O Nome do Vento - Patrick Rothfuss

Sinopse: Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso. Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano - os lendários demônios que assassinaram sua família no passado. Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade. Pouco a pouco, a história de Kote vai sendo revelada, assim como sua multifacetada personalidade - notório mago, esmerado ladrão, amante viril, herói salvador, músico magistral, assassino infame. Nesta provocante narrativa, o leitor é transportado para um mundo fantástico, repleto de mitos e seres fabulosos, heróis e vilões, ladrões e trovadores, amor e ódio, paixão e vingança. (Skoob)
ROTHFUSS, Patrick. O Nome do Vento. Arqueiro, 2009. 656 p.

O Nome do Vento consta no topo da lista das melhores obras de fantasia já escritas. Em algumas, fica em segundo lugar, atrás apenas de O Senhor dos Anéis; em outras, figura em primeiro. E da mesma forma que a história de Frodo e cia, ele não pode ser avaliado individualmente, mas em conjunto com o segundo volume, O Temor do Sábio, e um terceiro que está para ser concluído.

Histórias tão ricas em conteúdo e criatividade, não podem ser lidas por um leitor que não gosta de detalhes. Cada página de O Nome do Vento possui conversas, locais, ações, reações que revelam o nível de complexidade do universo criado. Entendam que todo esse conteúdo é criado para jogar o leitor dentro do plausível, dentro de um ambiente que, por mais incrível que seja, se torne quase real em sua imaginação. A arte de contar uma história reside na capacidade de fazer o leitor acreditar no que está lendo. Isso não se consegue utilizando uma narrativa superficial, construída à base de diálogos.


Mais do que isso, o autor consegue explicar de forma convincente como funciona a magia no livro. Por várias vezes, fiquei me perguntando se seria possível fazer a mesma coisa. E essa magia reside, basicamente, em duas coisas: simpatias e o conhecimento do nome das coisas. Simpatias são uma forma de conectar um objeto a outro, de forma a controlar o segundo através do primeiro. Quanto mais os dois objetos forem semelhantes, mais forte será seu controle sobre o segundo.

Saber o nome das coisas, dá poder sobre elas. Daí vem o título do livro. Na infância, Kvothe, o personagem principal, presencia Ben, um arcanista, chamar o vento pelo nome e, assim, controlar sua força contra duas pessoas que o atacavam. Isso o fascina de tal forma, que decide, naquele momento, que aprenderia tudo o que fosse necessário até conseguir fazer o mesmo.

Cada livro da trilogia inventada por Patrick Rothfuss equivale a um dia na vida de Kvothe. Ele gasta esse dia, narrando suas memórias para o Cronista, uma espécie de biógrafo, que busca saber se o que se conta sobre as proezas de Kvothe são verdadeiras.

Junto com Basf, um personagem enigmático, de quem ficamos sabendo sua verdadeira raça no fim do livro, conhecemos a infância de Kvothe, com 12 anos de idade, como artista mambembe ao lado se sua família, seus primeiros aprendizados no uso das simpatias, a tragédia que muda sua vida e sua entrada na Universidade aos 15 anos de idade, local que forma Arcanos, aqueles que sabem o nome das coisas.


Ao contrário da maioria dos heróis, Kvothe utiliza de artifícios para conseguir o que deseja. Ele é inteligente, muito, mas sabe que precisa mais do que isso para conseguir concretizar uma vingança sobre um grupo que foi responsável por sua tragédia.

Os personagens que cruzam seu caminho, neste primeiro livro, não são muitos, mas são ricos em personalidade e em carisma. Mais do que isso: eles são construídos de forma tão complexa quanto Kvothe, demonstrando o cuidado que o autor teve para desenvolver sua história.

O Nome do Vento não é um livro de ação, mas, sim, um testemunho de como Kvothe saiu de uma trupe de artistas para um herói, ou não, que é dono de lendas por todo o seu mundo. Em diversos trechos, de forma sútil, o autor demonstra o tamanho de poder que ele desenvolveu. Essas partes, deixam um sorriso no leitor, e uma ansiedade imensa para conhecer como ele chegou a esse ponto.

Quando chegar ao fim do livro, a única certeza de que o leitor terá, é a de que precisa comprar O Temor do Sábio, para, dessa forma, continuar a acompanhar o crescimento de Kvothe ;)
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

12 comentários:

  1. Nossa, eu tô querendo demaaaaaaaais ler esse livro! Só vejo opiniões positivas sobre ele. A Crônica do Matador do Rei parece ser fantástica!!

    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
  2. Olá Carlos!
    Tenho muita curiosidade em ler essa trilogia mas não sei, alguma coisa me diz que não irei gostar. Curti muito a sua resenha!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - MEGA SORTEIO DE ANIVERSÁRIO! LANÇAMENTO STEPHEN KING + TIMOTHY ZAHN E RENATA VENTURA AUTOGRAFADOS!

    ResponderExcluir
  3. Estou doida pra ler esse livro, curto muito fantasia, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  4. Oie Carlos =)

    Li esse livro faz algum tempo, mas tenho que confessar que infelizmente não consegui gostar da leitura =/
    Achei a narrativa maçante e em momento algum consegui gostar do protagonista. Uma pena realmente, mas fico feliz que você tenha gostado da história.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  5. Que resenha maravilhosa! Amo essa série e sou completamente apaixonada pelo Kvothe. Não vejo a hora de finalmente lançarem o terceiro livro para descobrir como afinal de contas ele deixou de ter uma vida tão incrível para se tornar o que é atualmente. Um dos meus livros preferidos, talvez a melhor série de fantasia que já li (e olha que já li muitas rs). *-* O autor encaixa tão perfeitamente os detalhes da história que em uma só leitura é impossível captar todos os mistérios escondidos. Não dá para transmitir a intensidade de emoções que essa história nos faz sentir. Só quem lê sabe. rs
    Beijos,
    Priscila.
    www.sigolendo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Fiquei bem curiosa com a história, apesar de achar (só achar, pois não li a obra) que não se deve comparar com O Senhor dos Anéis. A história me pareceu muito boa e pretendo ler assim que puder. De preferência quando o terceiro livro tiver sido lançado.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Eu amo esse livro, com certeza foi o melhor livro de fantasia que já li. Patrick consegue prender o leitor de uma forma inexplicável, estou louca pelo 3º livro da serie mas pelo jeito ainda vai demorar D:

    ResponderExcluir
  8. Oii!
    Parece maravilhoso a história!
    Kote parece msm mto misterioso e ao msm tempo mto esperto, curiosa pra acompanhar essa aventura dle!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá Carlos,

    Esse livro é fantástico, uma verdadeira viagem , já faz um tempo que o segundo volume está aguardando a minha leitura e logo mais iniciarei....abraço.


    http://www.devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá Carlos!!!
    Juro que é a primeira vez que leio uma resenha sobre 'O Nome do Vento' que me deixa realmente curiosa para querer pegá-lo e lê-lo.
    Eu já ouvi muito falar sobre o livro, mas realmente nunca me chamou atenção tanto mas depois de sua resenha vou dar uma chance ao livro.
    A história parece ser muito bem escrita e o herói ou não-herói parece ser muito interessante.
    Parabéns pela resenha =)

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Eu não consigo gostar desse livro! A resenha não me chama atenção, parece ser um livro muito cansativo, mesmo sendo considerado um dos melhores livros de fantasia. Mas acho a capa belíssima!

    ResponderExcluir
  12. Oi...

    Gostei bastante da resenha, gosto muito de livros de fantasia e esse me parece ser uma leitura muito agradável, gostei bastante da premissa descrita na resenha, acho que irei gostar de desfrutar dessa leitura.
    Os personagens parecem ser ótimos fiquei muito curiosa.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.