Clichê - Carol Dias

Sinopse: Marina Duarte está no vermelho. Dona de dupla graduação nas melhores faculdades públicas do Rio de Janeiro, seu sonho de construir a vida nos States não está funcionando.
Decidiu se mudar para ficar perto da tia, sua única família, mas a crise não está ajudando em nada sua carreira.
Sem saber como pagar as contas do próximo mês, Marina aceita uma vaga de babá na mansão da família Manning. Ela só não podia imaginar que sua vida mudaria completamente, apenas por conhecer duas crianças e um chefe viúvo e gato, maravilhoso, cheiroso e gostoso , que precisa urgentemente de sua ajuda. (Skoob)

Recebido em parceria com a Editora
DIAS, Carol. Clichê. Ler Editorial, 2015. 282 p.

Confesso que Clichê, de Carol Dias, chamou minha atenção pela capa. Não sou uma amante incondicional de tons rosa nem nada assim, mas a cor combina com o título e a composição me atraiu. E é claro que, pelas circunstâncias, não podia esperar algo que não fosse clichê, já que tudo no livro demonstra se tratar disso.

Marina deixou o Brasil para viver mais perto de sua tia, sua única parente viva, e para tentar uma vida melhor nos Estados Unidos, mas nem por lá as coisas estão fáceis. Suas duas graduações não serviram para nada no país. Por isso, quando surge a oportunidade de trabalhar como babá, ela aceita na hora. Seu chefe milionário, bonito e viúvo não passa despercebido e é claro que, como em todo bom clichê, Marina se apaixona por ele.

"Tento entender por que a vida é tão clichê.
Por que as pessoas conseguem cometer o mesmo erro várias vezes?
Por que a vida não tem criatividade para escrever trajetórias diferentes para todas as pessoas do universo? E fica repetindo e repetindo a mesma história, inúmeras vezes.
E eu só quero gritar, porque a vida resolveu me dar um dos clichês mais irritantes e insuportáveis.
Eu me apaixonei pelo meu chefe.
Pelo meu chefe milionário."

A narrativa de Clichê se dá em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Marina, e o tom é bastante informal, aparentemente com a intenção de dar um ar mais leve e divertido ao texto. Marina interrompe bastante a descrição e a narração para inserir suas observações pessoais, no maior clima de #MigaSuaLoka, e esse aspecto descolado pode agradar bastante aos leitores. Comigo, no entanto, esse ponto em específico não funcionou muito bem. Eu adorei o modo de escrita da autora Carol Dias, e mergulhava na história com a maior facilidade, mas, toda vez que Marina se interrompia para fazer um comentário, eu tinha a impressão de estar sendo arrancada da história. Quero deixar claro que isso só aconteceu porque, durante a leitura de um livro, eu entendo que ele seja bom quando eu esqueço que estou lendo e apenas vivencio a história; isso aconteceu durante quase toda a obra, exceto nas partes que Marina vinha com suas gracinhas.

Por conta disso, acabei gostando mais dos trechos narrados por Killian, inseridos no final de cada capítulo, que contavam um pouco de sua história antes de Marina aparecer. As cenas de romance com Mitche foram as minhas preferidas, para ser sincera, já que havia amor e companheirismo gritantes, e foi impossível ficar alheia à história dos dois.

Esse aspecto, no entanto, não reduziu a graça da trama. Carol Dias conseguiu construir bons personagens, com a mistura adequada entre seriedade e humor exigida em um chick-lit. Consegui ser surpreendida com algumas risadas no enredo leve, que tinha também sua pitada de drama. Encantei-me principalmente por Alisson e Dorian, as crianças de que Marina passou a cuidar. Conseguia imaginá-las como crianças de verdade, e adorei que Carol tenha conseguido criar situações pelas quais qualquer criança poderia ter passado.

O romance da história foi um pouco irritante no começo. Achei bem forçado que Marina soubesse que se apaixonaria pelo seu patrão desde que o viu pela primeira vez - ela mesma diz isso na cena - e que o envolvimento entre o casal tenha sido um pouco rápido demais. O engraçado é que, nesse ponto do livro, eu achei que não iria gostar do romance, porque não tinha gostado muito até então, mas foi depois que eles se envolveram que eu comecei a sentir que o casal tinha química e que os dois combinavam juntos. Acho que foi a parceria que se firmou entre os dois que deu maior credibilidade ao casal.

Gostei bastante também dos aspectos musicais do livro. Os melhores momentos da história foram aqueles em que Marina lidava com instrumentos, como quando ensinava as crianças, ou quando deu uma "surra" em Mimado Manning. Sempre tive um tombo por música, e inseri-la no enredo foi como transformar o livro em um bom filme de sessão da tarde.

Clichê, em síntese, cumpre aquilo a que se propõe: é uma leitura clichê, mas divertida e desprendida, que pode ser uma ótima companhia em uma tarde de leitura.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

15 comentários:

  1. Olá Ju! Essa capa também me chamou a atenção, já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Primeiro que eu ri muito com as características do viúvo, que é isso gente ? Kkk
    Eu gosto maos de historias que são contadas pelos dois personagens, assim a gente sabe mais dos sentimentos de ambos. Mas acredito que esse livro seja bom a sua maneira.
    Boa noite :)

    ResponderExcluir
  3. Olá Ju!!!
    Eu já havia visto a capa do livro uma vez e mesmo sendo rosa e eu também não sendo muito fã da cor, bateu uma curiosidade pelo título.
    No começo em que estava lendo a resenha achei que seria um romance que não me chamaria atenção, mas até o fim da sua resenha deu pra dar um sorriso gostoso e dizer sinceramente que o livro é aqueles que gostaria de ler no meu fim de tarde :)
    Também tenho queda por livros que traz músicas acabe que eu as procuro e ouço =3
    Adorei a resenha ;)

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Já faz algum tempo que tô namorando esse livro...Coisa mais linda! Tenho q concordar com vc que a capa tbm me chamou mta atenção, dpois q lia sinopse então, pronto...Foi paixão rsrsrs
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju
    Ainda não conhecia o livro, o enredo não chamou muito a minha atenção e suas ressalvas me deixaram na dúvida, não sei se eu iria curtir a leitura. Gosto muito do seu ponto de vista, de suas opiniões.

    Beijos♥
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie! Eu já ouvi falar desse livro e como uma aficionada por clichês, eu quero muito lê-lo. Ele me parece muito com Quase Casados da Jane Costello, mudando apenas algumas coisinhas mas da mesma maneira, sei que vou ler e acabar amando a narrativa! Sua resenha está perfeita, apesar de todos nós já esperarmos o final bem previsível.
    Beijos <3
    O Reino Encantado de uma Leitora

    ResponderExcluir
  7. Eu normalmente odeio clichês pq não gosto de ler algo previsível. Acho que a autora foi corajosa de dar esse título pro livro e apesar de ser uma história clichê o livro parece ser muito bem escrito, não vejo problemas numa história clichê desde que seja bem escrita e estruturada e a resenha me deu exatamente essa impressão.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Realmente essa capa é linda de Viver!!!!
    E amei conhecer um pouco mais sobre o livro no seu olhar! E assim como vc, eu gosto qdo eu começo a ler e esqueço do mundo ao meu redor, então, já vi q vou me irritar tbém com a Marina aparecer, kkkkkk
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  9. Olá Julia,
    Adorei essa capa! Fiquei bem interessada pelo livro, pois sempre gosto de ter uma opção de uma leitura mais leve e despretensiosa após uma ressaca literária daquelas. Esse livro pelo jeito tem uma história, que como próprio titulo propõe, bem clichê, mas com uma narrativa divertida e com uma pitada de drama, que adoro. Vou anotar o título para ler mais pra frente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Esse livro parece ser uma leitura agradável e leve, para dar um tempo naqueles livros mais pesados rsrs. Pena que teve alguns pontos a desejar, mas mesmo assim parece que ele consegue ganhar o leitor, que bom que depois o romance entre os dois agrada, pois fiquei com receio de ficar meio artificial.

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    Adoro chick-lit, estou bem curiosa para ler esse livro. Confesso que você abordou alguns pontos que não me agradaram muito, porém vou dar uma chance ao livro. Espero me divertir com a leitura.

    ResponderExcluir
  12. Mulheeeer essa capa ta muito cute ♥ kkkk , tava precisando de uma resenha dessa. ♥ Só me cativou mais a ler.. shauhau !

    ResponderExcluir
  13. Oi, Julia! Obrigada pela resenha, pelas críticas, tudo! Vamos melhorar para os próximos, juro! hehehe

    ResponderExcluir
  14. Como o próprio título deixa bem claro é um romance clichê, mas que não deixa de ter sua graça. Pelo que você falou na resenha, achei um pouquinho forçado também esse envolvimento inicial, mas se depois melhora, então ok. Parece uma leitura bem leve, boa para passar o tempo e se distrair. :)

    ResponderExcluir
  15. Como o próprio título deixa bem claro é um romance clichê, mas que não deixa de ter sua graça. Pelo que você falou na resenha, achei um pouquinho forçado também esse envolvimento inicial, mas se depois melhora, então ok. Parece uma leitura bem leve, boa para passar o tempo e se distrair. :)

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.