Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira

Foto: Como Livros, Bebo Séries
Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

DELLAIRA, Ava. Cartas de Amor aos Mortos. São Paulo: Editora Seguinte. 344 p.

Cartas de Amor aos Mortos fez um reboliço danado aqui na blogosfera assim que foi lançado. Não bastasse isso para me matar de curiosidade, o livro ainda tem esse título incrível e uma pequena crítica do Stephen Chbosky bem na capa. Acharam pouco? As referências musicais são maravilhosas também, e ficamos sabendo disso antes mesmo de começar a ler. 

Laurel é uma garota de 14 anos que resolve dar uma guinada na vida. Após perder a irmã e ser abandonada pela mãe, Laurel decide mudar para um colégio onde ninguém sabe nada sobre a sua vida, muito menos sobre a morte de May. Não é difícil perceber que a vida da protagonista mudou drasticamente após esse acontecimento. 

Após a mãe se mudar sem ela, Laurel tem migrar entre a casa de sua tia Amy, que é super protetora e possui alguns hábitos bastante peculiares, e a casa do pai, que ainda não superou a separação e a morte da filha mais velha, o que o faz deixar Laurel um pouco de lado. De quando em quando, a garota fala com a mãe pelo telefone.

Um dia, na escola nova, a professora passa um trabalho que consiste em escrever uma carta para alguém que já morreu. O que era para ser apenas uma tarefa escolar, passa a virar hábito na vida de Laurel, que escreve não uma, mas várias cartas para os seus maiores ídolos: Kurt Cobain, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop e vários outros.

Talvez ao contar histórias, por pior que sejam, não 
deixemos de pertencer a elas. Elas se tornam nossas. 
E talvez amadurecer signifique que você não precisa ser personagem 
um roteiro. É saber que você pode ser a autora.

O livro é narrado em primeira pessoa e em forma de cartas. Apesar de não serem destinadas para mim, senti como se Laurel estivesse me contando seus segredos mais profundos, e não para pessoas que nunca leriam suas cartas. Durante esses "desabafos", conseguimos conhecer um pouco mais sobre a personagem principal e todas as suas angústias. 

Laurel fala muito sobre sua irmã mais velha, a May, nas cartas, sobre o que ela significou na vida da protagonista. Na verdade, eu senti o tempo todo que Laurel era apenas uma sombra da May. Explicando melhor, Laurel colocava a menina em um pedestal e queria porque queria ser exatamente como ela. Além disso, ela deixa a entender que a mais velha era a favorita e, mesmo que não demonstrasse, tenho certeza que isso a magoava. 

É claro que o assunto retratado nas cartas não era só esse. Laurel contava bastante sobre o seu dia-a-dia, sobre as amizades que fez na escola nova, uma galerinha bem diferente, mas muito bacana, sobre Sky, o garoto misterioso por quem ela sente uma forte atração desde o primeiro dia que o vê... Sobre como essas amizades e o romance foram evoluindo.

Apesar da previsibilidade da história, eu amei. Amei de verdade. Vocês sabem como eu gosto de um bom drama, e nisso Ava Dellaira não deixa nada a desejar. Com uma narrativa impecável, ela mostra bem a fundo como é a sensação de perder alguém e como isso pode ser superado com a ajuda dos amigos e das pessoas que amamos.
Ana Clara
Ana Clara

Amante de livros sonha em ter uma biblioteca gigantesca em casa. Lê qualquer coisa que colocarem na frente, desde biografias a rótulos de shampoo. Detesta cachorros e, para ela, os gatos são as criaturas mais fantásticas do mundo. Quando o assunto é música, não cansa de mostrar seu amor pelos Beatles, além de ser fã de fé dos Engenheiros do Hawaii. Também é apaixonada por MPD e louca por O Teatro Mágico do último fio de cabelo até a planta dos pés. Se quiserem saber mais, acompanhem também o blog Roendo Livros.

24 comentários:

  1. Olá!
    Muito linda a capa desse livro. Curti o estilo de narração em cartas, mas não sei se eu leria.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana!
    Acredita que só fui descobrir sobre esse livro outro dia?
    Eu curto algumas narrativas diferentes, como essa de cartas. Fora que livros com referências musicais sempre tem meu interesse.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Esse e um livro diferente de tudo que já li, e o achei com uma carga afetiva muito grande, além de mostra uma história muito linda. Gosto dessa coisa de carta, e faz com que eu me envolva com o personagem, me interessei bastante pela leitura do livro.

    ResponderExcluir
  4. Esse livro me ganhou pelo título. Está na minha lista faz um tempo já mas ainda não consegui ler. Gosto de narrativas e histórias que saem um pouco do clichê e minha vontade de ler só aumenta.

    ResponderExcluir
  5. Apesar da capa linda e do título super interessante, pela sinopse, eu não sei se compraria esse livro. A ideia me parece original, mas não me passa a sensação de profundidade mesmo com as opiniões positivas que já li, sei lá hahaha Gosto de estórias críticas, que toquem mais fundo na minha empatia do que na minha emoção, mas aí já é questão de gosto mesmo.

    Abraço,
    magoevidro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. É um livro diferente, a capa e linda a sinopse muito boa também. Mas fico meio na duvida se eu leria ele rsrs

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana, que capa linda eu nunca li nenhuma resenha desse livro ele parece ser bem interessante gostei bastante da sinopse com certeza vou ler bjs.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu fiquei hiper curiosa e ansiosa para ler esse livro assim que foi lançado...
    Achei a capa linda, e o título bem curioso...
    E pela sua resenha vou gosta de ler sim.
    Parece ser aqueles livros que mexem com a gente, aliás quem nunca perdeu alguém né?
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  9. Estou lendo um livro neste estilo (em forma de cartas)....é diferente, mas o tema envolve o leitor. Quanto a este livro, não leria, não gosto de dramas....

    ResponderExcluir
  10. Estou doida pra ler esse livro, curto muito um drama, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  11. Oie
    Desde o lançamento desde livro que eu quero ler. Tem um tema muito interessante.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Esse livro está na minha lista de compras, achei o título e a capa interessantes. Deve ser uma historia muito emocionante, perder alguém e ainda por cima ser abandonada não é nada fácil, acho que Laurel passou a se sentir melhor escrevendo as cartas, como uma forma de desabafo.

    ResponderExcluir
  13. Não imaginava que esse livro fosse tão cheio de emoções assim...amo livros que nos envolvem tanto e que quando acaba ficamos sentindo um vazio imenso. Já li dois livros onde a protagonista perde a irmã e fica o livro todo se lamentando e lembrando da irmã e se perguntando o por que da irmã a ter abandonado, deve ser um tema bem aceito por isso os autores o exploram bastante. Achei interessante.

    ResponderExcluir
  14. Li esse livro em dois dias, as resenhas que havia lido divergiam muito na avaliação do livro, umas gostavam, outras não. Mas eu adorei, a história foi muito envolvente. Adorei a resenha, concordo muito com você.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  15. Ana!
    Gosto muito de dramas também e aqui a protagonista tem uma forma de superar os seus através das cartas.
    Como faço correspondência há muitos anos, sei o quanto é bom podermos desabafar e ficarmos mais tranquilos através das cartas, ótima terapia.
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  16. Achei a ideia do livro simplesmente incrível, muito criativa. A história parece ser bem emocionante e tocante, sou curioso para ler desde quando foi lançado. Abraços =)

    ResponderExcluir
  17. Já ouvi falar muito deste livro, me apaixonei pela capa/titulo de primeira, mas nunca havia lido resenha/sinopse. Depois de ter lido a primeira (aqui!) fiquei com muito mais vontade de ler. Outro ponto que me deixou com vontade, é o fato de ser escrito em formato de Cartas, nunca li livros assim e quero muito ler agora. Beijos.

    www.potato-purple.blogspot.com
    www.youtube.com/potatopurpleblog

    ResponderExcluir
  18. Estou bem curiosa para ler esse livro, desde o lançamento eu fiquei com vontade de ler, na verdade sou fã de drama então, já gosto.

    ResponderExcluir
  19. Fiquei apaixonada por essa resenha! <3
    E o meu instinto de curiosidade foi despertado fortemente, já entrou pra lista de leituras! Beijo :*

    wecansaysomething.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Já li Carta de Amor aos Mortos e simplesmente adorei a história, achei bem criativa e me envolvi demais com a história, é um livro realmente muito bom, vale a pena ler.

    ResponderExcluir
  21. é um livro que emociona né. muito ouvi falar sobre ele, e como vc disse, apesar de clichê, é um livro que deixa marca. realmente perder alguém ñ tem como não mexer com a pessoa e a autora foi bem bacana em transformar isso em cartas. gosto da capa, acho de muito bom gosto. é uma leitura super recomendada <3

    ResponderExcluir
  22. Tenho muita curiosidade de ler a história, que bom que gostou, um motivo a mais pra eu ler :)

    ResponderExcluir
  23. Nesse momento não conseguiria ler esse livro, pois ainda estou sofrendo muito com a perda de meu pai...e com certeza me emocionaria muito, e já sendo emotiva, não conseguiria terminar a leitura...quem sabe mais adiante.

    ResponderExcluir
  24. Olá Ana!!!
    Juro que já ouvi falar muito sobre esse livro, porém nunca me interessei a ler e ainda não tenho vontade.
    Mas a resenha ficou maravilhosa e mostra realmente o contexto do livro pelo que já percebi.
    Parabéns pela resenha e até uma próxima o/

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.