Alma Menina - Camila Silvestre


Sinopse: Mari é uma garota simples, cercada por coisas simples: trabalho, familia, faculdade, namorado. Tudo muito simples, simples demais. Tão simples, que Mari pensa não existir espaço em sua vida para sonhos e cores. Assim, pouco a pouco, a garota vai se extinguindo nesse mundo simples que tem pressa, muita pressa. Lentos são, apenas, os passos que a levam até o abismo. E é ali, espreitando com desconfiança a beirada do precipício, que um encontro muito imprevisto com um homem nada simples faz Mari ter certeza: já era hora de pular. (Skoob)
SILVESTRE, Camila. Alma menina. São Paulo: INMOD, 2013. 227 p.


Camila Silvestre chegou ao Conjunto da Obra por indicação da Aione, do blog Minha Vida Literária e, logo que ela propôs me enviar um exemplar do livro, topei, principalmente porque gostei da proposta do livro e de alguns comentários que li sobre a obra, e por essa capa e esse título tão fofos. Ainda assim, senti-me às cegas, já que não tinha muitas informações sobre o que, especificamente, contava o livro. Agora, fico feliz por ter aceitado.

Alma Menina conta a história de Mari, que pela primeira vez na vida resolveu enfrentar seu pai, para tentar no vestibular aquilo que sonhava para sua vida. Aprovada, longe de casa e sem o apoio daqueles em quem mais confiava, a garota teria de aprender a viver e se cuidar sozinha. Porém, mesmo aquilo com o que ela mais sonhou podia não ser exatamente como ela queria.

Bastante curto, o livro é narrado em primeira pessoa, e tem o texto enxuto e objetivo na medida. Camila não usa palavras rebuscadas, mas consegue dar sonoridade e beleza às coisas cotidianas que conta. O livro, que poderia ter se tornado superficial em virtude do seu tamanho, trouxe um tema de peso, e me fez repensar vários conceitos que tinha pré-concebidos. Não sei se algumas coisas que comentarei aqui são ou não spoiler, mas é preciso citar alguns detalhes para conseguir me expressar.

No início, Mari me irritou. Ela estava infeliz, mas não buscava maneiras de mudar sua situação. Por isso, afundava-se em sentimentos cada vez mais sombrios e negativos. Várias vezes quis dar um "sacode" na menina. Mas então eu percebi: era depressão.

"- Não existe jeito de amar. Amor é amor. Se te faz mal, não é amor."

É engraçado como temos tendência de interpretar os outros por nós mesmos e, então, os julgamos. Mas o fato de sermos de um jeito ou de outro não significa que todos serão iguais a nós. E achar que aquilo pelo que Mari passava era fraqueza foi uma ideia que pipocou em minha mente com certa frequência. E é egoísta pensarmos assim, condenar por algo que não entendemos.

Então surgiu Sérgio. Não sei dizer, em termos médicos, se alguém consegue realmente levar outra pessoa a sair da depressão, sem remédios e tratamento. Mas o personagem parecia, na verdade, a consciência de Mari mostrando a ela como se reencontrar, como alguém que ama sem interesse, sem ciúmes, que só queria que ela conseguisse se entender e resolver seus problemas sozinha. Sérgio era um incógnita para Mari, assim como era para mim, e descobrir a verdade sobre ele, além de acompanhar o crescimento da protagonista, impulsionou ainda mais a leitura.

O enredo é intercalado ainda por outros textos de contos de fada, que seriam escritos por Mari, e mostram sua paixão pela escrita e a essência de sua alma. Eram criativos, envolventes e às vezes até me perdia na leitura deles em vez de lembrar da protagonista.

"A menina coçou a cabeça. Não era bem aquilo que ela estava 
procurando a princípio, mas até que poderia servir.
- E quanto é que custa um futuro?
O homem abriu uma gaveta e retirou uma pasta enorme e empoeirada de dentro dela. Revirou alguns papéis velhos, sem pressa, enquanto a garota o observava com certa ansiedade.
Por fim, entregou a ela um papel amarelado com alguma coisa escrita. A menina suspirou alto, um suspiro de profunda tristeza: o preço de um futuro era toda a coragem que ela não tinha."

O final contribuiu para fechar todo o contexto com certo toque de magia, de leveza poética que, de certa forma, já estava presente em todo o livro. Foi o final, junto à escrita encantadora de Camila, que me ganhou de verdade.

Alma Menina é, em resumo, um livro de sonhos e obstáculos, que trata de um assunto sério com leveza e esperança e que pode ser lido rapidamente, mas com chances de ficar na memória por algum tempo.




Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

5 comentários:

  1. Oi Julia,
    Impressao minha ou tem baita spoiler na sinopse oficial? Ou aquilo é só uma metafora?
    Pelo visto, esse é o tipo de livro que gira mto mais em torno dos personagens do que de acontecimentos, o que acho mto interessante.
    Achei criativo este recurso de intercalar a narrativa com os textos escritos pela personagem.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale, aquilo é só uma metáfora. Não é spoiler não ;)
      E é sim, um livro que enfoca muito os personagens, e os acontecimentos ficam em segundo plano.
      Vale a pena conhecer se você gostar desse tipo de narrativa.

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Julia, tudo bom? Nunca tinha ouvido falar da autora nem do livro, mas a premissa da história chamou muito minha atenção. Adoro obras que tratam de temas sérios de maneira despretensiosa e, que acabam brindando o leitor com uma leitura maravilhosa. Assim como o Alê, adorei saber desta mesclagem de narrativa e os textos da personagem.
    Ótima resenha!


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  3. Oi Julia :)
    Fazia tempo que eu não passava por aqui também. Enfim, eu não conhecia esse livro ainda, mas me pareceu bacana pela sua resenha. A gente julga mesmo as pessoas, queremos que todos sejam iguais a nós, é bem difícil isso. Adorei a resenha.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing
    http://thisadorablething.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá. Não conhecia a obra, mas fiquei bastante curiosa depois de ler essa resenha tão doce e intensa. Gosto de livros com mensagens fortes e esse parece ser um desses títulos que queremos reler a cada certo período de tempo.
    Um grande beijo

    http://vidasempretoebranco.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.