A Mentira - Helen Dunmore

Sinopse: Cornualha, Inglaterra 1920
Um Jovem Soldado volta para casa.
O horror das trincheiras e uma grande amizade ficam para trás.
E seu futuro lhe reserva as imprevisíveis consequências e uma mentira. (Skoob)
DUNMORE, Helen. A Mentira. Companhia Editora Nacional, 2015. 296 p.
 
Comecei a ler A Mentira um pouco no escuro, visto que a sinopse pouco revela sobre o enredo. Entretanto, o contexto e ambientação da obra me chamaram atenção, aqui temos um cenário pós-guerra e suas consequências na vida daqueles que sobreviveram. Um tema mais que interessante para refletir.

Daniel Branwell é um jovem soldado inglês que retorna para casa após Primeira Guerra sem muito pelo que lutar. Sem seu amigo de infância Frederick, logo ao regressar é pego pela morte da mãe. Todos os que faziam sentido para ele se foram e todos os horrores que presenciou em campo culminam em seu completo isolamento da cidade, e ele acaba indo morar com uma velha senhora.
 
Frederick Dennis e Daniel eram como irmãos. E apesar de pertencerem a classes sociais distintas, se davam muito bem e tinham um relacionamento que transcendia a amizade, chegando até a fazer juramento de sangue. Frederick, filho de engenheiro e frequentando as melhores escolas nunca deu muito valor ao estudo; Daniel, filho da empregada da casa Dennis, sempre decorou os mais extensos poemas. Superando as diferenças sociais, tornaram-se irmãos do peito e juntos vão para a guerra, deixando todos os sonhos e planos para trás. Daniel consegue regressar, mas os fantasmas da guerra e memórias do amigo não o deixam de fato ficar.

"- O problema, Felicia, é que conquistei minha ambição e agora não gosto do que vejo.
- Qual era sua ambição?
- Sobreviver."
 
Narrado em primeira pessoa por Daniel, A Mentira usa o período pós-guerra como pano de fundo para desenvolver sua história, que se passa toda pesando as dores e traumas da guerra e suas consequências após seu término. Daniel passa a viver em momentos intercalados de lucidez e devaneio, a ponto de não saber mais distinguir com precisão onde começa uma e termina outra, fazendo com que a obra se desenvolva sem grandes ações ou reviravoltas.

Apesar de ser um livro morno, eu gostei bastante. Como poucas explicações são dadas e o foco não é explícito, paira aqui várias ambiguidades; e talvez seja isso que permita o prosseguimento com a leitura, há um despertar de sentimentos no leitor, que tenta entender os acontecimentos e a cabeça do protagonista. A ambientação é fria e ao longo de toda narrativa imaginei a trama em tons cinzentos, tão sutil e calma que é sua desenrolada. Helen Dunmore não se prolonga em detalhes e perspectivas e a impressão que eu tenho é que ela estava absolutamente serena e sem pressa ao escrever este livro.
 
A narrativa de Dunmore é poética e fluída, ainda que esteja contando uma história densa e cheia de mistérios. Mesmo após o fim da leitura, não consigo distinguir a verdade acerca dos personagens, tão ambígua é sua construção. As passagens de tempo me deixaram um pouco confusa, mas foi algo que se acertou a partir da metade da obra. Em verdade todos os detalhes que haviam me incomodado na obra conseguiram se acertar a partir da entrada de uma personagem na história, levando rumo à trama.

"Fomos colocados em duplas para um cuidar dos pés do outro. Cuidar do próprio pé não é incentivo suficiente. Pode-se pensar que o egoísmo seria uma força poderosa, mas não era. Dizer a um homem que tire as peneiras, depois as botas, que seque cada dedo individualmente, examine os pés à procura de machucados e massageie-os com óleo de baleia, e dizer-lhe que se não fizer isso terá pé de trincheira, ficará com o pé preto e poderá ter até que amputá-lo... bem, é de imaginar que isso o motivaria a se cuidar. Mas não motiva. Ele está com frio, molhado e morto de cansaço, e  tudo o que quer é dormir um pouco. Agora, diga-lhe que é responsável pelos pés do homem ao lado e ele fará tudo isso."

É interessante observar como as guerras deixam marcas, não somente físicas, mas psicológicas. A quantidade de pessoas que se vão, a quantidade de amigos que se faz e que a qualquer momento podem ir embora, é enorme. A autora não abordou a questão com profundidade, mas os devaneios e silêncio do protagonista são mais que suficientes para expressar todo o peso que a guerra deixa.

Ainda que uma obra extremamente densa e morna, A Mentira me agradou bastante. É um livro que vale muito a leitura, tem uma narrativa poética e conflitos absolutamente interessantes.
 
Sofia
Sofia

Geminiana de 13/06/00, blogueira no Lendo de Tudo e (completamente) apaixonada por livros. Sejam eles fictícios ou verídicos, românticos ou terror. Mas incondicionalmente fã de J.K. Rowling, Rick Riordan e Agatha Christie. Indecisa, - mas também determinada (como assim, ué?)- casada com o teatro, amante dos livros, sofro de sinceridade aguda.

21 comentários:

  1. Oiie! Nossa que história! Parabéns pela resenha tbm, ótima! Vou anotar ora ler, adorei ... Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Olá Sofia!
    Gostei muito da resenha e da ideia do livro. Gosto bastante de leituras sobra a guerra e esse parece ser muito interessante por mostrar justamente o pós guerra. Fiquei curiosa e foi para a lista.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro e gostei muito do que li na resenha. Falar de guerra ou pós-guerra é um assunto que nos faz refletir, principalmente quando relata os acontecimentos vividos por personagens fictícios ou não. Gostaria muio de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas pela sua resenha parece ser um livro muito profundo. Sou daqueles que gostam de livros mais dinâmicos e histórias que se desenrolam de maneira mais prática. O pano de fundo do livro é bem interessante, é um tema que nos causa certa curiosidade.

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas já quero ler. Amo livros sobre (pós)guerra, principalmente se forem ambientados na 1º ou na 2ª. Leio pelo menos uns 2 por mês sobre o assunto e esse já vai entrar pra minha lista.

    ResponderExcluir
  6. O livro parece ter uma história interessante, mas não curto livros profundos demais e meio ''parados''...Enfim, que fiquei interessado, fiquei! Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Deve ser uma leitura interessante e comovente, esse período da guerra é muito sofrido, tanto para quem vai e para quem fica, pois a família também sofre e como foi dito não só fisicamente mas psicologicamente, o protagonista viu e passou por muitas coisas e não tem como se sentir bem diante de todo esse sofrimento.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, a resenha me deixou bastante curiosa em conferi essa história, parece ser ótima, bem emocionante.

    ResponderExcluir
  9. Sua resenha está muito boa, não conhecia esse livro, e lendo um pouco mais da história acredito que ele não faz meu estilo de leituras, pois não curto livros de guerras.

    ResponderExcluir
  10. Oii, adorei a resenha mas não curto muito esse genero. Mas para quem gostaa, esse livro e otimo *-*

    ResponderExcluir
  11. Oi Sofia, eu não conhecia a escritora o livro parece ser lindo, com certeza vou le-lo e sua resenha esta incrivel bjs.

    ResponderExcluir
  12. Gostei da resenha, mas o livro no momento eu acho que nao leria no momento esse livro.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Interessante a história, mas me sinto tão triste com o assunto Guerra!
    Sabe, eu não consigo entender o pq?
    Pois acaba com as pessoas que vão, com as que ficam! Enfim, é horrível...às vezes lendo ou vendo um filme sobre esse assunto, penso que talvez a pessoa que foi à guerra e sobreviveu gostaria era de ter morrido, pois tenho a sensação que nunca mais essa pessoa será a mesma...é muita dor e sofrimento.
    Ótima a sua resenha!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  14. Por mais que a história tenha lá seu crédito, eu provavelmente demoraria muito para lê-la, já que não tem um clímax. Pode ser que um dia a oportunidade de ler esse livro venha, mas por enquanto, não está na minha lista de desejados.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  15. Também não conhecia esse livro, mas a capa me chamou bastante a atenção e após ler sua resenha a premissa do livro me interessou muito, irei colocar na minha lista de futuras leituras, e com certeza se eu tiver a oportunidade vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  16. Parece ser um livro muito bom, não é o tema que mais me agrada, mas li pensando no meu namorado, que ia adorar a leitura. Uma dica de presente :)

    ResponderExcluir
  17. A capa é bem interessante, mas não sei se eu conseguiria ler...não gosto muito de temas sobre guerras.

    ResponderExcluir
  18. Olá Sofia!!!
    O livro parece ser muito interessante, mas acho que não seria um livro que eu leria.
    Guerras deixam marca em qualquer pessoa e isso acaba mudando-as, mas contudo é uma ótima dica e sua resenha ficou muito boa.
    Até uma próxima o/

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.