A culpa é das estrelas - John Green


Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar. (Skoob)

GREEN, John. A culpa é das estrelas. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014. 288 p.


"Mas esta não é uma história de câncer, porque livros assim são um horror.” (p. 50) 


Ok, ok... Provavelmente a grande maioria de vocês que está lendo esta resenha já leu o livro A culpa é das estrelas, de John Green. Mesmo assim, como eu, devem ter ficado tão encantados pela obra que, ainda que se cansem de falar, não se cansam de falar da história.

Eu resisti à leitura do livro. Resisti bravamente. Geralmente fico desconfiada quando um livro explode em sucesso tão rápido e se alastra tanto, e às vezes crio uma resistência irracional. Eu havia decidido não ler a história, mas, com o lançamento do filme e tanta gente apaixonada, com a edição do livro com a capa do filme e com a oportunidade de fazer o pedido para a Editora Intrínseca, minha resistência toda foi para o espaço, e eu agarrei o livro rapidinho. E não consegui largar mais.

“– E aí? Qual é a sua história? – ele perguntou, sentando do meu lado,
a uma distância segura.
– Já contei minha história para você. Fui diagnosticada quando...
– Não, não a história do seu câncer. A sua história. 
Seus interesses, passatempos, paixões, fetiches etc.” (p. 35)

A escrita de John Green é perfeita e envolvente. Enquanto se lê, tem-se a impressão de estar assistindo às cenas, descritas em primeira pessoa, por Hazel, apenas o necessário para ambientar o enredo. Descrição não é o foco da narrativa, ainda entremeada de tantas outras coisas importantes e interessantes que somente percebemos o poder que as palavras do autor têm quando vemos que as páginas foram viradas sem que nem tenhamos notado.

Green, por vezes, dá voltas no enredo e retoma aspectos comentados em cenas anteriores, que pareciam não ter tanta importância, até aparecerem de novo e dar uma graça sem igual ao texto. Essa construção faz da escrita mais inteligente e divertida, principalmente porque está subentendida e não subestima o leitor por não explicar o que se quis dizer, apenas diz.

“– O.k. – ele disse, depois do que pareceu ser uma eternidade.
– Talvez o.k. venha a ser o nosso sempre.
– O.k. – falei.
E foi o Augustus que desligou.” (p. 72)

A culpa é das estrelas não é uma história sobre câncer. É uma história de amizade, de amor, de família e de vida e, apenas por “acaso” o câncer está lá, como está na vida de tanta gente hoje em dia. A intensidade do livro se dá exatamente porque mostra que a vida de alguém que tem a doença não se resume à doença, ela é só uma parte da pessoa, como tudo o mais. E mostra com sinceridade que quem sabe realmente viver, ainda que com a doença, pode ser mais completo do que muitos que chegam à velhice.

Eu amei o livro de John Green, e leria qualquer outra obra do autor que tivesse oportunidade. E eu chorei, de coração partido, mas ao mesmo tempo repleto de emoção, pelas surpresas que a vida pode nos trazer, pelo esperado inesperado e por ser, simplesmente, vida.





Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

15 comentários:

  1. Hey
    Eu gostei bastante do livro, mas como já sabia o final eu não me emocionei tanto.
    Esse foi o primeiro livro do autor que gostei de ambos os protagonistas.
    Os melhores amigos são sempre ótimos haha ♥

    Adorei a resenha =)

    bjs e uma ótima quinta
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Ei Júlia,

    Resenha ficou linda, adorei.
    Ah eu também demorei a ler pelo mesmo motivo, li até outro do autor antes. Depois disso quero tudo dele, amei demais. Chorei também no final, mas acho que é realmente um livro mais alegre do que triste.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. OI Ju*
    Eu estava bem curiosa para saber o que vc iria achar do livro e que bom que você gostou e se emocionou.
    Ai, o filme tbm é perfeito né, eu ameii.
    Essa capa tbm ficou linda.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Júlia

    Inicialmente também tive essa resistência com o livro, geralmente nunca gosto de livros que todo mundo amou.
    Quando li ACEDE gostei bastante, mas não foi tudo aquilo que as pessoas tanto alardearam.
    Tem uma história bonita e tal, mas o final já estava bem na cara pra mim.
    Tive raiva da Hazel em vários momentos, porque achei que ela foi egoísta em algumas situações e o Gus só conseguia ser fofo e dizer sim pra ela em tudo.
    A verdade é gostei bem mais do filme, ele conseguiu me tocar como o livro não conseguiu.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é simplesmente maravilhoso!

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia, tudo bem?

    Que bom que, mesmo depois de tanta resistência, você leu e gostou do livro. Concordo completamente com você, essa não é uma história sobre o câncer, é sobre a vida. Por isso gosto tanto desse livro, ele é triste sem ser melodramático, indo além do esperado ao tratar de amor, amizade e recomeços. Adoro o livro e amei o filme ♥

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  7. pfvr não me odeiem, mas eu não consigo ver tudo isso de A Culpa é das Estrelas. =( pra mim é uma história bonita e emocionante e só. a escrita de Jonh Green é fácil, é fluída. os personagens não me cativaram tanto. Hazel no fundo é uma personagem mesquinha em certos momentos, Gus coitado virou um boneco nas mãos delas. fui ver o filme pra ver se o problema era o livro que não funcionou pra mim, mas continuo com a mesma opinião. mas é isso, que bom que o livro tocou muita gente, isso já é muito válido =) bj!

    ResponderExcluir
  8. Eu também tenho essa resistência com livros que fazem todo esse sucesso. Mas eu li A culpa é das estrelas em abril do ano passado, quando pouca gente falava sobre, e claro que me encantei. Concordo com tudo o que você disse na sua resenha, também terminei a leitura triste, mas esperançosa de que a vida não precisa se resumir às coisas ruins, mesmo quando ela parece ser feita apenas disso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Foi um livro que realmente me emocionou, não chorei muito durante a leitura, mas fiquei pensando na história por dias, depois assisti ao filme então, o autor tem uma maneira encantadora de mexer com as emoções...

    @jan_araujo7

    ResponderExcluir
  10. Pensa num livro que me emocionou, fiquei com o coração partido por dias, sério! E como falaram ali em cima teve momentos que eu quis bater na Hazel, Gus todo fofo com ela e ela ignorando ele. Mas no geral eu adorei demais o livro e o filme. Bjs

    ResponderExcluir
  11. Adorei a resenha! Ainda não li este livro, mas tenho muita vontade de lê-lo também, afinal, a estória fez e ainda faz muito sucesso. O enredo é muito bom, e gosto de saber que a estória não é sobre o câncer, ele apenas está lá, como você comentou. Acho isso muito diferente! Outro ponto positivo foi o fato da escrita do narrador ser envolvente, a leitura deve fluir muito bem.
    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá Ju,

    Eu gostei do livro, mas esperava bem mais, achei um pouco fantasioso, você estar com câncer e esta feliz, ficar cego e mesmo assim feliz, tudo bem que a história não seja sobre o câncer, mas ninguém vive feliz com ele, mas é um bom livro...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ameeei a resenha que historia mais lindaaa queroo esse livrooo

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.