Especial #20: Dia Internacional da Mulher

Créditos da Imagem: Momentum Saga

Nesse dia 8 de março, a Editora Intrínseca convidou os blogs parceiros para falarem sobre o Dia Internacional da Mulher e, sendo esta uma data tão especial para aquelas que batalham diariamente por seu lugar no mundo, como eu, acho que não poderia deixar esse momento passar.

Toda mulher sabe as bênçãos e os pesares que carrega consigo pelo simples fato de ser mulher. Não é algo que você fez, não é algo que conquistou ou desmereceu, você simplesmente é, e isso traz consigo uma enormidade de empecilhos e dificuldades que homem nenhum precisaria enfrentar, não por questão de gênero, pelo menos. É difícil, é injusto, é doloroso. E o simples fato de não concordar com um discurso machista ou discutir sobre ideias erradas que maculam a sociedade colocam sobre a mulher mais uma etiqueta, quando é exatamente isso que se quer eliminar.

As dificuldades se irradiam para todas as áreas, inclusive para a literatura. Não faz muito tempo que foi permitido às mulheres que se dedicassem a escrever, mesmo porque muitas delas nem podiam guiar a própria vida até algumas décadas atrás. Além disso, a atividade era reservada aos homens. Mesmo depois que conquistaram algum espaço no mercado, por muito tempo as obras femininas ficaram restritas aos romances de "mulherzinha". Até hoje, alguns resquícios dessa consciência limitada persistem. Para quem quiser refletir sobre o assunto, encontrei alguns textos interessantes no site Confeitaria, intitulados Mulheres, literatura e mais uma provocação e Escrever como um homem?.

Felizmente, algumas coisas estão mudando. Aos poucos, mas estão. Hoje as mulheres têm consciência do quanto foram podadas e brigam, não para tomar o espaço masculino, mas conquistar seu próprio lugar. Não se quer discutir superioridade, mas igualdade, apenas.

Graças a Deus tenho vivido essa época de mudanças e, entre os grandes presentes que temos ganhado nos últimos anos, posso citar as diversas autoras que têm sido publicadas e nos brindam com obras incríveis, das quais seríamos privadas se as mudanças não tivessem ocorrido. Mulheres que, por meio de suas obras, trazem ainda novas reflexões e discussões sobre o que se tem vivido atualmente.

Dentre essas autoras, podemos citar Liane Moriarty, que traz em seus livros temas complexos, como a importância de nossas próprias escolhas, sobre convenções sociais, sobre o peso dos relacionamentos, da violência doméstica, de manter as aparências, entre muitos outros assuntos cotidianos e tão importantes de serem debatidos.


Também entre elas, Jojo Moyes pode se apresentar como uma autora de romances aparentemente de "mulherzinha", mas suas obras vão muito além de uma história de amor qualquer. Suas tramas são complexas, com enredos paralelos bem construídos e o amor está lá sim, mas ele é apenas um dos elementos que compõem o todo. Até porque, no caso da autora, é o amor que dá aos personagens a garra necessária para lutar por aquilo que querem, por aquilo que acreditam, ou a força necessária para simplesmente aceitar o inaceitável, em alguns casos.


Podemos citar também Gillian Flynn, que definitivamente foge do convencional do que se espera de uma mulher. Suas obras não são doces, açucaradas e nem ao menos femininas. Suas personagens são fora do padrão, problemáticas, algumas vezes até psicóticas. Mas vamos ser sinceros: são geniais. A autora escreve um suspense como ninguém e consegue traçar voltas simplesmente inacreditáveis - e incríveis.


Sejam ainda Anna Lyndsey, que conseguiu vencer as dificuldades de uma forte sensibilidade à luz e narrou em um livro suas memórias, Kate Bolick, que deu a cara a tapa e abordou o universo feminino e as imposições sociais de maneira sincera, para demonstrar que as mulheres têm o direito de escolher a própria vida, ou Elena Ferrante, que desconstrói o mito da maternidade perfeita em uma obra ousada e genuína, todas essas autoras têm uma coisa em comum: elas mostram que nós podemos ter a vida que quisermos, seguir a carreira que escolhermos para nós mesmas, expor ou não nossas dificuldades. Tudo isso é uma escolha nossa, e só depende de nós ir atrás do que queremos.


Talvez tenhamos que lutar mais que os homens para chegar ao mesmo lugar, isso é verdade. Talvez sejamos julgadas por alguns atos no meio do caminho. Mas isso vai nos impedir de fazer alguma coisa? Tenho certeza que não, porque somos mulheres, somos guerreiras e temos a nosso favor a falsa impressão de que somos o sexo frágil, mas na verdade, todas nós guardamos nossas leoas para o momento certo.

Eu usei da literatura para descrever algumas das mudanças que temos conquistado, mas elas são muito mais profundas do que um simples texto poderia descrever. Ainda há muito pelo que lutar, isso é certo, mas nos acomodarmos com a maneira como as coisas estão não é uma opção.

Parabéns mulheres, pelo nosso dia. Parabéns pelas lutas diárias que temos que empreender e muita força para lutar, com unhas e dentes, por aquilo que queremos.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

13 comentários:

  1. Oi Ju! Super lindo esse post, gosto muito da Liane Moriarty e amo todos os livros da Jojo Moyes, ainda não li nenhum livro da Gillian Flynn, quero muito, leio também autores masculinos claro, porem a grande maioria dos favoritos são mulheres, parabéns pelo nosso dia!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Mi. Torço para que, aos pouquinhos, possamos mudar o mundo!

      Excluir
  2. Oi Ju, parabéns pelo post, amei você ter mostrado quantas autoras nós temos e como podemos nos inspirar nas suas histórias!

    Blog aboutbooksandmore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post e fico muito feliz em ver como conquistamos tanta coisa através das lutas e trabalhos realizados é uma alegria ser mulher sem dúvida, e conhecer tantas autoras tão maravilhosas.

    ResponderExcluir
  4. Ju!
    Linda homenagem através dos livros para nós mulheres.
    Com meio século de vida já pude presenciar muitas mudanças e espero ver muitas outras acontecerem ainda e com maior rapidez!
    FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER!
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ju!
    Belíssima homenagem à data! E realmente muito bom para se indicar livros com temas e gêneros variados escritos por mulheres que trazem tanta inovação e representatividades diversas à literatura. Gostei particularmente da sua citação sobre "somos guerreiras e temos a nosso favor a falsa impressão de que somos o sexo frágil, mas na verdade, todas nós guardamos nossas leoas para o momento certo", uma grande verdade, porque não é preciso se destacar precisamente em todos os momentos e áreas da vida, mas sim saber quando brilhar na hora certa e de maneira realmente valorosa. Ser mulher é mesmo enfrentar alguns obstáculos diferenciados com relação ao homem, o que não quer dizer que seremos inferiores por isso, mas sim que somos ainda mais guerreiras do que, por vezes, imaginamos. <3
    Ainda não li nenhum livro das autoras citadas, mas tenho O Segredo do Meu Marido da Lyane Moriarty para ler assim que possível. ^_^
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  6. Eu dou graças a Deus em viver nesse mundo de hoje, não iria conseguir viver nos tempos antigos (acho que seria aquelas "loucas" que quer conquistar o espaço, igual muitas personagens de livros).
    Até mesmo hoje quando vejo algum homem com pensamentos idiotas, como, mulher tem que ficar em casa limpando, mulher tem que fazer a janta, mulher tem que fazer o caralho a quatro e o homem não, eu fico cabreira e é briga na certa - sem contar textão no FaceBook que faço KKK aí vários caras desse tipo me excluem e poupam meu trabalho KKKK
    Dos livros/autores que tu citou ainda não li nada, mas morro de curiosidade por grande maioria. Feliz dia da mulher para nós.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do post ficou bem bonito, que bom que cada vez mais estamos conseguindo mudar as coisas, mesmo não sendo fácil ainda vamos chegar lá. Ainda não li nenhum livro dessas autoras, mas tenho Pequenas Grandes Mentiras que quero ler logo. Feliz dia das mulheres para todas nós.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ju!!
    Que linda homenagem que você fez à todas as mulheres!! Amei a postagem e que escritoras maravilhosas você citou!! Adoro todas!! Parabéns para todas nós mulheres!!💖💖💖
    Beijoss

    ResponderExcluir
  10. Olá Ju,

    Parabéns atrasado pelos dia internacional da mulher, mas confesso que todo dia é dia da mulher que tem uma força interior imensurável, adorei o post e das autoras que mencionou ainda não li nenhuma mas estão na minha lista....bjs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. olá, linda homenagem para as mulheres, e claro que não poderia falta os livros..kkk
    estou louca para ler alguns livros da Jojo Moyes e também a pequena grandes mentiras, acho que e assim...mas adorei a mensagem!!

    ResponderExcluir
  12. adorei a homenagem e a dica de autoras
    eu adorei a escrita da flynn
    só achei que faltou as brasileiras na lista ;)

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.