A Agenda - João Varella

Sinopse: Sandra Macedo é uma alta executiva de marketing. Obstinada e competente, sua eficiência é reconhecida pelos funcionários e pela diretoria da holding onde trabalha.
Exemplo de mulher bem-sucedida, Sandra vive atolada entre as obrigações profissionais e uma filha que não lhe dá muita atenção. Em meio a essa correria, fica difícil dedicar um tempo ao lado afetivo. Assim, ela acaba se envolvendo com pessoas que podem comprometer sua carreira e sua saúde emocional. A não ser que ela deixe de ser a menininha que, no fundo, continua sendo... (Skoob)
VARELLA, João. A Agenda. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2013. 240 p.


Sandra era uma executiva de marketing de uma grande empresa. Seu profissionalismo e sua eficiência eram reconhecidos por todos, o que fazia dela bastante respeitada. Sandra nem mesmo gostava de literatura e poesias; somente lia os livros “úteis”. E parte de tudo o que construiu era consequência da agenda, já que nela Sandra conseguia organizar todas as minúcias de seu dia a dia.

Mas enganado aquele que pensa que tudo eram flores na vida de Sandra. Se seu lado profissional era milimetricamente organizado, a vida pessoal em nada se assemelhava: sozinha depois dos quarenta e tendo como família apenas uma filha que morava em outro país e quase não mandava notícias, Sandra parecia perder o equilíbrio. E tudo se agravou quando Sandra perdeu a agência e, tempo depois, ela foi devolvida com rabiscos de outra pessoa.

“– Melhor eu ir agora. – O surfista deu um beijo em Sandra e caminhou para o elevador. 

Sandra acompanhou da sacada o surfista indo embora. Sentiu que seu ego havia sido jogado do edifício. O maldito roupão com âncora no peito foi deixado para trás em meio à correria. Para piorar, a peça estava impregnada com o cheiro dele. 
Cerca de duas semanas depois, Sandra já estava com a agenda cheia de compromissos, sem parar para pensar em nada que não fosse interessante em termos de desenvolvimento pessoal e profissional.” (p. 35 - 36)

João Varella colocou em A agenda elementos cotidianos que poderiam acontecer na vida de qualquer um. A história, até certo ponto, é rotineira, simples, o que pode torna-la sem graça para aqueles que esperam grandes emoções. Mas não é cansativa; os capítulos em geral são curtos, a linguagem é objetiva e tem um quê de ironia, além dos vários núcleos que, a princípio, parecem não ter qualquer relação, mas que fazem a trama ainda mais rápida.

Por outro lado, a objetividade impede o envolvimento com os personagens, o que influencia para um distanciamento com a história como um todo. Além disso, vale o aviso: citei que a história é cotidiana, mas isso não significa que todos que passassem por aquelas situações chegariam ao mesmo ponto, especialmente porque foi Sandra quem tomou as decisões que a levaram até lá. E, acreditem em mim, ela não é uma pessoa muito equilibrada.

Para mim, o problema de Sandra é querer levar sua vida da maneira mais racional o possível; até em seus envolvimentos amorosos não havia sentimentos. Contudo, tal conduta não faz dela imune. Sandra é carente de amor, de um homem, da filha... e é essa carência que a faz tomar decisões impensáveis que levam a um final fora do comum.

A agenda é um livro nacional curto e inteligente, mais semelhante a uma crônica do que a um romance, que pode agradar bastante os que curtem esse estilo de leitura.


Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

7 comentários:

  1. Oi Julia!
    Não conhecia esse livro, mas me interessei. Eu gosto de ler crônicas, então talvez goste do livro.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ju!
    Havia visto esse livro em alguns sites e confesso que não me chamou tanta atenção, mas fiquei curiosa agora, mesmo sendo rotineira e simples, como você citou.

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. acredita que lendo tua resenha eu senti uma certa "frieza" da personagem com a própria vida, uma necessidade de ter tudo certinho e todo mundo sabe que a vida não é assim. =/ como vc disse, é uma carência que qdo é posta a prova, fica mais em evidência. a capa é bem artística, gostei e legal ver um autor nacional =)

    ResponderExcluir
  4. Essas crônicas parecem ser bem interessantes
    Gostei do lançamento da editora

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju!
    Eu não sou muito fã de crônicas, leio no máximo 1 por ano e olhe lá.
    Pelo que você falou do livro, eu tenho certeza de que não ia gostar muito da leitura. Parece ser meio parado e a personagem principal não me agradou nem um pouco. =/
    A capa é fofa! Quase solicitei esse livro antes por causa dela.rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Apesar do livro parecer ser muito bom, não me chamou muito atenção, não acredito que leria.

    ResponderExcluir
  7. Oi Ju*
    A temática em si do livro chama muita minha atenção, mas essa capa eu achei horrível.

    Beijos*

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.