Eu Me Chamo Antônio - Pedro Gabriel

Sinopse: Antônio é o personagem de um romance que está sendo escrito e vivido. Frequentador assíduo de bares, ele despeja comentários sobre a vida — suas alegrias e tristezas — em desenhos e frases escritas em guardanapos, com grandes doses de irreverência e pitadas de poesia. Antônio é perito nas artes do amor, está sempre atento aos detalhes dos encontros e desencontros do coração. Quando está apaixonado, se sente nas nuvens e nada parece ter maior importância, e, quando as coisas não saem como esperado, é capaz de enxergar nas decepções um aprendizado para seguir adiante. Do balcão do bar, onde Antônio se apoia para escrever e desenhar, ele vê tudo acontecer, observa os passantes, aceita conversas despretensiosas por aí e atrai olhares de curiosos. Caso falte alguém especial a seu lado (situação bastante comum), Antônio sempre se acomoda na companhia dos muitos chopes pela madrugada.
A mente por trás de Antônio é Pedro Gabriel. Em outubro de 2012, ele inaugurou a página Eu me chamo Antônio no Facebook para compartilhar o que rabiscava com caneta hidrográfica em guardanapos nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos mais tradicionais bares do Rio de Janeiro. Em seu primeiro livro, Pedro apresenta histórias vividas por seu alter ego, desde a cuidadosa aproximação da pessoa desejada, o encantamento e a paixão, até o sofrimento provocado pela ausência e a dor da perda. Os guardanapos que inspiram milhares de pessoas na internet agora estão reunidos numa caprichada edição, novo lançamento da Intrínseca. (Skoob)
GABRIEL, Pedro. Eu me chamo Antônio. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. 192 p.

Existem livros que são apenas livros – sem nenhum menosprezo nessa afirmação, já que os amo seja como forem. Mas existem livros que se assemelham a obras de arte, como é o caso de Eu Me Chamo Antônio, de Pedro Gabriel.

Sei que é uma afirmação estranha, mas este é um tipo de livro que eu não compraria para mim mesma. Seria mais ou menos como comprar um escapulário, para os católicos – é o tipo de coisa que não se compra para uso, mas que seria um ótimo presente. E, felizmente, alguém me presenteou.

Abrir Eu Me Chamo Antônio é como voltar a ser criança, com a complexidade de um adulto. O uso de cores diversas, de imagens impressas ou dos rabiscos de Pedro, chama a atenção e encanta o olhar. Senti como se estivesse relendo meu primeiro livro infantil, e que ele tivesse crescido e amadurecido da mesma forma que eu.


A escrita nas páginas também reforça essa impressão. As letras tumultuadas, desenhadas em guardanapos de papel, às vezes se tornavam um mistério a ser desvendado – assim como uma criança faz em sua primeira leitura. O autor admite, no início do livro, que seus escritos perderam, algumas vezes, a sobriedade e, por isso, há a transcrição de todas as frases no final do livro.

É importante ressaltar que não se trata de um romance, mas de um livro de mensagens independentes que levam à reflexão. Os jogos de palavras de Pedro Gabriel faz com que, além de pensarmos no sentido de cada frase em seu contexto, pensemos também no intuito de ele ter usado cada palavra em específico, já que nenhuma delas parece estar ali por acaso.

Como comentei no início, Eu Me Chamo Antônio não é apenas um livro, é uma obra de arte, que deve ser lido, apreciado e analisado nos mínimos detalhes. Quem quiser conhecer mais do trabalho do autor, pode visitar sua página no facebook ou do livro no site da Intrínseca. E o melhor: Segundo Eu Me Chamo Antônio já está à venda.


Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

5 comentários:

  1. Oi Ju
    Eu li o primeiro livro e achei fantástico, e pelo que pude perceber o segundo é bom como o primeiro. Quero muito ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oie Ju =)

    Apesar de todos os elogios que vejo desse livro, não sinto aquela curiosidade de ler ele sabe?

    O livro parece lindo mesmo, mas não sei falta alguma coisa para eu sentir aquela curiosidade e me render a ele rs...



    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ane, acho que sua não curiosidade se encaixa no fato de o livro ser um ótimo presente. rsrs Talvez nunca tivesse me encantado tanto se não tivesse ganhado ;)

      Beijos

      Excluir
  3. Oi, Ju!
    Tenho muita vontade de ler esse livro, é um livro muito curioso e diferente <3 Assim que o encontrar, acho que compro.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju!

    Tenho muita vontade de ter esse livro. Já acompanhava os rabiscos do Pedro pelo Tumblr e quando vi que ia virar um livro, amei demais. Morro de vontade de tê-lo na minha estante, de admirar as obras de arte... Aiai...

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.