Eu estou pensando em acabar com tudo - Iain Reid


Sinopse: No romance de estreia do canadense Iain Reid, Jake conduz o carro em que ele e a namorada, que narra a história, vão à fazenda dos pais do rapaz. Durante a longa viagem por estradas desertas e escuras, a garota, atormentada com a perseguição de um homem misterioso que deixa sempre a mesma mensagem de voz em seu telefone, pensa em encerrar o relacionamento com Jake. Mas talvez seja tarde demais. Reid, que tem dois livros de não ficção elogiados pela crítica e contribui para veículos de prestígio como a revista New Yorker, une, numa narrativa profundamente psicológica, tanto referências de terror clássico, quanto elementos de suspenses menos tradicionais, sustentando a trama para além das limitações inerentes ao gênero. Um thriller denso que esconde, em meio ao medo provocado pela sensação de uma tragédia iminente, alegorias sobre a própria vida ser uma tragédia anunciada. (Skoob)
REID, Ivan Eu estou pensando em acabar com tudo. Editora Fábrica231, 2017. 224 p.

Alguns cientistas realizaram a seguinte experiência no cérebro humano: colocaram sensores na cabeça de uma pessoa e pediram para que ela chupasse uma laranja. Enquanto ela fazia isso, eles mapearam toda a atividade cerebral dessa pessoa. Depois, pediram para ela fechar os olhos, relaxar, e pensar na laranja que chupou, como se estivesse fazendo tudo novamente. O mapeamento da atividade cerebral foi exatamente igual à anterior. Ou seja, para o cérebro, a lembrança do que ocorreu é a mesma do que realmente ocorreu.

Algumas narrativas são construídas de forma a enganar o leitor, com o objetivo de surpreendê-lo com um final que o fará lembrar da história durante bastante tempo. Isso acontece em Eu estou pensando em acabar com tudo. Desde as primeiras páginas, percebi que algo estava errado. Não apenas pelo ambiente claustrofóbico do interior de um carro, onde o casal principal conversa sobre suas vidas e sobre a viagem que estão fazendo, mas por alguns detalhes que a protagonista e narradora repassa ao leitor.

Os sinais de algo errado são tênues, e alguns podem até ser confundidos com erro de revisão ou tradução, mas não são. Principalmente as repetidas trocas do prenome pessoal, ou a descrição de algumas pessoas, que mudam na página seguinte, ou na localização de objetos, que mudam de posição, ou até mesmo na referência a uma pessoa que insiste em ligar para o celular da protagonista.

Acreditem: nenhuma dessas inconsistências são erros, todas têm um propósito, e servem para dar ao leitor a chance de juntar todas as peças e descobrir o que está errado.

Bem, na verdade nem é tão difícil assim. Basta prestar um pouco de atenção em apenas duas coisas: nos telefonemas e em um retrato que a protagonista encontra na casa dos pais de Jack, seu namorado, e o motorista do carro. Claro que você pode pensar: não, não é isso, será? Sim, será!

A história acontece dentro de um carro, uma pequena parte na casa dos pais de Jack, onde as estranhezas atingem um clima quase de terror, e, por fim, em um terceiro local, onde tudo é revelado. Apesar de não existir praticamente nenhuma ação, apenas conversas e descrições de locais, preste atenção em tudo, porque, como disse lá em cima, tudo tem um objetivo e a todo momento são jogadas pistas para o leitor. E deixe sua imaginação fluir, porque a resposta para tudo, é bem simples, se você prestar atenção.

Mas Eu estou pensando em acabar com tudo não é apenas uma boa história pela surpresa que ele entrega no final, mas por toda a sua construção narrativa. Tudo é impregnado de uma atmosfera sufocante, opressora, que deixa claro a narradora (que não tem nome), e Jack, possuem diferenças para acertar, que ambos possuem algum problema e que aquela viagem não vai terminar bem. A dúvida fica apenas sobre o que dará errado, e em qual momento.

Vale um destaque para algumas páginas, onde o leitor acompanha a conversa de algumas pessoas sem nome e que discutem sobre uma tragédia que não é revelada. Claro que fica a impressão de que é sobre a narradora ou sobre Jack, mas, acredite, a coisa não é bem assim.

Sabem o primeiro parágrafo desta resenha? Da experiência? Bem, lembre-se dele quanto terminar a leitura de Eu estou pensando em acabar com tudo ;)
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

9 comentários:

  1. Nossa, essa é a primeira resenha que leio desse livro, parece uma história super interessante, essa resenha me deixou super curiosa em conferi isso tudo que foi dito aqui.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bastante curiosa com a trama e com a possibilidade de tudo acabar e o terror ainda acontecer. Um suspense poderoso, um mistério intrigante. Com certeza o livro está na minha lista de leitura agora!

    ResponderExcluir
  3. Agora fiquei intrigada com esse livro. Misto de narrativas com surpresa. A narradora como a girl has no name, e o cenário claustrofóbico.
    Não foi o que eu pensei quando vi o título. Não imaginei que a história fosse dessa forma.
    O autor das um jogo com o leitor e isso é bacana. Ele não entrega tudo pronto.
    Gostei e obg pela indicação ^-^

    ResponderExcluir
  4. Carl!
    Você sempre surpreendendo em suas resenhas, trazendo dados novos e pesquisas para corroborar com o que poderemos ou não encontrar no livro.
    Já tive até um insight do que pode ser, porque além de thriller psicológico, algumas pistas foram dadas na análise e como boa observadora do comportamento humano, já tive uma noção do que pode estar acontecendo dentro desse carro tão opressor.
    Desejo uma ótima semana!
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Carl!
    Adorei a resenha, parabéns!
    Tô doida pra ler esse livro, o enredo me chamou mta atenção desde que comecei acompanhar resenhas dle, a escrita parece agradável, qro ler!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Nossa...bem misterioso, o que será que vai acontecer dentro deste carro? Quem é o homem misterioso que deixa as mensagens no telefone? Só lendo mesmo, então vamos anotar na listinha de livros a serem lidos.
    ronida_sindi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Fiquei muito intrigada com esse livro que misterio, parece que o autor engana o leitor com o rumo dos acontecimentos eu gosto disso. Bom saber que tem que prestar atenção em alguns fatos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Carlos!!!
    Tipo quando vi a capa e o título do livro, fiquei: "Nooooossa que livro esse!!!"
    Porém, lendo a resenha fiquei um tanto desanimada, apesar das coisas maravilhosas que você disse não sei se seria um livro que me interessaria tanto :(
    Mesmo assim sei que quem ler vai amar.
    Parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.