os humanos.

Ainda falando da personagem, Sidney é inteligente e engraçada, mesmo com toda a sua seriedade, e entender a complexidade de seu trabalho, as dificuldades em sua família e todos os problemas pelos quais passa constrói maior simpatia com a narradora. Ela pode não ter força física e bruta, mas ela briga com o cérebro, o que é tão bom quanto. Também, por mais que tenha aprendido que os vampiros e dampiros não são seres com quem pode se envolver, é impossível não gostar de Jill, Eddie e Adrian, e ela vai sentir isso na própria pele.

Fiquei extremamente encantada por ter podido matar as saudades de personagens tão queridos como Eddie e Adrian, que têm maior foco nesse livro. Sidney consegue enxergar um outro lado deles que os tornam ainda mais incríveis – se é que isso é possível. É o livro perfeito para quem não quer se desvincular deste mundo fantástico dos Moroi, mas também é maravilhoso para quem quer conhecer a obra da autora. E o final deste volume foi incômodo, só para nos deixar com vontade de ler logo O Lírio Dourado.


Leia Mais
14 comentários
Compartilhe: