Enquanto a Chuva Caía - Christine M.


Sinopse: Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói? (Skoob)

CHRISTINE M. Enquanto a Chuva Caía. Novo Conceito: 2014. 288 p.


Tenho visto os livros de Christine M. serem comentados há anos nos blogs literários. A oportunidade de finalmente conhecer a obra da autora só surgiu agora, com Enquanto a Chuva Caía, publicado pela Editora Novo Conceito e remetido para resenha no blog. Esse primeiro contato não poderia ter sido melhor.

Com capítulos subdivididos em várias partes, em pontos de vista dos protagonistas, Marina e Erik, intercalados, sempre em primeira pessoa, o livro tem a construção perfeita para o desenvolvimento da história. Além de possibilitar conhecer a personalidade dos dois personagens, junto aos seus medos e desejos, essa formatação deu mais dinâmica ao enredo, por permitir saber o que acontecia com cada um deles, as mudanças ocorridas, ao mesmo tempo em que se percebia que eles não estavam contando tudo, havia mais não dito por eles.

Marina não pode ser exatamente definida como uma mocinha. Suas atitudes demonstravam uma garota independente, inteligente e ousada. Também, ela tinha lados obscuros e muitos problemas e crises. No entanto, esse lado problemático não a tornaram uma pessoa lamuriosa ou irritante. Erik, por sua vez, era abusado, convencido e perigoso, mas tinha seu charme e, com Marina, seu melhor lado veio à tona. 

"Todo mundo é resultado de um acúmulo de vida, de promessas e expectativas não cumpridas. Cada um de nós é a soma dos dias vividos e também daqueles que nunca vieram, e normalmente é difícil saber o que pesa mais. No meu caso, reconheço que perdi a fé e que é impossível amar sem se permitir acreditar. Eu adoraria estar diferente, mas o fato é q cansei de colocar a vida no modo espera, sobretudo à espera de alguém." (p. 255)

Na construção dos personagens, Christine conseguiu mesclar características humanas, simples e complexas, e fugiu das descrições engessadas, o que deu materialidade aos protagonistas. O melhor aspecto disso é que, ao perceber os erros dos personagens, e por conhecê-los mais intensamente, não conseguimos julgá-los.

Os mistérios do enredo ajudam a prender e dar o impulso necessário para atiçar a curiosidade, mas são tratados com bastante superficialidade. Não criarei juízos de valor quanto a isso, porque foi indiferente para mim, mas o fato é que não se pode esperar, neste caso, muita complexidade ou um enredo policial intrincado, pois não é o objetivo. 

Talvez a felicidade não seja só aquela parte deliciosa da paixão, a descoberta do outro e as alegrias do namoro. Talvez ser feliz seja somente confiar que a tristeza não será eterna, que dias bons e ruins se alternarão e que em todos eles vai existir quem te faça companhia 

Outro tema comentado superficialmente na obra é a polêmica violência doméstica. Comentar assuntos tão delicados assim é importante, até porque alguns leitores podem tomar consciência de situações semelhantes que antes não dariam a relevância devida. Talvez pudesse ter sido um tema mais desenvolvido e debatido no texto, mas o foco não era esse, e o que foi citado já traz aqueles conceitos à reflexão dos leitores.

A narrativa da autora é bem construída, há um toque melancólico em sua escrita que encerra um peso a mais na leitura. Há uma musicalidade que torna a leitura mais fluida, e passa sem que se perceba. Foram vários os quotes marcados em todo o livro. A leitura de Quando a Chuva Caía é rápida, fácil e gostosa, o casal principal conquista e mesmo os pontos que poderiam ter sido melhor desenvolvidos se tornam secundários e não atrapalham a história. Leria outro livro da autora sem pestanejar. 





 
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

6 comentários:

  1. Tenho este livro aqui na minha estante mas parece que nunca é o momento certo para lê-lo. Gostei de saber que aborda temas como violência doméstica, que é um tema delicado e muito presente, infelizmente, em nossa sociedade. Gostei muito de saber também que os personagens tem características que se assemelham ao real,que não são engessados. Isso me deu ainda mais vontade de ler o livro.
    Parabéns pela resenha!

    Bjs!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju

    Esse também foi meu primeiro contato com a autora e já estou querendo mais. A Christine tem uma narrativa envolvente e seus personagens são maravilhosamente construídos. O anti-herói foi apaixonante e eu não conseguia parar de torcer para que o casal ficasse junto no final.
    Amei os diálogos e reli várias vezes só para viver a mesma sensação prazerosa de ver frases tão bem construídas.
    Linda resenha.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  3. Oi, Julia!
    Tive a mesma impressão que você ao ler este livro. Sem dúvidas é um bom livro, mas a autora deixou passar despercebido aspectos importantes da história e que poderiam ser melhores desenvolvidos.
    Adorei os protagonistas e a química entre eles. E adorei também o amigo da Marina. Haha
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  4. Menina, sou louca pra ler esse livro mais infelizmente ainda não tive oportunidade.
    A história parece ser linda e depois de ler a sua resenha tão bem elaborada a minha vontade se intensificou.
    Beijos
    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  5. Oi Julia tudo bem? amei a resenha, fiquei bem instigada com a autora, adoro o formato de escrita assim, meio melancólico e poético, da pra sentir o quanto a autora se envolve com a narrativa!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju
    Eu curti muito ler este livro e o mais legal foi encontrar a autora aqui na minha cidade em um evento e saber mais sobre, como ela criou personagens, entre outros.
    Adorei sua resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.