Primeiro Amor - James Patterson

Sinopse: Axi Moore é uma garota certinha, estudiosa, bem comportada e boa filha. Mas o que ela mais quer é fugir de tudo isso e deixar para trás as lembranças tristes de um lar despedaçado. A única pessoa em quem ela pode confiar é seu melhor amigo, Robinson. Ele é também o grande amor de sua vida, só que ainda não sabe disso. Quando Axi convida Robinson para fazer uma viagem pelo país, está quebrando as regras pela primeira vez. Uma jornada que parecia prometer apenas diversão e cumplicidade aos poucos transforma a vida dos dois jovens para sempre. De aventureiros, eles se tornam fugitivos. De amigos, se tornam namorados. Cada um deles, em silêncio, sabe que sua primeira viagem pode ser também a última, e Axi precisa aceitar que de certas coisas, como do destino, não há como fugir. Comovente e baseado na própria vida do autor, este livro mostra que, por mais puro e inocente que seja, o primeiro amor pode mudar o resto de nossas vidas. (Skoob)
PATTERSON, James. Primeiro Amor. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2014. 239 p.


"Como você sabe alguma coisa com certeza? - pensei.
Mas eu já sabia a resposta. Você não sabe." (p. 202)

Primeiro Amor, de James Patterson, tinha tudo para ser um romance lindo, com uma intensa carga emocional, daqueles que te fazem suspirar e sentir o coração apertado... mas não foi. Já li comentários de leitores que amaram, mas, por algum motivo, não funcionou para mim.

Narrado em primeira pessoa a partir do ponto de vista de Axi, logo é perceptível que faltam elementos à história, que só são conhecidos no decorrer da trama: a forma como os protagonistas se conheceram, o que os levou a se aproximar, entre outros detalhes. O uso desses elementos, mais tarde, pelo autor, foi uma tentativa de inserir um mistério com o ensejo de criar um ápice no enredo; infelizmente, para quem leu a dedicatória antes de iniciar o livro, foi fácil descobrir o que estaria por vir.

Além disso, achei que faltou sentimentos inseridos à trama. Os capítulos curtos e o humor quase forçado - que também estavam presente nos outros livros que li do autor, da série Bruxos e Bruxas - não ajudaram muito desta vez. A leitura se tornou mais dinâmica com esse modelo de capítulos curtos, mas eles não permitiram aprofundamento dos personagens. Quanto ao humor, mesmo criando algumas passagens realmente divertidas, no geral, era desnecessário. Em virtude dos aspectos comentados, o romance ficou raso, bloqueando meu envolvimento com a história.

"Durante o café, na manhã seguinte, 
Robinson me disse que tinha algo para confessar.
[...] 
- Fala - eu disse. Senti um friozinho no peito. 
Ele vai dizer que sente muito, que deveria ter me beijado ontem à noite.
- Quero ver onde o Bruce Willis mora. - Robinson me olhou, de cabeça baixa, entre fios de cabelo de sua franja, com a expressão levemente encabulada.
Tive vontade de bater a cabeça na mesa. 
Por que eu continuava esperando alguma declaração profunda dele?" (p. 67)

Outro ponto são as "aventuras" dos protagonistas. Incomodou-me, em primeiro lugar, que, mesmo com algumas lições de moral da Axi, não consegui ver uma garota certinha ali. Em segundo, achei que a impunidade dos personagens fantasiosa e, além disso, preocupante. Sério mesmo?

Devo ressaltar, depois de tudo o que expus que, ainda que meus comentários deem a entender o contrário, o livro não é ruim. Ele é bonitinho e é uma ótima companhia por algumas horas, mesmo para quem já deduziu o que acontecerá. A resenha parece negativa porque, de positivo, só consigo comentar que a história é boa, sem mais. Não tem um aspecto positivo específico a ser ressaltado, enquanto os aspectos não tão bons, que já comentei, puderam ser esmiuçados.

"- Axi - Robinson começou, com a voz mais suave. - Se esta viagem for um erro, será o melhor erro de nossas vidas.
Só pelo modo como ele me olhou naquele instante, eu sabia que estava certo." (p. 38)

Para quem pretende ler, duas dicas: deixem a dedicatória para o final e não criem grandes expectativas.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

10 comentários:

  1. Li outro livro do autor e tive mais ou menos uma sensação parecida sobre a escrita dele, não sei se leria esse.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju*

    Eu adoro a escrita do autor, adoro os livros dele e este é um que está na minha lista, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Acho que estou com um pé atrás, mesmo com suas pontuações não tão boas, fiquei curiosa.
    Certo que quando der lerei.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju!
    Dica devidamente anotada! Quando eu pegar esse livro a dedicatória será a última coisa que eu vou ler.
    Eu entendo o seu ponto de vista na resenha sobre o livro ser bom, mas não ter muitas coisas positivas a serem ressaltadas nele. Não sou muito fã do James Petterson, mas vou ler esse livro até o final do ano (última chance para um livro dele me fisgar de vez).
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da série Bruxos e Bruxas desse autor, esse livro parece ser ótimo, estou bastante interessada em ler!

    ResponderExcluir
  5. Oi Júlia

    Fiquei muito triste em saber que esse livro não funcionou como deveria. Sua resenha não é a primeira negativa que eu leio.
    Quando soube que o James lançaria um romance fiquei super empolgada, tudo isso porque amei O diário de Suzana para Nicolas. Pelo visto ele não conseguiu repetir a dose.
    Vou deixar para depois, bem depois.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  6. Estou com esse livro aqui
    Mas acredita que nunca tive tempo para ler
    Gostei bastante da resenha
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Ainda não li nenhum livro do autor, mas já ouvi falar de vários e também muitos elogios.
    Gostei!

    Seguindo.

    BIO-LIVROS

    ResponderExcluir
  8. oi ^^
    Eu conheço o autor pela série Bruxos e Bruxas, que apesar de eu acompanhar vejo um monte de defeitos, apesar que o últlivro que li da série teve uma melhora signficativa, acredito que por conta da autora que escreve em parceria. Mas a verdade é que James é muito famoso mas nunca li um livro que apenas ele tenha escrito. Tinha lido a sinopse desse livro a um tempo atrás e achei que poderia gostar, mas pela sua resenha agora tenho dúvidas...

    tem postagem nova no meu blog
    espero sua visita
    bjs

    Hey Dudi!

    ResponderExcluir
  9. Oiee Julia! kkk Realmente eles faziam bastante M e não pagavam por nada. kkkkkk meio fantasioso, mas gostei bastante do livro e não achei o humor forçado e nem todo o resto.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  10. Olá Ju,

    Eu gostei bastante do livro e achei melhor do A culpa é das estrelas, que é bom mas tem aquela coisa de tudo esta bom, a pessoa fica cega e esta feliz , com câncer e feliz, aqui a história é mais real e lá fora as coisas são diferentes e tudo aconteceu em pouco tempo e de um lugar para outro, mas são pontos de vista diferentes, gostei da sua resenha e opinião....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.