Conjuntando #31: Meu e-reader e eu

Eu sempre fui daquelas leitoras fascinadas pelo cheiro de papel, pela diagramação dos livros e pela delícia de poder olhar por vários minutos para a capa enquanto refletia sobre as passagens mais profundas de uma leitura. E eu continuo assim, não mudei muito neste aspecto.

Apesar de há anos existirem livros digitais, nunca me acostumei com a ideia de ler livros no computador – acreditem, eu tentei – então achei que os leitores digitais nunca me fariam a cabeça, nunca me agradariam por completo. Até que uma certa autora nacional que eu adoro passou a lançar seus livros apenas no formato digital. E, se eu não me adaptasse, ficaria sem ler o último volume de uma trilogia que eu estava mais do que ansiosa para conhecer o final.

Então, em uma conversa cotidiana, comentei com minha mãe sobre a curiosidade em ter um e-reader. Vários meses depois ela lembrou disso e me deu um de presente de aniversário. E todo aquele receio que eu tinha sobre o aparelhinho se mostrou infundado: eu adorei, e já li quatro livros nele desde então.

O meu aparelho é um Kindle, do modelo mais simples, que não tem luz nem touch screen. Mas nem por isso deixa de ser maravilhoso. O texto aparece como se fosse impresso, e não provoca incômodo nos olhos, por parecer papel. Além disso, é mais leve que qualquer livro, mesmo os mais finos. No meu caso, que tenho de sair de casa com tudo o que preciso para o dia inteiro, para o trabalho, os meus lanches para o decorrer do dia e o material para a faculdade à noite, ter um livro a menos na bolsa faz muita diferença. Também, se um livro acabar no meio do caminho, tenho vários outros à disposição.

Mas a principal vantagem, realmente, são os preços. Claro que existem e-books caríssimos, às vezes até mesmo mais caros que os livros físicos. Todavia, é preciso comparar. Para minhas compras, coloquei um limite de valor para compra de livros digitais: não pago mais do que R$ 3,00, salvo alguns poucos casos que valem muito a pena ou que não existem em versão física. Afinal, não faltam promoções nas lojas virtuais de livros físicos abaixo de R$ 10,00, então não acho proporcional pagar mais do que aquele valor que limitei.

Particularmente, não acho que os livros digitais extinguirão os físicos, pelo contrário. Há espaço para ambos no mercado, e eu, por exemplo, prefiro intercalar uns e outros, para ter as sensações que tanto aprecio nos livros físicos, sem deixar de lado as facilidades dos digitais.

Quando pensei em fazer essa postagem, li muita coisa na Internet sobre as vantagens e desvantagens dos livros digitais, e achei bastantes textos interessantes. Quem tiver dúvidas sobre se render ou não a essas novas possibilidades, vale a pena pesquisar. E, para quem sabe ler em inglês, pode ser boa a leitura desta matéria sobre as 10 maneiras como os livros digitais estão mudando nossa vida literária, que não fala especificamente sobre vantagens ou desvantagens entre livros físicos ou digitais, apenas os compara, de uma forma original.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

4 comentários:

  1. Oi Ju
    NO início eu tinha preconceito, mas depois que eu vi o Kobo na cultura, achei super fofo e quis ter um.
    NO momento eu tenho Kobo arc(que é tablet) e tive o kindle igual o seu. Mas te confesso uma coisa, eu praticamente não leio nos meus e-readers, não por não querer, mas acabo lendo mais os físicos. O bom são os e-books gratuitos, tenho vários.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Muito bom a iniciativa de ler livros digitais. Eu sinceramente ainda não consegui me acostumar, vai ver que é porque eu não tenho um aparelho desses ai. Enfim...eu concordo com você que os livros digitais não vão tomar o lugar dos físicos, tem espaço para todos e cliente também.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  3. Oi Julia, tudo bem? Eu também aderi aos digitais. Comprei um Kindle Paperwhite lá pro meio do ano. E o brinquedo me convenceu. Hoje leio muito pouco em papel. Achei muito confortável, além de ser excelente o fato de ter um dicionário embutido. Uso muito a funcionalidade de marcar o texto. Meus livros físicos são todos marcados a lápis, então me senti acolhido pela possibilidade. Achei ótimo poder fazer isso no digital também. E é muito legal poder sincronizar com o celular. Na minha opinião, os ebooks vieram pra ficar.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju,
    Bem assim, antes eu achava que seria péssimo ler ebooks, mas acabei pegando gosto maior pela leitura e ajudava bastante na época da faculdade também. E fora uns que a gente sempre fica com medinho de comprar físico e não curtir... sempre tem.
    Eu por enquanto só uso o Kindle PC que baixei da Amazon, se der qualquer dia compro o aparelho mesmo...

    Ótima postagem!

    bjs e um maravilhoso fim de semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.