Para Continuar - Felipe Colbert

Foto: Dear Maidy
Sinopse: Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso. Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade. A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento. O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram. (Skoob)
COLBERT, Felipe. Para Continuar. Editora Novo Conceito, 2015. 244 p.

Tenho tido várias surpresas positivas com os livros nacionais que ando lendo e, com Para Continuar não foi diferente. Arrisco dizer que foi um dos melhores que li até hoje, mesmo com alguns pontos negativos. Ainda assim, confesso que o que me atraiu nesse livro foi a capa maravilhosa. Não sei se vocês sabem, mas eu adoro a cultura japonesa e sério, não poderiam ter escolhido uma capa melhor que essa. Antes de tudo, é importante frisar que a história não se passa no Japão, mas no bairro da Liberdade em São Paulo, onde a cultura é totalmente predominante (não sou muito conhecedora das coisas, pessoa, se eu falar algo errado me corrijam). 

Leonardo César é um jovem de 20 anos que faz faculdade de Design Gráfico na Faculdade Belas Artes, em São Paulo. Pode-se dizer que ele leva uma vida super pacata e tranquila, a não ser por um detalhe: ele sofre de uma doença cardíaca chamada cardimiopatia dilatada idiopatica, que traduzida para nossa língua significa que o coração dele não tem força suficiente para bombear o sangue para o resto do corpo. Em um dia qualquer, enquanto voltava da aula de metrô, Leonardo vê uma linda garota oriental e se sente imediatamente atraído por ela e após algum tempo tenta puxar assunto com ela. Só que o único contato que o garoto tem com a menina é terem compartilhado o fone de ouvido dela por alguns instantes. Logo depois, ela sai do vagão sem nem dizer o seu nome. É claro que Léo fica totalmente obcecado por ela e começa a pegar o metrô todos os dias na esperança de encontrá-la novamente. 

Ayako Miyake vive no bairro da Liberdade com seu ojiisan (avó, em português) e o jovem chinês Ho, que é perdidamente apaixonado por Ayako desde que se entende por gente. Ho tem uma deficiência mental que faz ele agir como uma criança. Os três, juntos, tomam conta de uma lojinha de luminárias muito simpática que guarda um grande segredo em seu porão. Ayako e seu ojiisan têm a incrível missão de cuidar das luminárias orientais mágicas que ficam no subsolo. Além de protegê-las do mundo, os dois tentam a todo custo manter Ho afastado delas, pois qualquer movimento que seja pode causar um grande impacto. 

Não é difícil imaginar Leonardo e Ayako se apaixonam perdidamente, não é? Mas diferente da maioria das histórias que acontecem por aí, não senti aquela coisa forçada. Sim, o primeiro encontro dos dois no metrô teve impacto o suficiente para fazê-los pensarem um no outro, mas não teve nada daquele amor que acontece assim, sem mais nem menos. Acredito que o romance foi muito bem construído, e o melhor, aos poucos. E não é difícil imaginar quantas pessoas se conhecem nos lugares mais banais e começam um relacionamento, não é mesmo? Para mim a mágica do amor está justamente aí, nas coisas mais simples.

A história em si é muito bonita e bem construída, não só o romance. A ambientação é perfeita e mesmo quem não conhece nada sobre a cultura japonesa não irá ter dificuldade nenhuma durante a leitura. Os personagens também são ótimos! Confesso que me senti um pouco culpada por ficar tão irritada com Ho o tempo inteiro, mesmo sabendo das suas limitações. Mas sem or, eita que ele dá dor de cabeça para Léo e Ayako, viu. Léo me irritou um pouquinho em algumas partes do livro por causa da sua imaturidade (vocês vão entender quando lerem), mas nem liguei tanto assim porque a maioria das pessoas agiriam da mesma forma que ele.

Gente, a diagramação está a coisa mais linda do mundo! Cada capítulo começa com o desenho de algumas luminárias e ai, está fofo demais! Mas enfim, mesmo tendo adivinhado um pouco do final, não consegui não amar a história do mesmo jeito. O final para mim foi o mais especial de todos, porque mostra que o amor pode ultrapassar todas as barreiras (sim, acreditem ou não, eu sou extremamente romântica).
Ana Clara
Ana Clara

Amante de livros sonha em ter uma biblioteca gigantesca em casa. Lê qualquer coisa que colocarem na frente, desde biografias a rótulos de shampoo. Detesta cachorros e, para ela, os gatos são as criaturas mais fantásticas do mundo. Quando o assunto é música, não cansa de mostrar seu amor pelos Beatles, além de ser fã de fé dos Engenheiros do Hawaii. Também é apaixonada por MPD e louca por O Teatro Mágico do último fio de cabelo até a planta dos pés. Se quiserem saber mais, acompanhem também o blog Roendo Livros.

18 comentários:

  1. Que história linda! E o que é essa capa? Apaixonada!

    Blog aboutbooksandmore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana!!
    Adorei conhecer mais um pouco deste livro!! Achei a história fantástica por se passar em São Paulo. O livro é muito interessante e a capa maravilhosa!! Gostei de tudo nesse livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Olá!!
    Historia bem emocionante espero ler também achei sua resenha super bem explicada e isso acaba facilitando melhor para quem tem interesse em comprar o livro, acho super interessante a cultura japonesa logico que é de se admirar mais como tudo relacionado é tão perfeito e digno de ser lido.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a história, pelo jeito é bem bonita e essa capa ta maravilhosa em! Fiquei com vontade de ler e já anotei na minha listinha. Esse livro aparenta ser maravilhoso por inteiro.

    ResponderExcluir
  5. Acabei não dando muita atenção pra esse livro, apesar da capa ser maravilhosa mesmo e de ter sido a primeira coisa que vi e gostei nele. Mas não deu pra ler e aí acabei esquecendo mesmo dele...
    Mas a história parece ser muito legal, ainda mais por falar um pouco da cultura japonesa e ter uma ambientação tão boa. De personagens também parece bom. A história não sendo só um romance já me encoraja mais a ler, parece ser bem interessante =)

    ResponderExcluir
  6. A historia parece ser muito fofa e gostei do romance ter surgido de uma forma mais natural, fiquei intrigada com o mistério que envolve as luminárias e porque elas precisam ser protegidas. E é muito bom conhecer mais sobre a cultura japonesa.

    ResponderExcluir
  7. aw gostei! livro leve, um bom romance com essa mistura única que é a cultura japonesa e a brasileira. o amor não tem barreiras afinal de contas né. não conhecia o livro e nem o autor. achei bacana autores nacionais se arriscando mais e aparecendo mais. a capa é belíssima, amei!

    ResponderExcluir
  8. Aí gente sempre adoro admirar essa capa porque é tão simples e delicada. Eu adorei essa resenha e devo dizer que esse livro está na minha lista de prioridades para compra-lo. Nada como um bom romance pra fazer a nossa vida valer a pena, depois dessa resenha vou até indicar pra uma amiga minha. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Primeira resenha que leio sobre a obra e tenho que admitir que fiquei bem curiosa.
    Parece ser uma história bem construída, com personagens cativantes e que consegue prender o leitor durante essa aventura e esse romance.
    Curti demais o que conheci aqui e já vou colocar na minha listinha de futuras leituras :)
    Achei bem interessante a capa, condiz demais com a história, gosto disso.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  10. Ana!
    A cultura japonesa me interessa muito também e me lembro que quando li o livro, já a capa me deixou totalmente interessada e página a página fui vislumbrando o mistério dela e do livro.
    Sem contar com o romance que é bem como falou, uma pequena conquista a cada encontro.
    Adorei!
    “Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana!
    Já vi várias resenhas maravilhosas sobre esse livro e a cada resenha fico mais curiosa pra saber sobre a história. A diagramação, personagens, e uma narrativa voltada para a cultura japonesa faz tudo se tornar perfeito. Lerei com toda certeza.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Sim eu já me apaixonei pela capa! Me apaixonei mais pela cultura oriental nele (q eu sou apaixonada). Tendo um bonito romance e toque d sobrenatural me conquistou! Já quero!!

    ResponderExcluir
  13. Curto muito a cultura japonesa, amei essa capa, tenho vontade de ler esse livro desde quando foi lançado, agora depois de ler essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  14. Mágica, romance e Japão... já amei rsrs eu gosto de todas as culturas e sou muito curiosa para saber sobre elas. Não conhecia o livro e gostei demais da resenha. Espero que apesar de imaturo o Leo não irrite tanto assim rsrs

    ResponderExcluir
  15. Ana que livro lindo, eu amei!!
    Capa e enredo maravilhosos!!!
    Vai pra listinha com toda cts...Tenho uma afeição pela cultura japonesa, vou adorar conhecer!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. Eu tbm adoro a cultura japonese... tanto que dez em sempre tô pela Liberdade, seja pra passear, comer, encontrar amigo, qualquer coisa.
    Não curto histórias com personagens entre a fase adolescente e adulta justamente pela imaturidade e dramas, as vezes desnecessários. Mas uma história bem construída, nada daqueles amores avassaladores e, sim, aquele coisa que chega devagar, com a convivência, me faz passar por cima de elementos que não me atraem. Como essa história.

    ResponderExcluir
  17. Parece ser uma daquelas histórias fofas que fazem a gente sorrir. Adorei que os escritores brasileiros estejam ganhando mais espaço e escrevendo sobre o Brasil e não só sobre outros países para "seguir o fluxo".

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho ficado cada vez mais encantada com os livros nacionais!
    A capa está mesmo muito bonita, mas não faço ideia de onde seja Liberdade haha de cara achei que se passava no Japão, mesmo
    Gosto quando os romances acontecem assim devagarzinho, vão sendo construídos aos poucos.
    Dica anotada!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.