As cores do entardecer - Julie Kibler

As cores do entardecer - A sonhadora Isabelle e o determinado Robert desejavam, com todas as suas forças, se entregar à paixão que os unia. Mas uma jovem branca e um rapaz negro não poderiam cometer tamanha ousadia em plena década de 30, em uma das regiões mais intolerantes dos Estados Unidos, sem pagar um preço muito alto.
Diante dos ouvidos atentos da cabeleireira Dorrie, a história do amor trágico e proibido se desdobra, enquanto mudanças profundas se instalam em sua própria vida.
Com personagens humanos e, por isso mesmo, memoráveis, As Cores do Entardecer mostra que as relações afetivas muitas vezes são mais profundas que os laços de sangue. A cada etapa da viagem de Isabelle e Dorrie, as lições sobre otimismo e fé se multiplicam.
KIBLER, Julie. As cores do entardecer: Lembranças de um tempo que não terminou. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015. 352 p.

A capa de As cores do entardecer, livro escrito por Julie Kibler, não me agradou muito, mas seu título, sozinho, já traz certa beleza. Tirei o livro da estante sem saber o que esperar e sem muita curiosidade, ele foi escolhido porque eu não fazia ideia do que gostaria de ler naquele momento. Porém, mergulhei inteiramente na história e torci, a cada página, por um final feliz, tanto para Miss Isabelle quanto para Dorrie, as protagonistas desse romance.

O livro é dividido em capítulos intercalados pelos pontos de vista de Dorrie, nos dias atuais, e de Miss Isabelle, na década de 1940, sempre em primeira pessoa. Quase todo o enredo se passa no percurso que as duas faziam juntas para comparecer a um funeral importante para Miss Isabelle na cidade onde cresceu. Durante o caminho, Miss Isabelle narrava sua história de amor com Robert, proibida pelo simples fato de ele ter outro tom de pele e, ao ouvir as dificuldades daquela senhora tão incrível, Dorrie, também negra, começou a repensar toda a sua vida.

Nos capítulos narrados por Miss Isabele, eu logo me via em 1939 e nos anos seguintes e ficava tão envolvida pela história que, quando os capítulos acabavam para dar espaço àqueles narrados por Dorrie, eu precisava de um tempo para sair do aturdimento de ter sido arrancada de onde estava. Isso significa que aquela trama do passado envolveu mais do que a do presente, mas as duas tiveram suas lições a ensinar.

Aquilo que Miss Isabelle e Dorrie viviam no presente e o caminho percorrido pelas duas, seja aquele para chegar ao velório, seja para chegar ao fundo de si mesmas, foi uma prova das dificuldades de cada vida, seja ela branca ou negra, e de quanto sofrimento ainda se inflinge por causa da intolerância.

O subtítulo do livro, Lembranças de um tempo que não terminou, não poderia refletir de modo mais exato aquilo de que o livro trata. As “regras” de separação entre negros e brancos, bem claras e explícitas em 1940, ainda persistem nos dias de hoje com a diferença de que são veladas, fingidamente inexistentes e, não importa quão boa e esforçada seja uma pessoa em nossa sociedade, todas as primeiras definições a respeito dela ainda terão relação com a cor da pele.

O livro, apesar de escancarar essa triste realidade de uma forma leve e romantizada, traz consigo uma importante crítica social, ideal para reavaliarmos a forma como encaramos a situação. A autora conseguiu mostrar isso sem empregar, na narrativa, violência ou discursos moralistas, mas lançando mão do amor que duas amigas nutriam uma pela outra e, mais ainda, um amor de um casal que tinha tudo para serem felizes juntos, não fosse a cor da pele.

As cores do entardecer é lindo e emocionante, singelo, triste e inteligente, e traz muito mais consigo do que a leitura pode aparentar.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

26 comentários:

  1. Oi Ju
    Este livro tem um ar triste, me pareceu... Não fiquei muito interessada, apesar que parece bom.

    Bj

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, fiquei interessada em ler :)
    http://viajandopelapaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Eu estou de olho neste livro desde que vi ele em vídeos de caixinha do correio,e a cada nova resenha que vejo eu só penso em "eu preciso ler"
    E você mandou muito bem como sempre.
    Tenha uma excelente quarta feira

    ResponderExcluir
  4. A estória desse livro parece ser bem emocionante, estou ansiosa para conferir. Ótima resenha!

    Beijos!
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que livro interessante! Adorei a dinâmica de capítulos dele, fiquei com vontade de ler! Adoro livros com críticas sociais, acho que vou gostar dele.
    Beijos, Anna

    www.annadecassia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Parece bem bom, ansiosa tomara que eu ganhe e possa lê-lo em breve.
    \o/

    ResponderExcluir
  7. O livro tem como fundo este preconceito que só faz mal às pessoas, se ainda hoje existe, imagina na década de 30!! Acho que o amor fala mais alto em qualquer situação, e que o preconceito não deve existir em hipótese alguma!! Quero ler!

    ResponderExcluir
  8. O que a gente não faz para viver um grande amor?!! Triste pensar que o preconceito impede muitas pessoas de serem feliz!! Quero ler este livro!!

    ResponderExcluir
  9. Realmente a capa desse livro não ajuda muito, já tinha visto ele mas não imaginava que era sobre uma historia de amor tao forte e interessante.

    ResponderExcluir
  10. poxa Ju, que livro lindo! essa resenha maravilhosa com tanta sensibilidade me fez já colocá-lo como desejado. é um tema que infelizmente, ainda persiste atualmente e autora não poderia ser mais feliz em expô-lo num romance bem escrito e emocionante.me parece que Miss Isabelle e Dorrie são personagens fortes e que sofrem o preço de enfrentar a vida numa época tão cheia de ignorância. com certeza vou dar uma chance a um livro tão tocante. =)

    ResponderExcluir
  11. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro, parece ser bom!

    ResponderExcluir
  13. Eu gostei da resenha. A história de amor desses jovens parece ser muito boa e eu quero ler.

    ResponderExcluir
  14. Adoro este gênero, principalmente este livro, porque a realidade da época. É legal conhecer mais a fundo os costumes e se divertir mais ainda lendo um bom libro. Valeu!

    ResponderExcluir
  15. Amei a resenha, tema para época de muito preconceito, até hoje existe este tipo de preconceito, mas já imagino parte do que foi passado pelos personagens.
    ronida_sindi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  16. Eu ESTOU LOUCA PRA LER ESSE LIVRO
    julianavini@hotmail.com.br

    ResponderExcluir
  17. Este romance tem cara de ser divino.Fiquei encantada com a sinopse e a resenha sobre a história. Os personagens me encantaram.Não vejo a hora de poder ler este romance.
    Beijos.
    Elizabeth Machado Salles

    ResponderExcluir
  18. Desde o lançamento desejo esse livro justamente por tudo o que você citou na resenha, trazer uma importante crítica sobre o preconceito e nos levar a refletir, a autora conseguir nos fazer mergulhar na época narrada e torcer pelas personagens tudo com uma escrita envolvente e bela, pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  19. Oie
    Eu nunca tinha lido uma resenha desse livro antes,na verdade nem sabia do que se tratava.Gostei desses capítulos intercalados entre personagens e épocas diferentes e a reflexão que ele trás parece ser bem intensa,a capa também não me agradou muito mas isso nem importa tanto assim.
    beijos

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.