Te amo, te odeio, sinto tua falta - Elizabeth Scott


“J,
Estava falando sério outro dia. Odeio você. Queria que fosse diferente, mas não é.
E saber disso – Julia, saber disso torna tudo ainda muito pior. Odeio você por morrer. [...]
Sinto sua falta o tempo todo; como você aplicava henna no seu cabelo porque era terça-feira, como você ria e dizia, “Dez, sua tonta”, quando eu falava alguma besteira, como você sempre sabia, de alguma forma, quando eu precisava de um saco de batatas temperadas da máquina no corredor para enfrentar as últimas aulas no colégio, mas nos últimos dias tenho sentido tanta saudade que é como se sentir saudade resumisse quem sou.” (p. 151)

SCOTT, Elizabeth. Te amo, te odeio, sinto tua falta. Baependi, MG: Editora Underworld, 2011. 180 p.


Amy perdeu sua melhor amiga, Julia, e sua marcação de tempo não pode ser feita de outro modo, senão pelos dias desde que ela se foi. Depois de uma temporada de tratamento em Pinewood, Amy precisa retomar sua rotina, mas algumas coisas são quase insuportáveis sem Julia. Além disso, seus pais parecem querer fazer parte de sua vida como nunca tentaram antes, dando a ela a importância que sempre quis, mas que agora não fazia diferença.

A ideia que tinha de Te Amo, Te Odeio, Sinto tua Falta, de Elizabeth Scott, era bastante diferente do que o livro realmente é, mas não consigo valorar de forma positiva ou negativa essas divergências. Com um toque melancólico, a narrativa é feita em primeira pessoa por Amy, de duas formas diferentes: com foco em seu dia a dia, mas alternando para seus pensamentos mais introspectivos quando ela escrevia cartas destinadas a Julia.

A história traz uma mensagem sobre a amizade, sobre as escolhas e as responsabilidades. Ao abordar o acidente de Julia, a autora demonstra que todos têm seu peso sobre os acontecimentos, inclusive as “vítimas”, e não se pode incumbir apenas uma pessoa de todas as culpas. O livro aborda ainda as formas de seguir em frente, sem necessariamente esquecer, mas buscar uma nova maneira que seja melhor.

Sobre minhas impressões mais pessoais, exasperou-me a imaturidade das personagens. Elas são mostradas na fase da adolescência, com os erros e acertos desse momento. Há, então, muita paquera, drogas e bebidas. Quanto a esses aspectos, a autora tentou não fazer nenhum juízo de valor, mas por isso constavam com uma banalidade que me incomodou.

Enquanto Amy lembrava o passado e a forma como Julia tornava tudo mais fácil e “legal”, ela também começava a reaprender a construir novos rumos. Amy desenvolveu algum tipo de dependência do apoio da amiga antes do acidente, tanto que não se falou de nenhum outro contato social que não fosse superficial. Era quase uma submissão, mesmo que Amy não percebesse, e isso parecia doentio. Aos poucos, contudo, depois de muito sofrimento, a garota demonstra que consegue transformar esse sentimento e viver por si.

Também de um jeito sombrio, Patrick era um garoto sensível e fofo, e sua alma e tristeza pareciam ser um espelho do que sentia Amy. As dores de cada um, e dos dois juntos, deu delicadeza aos sentimentos que se desenvolveram, de maneira tão sutil que o relacionamento quase não se desenvolveu – por mais paradoxo que isso pareça.

Talvez eu não tenha conseguido admirar toda a beleza do texto, mas uma história que poderia ter sido linda se tornou, para mim, indiferente. Foi uma leitura rápida, com contribuição da linguagem utilizada pela autora, mas infelizmente passou longe dos favoritos.



Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

11 comentários:

  1. Eu sempre tive curiosidade de ler.

    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro um drama, principalmente quando é daqueles bem profundos,como parece ser o caso deste!Fiquei super curiosa para conhecê-lo. Já anotei o nome para não esquecer.
    Uma pena que a historia não tenha te agradado tanto, mas espero poder ler em breve!!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  3. Ei Julia

    Na época que lançou eu quase comprei, vi muitos elogios. Depois desanimei de investir na editora, e os que eu comprei eram séries e pelo jeito já era, que raiva rsrs.
    Enfim se fosse de outra editora eu compraria eu acho, mas não sou mais louca para ler, ainda mas vc falando que os personagens são imaturos. :)
    bjos e feliz ano novo. ^^
    Nanda

    ResponderExcluir
  4. Oie Ju =)

    Esse livro pelo visto possui uma carga emocional bem pesado, do tipo que é ideal você ler quando está passando por uma fase muito boa da vida.

    Não é tipo de leitura que me chama muito a atenção, mas se tiver oportunidade é capaz de só por curiosidade eu acabar lendo rs...

    Beijos e um Feliz Ano Novo!
    ;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju
    o titulo deste livro e a capa me deixam curiosa. A temática em si e boa, quem sabe eu leia.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. É uma pena quando essas coisas acontecem: essa indiferença por um livro. Eu sempre tive curiosidade por causa do título, mas não havia lido uma resenha sobre ele até então.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Apesar de me parecer uma boa leitura, confesso não ter me chamado atenção... Talvez o momento não seja propício ou o tema seja um pouco 'repetitivo' demais, mas...

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju!
    Eu lembro que fiquei louca por esse livro assim que ele foi lançado, mas por algum motivo acabei não comprando. Já tinha visto algumas resenhas com a mesma opinião que a sua e agora tenho certeza de que vou passar bem longe dele por um bom tempo. Acho que não vou ter paciência para acompanhar a história pelo ponto de vista de um personagem que foi tão submisso em uma amizade por tanto tempo.rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Julia!
    Gostei da sua resenha! Eu queria comprar esse livro quando saiu, mas não curtia o trabalho da Editora Underworld (muitos erros de tradução). Parece que não perdi muita coisa...

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  10. oie Ju
    tenho um livro dessa autora, mas ainda não li. Na época até me interessei por esse, mas uma resenha negativa me fez desistir.
    Pelo visto não estou perdendo nada rs gosto de livros que me emocionam, ou que sinto conexão com os personagens, e não parece que ser o estilo desse livro
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  11. eu também tinha uma visão completamente diferente desse livro o_O uma pena que a autora não soube dá uma essência a mais em uma história que poderia render. não sei se o leria, estou meio que tendo aversão a protagonistas assim. rs

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.