Anelisa Sangrava Flores - Anderson Henrique


Sinopse: Neste livro de estreia de Anderson Henrique, o razoável e o absurdo são separados por uma membrana muito sutil em 13 contos que reforçam os méritos da boa literatura fantástica. Em seu universo particular, premissas físicas, temporais e lógicas são subjugadas por tramas e personagens tão improváveis quanto verdadeiros. Transbordam pelos caminhos do contrassenso, mas o fazem indagando ações e sentimentos humanos, interpondo-se sobre o que temos como real em um convite a reflexões multíplices. Em contos como Uma noite, uma década, as barreiras do tempo são distorcidas e recriadas sempre que um casal se relaciona intimamente. Em A previsão de José Pasqual acompanhamos as últimas horas da única pessoa ciente das circunstâncias do fim dos tempos; Em Estela e Anelisa Sangrava Flores, são as mulheres as responsáveis por moldar e alterar a realidade – a primeira transmuta a si própria, a segunda tem em seu sangue a força transformadora. Em Carolina, Scarlet, Jordana, os sonhos servem de material para as peripécias do autor. Seria apropriado enquadrar o livro de Anderson Henrique nas concepções do realismo fantástico latino-americano, mas a boa literatura escapa dos limites de tais classificações. Neste livro de estreia, o autor desponta como criador de um realismo mágico próprio, repleto peculiaridades e alegorias que insistem em fazer verdade o que parece tão afastado dela. (Skoob)

HENRIQUE, Anderson. Anelisa Sangrava Flores. Penalux: 2014.


Depois de terminar a leitura de Anelisa Sangrava Flores, de Anderson Henrique, tive de refletir muito antes de decidir o que exatamente gostaria de escrever sobre o livro. Talvez meu comentários não sejam tão claros ou racionais quanto deveriam, mas neste momento as palavras me guiam - não eu a elas.

Anelisa é um livro de contos, que se inserem na categoria "fantástica", e talvez não haja melhor definição para cada um deles. Anderson deixa a imaginação fluir em cada pequena estória, trata de seres já conhecidos, como vampiros e gigantes, mas também cria seus próprios, como a protagonista do conto que dá nome ao livro.

Com uma narrativa bem desenvolvida, o autor surpreende pela fluidez de seu texto. Os contos, curtos por sua própria natureza, decorrem com tal rapidez que é fácil flagrar-se querendo aprofundar o enredo e conhecer mais. Pelas informações que obtive, este é o primeiro livro do autor, mas não existe qualquer superficialidade ou desajuste que por vezes são perceptíveis em obras de autores "iniciantes". Gostei realmente da obra, especialmente porque me vi mergulhada em cada conto sem questionar, e percebi que queria mais.

Em cada conto, também, percebem-se toques de melancolia e doçura, sentimentos nostálgicos e, quase sempre, românticos. Essas características são essenciais para a beleza do texto, e parecem mostrar uma faceta idealista do autor: pode ser apenas impressão, mas os citados elementos estavam presentes em todo o livro, o que me levou a construir essa percepção.

O único ponto controverso na obra foi que havia tantos elementos fantásticos e tantos aspectos subentendidos que, em alguns dos textos, fiquei por horas tentando entender se havia uma construção surrealista e um significado maior por trás, ou se o texto se limitava a dizer o que queria dizer, sem sentidos ocultos, por meio de linguagem figurada. Isso porque, em alguns textos, essa significação não dita está clara; em outros, eu realmente não consegui identificar, além do fantástico pelo fantástico.

De maneira geral, Anderson Henrique me surpreendeu, seja pela criatividade ímpar, seja pela desenvoltura na escrita e aprofundamento comedido de cada conto. Tenho de agradecer o contato e a oportunidade de conhecer seu trabalho, que se tornou uma ótima companhia em noites de insônia.


Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

7 comentários:

  1. Oi Ju!

    Faz um bom tempo que não leio um livro de contos, e os que eu li não ajudaram muito no quesito "amor por contos". Acho que é por isso que penso umas 1000 vezes antes de ler um livro do gênero. Amei o título do livro e só isso me deixou com uma curiosidade enorme sobre ele.

    Beijos!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  2. Huum me interessei. Adoro contos!

    www.itgeekgirls.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju
    Não conhecia este livro, eu adoro livros de contos. Achei este diferente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu já li esse livro e super recomendo!
    Ass. Ana Paula

    ResponderExcluir
  5. oi ^^
    Eu não conhecia o livro nem o autor. Eu confesso que eu não tenho hábito de ler livro de contos, fiquei um pouco interessada mas também receosa. Eu imagino contos como histórias curtas, imagino certa agilidade na leitura e ter que parar para entender se há um significado maior, o que o autor quis deixar subentendido acaba quebrando a leitura...

    tem postagem nova no meu blog
    te espero por la!
    dudikobayashi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oie
    essa capa é tão singela e linda.
    Eu amo contos, e esse livro seria um prato cheio para mim.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  7. gosto de livros de conto, acho uma boa oportunidade de conhecer várias histórias com sentimentos, situações diferentes mas dentro do mesmo tópico. adorei a capa. =) bj Ju!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.