Asterix e o Papiro de César - R. Goscinny e A. Uderzo

Sinopse: César decide publicar suas memórias, censurando um capítulo importante sobre as aventuras de Asterix. Sem saber, o capítulo é roubado e levado até a aldeia dos gauleses, que decidem levar o papiro até a floresta dos druidas, onde o conteúdo poderá ser decorado e passado de geração em geração (Skoob)
GOSCINNY, René. UDERZO, Albert. FERRI, Jean-Yves. CONRAD, Didier. Asterix e o Papiro de César. Editora Record, 2015. 50p.

Este é o prólogo de todas as edições dos livros de Asterix, o gaulês: "Estamos no ano 50 antes de Cristo. Toda a Gália foi ocupada pelos romanos ... Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor. E a vida não é nada fácil para as guarnições de legionários romanos nos campos fortificados de Babaorum, Aquarium, Laudanum e Petibonum ..."


Asterix reside com seus amigos em uma pequena aldeia gaulesa situada em uma península na Armórica, ao norte da antiga Gália. Para resistir ao domínio romano, os aldeões contam com a ajuda de uma poção mágica que lhes dá uma força sobre-humana, preparada pelo druida Panoramix. A exceção é Obelix, que caiu dentro de um caldeirão cheio da poção quando ainda era um bebê, e daí adquiriu permanentemente a superforça.


Asterix foi criado por Albert Uderzo e René Goscinny em 1959. Hoje, com 35 álbuns publicados e mais de 350 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, é um dos personagens mais populares e amados de sempre.

Após Goscinny falecer em 1977, Uderzo continuou, sozinho, a criação de novas histórias, lançando sempre um álbum por ano. Em 2010, já com 84 anos, Uderzo anunciou sua aposentadoria e passou a responsabilidade dos personagens para a dupla francesa, Jean-Yves Ferri e Didier Conrad, cujo primeiro trabalho pode ser conferido em Axterix entre os Pictos, de 2013.


Em Asterix e o papiro de César, lançado mundialmente em outubro, com uma tiragem de quatro milhões de exemplares, César decide publicar suas memórias das guerras romanas de conquista, e reserva um capítulo inteiro sobre sua frustração de não conseguir vencer os irredutíveis gauleses. Seu editor, para evitar uma humilhação pública, sugere o corte desse capítulo. Assim, vai a público a edição censurada, que vira um grande sucesso em Roma. Mas o capítulo censurado acaba sendo roubado e vai até as mãos dos gauleses.


A história é uma crítica sútil sobre as publicações atuais de livros e em como as notícias se espalham rapidamente, e as referências são muito engraçadas, como o uso de pombos no lugar do Twitter. Existe a preocupação da dupla de criação em manter todos os elementos usados pelos criadores dos personagens, mas eles não realizam a tarefa com tanta sutileza, e algumas piadas ficam forçadas.


Isso pode ser mais notado quando Asterix, Obelix e Panoramix, o druida da aldeia, viajam até uma floresta, para que os druidas possam memorizar o capítulo roubado, que narra todas as aventuras dos gauleses. Todas as tentativas de piada nesse trecho remetem para situações já vividas pelos personagens em outros álbuns. A parte em que os dois caçoam de Panoramix ficou exagerada e muito mal empregada dentro do contexto. É louvável a preocupação com a herança, mas acho que seria mais natural que surgissem ideias novas, uma vez que seguir a linha já fortemente estabelecida pelos criadores originais é quase impossível.


Para quem nunca leu Asterix, esta edição terá mais graça do que para aqueles que acompanham desde o primeiro número. Mesmo para esses, a aquisição do álbum é obrigatória. E mesmo com os pontos negativos citados acima, a história ainda é muito superior às versões cinematográficas dos personagens. A rapidez das piadas e das situações continua sem igual nos quadros belissimamente desenhados, e isso é muito difícil de ser transportado para os telões.


Asterix e o papiro de César é uma aquisição obrigatória para os fãs e novatos. Se você ainda não conhece os irredutíveis gauleses, estão perdendo o que de melhor existem em quadrinhos no mundo.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

9 comentários:

  1. Nunca li Asterix, acredita? Sempre ouvi coisas muito boas e que é uma história muito legal.
    Leio muito pouco HQ e tenho que remediar isso!

    Beeijo
    Resenhando Sonhos

    ResponderExcluir
  2. Olá!!
    Que legal amo as historias de Asterix, e essa ta linda amei conhecer e ja quero.

    ResponderExcluir
  3. Curto muito histórias em quadrinhos, especialmente as do Asterix, preciso desse HQ para ontem.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carlos. Estou precisando atualizar os meus quadrinhos. Conheci a história de Asterix pelos games e era apaixonado pelo personagem, mas perdi um pouco o interesse ao longo dos anos. Gosto bastante desta proposta de cultura e guerra romana presente em suas histórias. Gostei!
    Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos!

    Moçoooooo, quando eu estava no ensino médio, minha professora de português adorava colocar umas historinhas de Asterix na prova de Português, mas eu nunca cheguei a ler uma HQ completa dele. Para ser sincera, não é um quadrinho que eu queira ler imediatamente, mas parece mesmo ser bem legal.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com

    ResponderExcluir
  6. Adoro historias em quadrinhos. Faz tempo que li um livro deles, que nem lembro qual era o nome. Me interessei por este parece ser muito bom e divertido, faz um bom tempo que eles existem, não sabia que foi em 59 que eles foram criados, legal saber um pouco mais sobre o autor e a criação.

    ResponderExcluir
  7. Já li muito dos livros de Asterix essa nova obra e espetacular .

    ResponderExcluir
  8. Oie, nunca li Asterix mas parece legal! Não leio HQ sabe... acho q tenho q começar a ler!

    www.cidadedosleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Carlos!
    Que notícia alvissareira.
    Achei que os HQs do Asterix tinham acabado... li muito na minha adolescência, tinha uma coleção bem grande que acabei doando para meu sobrinho.
    Vou ver se consigo adquirir esse para continuar a leitura.
    “A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la - mas quem consegue descobre tudo.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.