Confissões de uma garota excluída, mal amada e (um pouco) dramática - Thalita Rebouças

Sinopse: Tetê acaba de se mudar com a família toda para Copacabana, no Rio de Janeiro, para a casa dos avós. O lindo e espaçoso apartamento da Barra da Tijuca em que morava teve que ser vendido, pois com a crise o pai foi demitido, e o resultado é que a vida dela virou de cabeça para baixo. Além de perder a privacidade, tendo que dividir o espaço com cinco parentes malucos que brigam o tempo todo, ela perdeu todas as suas referências. A única coisa que a deixa feliz é cozinhar. E, claro, comer as delícias que faz.O lado bom foi se livrar do antigo colégio, no qual sofria bullying por causa de seu jeito peculiar. Sem contar sua desilusão amorosa... O problema é que ela está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola, e sem conhecer ninguém. E morre de medo de ser excluída ou de sofrer bullying novamente. Ela está bem mal, para dizer a verdade. Ou talvez seja um pouco de drama, porque já no primeiro dia as coisas parecem ser um pouco diferentes... Pelo jeito, tudo vai mudar, e para melhor. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
REBOUÇAS, Thalita. Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática. São Paulo: Arqueiro, 2016. 272p.


Eu já passei da adolescência há algum tempo, mas sempre que surge a oportunidade de revivê-la em livros juvenis, eu aproveito. Não que tenha sido uma fase perfeita, afinal, nunca é, mas eu tenho boas lembranças daquele tempo. Somado a isso, sempre quis conhecer a escrita de Thalita Rebouças, então quando a Editora Arqueiro publicou Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática não titubeei em solicitá-lo.

O livro conta a história de Teanira, ou melhor, Tete, uma garota tímida que nunca teve amigos e sempre foi excluída na escola. Os problemas financeiros dos pais obrigaram a família a se mudar para a casa dos avós de Tete, o que resultou em um novo bairro e um novo local para estudar. Apesar de assustada com as mudanças em sua vida e com medo de ser rejeitada novamente, Tete dá um primeiro passo e percebe que as mudanças podem não ser tão ruins assim.

"A gente costuma pôr a culpa das coisas nos outros e em geral espera que os outros mudem, que o mundo mude, mas a verdade que eu descobri é que nada muda. Mas se a gente der um passo, um passinho que seja em direção a fazer algo diferente pela gente mesma e modificar o que a gente é, plim! A mágica acontece e tudo muda ao nosso redor! Até as pessoas mudam! Na verdade, eu acho que o que muda é o nosso jeito de ver tudo."

Ao iniciar a leitura do livro, meus pensamentos se rebelaram e adotaram a postura do "isso não é para mim". Tete não segura a matraca, fala milhares de besteiras e se mete em cada confusão à la Mia Thermopolis que eu quase desisti de ler o livro. Sério, os acontecimentos são tão excêntricos que fica um pouco inacreditável que uma pessoa possa causar a si mesma tanto constrangimento. Decidi prosseguir e, felizmente, a leitura não foi ruim como aparentou à primeira vista. Depois do exagero inicial, consegui criar alguma empatia com a protagonista. Além do mais, Erik e Dudu, fofos demais, ajudam, devo confessar.

A trama é recheada de intrigas e dramas adolescentes, como não poderia deixar de ser. As inseguranças da idade, os encantamentos com o sexo oposto, a importância da amizade e da família, tudo isso está lá. E também o tema principal deste livro de Thalita: o bullying. Gostei da forma como a autora abordou o assunto, mostrando como se sente aquele que sofre, mas sem esquecer de comentar o papel daquele que pratica.

Ademais, vale comentar que o que mais gostei na história foram as descobertas românticas de Tete. É engraçado como a sensação do primeiro amor e do primeiro beijo são deixadas escondidas em algum canto escuro de nossas mentes. Por isso, enquanto eu lia, adorei reviver e relembrar a sensação, e achei ótima a forma que a autora construiu esses momentos.

Ainda assim, Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática é voltado para o público juvenil, então todas aquelas confusões e dramas adolescentes podem não ser interessantes para o leitor mais velho. O livro é fofo, mas nem de perto uma das melhores leituras que já fiz.









Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

17 comentários:

  1. Oi, Ju!
    Já li dois livros da autora, mas, sinceramente, não dá. Achei péssimo, mesmo. A escrita é apressada, as situações, que deveriam transmitir valores para uma idade onde o caráter está sendo formado, é fútil e cheia de ideias tortas. Já escrevi uma resenha sobre um dos livros, mas tinha tantos pontos negativos, que preferi deixar pra lá e ignorar rssssssss
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Julia! Gostei mto desse livro, não tinha lido resenhas sobre ele, e tenho que concordar com vc q dpois q a gte passa pela adolescência a gte vive lembrando das coisas né...Aaaaaaiiii se fosse fácil voltar ao passado eu voltaria com toda ctz...Minha adolescência foi bem aproveitada mas tbm cheia de conflitos como é pra tdo mundo né...
    Adorei o livro! Qro conferir!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju! Também já passei da adolescência faz tempo, mesmo assim curto ler de vez em quando um bom livro juvenil, curto a escrita da Thalita, e sua resenha me deixou curiosa em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ju. É uma pena que não tenha gostado tanto assim do livro, eu adorei! Apesar de me irritar um pouco com o drama da Tete e ter vergonha alheia dela já que ela falava cada coisa! Mas amei a diagramação, a capa e toda a história.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Ótima resenha, muito detalhada e sincera! Também já passei da adolescência há um bom tempo, mas gosto de livros com tema infanto-juvenil, porque normalmente oferecem uma leitura leve, divertida e com uma bela mensagem. Mas esse livro em questão, não me chama a atenção. Gosto da capa, é bem alegre, mas a premissa não me atrai. Então, passo a dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Tem uma lado meio dramático demais aí que tenho até medo de achar forçado e ficar como você ficou, achando que não é pra mim. Mas ele parece valer a pena quando vai lendo, porque não fica só aquele exagero louco e acho que dá pra sentir simpatia pela garota, ir entendendo suas trapalhadas, se identificando e se divertindo. E os meninos parecem ser bem fofos pelo que vi dizendo mesmo. Acho que no geral é uma boa história, leve e fácil de ler. Nunca li nada da autora e estava pensando em pegar esse pra ver como é.

    ResponderExcluir
  7. Oi
    eu também já passei faz um tempo da adolescência, mas curto ler livros assim, já vi falarem bem dele e apesar de algumas partes ruins você acabou curtindo e foi bom, mas eu não sei se leria esse livro.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Apesar de não ser adolescente há um tempo sempre leio alguns livros voltados para esse público, leituras leves são sempre bem vindas. Acredito que as situação exageradas sejam vistas assim apenas por pessoas mais velhas, tenho certeza que se eu lesse esse livro há uns 10 anos atrás ia achar tudo muito possível e real hahahahah. Gostaria de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Confesso que gostei muito do enrendo, mas achei meio confuso a personagem ser tímida e falar várias besteiras, é contraditório. Eu sou tímida mas não falo coisas desnecessários ou baixo calão. Enfim, mas como ela é adolescente, eu me identifiquei nessa parte =)

    ResponderExcluir
  10. Oi Julia,
    Confesso que não estou empolgada para ler esse livro, esse tipo de trama bem adolescente não me atrai muito. Mas quem sabe dou uma chance futuramente, pois o que mais me chama a atenção em livros com trama jovem é a parte reflexiva, então pode ser que essa história me surpreenda.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Julia....
    Amei sua resenha... Tenho vontade de ler esses livros juvenis apenas em momentos para descontrair um pouco e relembrar um pouco o 'drama adolescente'... rsrs... Tete parece ser engraçada e acredito que as confusões que ela se mete deixe o livro mais divertido... Quero conferir de perto.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  12. Eu gosto muito de livros adolescentes com os dramas da idade, mas não gosto quando a protagonista é dramática demais e faz besteira demais, ou coisas que não acontecem na vida real. Agora estou com um pé atrás com esse livro e não sei se quero lê-lo. Quem sabe um dia.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bem..
    Assim como vc tambem ja passei da adolescencia a um tempo e tb adoro ter a oportunidade de revivê-la em livros juvenis.
    E chato quando logo no inicio da leitura da vontade de desistir mas que bom que ele nao foi de todo ruim ainda mais por se tratar de um tema tao importante que e o bullying,vou me aventurar na leitura ,mesmo que nao seja uma das melhores.
    Um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  14. Gosto de livros juvenis, as vezes encontramos uns muito bons que nos conquistam. Não sei se esse me agradaria o começo já parece ser exagerado, mas tem a parte dos dilemas que os jovens passam e as sensações sentidas nessa fase que é bom ser relembradas rs.

    ResponderExcluir
  15. Sou apaixonada pela Thalita Rebouças e entendo perfeitamente quado diz que o livro vai falar mais com o publico juvenil. Ela entende muito sobre os assuntos que escreve. Lembro quando era adolescente e a primeira coisa que lia na revista que assinava era a coluna dela. Falava muito comigo! Tenho primas que são apaixonadas por ela e tenho certeza que vão adorar a leitura.

    ResponderExcluir
  16. Oi Ju. Também já passei da adolescência há um tempinho, mas ainda me lembro dos meus próprios dramas dessa época. Apesar de não ler muito livros juvenis, leria esse pelo simples fato de ser escrito pela Thalita.
    Ela foi uma das primeiras adutoras nacionais que me encantou, e isso ainda na época do ensino fundamental. Estou curiosa com este livro e como a autora trabalhou sua escrita sobre bullying.

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Lendo a resenha percebi que mesmo ouvindo falar muito dos livros da Thalita Rebouças, ainda não li nada da autora, mas lendo a resenha achei o livro interessante, parece ser aquele tipo de livro leve e uma leitura descompromissada, mas acho que não iria gostar muito desse livro pelos exageros da personagem pois peguei um livro assim e ele não conseguiu me convencer !!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.