Conjuntando #22: Aquele tal final feliz...


Outro dia, ao olhar o que diziam as pessoas sobre livros que li na adolescência, estalou em mim certa ideia que, até agora, martela em minha mente: as pessoas querem todas um final feliz.

Os ditos livros, escritos pelo autor Sidney Sheldon, estavam rodeados de comentários negativos, tantos que me senti desanimada. Porque, naquela época em que eu só tinha uma biblioteca e eles a explorar, deleitava-me com as reviravoltas dos personagens e com as consequências cruéis que o destino - ou as mãos do autor - trazia para eles. Foram obras que me acompanharam por tanto tempo que, para mim, o final nem sempre importava, e sim a maestria do enredo, que me fez criar um carinho enorme por cada um daqueles livros.

Espero que não pensem que, por gostar das obras e seus resultados muitas vezes caóticos, sou uma pessoa cruel. Não é isso. Porém, lembro daqueles personagens tão cheios de defeitos e de lutas - certas ou erradas, pouco importa -, e só consigo pensar que eles mesmos estavam traçando seus caminhos para um fim já esperado, mesmo quando infeliz.

Não faltam exemplos de livros contemporâneos em que, também, o final não é o mais importante da história, mas estes, da mesma forma, dividem opiniões e são soterrados por comentários desanimados sobre uma leitura frustrante. Não estou aqui para julgar se são bons ou ruins, mas isso me faz voltar ao ponto inicial deste texto: as pessoas querem um final feliz. Pelo que posso perceber, esse desejo se aplica também ao mundo real, à vida. Mas seria ele - o final feliz - possível?

Talvez sim. Só não consigo imaginar uma vida em que tudo se resolve e se vive "feliz para sempre". Porque, afinal, o que é a felicidade? Pode até significar não ter problemas na vida, mas isso mais me parece com monotonia e indiferença do que com o real sentimento de estar bem. A felicidade parece estar mais associada com enfrentar as dificuldades dia a dia, e vencê-las todas, sentindo o gostinho de fazer a coisa certa, mesmo que, antes de alcançado este fim, as tentativas tenham sido inúmeras. E se um final feliz for nada mais do que um dos muitos finais felizes de nossa vida, que marca o fim de um ciclo e o início de um outro, que virá com tantas dificuldades quanto o anterior?

É por isso que cabe a cada um de nós saber onde exatamente quer chegar e qual o melhor caminho a percorrer para alcançar o referido ponto. Porque, como diz o Gato que Ri, de Alice no País das Maravilhas, "para quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve". Cabe também analisar quais os meios válidos para isso, e as consequências que virão de cada passo errado.

Depende de nós trabalhar e ir atrás do que sonhamos, pois, me desculpem, sorte não está no roteiro e esperar sentado só traz "a montanha" no ditado de Maomé. Se o universo é feito de causas e consequências, não podemos ser aqueles a acender as velas a iluminar nosso futuro? É bom pensarmos nisso, e tomarmos consciência de que tudo depende muito mais de nós mesmos, ainda que seja mais confortável depositar o fardo nas costas de outrem.

Acredito que um final feliz depende quase inteiramente do que fazemos e pelo que lutamos, mas me arrisco a dar um estímulo, usando das palavras de Fernando Sabino: "No fim, tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim".




Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

8 comentários:

  1. Oi Ju*
    Achio que eu era um desses que queria sempre um final feliz.
    Mas depois que descobri que nossa vidanão é um conto de fadas e que nem sempre tudo acaba bem, comecei aceitar mais os finais de histórias tristes.
    Adoreiiiiii sua reflexão.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  2. Esse negocio de final feliz não existe
    Mas nos devemos viver sempre procurando estar feliz em todos os momentos
    Mesmo com problemas, sente temos que estar otimistas e procurando o melhor

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Achei impressionante e perspicaz a sua reflexão. Concordo completamente sobre o que você disse sobre finais felizes. Também gosto de histórias verídicas onde nem tudo converge para o tão esperado final em que tudo vai se resolver. Se a vida fosse feita de final feliz, não haveria tanto sofrimento por aí.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  4. Que perfeito!
    Também acredito que o final feliz é feito de pequenas conquistas!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  5. Belo texto, o amor é algo tão complexo, mas achei válido seu ponto de vista sobre "o final feliz".
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Quando eu era mais nova, gostava de finais felizes e só. Acho que porque a leitura, para mim, naquela época, era mais uma válvula de escape do que um espelho. Hoje, existem histórias que pedem um final feliz, mas existem outras em que aceito, e até espero, por um final não tão feliz. Talvez porque, agora, eu procure (e encontre) mais identificação com as tramas e personagens, mesmo quando parece que eles não têm nada a ver comigo e com a minha vida. E é aí que entra a pergunta "o que é a felicidade?". Eu acho que a felicidade existe nas pequenas coisas e pequenos momentos, pois não saberíamos apreciá-la se não fosse algo de certa forma raro. Acho que, como você disse, hoje, para mim, a felicidade está muito mais ligada a superar obstáculos do que viver uma vida perfeita, em que tudo dá certo no "final". Enfim, me empolguei, mas gostei da sua reflexão e concordo com ela!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Julia, tudo bem?
    Que texto! Concordo que todo mundo corre em busca de um final feliz. Isso é incontestável, mas ele não existe. A vida é feita de momentos felizes, e sempre que leio/assisto algo que ao fim dela tem aquele final, me pego pensando que aquilo não foi o fim, e que no futuro talvez os conflitos apareçam para aqueles personagens, caso eles existissem. E de fato, a felicidade vem acompanhada de realizações, e se não lutarmos por elas, dificilmente teremos esses momentos.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  8. oi
    adorei seu texto! Acho que sempre ficamos muito presa a essa ideia de final feliz, e viveram felizes para sempre, que tudo pode ser perfeito... e a realidade acaba sendo um balde de agua fria! Acho sim que podemos ter momentos feliz, e que podemos lutar para alcançar coisas que desejamos, mas é muita ilusão pensar que não enfrentaremos dificuldade e problemas. A questão é não desanimar e sempre tirar o melhor proveito possível da situação :)

    tem postagem nova no blog! Espero sua visita!
    bjs

    -TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.