Pá de cal - Gustavo Ávlia

Sinopse: Seis pessoas acordam sem memória em uma vila. Cada uma delas em uma casa, no interior de uma estranha floresta artificial. Em cada casa há uma caixa trancada por seis fechaduras e uma carta, com uma das chaves e um bilhete que diz: "Suas lembranças estão no interior desta caixa. Para abri-la você terá que reunir as chaves das outras cinco pessoas que estão na vila. Se uma pessoa reunir as seis chaves e abrir a caixa, um sistema irá destruir automaticamente o interior das outras cinco. Somente um poderá se lembrar quem é. Boa sorte." Descubra por que as seis pessoas estão nessa misteriosa vila. Quem conseguirá recuperar sua memória. Como ela fará isso. E, principalmente, a que custo. (Skoob)
ÁVILA, Gustavo Pá de cal. Edição Independente, 2016. 40 p.


A primeira obra que li de Gustavo Ávila, foi O sorriso da hiena. A história do serial killer que busca repetir em crianças o mesmo horror que sofreu na infância, tinha tudo para ser inesquecível. Infelizmente, a falta de revisão e os enormes furos do enredo, jogaram abaixo qualquer expectativa. Então, quando soube que ele havia lançado um conto, Pá de cal, na Amazon, em formato ebook, corri a comprar. Queria ver se a escrita do autor havia amadurecido.


Novamente, total decepção. Não pela história em si, que usa como base situações similares a livros como Maze Runner, Jogos Vorazes e Jogos Mortais, mas, sim, pela, novamente, quantidade de furos e falta de revisão. Recomendo, fortemente, que o autor consiga ajuda nessa parte. E se já tiver, que troque.

Mesmo que o leitor consiga abstrair essas falhas, acompanhando com descrença a luta mortal entre os seis personagens para recuperarem suas memórias às custas das vidas dos outros, chegamos a um clímax interessante, mas com uma conclusão totalmente sem sentido. A sensação que passa é semelhante a você se perguntar porque determinada pessoa morreu, e eu responder que estou assistindo televisão. Sim. Não tem sentido.


Embora seja um conto e, como tal, não tem necessidade de explicar todos os pontos, o que ele deixa de explicar é tão amplo, que acaba prejudicando a leitura.

O que é uma pena, porque, com uma revisão mais apurada, e um cuidado maior nas explicações finais, daria um excelente livro.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

17 comentários:

  1. Esse livro me lembrou bem jogos mortais quando li a sinopse, eu realmente queria entender o porque os autores não mudam um pouco essas historias, todas sempre meio parecidas, pessoas entanto resolver enigmas ou matar uns aos outros em troca de sobrevivência eu realmente eu perdi bem a graça com isso.
    Até mais!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carl!
    Apesar do nome não ter me chamado atenção, como curto contos, este vai pra listinha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Carlos,

    poxa, que pena que o autor peca tanto nessa parte de revisão, achei super interessante a história, fiquei com vontade de ler até, mas pelo o que você falou já deu uma certa desanimada

    Blog aboutbooksandmore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carlos!!
    Que pena que o autor peca em algumas partes do livro!!! A história do livro é fantástica!! Mesmo assim acho que vou conferir esse conto!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. A sinopse te deixa bem curioso pra saber qual o desfecho da história.
    Quem será que conseguiu as chaves e que vai ter as memórias de volta!?
    Mas é uma pena esses pontos negativos, deixa o leitor desanimado.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Oi, Carlos. Como vai?
    Eu não li nenhuma das obras do autor Gustavo Ávila. E saber que a quantidade de furos e falta de revisão fica a desejar, me desanima completamente a buscar seus livros. Por outro lado, gostei de ler a sua crítica, ela é sempre importante para mim.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Uma pena que a história não acabou agradando tanto assim. Não sei o que acharia, só lendo mesmo pra entender o que quis dizer, mas pelo que vi a história poderia ser bem interessante. Tem uns elementos interessastes e de sinopse gostei.

    ResponderExcluir
  8. É, tbm pensei em Jogos Vorazes. Olha, já passei muito por isso, pegar um livro cheio de erros de revisão e, nossa, como isso é chato. Os erros incomodam muito e chega uma hora que vc esquece da leitura e passa a procurar por eles.
    Já não estava muito animada com a sinopse, depois da resenha vou passar longe.

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho mta vontade ler O sorriso da Hiena e achei essa história mto interessante, embora realmente lembre jogos mortais. Mas ainda quero ler... Os dois

    ResponderExcluir
  10. Por mais dos fatos que não gostou, eu fiquei morrendo de vontade de ler. É do jeitinho que eu gosto a história. Vou tentar ler e espero não e decepcionar.

    ResponderExcluir
  11. Carlos!
    Nossa! Triste ver um livro que tem grande potencial para ser desenvolvido, se perder em um enredo carregados de furos e ainda cópia de outras histórias, total falta de criatividade...
    Desejo uma ótima semana!
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu não consigo ser tão tolerante com erros... já abandonei alguns pela quantidade de erros o que acaba me distraindo da leitura pq não consigo ignorar isso. Gostei da ideia da disputa mortal, pena que não foi bem trabalhado

    ResponderExcluir
  13. Ainda não li nada a do autor e lendo agora a resenha fiquei desinteressada de ler. Que pena que o livro deixa furos, é tão chato quando se tem uma ideia boa mas não é bem aproveitada. Pois parece ter mistério que adoro.

    ResponderExcluir
  14. Uma pena que foi um conto e não teve aquele desenvolvimento que com certeza daria uma evolução a história. Mas pelo menos sabemos que esse scritor tem um bom desempenho e acho que com um pouco mais de trabalho ele poderia ser uma das novas revelações no mercado de leitores nacionais.

    ResponderExcluir
  15. Que pena, Carlos!
    Já tinha ouvido falar em O sorriso da hiena e é uma pena que tenham tantos furos assim. Por um momento achei que sua experiência com o conto seria melhor. Tomara que o revisor seja demitido hahahahaha brincadeiras à parte, as premissas de ambas as obras me interessaram, pena que ele não desenvolveu bem.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  16. Eis o meu medo com livros independentes: revisão. Já vi atrocidades no quesito português e quando os erros são muito frequentes e absurdos, eu me canso muito rápido e abandono o livro. Ou, como é o caso de "pá de cal", nem sinto vontade de ler.

    ResponderExcluir
  17. Apesar de gostar bastante de um conto, os pontos negativos apontados aqui nessa resenha me deixou sem vontade nenhuma de ler esse livro.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.