Céu em Chamas - Janice Diniz


Sinopse: Começa em Matarana a estação das chuvas e o prado se torna verdejante e úmido, transformando a paisagem hostil. A chegada do tráfico de óxi e de um antigo inimigo de Franco também transformará o cotidiano dos caubóis do cerrado. E Rodrigo Malverde abrirá fogo contra os velhos e os novos criminosos da cidade, sendo obrigado a se aliar ao homem que quer roubar a sua mulher. Amor, sensualidade, ação, intriga e muitos tiros. Não se iluda com as aparências...
AS PESSOAS BOAS NÃO ESTÃO MAIS AQUI. (Skoob)


DINIZ, Janice. Céu em Chamas: As pessoas boas não estão mais aqui. vol. II. São Paulo: Lexia, 2013. 512 p.


Mesmo querendo contar muito de Céu em Chamas, de Janice Diniz, desta vez não cabe detalhe além da sinopse oficial. O primeiro livro da série, Terra Ardente, teve um fim imprevisível e perfeito, e foi a imprevisibilidade o mais apaixonante da história. Contudo, é preciso admitir que aquela perfeição trouxe consigo um pesar, uma apreensão de que tudo aquilo que encantou no primeiro volume poderia ser desfeito com um simples movimento de caneta da autora. Só que, como é característico da Janice, foi usado de novo do imprevisível para contar e conquistar.

Se a narrativa de Terra Ardente podia ser comparada às características da própria cidade de Matarana, cabe ao enredo de Céu em Chamas a mesma impetuosidade da estação das chuvas: a brutalidade dos sentimentos parece pronta a vir à tona a qualquer momento, como as chuvas, e logo há espaço para reviravoltas e tempestades.

O prado se tornou verde, mas nem por isso o calor típico da cidade se abrandou; nem a briga – até mesmo entre aqueles que se amam – para ver quem é mais forte. Entre os personagens, permanece aquela dualidade entre aquilo que têm de bom, quase sempre escondido, e a tentativa de se mostrar superior, apoiando-se na ira e no orgulho que, por incrível que pareça, sempre se originam da paixão, do amor possessivo, da vontade de não sofrer sozinho.

- Quando a gente quer dizer mais do que "eu te amo", 
o que a gente diz? - ela perguntou numa voz embargada.
- Para sempre. - ele respondeu confiante." (p. 148)

Janice Diniz conseguiu manter uma linearidade – não se perdeu naquilo que propôs inicialmente. Os detalhes do faroeste ficaram mais delineados neste volume, e a natureza de cada personagem ainda está ali, visível, incômoda e, mesmo que seus lados bons estivessem um pouco mais latentes, as defesas continuam armadas, principalmente porque não se trata mais de lutar cada um por si, pela sobrevivência – todos agora têm por quem lutar.


Vi-me surpresa com o despertar daquelas mesmas sensações que tive ao ler o primeiro livro. Achei que minhas pendências com os personagens estavam resolvidas, mas não. Eu ainda consegui odiá-los, ainda queria fazê-los resolver a situação de maneira mais simples, fazê-los deixar de lado as máscaras que haviam erguido. E as máscaras foram, finalmente, sendo deixadas de lado. Só conhecendo o melhor e o pior lado de uma mesma pessoa é que se pode deixar arrebatar por ela, e isso se deu de maneira ainda mais intensa que antes, provando ser algo que Janice consegue conduzir com maestria.

"- Pensa em pular fora? - ela viu-se perguntando numa voz sumida.
A expressão no rosto do delegado evidenciava a seriedade do assunto. 
Rugas profundas na testa, o cenho franzido, a comissura dos lábios ligeiramente curvada para baixo num ricto de amargura. Mesmo com um conjunto
 facial de provas que apontava para a direção do "bater em retirada",
o que Rodrigo falou serviu à sua dor como uma injeção de morfina:
- Já disse, sou feito de outra substância." (p. 117)

A sutil ironia dos diálogos também estava presente, tão discreta que quase passa despercebida. Também as construções gramaticais e figurativas inteligentes que deixam o texto menos superficial e mais interessante. De forma singela, essas característica dão certa fluidez, ao mesmo tempo em que compõem uma crítica implícita à realidade social.

Céu em Chamas é um western delicioso, que talvez não se destaque tanto quanto o seu antecessor, mas vem a complementá-lo maravilhosamente bem. Como diz a sinopse, não falta "Amor, sensualidade, ação, intriga e muitos tiros". O único problema é que, quando se acha que chegou o tão esperado final feliz - e que cena linda, devo dizer -, é claro que estamos levemente enganados, afinal, as pessoas boas não estão mais em Matarana.

~~*~~*~~
Série Matarana:

#1 Terra Ardente - Amor e Ódio onde nem os fortes têm vez
#2 Céu em Chamas - As pessoas boas não estão mais aqui
#3 Fogo no Cerrado (ainda não lançado)



Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

12 comentários:

  1. Oi Ju*
    Uauu, que resenha!!
    Me deu vontade de chegar em cada e ir correndo ler o meu Terra ardente, que ainda não tive tempo de ler, mas quero muito e logo.
    Fiquei mega curiosa, parece ser muito bom.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  2. vou começar a lê-lo hj!! muito ansiosa para reencontrar meus personagens queridos! muito bom saber que as características que fizeram cada personagem ter sua personalidade, (algumas vezes me ame ou me deixe) ainda estão neles, isso é o que faz desse livro, pra mim, único. aonde a gente ver uma personagem feminina tão cheia de si como Karen? você disse bem o que me deixa mais ansiosa pra ler Céu em Chamas é que todos agora tem por quem lutar. não que em Terra Ardente, esse sentimento de proteção não exista em alguns, mas agora na continuação é que o bicho pega! rsrs é da Janice, leio sem medo, ela sabe costurar a trama de um jeito que quando se termina o livro, a gente já fica pensando quando é que sai o outro. ótima resenha ju!

    ResponderExcluir
  3. Oi, não conhecia a série e não li o primeiro livro então fica complicado a entender tudo o que está acontecendo, mas percebi que vc no geral gostou muito e que foi mto surpreendente (e q vc nem falou de td p não dar spoilers), mas nem falo que vou acrescentá-lo a minha lista de leitura que está gigante! tenho mais de 60 livros não lidos aqui em casa e não consigo acabá-los nunca! kkkkk
    tem postagem nova no meu blog
    estive meio sumida mas voltei ;3
    espero sua visita e comentários
    bjinhus

    TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju!
    Ah, esse quote do "Para sempre" é tão lindo! Acho que foi o mais bonito de todo livro ♥
    Como você comentou, também concordo com você em seus comentários, principalmente no que diz respeito à escrita da Janice. Agora é aguardar a finalização da trilogia, né?
    Beijão, querida!

    ResponderExcluir
  5. Dona Julinha,

    Sou apaixonada por suas resenhas, não só pelas que fez dos meus livros, mas também de outros. Já li várias, inclusive. Então me sinto honrada e muito orgulhosa de ganhar uma resenha tão linda e envolvente como essa, que mostrou exatamente a intensidade dos sentimentos envolvidos. Embora sendo um romance que se passa a partir de 2011, essa dramaticidade e ação, de fato, tem origem na influência dos filmes de faroeste. Que posso dizer, tive uma infância feliz! kkk

    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Oii!!
    Julia, tenho tanta curiosidade em ler os livros da autora *_*
    Louca pra conhecer essa história, e a narrativa da autora!
    Beijos

    Elidiane
    Leitura entre amigas

    ResponderExcluir
  7. Oi Julia, sempre que eu leio sobre os livros da Janice me lembro da Janet Dailey. Gosto bastante dos livros da Janet e o enredo dos livros das Janice mostram que eles tem tudo que eu adoro numa boa leitura. Os quotes que você colocou me deixou ainda mais na vontade.

    Beijos
    Caline - mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Julia, tudo bem flor?
    É a primeira vez que leio a respeito dessa trilogia e já fiquei curiosa. Pela sua resenha da pra perceber que é uma leitura bem movimentada e que mexe até mesmo com o leitor. Gostei.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  9. Oie Ju
    Uau. Estava ansiosa por essa resenha, pois morro de medo de trilogias que acabam se perdendo no segundo volume. E pela sua resenha dá pra ver que a autora consegue manter o mesmo ritmo, e fazer um livro tão bom quanto o primeiro. Quero muito!!!! Especiamente pelos quotes que você selecionou.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  10. Oie Ju =)

    Ai *-* Eu leio tantas resenhas positivas dessa série que estou ficando cada vez mais curiosa. Acho que vou ter que pegar o livro emprestado de alguém rs...

    Pelo visto essa série é cheia de ação, emoção e romance, coisas que simplesmente adoro em um livro!

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  11. Juu, todos falam mega bem de Terra Ardente, nada melhor do que saber que seu segundo livro é tão bom também. Que bom que a narrativa da Janice continua agradável.

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá Julia,

    Gosto da sinopse desse livro e a resenha me deixa curioso, mas a capa me desanima muito, abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.