Onze leis a cumprir na hora de seduzir - Sarah MacLean

Sinopse: Juliana Fiori é uma jovem ousada e impulsiva, que fala o que pensa, não faz a menor questão de ter a aprovação dos outros e, se necessário, é capaz de desferir um soco com notável precisão. Sozinha após a morte do pai, ela precisa deixar a Itália para viver com seus meios-irmãos na Inglaterra.
Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton.
O poderoso nobre não admite nenhum tipo de escândalo e defende o título e a reputação da família com unhas e dentes. Sua arrogância acaba despertando em Juliana uma irresistível vontade de desafiá-lo e ela decide provar a ele que qualquer um – até mesmo um duque aparentemente imperturbável – pode ser levado a desobedecer as regras sociais em nome da paixão. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
MACLEAN, Sarah. Onze leis a cumprir na hora de seduzir. Os números do amor #3. Editora Arqueiro, 2017. 336 p.


Nada melhor do que um romance amorzinho para relaxar depois de uma semana tensa, não é verdade? Foi pensando nisso que peguei Onze leis a cumprir na hora de seduzir, de Sarah MacLean, e ele foi perfeito para esse momento. Vou ser sincera ao dizer que não é um dos melhores romances de época que já li, mas ele cumpre bem seu papel de entreter e para quem quer uma história leve e divertida, ele com certeza é uma opção.

Depois de conhecer a escrita de Sarah MacLean em Dez formas de fazer um coração se derreter, fiquei bem curiosa para conhecer outros livros seus e conhecer a história de Juliana, a irmã de Gabriel e Nick, protagonistas dos livros anteriores da série Os números do amor, foi uma ótima forma de fazer isso. Vinda da Itália e dotada de uma língua afiada, Juliana se esforça para seguir as regras da aristocracia inglesa, mas ela parece um para-raios de escândalos. Mas o pior é que seu coração começa a bater mais forte justamente por alguém que faz tudo na vida pensando em reputação: o duque de Leighton. A questão aqui é o que vale mais: viver conforme as regras ou seguir o coração?

"Ela não era nada parecida com a mãe.
Ela nunca lhes dera um motivo para acharem que era.
Não de propósito, pelo menos.
Mas não parecia importar. Aqueles aristocratas se fortaleciam insultando-a, olhando-a por cima de seus narizes empinados sem nada ver além do rosto de sua mãe, do escândalo de sua mãe, da reputação de sua mãe.
Eles não se importavam com quem ela era."

O que eu mais gosto nesses romances de época são as mocinhas não tão frágeis nem indefesas, determinadas e ousadas, mesmo quando estão sob o domínio de uma sociedade tão rígida. Juliana é apaixonada, é engraçada e fala o que pensa, doa a quem doer. Ainda que queira ser aceita pela sociedade londrina, ela não quer fazer isso se tiver que deixar de lado quem ela é de verdade, se precisar deixar de viver com paixão para se adequar às normas sociais.

Embora tenha gostado da mocinha, fiquei bastante irritada com o protagonista masculino da história. Simon, o duque de Leighton, preocupa-se tanto com sua reputação que chega a ser chato. Entendo que ele tem responsabilidade pelo título que carrega, mas ser rígido a ponto de não fazer nada do que quer porque é assim que deve ser é descabido. Além do mais, a referência à reputação sempre está presente nos romances de época, mas fazer disso o ponto central, praticamente único, da história a torna mais superficial do que o necessário.

Ainda assim, a escrita de Sarah MacLean é gostosa de acompanhar e mesmo as partes irritantes não se tornam cansativas. Nas cenas em que Juliana e Simon estão juntos, fica nítida a química entre os dois e é possível até mesmo esquecer essa questão da reputação, visto que eles mesmo se esquecem. A autora soube dosar os acontecimentos da trama com as cenas mais íntimas do casal, sem colocar nada em exagero, nos presenteando ainda com algumas cenas divertidas e deliciosas de acompanhar.

"- Sabe tão bem quanto eu, lady Sparrow, que sou o que quer que você e suas - ela fez um gesto preguiçoso com a mão na direção do grupo - harpias decidirem que eu seja. Italiana, espanhola, cigana, filha de fada. Aprecio qualquer papel que escolherem... desde que não me tornem inglesa.
Ela observou conforme a compreensão surgia em seus rostos chocados.
- Pois certamente não há nada pior do que ser uma de vocês."

Como comentei no início, Onze leis a cumprir na hora de seduzir não é o melhor romance de época que já li, porque não tem aquela trama forte que nos faz embarcar, de fato, na vida dos personagens. Mas tem sim seus pontos altos e pode se tornar uma leitura ótima para aqueles que querem algo mais leve, sem compromisso.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

12 comentários:

  1. Eu não gosto muito de ler romances de época, mas li um desta autora e gostei, não foi dos melhores livros, mas pelo menos foi divertido. Depois daquela experiência fiquei com vontade de ler outros livros da autora, inclusive desta série.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ju! Estou ansiosa pra começar a ler essa série, curto muito romance de época e gosto muito da escrita da Sarah MacLean, amei a série O Clube dos Canalhas, cada resenha que leio dos livros me deixa ainda curiosa em conferi logo essa série.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ainda não tive o prazer de conhecer a escrita da autora, mas estou com boas expectativas! Gosto muito de romances de época, apesar de não ler muitos ultimamente. Tenho somente o primeiro livros dessa série e pretendo ler em breve.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju!
    Sempre vejo muitas criticas positivas a respeito da Sarah, porém ainda não tive oportunidade ler nenhum de seus livros.
    Gosto muito de romances de época e adorei a ideia que Juliana é uma para-raio de escândalos e totalmente oposta ao Duque,mas uma pena que a autora tenha pecado no personagem tornando muito chato e rigorosoquando eu quiser algo leve para ler, esse é uma boa pedida.

    Beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  5. Ju!
    Acabei de ler o primeiro livro dessa série e ainda estou em êxtase, simplesmente amei.
    E já me encantei pela irreverência de Juliana desde o primeiro livro.
    Agora quero poder ler esse também e o anterior, é claro.
    A autora se expressa bem demais.
    E sinto que não tenha sido um dos melhores romances de época na sua opinião...
    Desejo um mês repleto de realizações e um ótimo final de semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Mesmo não sendo o melhor romance de época já lido por você, ainda sim a trama possui pontos altos que me fizeram interessar pela leitura. O fato do personagem masculino se importa muito com que os outros irão dizer em relação sua reputação, e algo daquela época, então acredito que isto deveria ser algo que nos incomodasse, mas vejo que este casal não se resiste já que possui muito química. Quero muito ler esta obra.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Quero ler a série pena esse não ser muito bom, mas parece agradar ainda mais tendo uma personagen como essa que não perde a essencia para agradar a sociedade, o conde deve irritar um pouco com essa preocupação com as aparências.

    ResponderExcluir
  8. Amei sua resenha. Gostei da Juliana já no primeiro livro… italiana se sangue quente. Li os outros dois e o primeiro pra mim foi o melhor. Agora vou ler este pra terminar a série. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Não curto muito romances de época, prefiro romances históricos, quando leio um romance de época, sempre sinto como se algo estivesse errado, afinal, muitas coisas não condizem com a realidade da época e isso acaba me incomodando, mas o livro parece ser bom, gostei da protagonista ser uma mulher forte e provavelmente também teria horas em que ficaria irritada com o duque de Leighton.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Esta é um série que pode ser lida fora de ordem? Já algum tempo que não leio romance de época, e estou querendo que seja uma das minhas futuras leituras, é um mundo encantador, apesar da diferença cultural gritante. Achei bem leve a proposta do livro e com certeza um livro bacana de ler, pois apesar de ser de época é um romance mais fluente de ler. Adorei conferir tua resenha, e se possível me responder ficaria grata. Um beijo♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michelli, é possível ler fora de ordem sim. Eu mesma não li o primeiro e não senti falta. Cada um dos livros é independente e conta a história de um casal diferente, então apesar de alguns personagens aparecerem uns nos livros do outro, não se perde nada.

      Beijos

      Excluir
  11. Não sou muito fã de romance de época, não faz muito meu estilo. E que pena que você não achou uns dos melhores livros com esse tema. Quem sabe um dia eu não leio esse livro, hein? Até lá, passo... Ahaha Beijos

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.