Caixa de Pássaros - Josh Malerman

Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão. (Skoob)
MALERMAN, Josh. Caixa de Pássaros. Intrínseca, 2015. 272 p.

Já comentei algumas vezes que sou bastante medrosa, e tive até fase de evitar ler suspenses por causa disso. Este ano, porém, percebi que aquelas leituras mais leves ou românticas, que costumavam ser aquelas que mais me agradavam, dificilmente têm conseguido me convencer. Por isso, decidi arriscar leituras menos "confortáveis", como Filme Noturno e Objetos Cortantes, as quais, junto a Caixa de Pássaros, de Josh Malerman, estão entre as melhores do ano até agora. O Carlos também já fez resenha do livro aqui no blog, mas eu não pude perder a oportunidade de ler a obra e preciso compartilhar minha opinião com vocês.

Caixa de Pássaros tem nos pequenos detalhes e nos atos mais cotidianos seu grande trunfo. Narrado em terceira pessoa pelo ponto de vista de Malorie, com períodos objetivos e quase curtos demais, em capítulos também bastante curtos, o livro tem uma dinâmica que, de início, parece que será superficial. No entanto, enquanto compreendemos como Malorie e o mundo todo (ou o que sobrou dele) chegaram àquela situação descrita no livro, percebemos que a grande essência da obra está no que não foi dito.

Os capítulos se alternam em dois momentos da vida da protagonista: o atual, em que ela decide deixar a casa em que vive com os filhos e fazer uma viagem pelo rio de olhos vendados, e alguns anos antes, quando todos começaram a enlouquecer e cometer suicídio por algum motivo que, quem chegava a conhecer, não sobrevivia para contar.

"Mais gravetos se quebram. A coisa se move devagar. Malorie pensa na casa que abandonaram.Estavam seguros lá. Por que saíram? Será que o lugar para onde estão indo é mais seguro? Como poderia ser? Num mundo onde não podemos abrir os olhos, uma venda não é tudo que temos para nos defender?
Saímos de lá porque algumas pessoas decidem esperar as notícias chegarem e outras correm atrás delas."

A questão primordial da obra não está em uma grande ameaça ou algo contra o que se possa lutar. Todos os sentimentos transmitidos por Caixa de Pássaros estão mais relacionados ao não saber, ao desconhecido. Não foram raras as cenas em que o silêncio era o que mais trazia medo.

O medo, aliás, era o cerne da questão: ficava nítido que as pessoas que sobreviviam tinham como maior medo o de enlouquecer; mas o medo da loucura não é uma espécie de loucura ele próprio? Nesse quesito, Josh Malerman foi magistral ao tratar dessa linha tênue entre sanidade e loucura, porque mesmo aqueles que não viram e não estiveram expostos à causa daquele surto tinham tanto medo de enlouquecer que, por momentos, ficavam a ponto disso.

O livro é perturbador mais por coisas subjetivas, como a possibilidade da solidão e a necessidade de se acostumar a um mundo sem céu e sem natureza, do que pela ameaça em si. A simplicidade do enredo, que demonstra uma vida quase normal dentro daquele novo limite de normalidade, provou quão frágil é o psicológico humano e quão expostos estamos, especialmente em razão da desconfiança que temos uns nos outros.

"Ela imagina a casa como se fosse uma grande caixa. Quer sair daquela caixa. Tom e Jules, mesmo do lado de fora, ainda estão naquela caixa. O planeta inteiro está trancado nela. O mundo está confinado à mesma caixa de papelão que abriga os pássaros do lado de fora. Malorie entende que Tom está procurando uma maneira de abrir a tampa. Busca uma saída. Mas ela se pergunta se não há outra tampa acima daquela, e depois mais uma.
Encaixotados, pensa. Para sempre."

Caixa de Pássaros me fez pensar em possibilidades, em loucura, em quão bons podemos ser e, ao mesmo tempo, em quão egoístas somos, mesmo na situação de maior necessidade. Também me fez pensar em como, muitas vezes, é preciso tomar uma decisão e simplesmente seguir em frente, por mais duro que aquilo possa parecer, porque é a única decisão que se pode tomar e ser forte não é opção. Fiquei fascinada pela história, que me deixou uma sensação estranha por dias, e que, ainda que tenha deixado muita coisa em aberto, deu todas as respostas de que eu precisava. Porque, como comentei no início da resenha, a grande essência da obra está no que não foi dito.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

8 comentários:

  1. Oi, Ju <3 Mas que resenha linda *_*
    Esse livro cada vez mais vem me chamando atenção, amo essa capa e esse clima de mistério presente nela. Gosto bastante de livros com uma pegada mais sombria e este me chama atenção não necessariamente pelo enredo, mas pelos comentários daqueles que o leram.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju,
    Estou louco para ler Caixa de Passaros.
    Desde o ano passado tenho procurado algum livro que me faça sentir medo, e nao tenho dado mta sorte. E Caixa de Passaros me parece que deve se sair bem como um terror mais psicológico.
    Ahh, tbm adorei Objetos Cortantes. Um dos melhores que li esse ano.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Gostei bastante desse livro, porém esperava mais explicações sobre as criaturas. Mas em si o livro é muito bom e dá medo. srsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oie Ju =)

    Assim como você sou bem medrosa, então passaria bem longe desse livro rs...
    Parece um bom livro, como uma história bem construida, porém só de ler a sua resenha já fiquei com medinho rs...

    Ótima resenha!

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Oi! Caixa de Passaros será uma das minhas proximas leituras, apesar de também não curtir tanto o genero, pois também tenho medo. Mas vejo tanto elogios referente a ele que acho que vale um sacrificio. Pela sua resenha deu pra perceber que você curtiu bastante o livro. Espero gostar também. Aparentemente parece ser um livro de opiniões bem divididas.

    Beijos,
    Leitura da Vez

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia!
    Eu também sou muito medrosa e tenho evitado livros de suspense e policiais, mas ultimamente tenho tentado ler para ver se venço esse medo. E sabe que tenho me impressionado com as leituras? Claro que que às vezes fico um pouco impressionada, mas quero muito ler coisas novas, e por isso Caixa de Pássaros está na lista de próximas leituras.

    B-jusssss!
    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
  7. não sou tão chegada em leituras com esse tom distópico, mas em tempos de ebola, super bactéria e essas coisas, Deus me livre, mas é quase inevitável não se perguntar, e se? o_O o equilíbrio perfeito entre sanidade e loucura. amei tá como desejado!

    ResponderExcluir
  8. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto muito thriller psicológico e suspense, agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.