Arena 13 - Joseph Delaney

Sinopse: Leif tem uma única ambição: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13. Lá, os espectadores apostam em qual lutador vai derramar sangue primeiro. E, em ajustes de contas, apostam em qual lutador vai morrer. Mas a região é aterrorizada por Hob, um ser maligno que se deleita torturando a população e exibe o seu poder devastador desafiando combatentes da Arena 13 a lutas até a morte quando bem entende. E isso é exatamente o que Leif quer, pois ele conhece bem os crimes de Hob. E, no cerne da sua ambição, arde o desejo de vingança. Leif procura revanche contra o monstro que destruiu a sua família. Mesmo que isso lhe custe a vida. (Skoob)

DELANEY, Joseph Arena 13. Editora Bertrand, 2016. 320 p.

Assim como em sua série mais famosa, As Aventuras do Caça-feitiços, Joseph Delaney apresenta vários monstros conhecidos com uma roupagem nova. Mas ele não faz isso com displicência. Ele faz com uma competência sem igual. E consegue que essas mesmas criaturas sejam mais apavorantes do que as originais.

Em Arena 13, ele vai bem além. Ele cria um mundo que não chega a ser distópico, uma vez que ele é nosso mundo, mas no futuro. Algo aconteceu e destruiu toda a civilização. Não existem mais máquinas, nem cidades com seus prédios, nem nada. O ser humano foi jogado nas trevas medievais, onde só consegue aproveitar certas partes da tecnologia.

Leif é um jovem órfão que chega à cidade de Gindeen com o plano de lutar na Arena 13 e vingar a morte dos pais pelas mãos do Hob, uma criatura que aparece de vez em quando para desafiar os lutadores. Ninguém sabe quando o Hob vai aparecer, mas sabem que isso só acontece na Area 13. Para conseguir vencer, Leif tem um cartão que permite que seja treinado por Tyron, o mais competente e famoso treinador da arena.

"Os borlas se juntaram ao redor do cadáver da garota, mas um deles, que estava na beirada do grupo, subitamente levantou a cabeça. Seu rosto era tão descarnado, que parecia quase uma caveira, com buracos ocos e pretos no lugar dos olhos. Ele dava a impressão de estar nos fitando diretamente."

Tyron leva Leif para morar com ele, como faz com todos os aspirantes a lutadores, e Leif conhece e se apaixona por Kwin, a filha de Tyron, exímia lutadora, mas que não pode competir na arena por ser uma garota. Os dois começam uma relação de amizade, que muitas vezes coloca em risco a permanência de Leif como aluno de Tyron, além de também colocar sua vida em risco.

Leif e Kwin funcionam como casal até certo ponto. Não fica claro se Kwin gosta de Leif, ou se o usa quando precisa. Em diversas partes da história, a vida de Leif é colocada em risco por caprichos de Kwin, que não mede consequências para suas ações e nem para quem vive com ela. Talvez, por isso, não consegui sentir simpatia pela personagem. Já Leif age como todo adolescente e baba pela garota bonita.

Aos poucos, conforme Leif demonstra como pode ser tornar um dos melhores lutadores que já passou pela Arena, conhecemos todo o terror que o Hob representa, bem como as criaturas que ele comanda. Também aprendemos como as lutas funcionam com o uso de lacs, criaturas que parecem humanas, mas que podem ser programadas para obedecer ordens e auxiliar os lutadores nas arenas.

Os detalhes fornecidos por Delaney para as lutas com o uso dos lacs são muitos, mas todos têm suas funções para entendimento de como funcionam as lutas. No início do livro, temos um manual das regras dentro da arena; e no fim do livro, temos um glossário. Isso acaba sendo indispensável para o leitor.

Vários detalhes são obscuros e não são explicados neste primeiro volume. Como o mundo ficou daquela forma? Como o Hob, após ser morto, consegue voltar à vida com um corpo igual ao que perdeu? Por que ele precisa sugar o sangue de mulheres? Como ele comanda as outras criaturas? Por que o hob e os lacs foram criados pelos militares? Os lacs podem pensar por eles próprios? O que existe além da grande muralha que separa o mundo onde Leif mora? Quem vive além dela?

Enfim, são muitos os mistérios que prometem ser revelados com o avançar da série. E Delaney esconde as respostas de forma a deixar o leitor ávido para conseguir ler os próximos volumes. Eu estou. Muito!
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

17 comentários:

  1. Olá, Carlos...
    Como eu ainda não conhecia esse livro? Adorei sua resenha e fiquei bastante curiosa para saber como personagens serão capazes de sobreviver em um mundo onde não existem mais máquinas, nem cidades com seus prédios, nem nada, onde só consegue aproveitar certas partes da tecnologia. Estou super curiosa para ler essa série...
    Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Não li nenhum livro de Joseph Delaney. O cenário do livro parece bem distópico mesmo. Não me animo muito em começar novas series, apesar de ter gostado do enredo deste livro. Quem sabe depois de novos lançamentos da serie eu me animo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Carlos,
    Não tenho o costume de ler livros desse gênero, mas quero ver se consigo ler uma trilogia distópica ainda nesse ano. Gostei de Arena 13, parece ser uma leitura bem eletrizante, e todos esses mistérios deixam o leitor ávido para ler a continuação. Vou aguardar o lançamento dos próximos livros, assim não fico com a ansiedade de esperar a continuação.
    Ah...é uma ótima dica para presentear um amigo, que finalmente após tanta insistência minha começou a gostar de ler haha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história, porem vou esperar sair, pelo menos, mais dois volumes dessa série, pois parece que ele é daqueles que nos deixa super ansiosos pela continuação.

    ResponderExcluir
  5. Oii Carlos! Nunca tinha lido resenha do livro, gostei bastante, qro ler e passar á conhecer mais esse gênero que parece bom...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oie
    É meu primeiro contato com o contexto do livro, parece interessante, mas não é um livro que eu leria agora, mas não descarto a chance de um dia lê-lo. Adorei sua resenha.

    Ju, ficou muito legal essa nova roupagem do seu layout.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Nessa. Eu estava insegura em mudar no começo, mas agora estou feliz em ter feito isso ;)

      Excluir
  7. Pensei em ler esse livro, mas ainda não sei se vai dar. A trama parece ser bem interessante e adoro temas assim, de uma "nova" humanidade, coisas mudando, tempos avançados e etc. Acho que ele tem bastante coisa que mantem o interesse e deve ser gostoso de ir lendo e descobrindo. Os personagens parecem legais. E é bom quando deixa muitas perguntas em aberto e questões para se resolver em outro livro. Acho que gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  8. Oi
    primeira resenha que leio desse livro, parece até ser legal, apesar de algumas ressalvas como o "romance", nunca li nada do autor só que parece ser legal.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o autor e apesar de já ter visto esse livro por ai sempre passei reto sem prestar atenção na história e agora estou arrependida disso. Amei a resenha e fiquei com muita curiosidade para ler, amo distopias e apesar dele não se encaixar 100% no gênero eu quero muito ler. Inclusive vou participar do sorteio de cortesia no skoob pq até então tinha passado reto por ele.

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Já havia lido bons comentários a respeito desse livro, mas é a primeira vez que leio resenha. A premissa não me chamou muito a atenção, mas lendo seus comentários, me senti muito envolvida com o enredo. Gosto dessas perguntas que ficam no ar, para o próximo livro! Cria uma grande expectativa. Acredito que vou gostar muito dessa leitura. Ótima resenha. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Faz um tempo que estou com vontade de ler esse livro, e sua resenha me deixou mais curiosa. Mesmo que muitos mistérios fiquem pra ser descobertos só nos próximos volumes, acho que vale a pena a leitura. Pretendo lê-lo com certeza.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem..
    Ja havia lido resenhas sobre o livro e fiquei muito curiosa ainda mais com uma capa tao linda como essa,e ja de cara so pela sua resenha tb nao gostei da Kwin por colocar o coitado do Leif em mais perigo do que ja se encontra..
    Um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  13. Já li a sinopse desse livro em outros lugares e sempre achei interessante, agora quero possui-lo mais ainda pela resenha daqui.
    A estória do livro me lembra um pouco sobre a Antiguida Clássica, os Espartano. Mas o enredo se trata sobre o futuro e achei bacana essa semelhança.

    ResponderExcluir
  14. Me interessei por esse livro assim que o vi, gostei dessa capa. Difícil imaginar uma civilização assim destruída e sem máquinas, fico imaginando na vida real sem elas como seria. Ih já não gostei dessa Kwin por se aproveitar do protagonista ela deve ser do tipo que só vê o próprio umbigo rsrs.

    ResponderExcluir
  15. Estou bastante curiosa com este livro desde a primeira vez que bati os olhos nessa capa.
    Por ser o primeiro livro da serie, imagino que seja mais introdutório rico em detalhes.
    O clima de mistério que o autor deixa como gancho pro próximo volume deve mesmo deixar os leitores ansiosos por mais.
    Eu vou esperar os outros livros serem lançados para conferir.

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Ainda não tinha lido a resenha desse livro mas gosto muito de distopias e achei esse mundo criado pelo autor bem interessante, o que me deixou curiosa para ver como ira responder as perguntas que ficam no primeiro livro !!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.