Estrela da Manhã - André Vianco

Sinopse: Rafael, um menino frágil e sensível, sofre a perseguição de um grupo de valentões na escola. Em casa, não encontra apoio da mãe relapsa nem do irmão mais velho. Perdido, tenta encontrar na internet, através da tela de seu smartphone, tutoriais de rituais para reencontrar seu pai morto. Ele acredita que somente algo vindo do além poderá ajudá-lo. O menino é tão persistente que finalmente sua voz é ouvida do outro lado. No entanto, quem responde ao seu chamado não é o pai, mas uma entidade que promete protegê-lo de seus detratores durante sete dias. Rafael só quer ser protegido, por isso entrega à entidade a lista com os nomes dos que o aborreceram. Só quando a primeira pessoa de sua lista morre ele descobre que seu pesadelo está apenas começando. (Skoob)
VIANCO, André. Estrela da Manhã. Editora Calíope, 2015. 280 p.


Embora a sinopse de Estrela da Manhã descreva uma história de terror, o que você encontra na leitura é algo um pouco diferente. Realmente existem rituais, demônios e mortes, mas com uma roupagem totalmente infantil (não pejorativamente), que assemelha a história com um episódio de Supernatural, ou algum daqueles filmes antigos de adolescentes que passam na televisão de tarde.


Na verdade, é complicado definir a faixa etária do público alvo de Estrela da Manhã. Ele acaba não conseguindo agradar as crianças, por causa das mortes pesadas de alguns personagens, e não consegue agradar os adolescentes, pela necessidade de uma enorme crença na forma como o autor aborda o contato de Rafael, nosso protagonista de onze anos de idade, com o mundo do além.

Rafael, para conseguir se livrar de um garoto de quem sofre bullyng diário, descobre um aplicativo para celular chamado Pé na Tumba, que oferece vários demônios de aluguel para resolverem os problemas do cliente. Para contratar o serviço, basta a pessoa realizar o pagamento com um cartão de crédito, aceitar o contrato, e a criatura é enviada pelo celular. Um desses demônios, o Estrela da Manhã, tem a função de proteger uma pessoa de sete pessoas durante sete dias.


Assim, Rafael usa o cartão do irmão mais velho, aluga Estrela da Morte, e entrega para o demônio o nome de seis pessoas que o tratavam mal, como o garoto do bullyng e a sua professora, ou que não lhe davam atenção, como a sua mãe e o seu irmão. Só que no primeiro dia, a primeira pessoa morre. E depois, a segunda. Logo, Rafael percebe o tipo de proteção que Estrela da Manhã oferece, é uma proteção bem definitiva. O garoto começa, então, a correr contra o tempo para tentar anular o contrato e salvar as pessoas que ainda restam da lista que passou para o demônio.

Rafael e Renata, a menina que gosta dele, e de quem ele gosta, são opostos em termos de coragem e esperteza. Ela apresenta para ele as respostas corretas para a situação do bullyng, mas o garoto, por covardia, não aceita e passa a buscar a solução menos óbvia. Algumas atitudes dos dois vão além do que uma criança de onze anos faria, ou pensaria, mas isso não chega a atrapalhar a leitura, ou a veracidade dos personagens.


A mesma coisa em relação ao irmão mais velho, Beto, e a namorada, Darla. Eles são o casal mais velho que, aos poucos, descobrem o que está acontecendo, reconhecem as próprias falhas pela falta que fazem ao Rafael, e acabam entrando na aventura para ajudarem o casal mais jovem a destruir Estrela da Manhã. Por essa união, entre crianças e adolescentes, contra forças sobrenaturais, que acontece a similaridade com os filmes de aventura dos anos oitenta. E isso é ótimo!

Toda o contato e controle do demônio é feito pelo celular, de forma bem semelhante aos aplicativos que nós usamos diariamente. Isso não é um defeito. Eu mesmo achei divertido o autor usar algo tão presente nas nossas vidas como uma forma de controle das criaturas vindas do inferno. O leitor pode até considerar isso uma crítica à quantidade de serviços oferecidos pelos aplicativos, pela Internet e redes sociais.

Existem outras críticas leves no enredo, com o próprio bullyng, a falta de atenção familiar e a solidão, além das mensagens morais, como a força interior que surge nos piores momentos, o aprendizado através dos erros, o arrependimento quando as faltas são compreendidas. Mas tudo isso é feito de forma muito sútil, sem muito aprofundamento. E isso, novamente, não é um defeito, uma vez que essa não é a proposta do livro.


A proposta de Estrela da Manhã é, principalmente, divertir, sem compromisso, com algumas mensagens como brinde. E isso, a obra consegue, mas para um público que consiga aceitar a ideia do celular como forma de contato com o além, e não se incomodar com as mortes sangrentas da maioria dos personagens. Para quem aprecia uma boa aventura, com pequenas doses de terror, e tenha liberdade criativa, é uma ótima pedida. Para quem não tem assim tanta criatividade, bem, sugiro que exercite esse lado do cérebro, porque sonhar, mesmo com o absurdo, é sempre gostoso.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

10 comentários:

  1. Historia macabra mas muito boa pelo visto, o protagonista é um pouco perturbado penso eu apesar de sofrer o que sofre na historia, gostei da dica e adorei ter conhecido mais uma obra do autor conheço poucas e só vou virando mais fã.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a ideia do André Vianco colocar a tecnologia na história. Achei bem interessante a história do livro que fala de um tema bem complicado que é o bullyng.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carlos!
    Já tinha conferido uma outra resenha do livro e volto a repetir: não é uma leitura para mim. Hahaha, já não sou muito ligada no estilo de filmes Sessão de Tarde que você citou, e ainda que não seja um enredo propriamente de terror, os elementos base me fazem lembrar muito o gênero, que definitivamente passa longe da minha estante, então certamente não leria. Mas interessante a sua ressalva sobre o contato feito pelo garoto soar como uma crítica aos meios tecnológicos que usamos atualmente, que, se usados da maneira errada, podem ser muito perigosos e gerar consequências terríveis mesmo, então é um ponto interessante essa mensagem, ainda que nas entrelinhas, passada pelo autor.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  4. Carl!
    Acredito que o segredo para a leitura desse livro é ir sem preconceitos e aceitar toda ficção escrita pelo autor. Encarar como uma aventuras juvenil, onde as crianças não medem suas atitudes até que vejam as consequências do que está acontecendo e tentam remediá-las por se sentirem culpados.
    A inclusão da tecnologia é maravilhosa, bem perto da realidade que vivemos...kkk
    Desejo uma semana abençoada!
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Caraca 😱 fiquei pasma com esse book, preciso muito dele (inclusive já mandei indireta pro crush KKK). Sou apaixonada por essas coisas sobrenaturais e super acredito nisso, então tento ler tudo que é a respeito.
    Não conhecia o autor/book e me apaixonei logo de cara. Vou ler em breve com certeza.

    ResponderExcluir
  6. Gosto dos livros do autor e pretendo ler esse, achei bem intrigante esse demônio que realiza os desejos, como dizem temos que ter cuidado com o que desejamos. Acontece muito na realidade a falta de atenção que a família dá aos problemas dos filhos em relação a escola e aos amigos, acho que um pouco de atenção ajuda e pode evitar muitos problemas.

    ResponderExcluir
  7. Não sou fã de terror, porem a trama desse livro parece bem interessante, pois também aborda outros assuntos e gostei de saber que é semelhante a episódio de Supernatural, ou algum daqueles filmes antigos de adolescentes que passam na televisão de tarde, fiquei super curiosa pra conferi essa história.

    ResponderExcluir
  8. Olá Carlos,

    Nunca li nada do autor mas sempre leio comentários positivos, não conhecia esse livro e essa é a primeira resenha que leio, achei bem interessante a história e até leria, mas a capa é de matar....poderia ser melhor, valeu pela dica...abraço.



    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Caracas, isso e um livro ou filme de terror??
    nossa, me pareceu bem macrabro essa historia, seria um filme perfeito...adorei esse livro, me deixou com ar de querer ler porque amo coisa de terror mas acho que esse eu leria numa tarde porque acho que ficaria com medo de ler a noite...kkkk amei a resenha e super legal a historia...agora coloca uma criança de 11 anos e bem diferente e ainda mas abordando tema sobre bullying!

    ResponderExcluir
  10. eu estou curiosa para ler esse livro
    gosto muito dos livros do vianco, procurar aqui na estante da minha irmã (na verdade ela quem é a fã xD) eu achei mais legal ainda ser uma história de terro com mensagens isso é raro de ver
    e qual o problema do demônio ter se modernizado e usar celular? até parece que ele não ia se atualizar. enfim, adorei o recado para as pessoas exercitarem essa parte do cérebro

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.