Lobo por Lobo - Ryan Graudin

Sinopse: O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão? (Skoob)
GRAUDIN, Ryan. Lobo por lobo. #1. Editora Seguinte, 2016. 360 p.


Como seria o mundo se a Alemanha tivesse vencido a Segunda Guerra Mundial? É com essa pergunta que Ryan Graudin desenha a trama de Lobo por Lobo e reinventa a realidade a partir de um dos maiores "E se..." da história da humanidade. Sua ousadia literária resultou em um enredo original, extremamente envolvente e repleto de reflexões sobre o que poderia ter sido.

Yael, protagonista do livro, havia sido submetida a experimentos em um campo de concentração quando criança, em uma tentativa de fazer seus traços semelhantes aos dos alemães. O experimento, entretanto, permitiu que seus traços se transformassem a tal ponto que ela podia assumir qualquer fisionomia que desejasse. Como membro da resistência, ela assume a identidade de Adele Wolfe, com a missão de vencer o Tour do Eixo, se aproximar do führer e matá-lo.

"- Estamos fazendo progresso. - O sorriso do dr. Geyer aumentou, como se seus lábios fossem abertos por um pé de cabra. Ele devolvia a prancheta para a enfermeira, rolava o banquinho até a mesinha prateada onde as agulhas ficavam organizadas em fileira. Dentes de prata, querendo enfiar veneno na pele de Yael. Enchê-la de mais dois dias de ardor e agonia. Mudá-la de dentro para fora. Tirar todas as cores, os sentimentos e a humanidade de dentro dela. Drenar, drenar, drenar, até não sobrar nada.
Só o fantasma de uma menina. Uma casca oca.
Progresso."

Lobo por Lobo traz em suas páginas um enredo eletrizante. Grande parte da trama se desenrola no decorrer do Tour do Eixo, uma corrida de motos na qual vida e morte estão em jogo, e cujo percurso perpassa toda a Europa, parte da África e Ásia. Não sou grande fã de corridas, então deduzi que ficaria entediada com essas cenas, mas a autora consegue narrar esses trechos com tanta paixão e intensidade que é difícil não ficar grudada a cada palavra. Além disso, o perigo está em cada quilômetro, e a tensão deixa o tédio bem longe.

E não é só Yael que se destaca durante o livro. Fiquei centenas de vezes com o coração dividido entre Luka e Felix, tão doces por trás de toda a carranca e briga por posições. Esses rapazes tocaram meu coração apesar de tudo, e eu fiquei muito curiosa para saber mais do passado entre eles e a verdadeira Adele, e também se em algum momento eles reencontrarão Yael.

O mais interessante da história é que Ryan Graudin utilizou aspectos verídicos do governo de Adolf Hitler para embasar sua trama. A cruz de ferro, a Gestapo, as operações militares e a ideia de construção da "capital do mundo", a Germânia, são apenas alguns dos elementos reais que estão presentes no livro. A própria autora comenta, em uma nota ao final do livro, sobre a origem de alguns detalhes de seu texto. Tudo isso misturado, é claro, a uma boa dose de liberdade criativa.

A maior liberdade criativa do livro, aliás, é a metamorfia de Yael. Claro que isso é fantasioso e muito improvável de acontecer, mas os experimentos dos alemães de fato ocorriam naquela época e a autora explica que optou por incluir esse elemento fantástico para fazer os leitores refletir sobre a real importância da aparência. Yael pode se transformar em qualquer pessoa, mas não lembra sua própria aparência, então é difícil dizer em que padrões ela se enquadraria. Provavelmente, em nenhum deles, porque ela não reflete o que é de verdade, Yael só existe por trás de cada rosto que assume.


"[...] Às vezes (muitas vezes) não restava nada para o luto se alimentar. Yael era uma tela em branco. Um cabide com uma pele bonita pendurada nele.Quem é você? (Por dentro?)
A resposta para aquela pergunta era algo por que ela precisava lutar. Seu reflexo não era reflexo nenhum. Era um espelho estilhaçado. Algo cujas peças precisava juntar, várias e várias vezes. Memória por memória. Perda por perda. Lobo por lobo."

O livro termina com uma grande reviravolta, daquelas de deixar qualquer leitor doente de ansiedade pelo próximo livro. Para quem gosta de uma história repleta de adrenalina, ou se interessa por possibilidades históricas, Lobo por Lobo é uma ótima opção. Gostei muito da trama criada por Graudin e, agora, além da expectativa pelo próximo livro da série, fiquei curiosa para ler A Cidade Murada, também escrito pela autora.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

11 comentários:

  1. Olá!

    Também gostei muito do livro e não vejo a hora de ler a continuação. Acho que ele daria um bom filme. Fiquei imaginando as corridas no estilo do Mad Max.

    Bjs

    ...:::EntreLinhas Fantásticas - Sorteio no blog!

    ResponderExcluir
  2. Oi!!

    Nunca imaginei um livro onde a história dele tem como base a vitória de Hitler na Segunda Guerra Mundial. Achei super instigante a história desse livro que é diferente de tudo já li!! Gostei também da capa que ficou muito condizente com a história. Adorei a indicação!!
    Beijoss💜💜

    ResponderExcluir
  3. Ju!
    Achei genial a ideia do autor, primeiro com os experimentos feitos durante o período da guera (e tiveram muitos experimentos mesmo, porém não desse nível do livro) e depois, a ideia de armar um ardil para matar o tal do Hitler, achei fenomenal.
    Quem não queria ter tido o prazer de matá-lo?
    E se tem um final com reviravoltas, fiquei com mais vontade ainda de ler.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ju!
    Sempre ouvia muitos elogios sobre o livro desde antes de ele ser lançado por aqui, mas só com sua resenha agora é fui saber mais da história em si e ficar visivelmente curiosa quanto à ela. Esses enredos dentro dos tempos de guerra, apesar de cruéis e angustiantes, me atraem um pouco justamente por mostrar como a situação era tensa e a fim de saber um pouco dos pormenores mais históricos e às vezes políticos dos eventos. No caso desse livro, então, fiquei interessada tanto pelo cenário em si, como, principalmente, porém, essa questão das transformações que a protagonista pode passar e assumir diversas identidades - e realmente provocando uma reflexão interessante, de quebra, sobre a questão da aparência, mas angustiante saber desde já que ela própria não parece saber como ela é de fato. Parece uma trama realmente instigante e cheia de emoções e adrenalina, só fico visivelmente desanimada por ser, ao que parece, uma série, mas quem sabe quando tiver dado conta de algumas séries que já comecei, eu não dê uma oportunidade ao livro? Enfim, amei a resenha! Valeu a dica!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá!!!
    Achei essa capa simplesmente linda e com uma historia bastante curiosa, alem disso o livro tem muita coisa para contar, acho que o autor com certeza conseguiu deixar o leitor super intrigado e mais ainda cheio de curiosidade de colocar toda a sinopse com pequenos detalhes e ainda acho que quem não leu ainda como eu vai se impressionar com o final.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju! Nossa que trama genial, dava um filme e tanto hem, essa é a primeira resenha que leio desse livro e fiquei mega curiosa em conferi essa história que parece super eletrizante e envolvente.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá Ju,

    Essa é a segunda resenha desse livro que leio essa semana e já coloquei na minha lista e como gosto de muita emoção e reviravolta nem preciso dizer que quero pra ontem....kk..bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Quero ler esse livro, achei muito interessante e diferente, que pena que Yael de tanto mudar de aparência não se lembra da sua própria. Parece ser um livro arrebatador que só conseguimos largar quando chega o final, essa corrida deve deixar o leitor tenso com seus acontecimentos.

    ResponderExcluir
  9. Confesso que não me interessou muito esse livro, quando vejo que se trata de algo relacionado a história me da um desanimo de ler até resenhas, que nem me esforço para ler o livro. Claro que se eu ganhar de alguem eu não faria desfeita, mas não daria a preferencia para ler esse book não.

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    juro que pensei que o livro fala sobre lobos, tipo guerras de lobos...kkkkkk e pensei literalmente errado, mas adorei a trama desse livro, a historia a forma que e contada...e a capa ate que me enganou bem mas o titulo tem algo a deseja ali, algo misterioso pra mim....adorei a resenha!!

    ResponderExcluir
  11. eu estou louca para ler esse livro
    adoro essa ideia do E se e se ainda tem uma história cheia de adrenalina definitivamente é um livro que eu quero ler
    a única coisa que eu não gostei foi essa ideia da reviravolta no fim de vc querer o próximo livro... cansada de continuações

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.