Novidades #197: Lançamentos Editoras Parceiras

Oi pessoal, tudo bem por aí? Como foi o feriado, deu para colocar as leituras em dia?

Só para animar mais um pouquinho o final de semana que vem por aí, vim mostrar alguns dos lançamentos de novembro das editoras parceiras aqui do blog. Não são muitos, já que muitas editoras não lançaram livros esse mês, mas parecem todos ótimos. Para mais informações, basta clicar nas capas:

Editora Intrínseca

 
Editora Arqueiro


 

E aí, quais vocês gostariam de ler?

Leia Mais
7 comentários
Compartilhe:

A Lógica Inexplicável da Minha Vida - Benjamin Alire Sáenz

Sinopse: Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida uma tarefa que parece quase impossível. (Skoob)
SÁENZ, Benjamin Alire. A Lógica Inexplicável da Minha Vida. São Paulo: Editora Seguinte, 2017. 440 p.


Em 2014 eu me apaixonei completamente por Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo. Eu ainda me emociono bastante quando paro para pensar na história de Ari e Dante, uma das minhas histórias preferidas da vida. Quando eu descobri que Benjamin Alire Sáenz publicaria A Lógica Inexplicável da Minha Vida, fui tomada por um contentamento tão grande que não sei explicar. Depois dessa leitura, Sáenz entrou novamente para a minha seleta lista de favoritos. 

Salvador Silva é um adolescente prestes a sair do ensino médio e não está nem um pouco preparado para o que a vida tem a lhe oferecer. Para começar, seu pai adotivo quer que ele escolha uma boa faculdade e sua melhor amiga, Sam, não para de pressioná-lo um minuto sequer para que ele o faça logo. Como se já não fosse o bastante ter que decidir tão cedo uma profissão para seguir o resto da vida, Sal recebe a péssima notícia de que o câncer da sua avó voltou e está no estágio terminal. Além disso, ele não consegue entender os impulsos raivosos que estão surgindo o tempo todo, já que sempre foi um garoto muito calmo. 

A Lógica Inexplicável da Minha Vida é um livro extremamente delicado que tem como ponto central as relações de Salvador, e vemos tudo através dos olhos do menino. A narrativa é quase como se fossem os próprios pensamentos do protagonista, então é inevitável se apaixonar pelas pessoas queridas por Sal. Foi muito interessante acompanhar a jornada dos personagens, todos os sentimentos envolvidos, os carinhos. Mas, provavelmente, o mais tocante de tudo é o que Vicente — o pai adotivo — e Salvador sentem um pelo outro. Acredito que não há exemplo melhor de que pouco importam laços de sangue quando existe amor.

"Só porque meu amor não é perfeito não quer dizer que eu não te amo."

É muito fácil gostar da escrita de Benjamin Alire Sáenz, pois ele fala sobre temas atemporais, como amadurecimento — ou no caso de Sal, sobre como se sentir perdido o tempo todo e não ter a mínima ideia do que fazer —, conceito de família, amizade, perdas, o luto em si. Uma das coisas que eu mais admiro no autor é como ele consegue manter uma certa melancolia em seus livros sem deixar a narrativa pesada. Eu nunca vi nenhum autor conseguir expressar tão bem sentimentos fortes como alegria e tristeza a ponto de nos fazer sentir também. 

Outro ponto que me agradou bastante — e que provavelmente chamou a atenção de várias outras pessoas que leram o livro — é que a homossexualidade de Vicente em momento algum se torna o ponto central da trama. Não estou dizendo que livros com personagens principais gays são ruins, muito pelo contrário, mas gostei de Vicente não ser tratado simplesmente como "o protagonista gay". Aqui, ele é o pai cuidadoso, amigo, cheio de amor para dar e isso foi uma variante muito importante. A representatividade está ali em todo o momento, mas de forma bastante natural. Infelizmente o preconceito ainda está presente e continuaremos a lidar com ele o tempo todo, inclusive na vida real.

O que fez eu me apaixonar por A Lógica Inexplicável da Minha Vida foi a gama de personagens maravilhosos, a sensibilidade ao retratar uma família e, é claro, a escrita maravilhosa de Benjamin Alire Sáenz, que nunca falha. Se eu pudesse indicar apenas um livro pelo resto da minha vida, muito provavelmente a história de Salvador seria a minha primeira opção. Provavelmente nunca conseguirei expressar de forma satisfatória o meu amor por esse livro.

Leia Mais
9 comentários
Compartilhe:

O Mágico de Oz - L. Frank Baum

"Quando estava na metade do caminho, ouviu-se um grito fortíssimo do vento e a casa sacudiu com tanta força que Dorothy perdeu o equilíbrio e caiu sentada no chão. E então uma coisa muito estranha aconteceu. A casa rodopiou duas ou três vezes e começou a levantar voo devagar, Dorothy teve a sensação de que subia no ar a bordo de um balão." Um ciclone atinge a casa onde Dorothy vive com os tios e ela e seu cachorro Totó são levados pela ventania e param na Terra de Oz. Por lá, Dorothy faz novos amigos - o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde -, encara perigos, vive histórias fantásticas e precisa enfrentar seus próprios medos. Depois de tantas aventuras, a menina descobre que seus Sapatos de Prata têm poderes mágicos e podem levá-la para qualquer parte. Mas não existe melhor lugar no mundo do que a própria casa. Um clássico indiscutível para todas as idades. (Skoob)
BAUM, L. Frank. O Mágico de Oz. Editora Zahar, 2013. 224 p.


-Sou Oz, Grande e Terrível. Quem é você, e por que me procura?
-Sou Dorothy, Pequena e Humilde. E venho em busca de ajuda.

Eu me sinto até como se estivesse roubando, porque eu li esse livro para uma atividade na faculdade e agora aqui estou, resenhado-o. Antes de mais nada, eu nunca esperei precisar ler uma história infantil, um conto de fadas moderno, na faculdade. Os tempos mudam. E não sou eu que está reclamando!

O Mágico de Oz conta a história de Dorothy, uma garotinha do Kansas que se vê num novo mundo, brilhante e colorido diferente da sua acinzentada cidade natal, depois que um furacão a leva para lá com seu cachorrinho Totó. Logo no começo, assim que aterriza, ela acaba matando a Bruxa Má do Leste, que seca no sol e, de tão velha, vira pó, restando apenas seus sapatinhos prateados, que Dorothy pega para si (no filme que é rubi, mas originalmente foi prata).

Para voltar para casa, Dorothy precisará andar pelo caminho de tijolos amarelo, que a levará até a Cidade das Esmeraldas, onde mora o Grande Mágico, mais poderoso que todos e que poderá ajudá-la. No caminho, Dorothy encontra três personagens que leva consigo ao encontro do Mágico de Oz, cada um com a sua história e seu desejo: o Espantalho que deseja um cérebro, o Lenhador de Lata (popularmente conhecido como Homem de Lata) que quer um coração, e o Leão Covarde que deseja coragem.

"Vocês, que têm coração, podem sempre se guiar por ele, e nunca fazem mal aos outros. Mas eu não tenho coração, e por isso preciso tomar muito cuidado. Quando Oz me der um coração, claro que não vou precisar mais prestar tanta atenção." 

Eu não sei se foi por ter lido O Mágico de Oz e o livro que era para relacionar na minha atividade (Fadas no divã, que conta a visão psicanalista de vários contos) ou se seria algo que eu perceberia naturalmente, contudo ainda achei, acho, surpreendente a forma como livros infantis trazem mensagens para as mais diversas faixas etárias, de uma forma tão simples que você nem percebe até parar e analisá-las, mas que ainda sim você incorpora inconscientemente. Seria tipo o não falar com estranhos de Chapéuzinho Vermelho, por exemplo.

A primeira reflexão a se fazer é que Dorothy quer voltar para casa e durante todo o caminho perguntam a ela por quê, porque Kansas é tão chata e monótona e ali é brilhante e vivo, e seus tios que cuidam dela claramente não se importam com a garota. Então por que Dorothy quer tanto voltar para casa? Porque não há lugar como nosso lar!

"-Vou lhe contar uma coisa que ninguém sabe. Só existe uma coisa que me mete medo.
–O que é? – perguntou Dorothy. – O fazendeiro Munchkin que fabricou você?
–Não – respondeu o Espantalho. – Um fósforo aceso." 

Agora, sério, quem se importa com Dorothy? O bom da história é o trio que se junta a ela, porque o que eles buscam... eles têm. Eu quero um cérebro para ser igual aos homens? Eu sou mais sagaz do que eles! Eu quero um coração? Eu já tenho o maior do mundo! Eu quero coragem? Eu tenho medo e ainda o enfrento! Essa é a parte engraçada na história, que te faz realmente parar e pensar, porque é uma história infantil, uma história infantil que mostra que o que nos move é o fato de estarmos procurando algo e que, muitas vezes, o que procuramos já temos. Isso é mais abordado na frente da história, eu não quero estragar todas as frases e os diálogos inteligentes, porque eles são ótimos.

Mais uma coisa que me conquistou é a forma como é narrada: limpa e direta. Não há floreio e eu amo um floreio, só que... Vamos concordar que histórias infantis antigamente enrolavam demais e exageravam, como se crianças fossem uns seres-zinhos ignorantes e idiotas que não entendessem. Felizmente, não há isso aqui. O autor falou para crianças do jeito que elas gostam de ouvir, sem desmerecê-la por isso e tratá-las como menos. E, independente da idade, não tem como não gostar de O Mágico de Oz; e o melhor de tudo: ele passa super rápido e vem com imagens!

Leia Mais
12 comentários
Compartilhe:

Promoção: Aniversário Roendo Livros


O Roendo Livros está comemorando 5 anos e mais uma vez o Conjunto da Obra faz parte da festa! Para comemorar tantos anos de existência, alguns blogs amigos montaram um kit com dez livros para um único ganhador. 

Regras

- A promoção terá duração de um mês, do dia 11/11/2018 ao dia 11/12/2018;
- A opção obrigatória vale 1 ponto, enquanto as opcionais valem 5 pontos cada;
- A entrada "tweet about the giveaway" só será válida se a pessoa estiver seguindo todos os os Twitters;
- Na opção "Visitar a Página" não basta apenas passar por ela, é preciso curtir;
- Após o término da promoção, o Roendo Livros tem até quinze dias úteis para divulgar o resultado;
- O ganhador tem 48h para responder o e-mail com os dados de envio, caso contrário o sorteio será refeito;
- Após feito o contato, os prêmios serão enviados dentro de até 60 dias úteis;
- É obrigatório residir em território nacional ou ter endereço de entrega no Brasil;
- O Roendo Livros não se responsabiliza pelos livros enviados pelos blogs e editoras parceiras;
- Para o livro ser enviado, é necessário que o ganhador passe o número do CPF para a Ana, já que agora os Correios solicitam uma declaração de conteúdo (saiba mais aqui) Só participe do sorteio se estiver de acordo;
- Roendo Livros e os parceiros não se responsabilizam por extravio ou atraso na entrega dos Correios, bem como danos causados nos livros. Assim como não se responsabilizam por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador, e/ou ausência de recebedor. Os livros não serão enviados novamente;
- Roendo Livros se reserva o direito de dirimir questões não previstas neste regulamento;
- Este concurso é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita.

Prêmios


Participantes 

A Melodia Feroz — Editora Seguinte
Correndo Descalça — Editora Verus
Mil Palavras — Editora Gutenberg
Uma Coisa Absolutamente Fantástica — Eu Li, e Daí?
A Última Nota — Ei Nati
Bruto e Apaixonado — Conjunto da Obra
As Oito Montanhas — Além da Contracapa
Bem Safado — Seja Cult
International Guy (Paris, New York, Copenhagen) — Livro Lab
Banhado em Terra — Escuta Essa

Formulário

Leia Mais
11 comentários
Compartilhe:

Book Haul - Outubro

Oi peops, como vocês estão?

Hoje quero mostrar o que chegou em outubro, teve muita coisa boa. A vontade era ler tudo, mas como sei que não iria dar conta, enviei alguns para as colunistas aqui do blog. De qualquer forma, logo vocês deverão ter resenha de todos eles.


O primeiro livro que chegou no mês foi Pôr do Sol no Central Park, da Editora Harlequin. O livro é o segundo volume da série Para Nova York, com amor. A resenha do primeiro livro, Amor em Manhattan, foi publicada aqui.


Recebi um pacote com váááários livros da Cia das Letras. Um deles era O homem de areia.


Também recebi Os números do amor, que foi enviado para resenha pela Bela.


Se não eu, quem vai fazer você feliz? também veio no pacote e será resenhado pela Thuanne.


Por último, Graça e Fúria foi enviado para a Marlene.

E vocês, o que receberam em outubro? Quais desses gostariam de ler?

Leia Mais
13 comentários
Compartilhe:

Eu perdi o rumo - Gayle Forman

Sinopse: Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder. Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho.
Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a editora
FORMAN, Gayle. Eu perdi o rumo. Arqueiro, 2018. 240p.


Eu perdi o rumo conta a história de três personagens que estão perdidos e passaram por alguma perda. Freya é uma cantora que perdeu a voz, Nathaniel perdeu praticamente tudo e Harun é um muçulmano que tem medo de assumir quem é para não perder tudo também. Todos tem muitos mais histórias para vocês descobrirem.

Um aspecto muito legal do livro é como os três são muito diferentes e se unem. A Freya tem mãe branca e pai negro africano, o Harun é mulçumano e o Nathaniel é branco. Essa diversidade de etnias, raças e culturas é muito legal porque assim a gente descobre muito sobre diferentes culturas e eles também. É mais interessante ver pessoas se conhecendo que provavelmente não seriam tão próximas, porque nos Estados Unidos algumas pessoas andam muito só com a mesma etnia. Além disso, Harun namora uma pessoa negra que também é bem diferente e o fato de que ele faz várias coisas que não são consideradas certas para os muçulmanos, mas ainda assim parece ter fé, como cristãos são. Isso porque geralmente os islâmicos na ficção se comportam perfeitamente ou totalmente errado e, se você sequer vê eles fazendo algo da religião, parece que só fazem porque se sentem obrigados, ou só ligam para algumas partes que julgam os outros, como cristãos tendo preconceito enquanto são adúlteros e mil outras coisas. Inclusive você vê muito esse julgamento de mulçumanos na Internet contra famosos tipo o Zayn, e provavelmente tem zilhões de celebridades que se dizem de outras religiões e não seguem quase e não recebem tudo isso. Acho bom ver que o islã pode sim funcionar como essas religiões e não que se você não for perfeito em tudo já está no mármore do Inferno, ou mesmo que as pessoas achem isso, ver opções diferentes é legal. É assim que se acaba com estereótipos. Até o Nathaniel teve uma criação e vida muito diferentes do normal para os brancos, então no geral esse livro aqui é uma descoberta atrás de outra e não aquelas histórias que você já viu tantas vezes. Ele também é o único que não é de Nova Iorque.

Além das culturas, as personalidades deles e criação foram totalmente diferentes. Enquanto a Freya é famosa, o Nathaniel se considera invisível e o Harun de certa forma é, porque só vive o que a família quer para ele. Até a Freya verdadeira é invisível para falar a verdade, já que ela se tornou um produto e para isso ela teve que desistir de muitas coisas. Mas ainda assim ela é mais extrovertida, Harun se chama de covarde e Nathaniel é muito quieto e fechado.

O motivo que deixa mais legal não é só por estar dando diversidade, é porque essa diversidade fez toda a diferença nos problemas deles. Você não veria alguém como o Harun se ele fosse branco e a Freya tem várias particularidades da cultura etíope que fazem a diferença para não ser qualquer história de uma pop star. Uma das músicas pelas quais ela ficou conhecida é uma canção do país, por exemplo.

O livro é dividido em capítulos com o nome dos personagens, que são narrados por eles em primeira pessoa, e capítulos com nomes normais, sem nome de personagem, narrados em terceira pessoa, geralmente contando o que está se passando com os três juntos depois de se encontrarem. A gente vê como todos tem muitos problemas até além dessas perdas, e alguns são parecidos, por exemplo todos tem algo no quesito familiar. E assim, eu achei difícil gostar de várias pessoas nas histórias deles porque dá para ver o quanto eles os ferraram. Eles criam um laço muito legal também.

Eu gostei muito do livro. Ele é triste, divertido, romântico. Os personagens são bem construídos, com nuances, têm histórias interessantes, e suas trajetórias podem nos ensinar muito. E a chance de se relacionar com um deles é grande. Todos nos perdemos às vezes, seja no sentido literal de rotas da capa (que aliás, eu amo), ou no sentido interior, assim como passamos por perdas externas.

Leia Mais
12 comentários
Compartilhe:

Sem Escolha - Abbi Glines

Sinopse: Está cada vez mais quente na cidade litorânea de Sea Breeze, e Marcus Hardy encontrou o abrigo perfeito para passar os próximos meses de calor: o frequentado apartamento de Cage York. As garotas estão sempre entrando e saindo de lá, em sua maioria mulheres lindas que nunca ficam mais de uma noite. Quando Marcus chega, está apenas buscando curar seu coração ferido. Só que uma das frequentadoras mais assíduas da nova casa logo chama sua atenção. Willow – ou apenas Low – é a mulher com quem Cage pretende se casar. Mas os dois são completamente diferentes, e Marcus não entende como ela pode lidar tão bem com a infidelidade de Cage. No fundo, Low precisa mesmo é de um homem de verdade... bonito e sensível como Marcus. Porém, as coisas não são tão simples, e esse relacionamento vai se complicar de um dia para o outro, assim que um grande segredo for revelado. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
GLINES, Abbi. Sem Escolha. Sea Breeze #2. Editora Arqueiro, 2018. 224 p.


Sem Escolha é o segundo livro da Série Sea Breeze, da escritora Abbi Glines, publicado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro. No livro anterior - Sem Fôlego - conhecemos Marcus Hardy, um jovem bonito e encantador que acabou se apaixonando por Sadie, protagonista principal do primeiro livro. 

Marcus cresceu sendo um jovem rico e privilegiado, contudo, desde cedo, sempre buscou a sua independência financeira, para que não fosse dependente do dinheiro do seu pai. A sua família está passando por um momento muito difícil e ele é obrigado a voltar para Sea Breeze, para ajudar a sua mãe e irmã, que estão abaladas psicologicamente com a recente traição do seu pai. 

Marcus está dividindo um apartamento com Cage York, um mulherengo que mantém o fluxo de garotas dentro e fora da sua cama bem intenso. Então não é novidade quando uma bonita ruiva aparece em sua porta procurando Cage, no entanto, ele logo repara que ela não é como as outras garotas e, pela primeira vez, desde a sua decepção amorosa com Sadie, Marcus sente que encontrou alguém por quem realmente valha a pena lutar. 

Willow é uma jovem bonita, que teve sua cota de sofrimento na vida, ela cresceu sendo abandonada por aqueles que amava e isso reflete muito na pessoa que ela é hoje, seu único porto seguro é Cage, o garoto da casa ao lado, que conhece suas dores mais profundas, mas, ao contrario do que todos pensam – inclusive o próprio Cage – ela o vê apenas como um irmão. Quando ela conhece Marcus, fica logo encantada com sua personalidade, contudo, eles terão que superar algumas adversidades para ficarem juntos, inclusive Cage, que diante da atual situação familiar dos dois, será o menor dos seus problemas. 

Sem Escolha foi uma leitura extremamente rápida e envolvente, foi impossível não torcer e me apaixonar pelo casal. Low é uma mocinha sofrida, que está passando poucas e boas com sua irmã extremamente egoísta, contudo, por amor a sua sobrinha, ela tenta fazer o melhor, afinal, o bebê não tem culpa alguma dos erros e escolhas que a sua mãe faz. 

Marcus está tentando superar o coração partido e manter sua família unida ao mesmo tempo, seu pai traiu sua mãe com uma de suas funcionárias e, infelizmente, isso destruiu o lar que ele cresceu, lidar com seus problemas pessoais e familiares não é uma tarefa fácil, mas quando Low entra em sua vida é como se ele encontrasse tudo o que sempre sonhou, e viver esse amor pode ser difícil, quando têm tantos problemas a serem superados. 

O romance entre Marcus e Low é bem fofo, eu adorei a forma como a autora trabalhou o envolvimento deles. Assim como o livro anterior, o romance é bem clichê e tem diversas situações que poderiam ter sido evitadas se os personagens tivessem sido sinceros um com o outro e esse foi o único ponto que me incomodou, a falta de uma comunicação sincera entre eles. 

Os personagens secundários foram, mais uma vez, de grande importância na trama, entre eles estão: Cage, o nosso mulherengo e protagonista do próximo livro; Amanda, irmã de Marcus, que também ganhará sua própria história; e a participação mais especial de todas, Larissa, a sobrinha de Low que roubou a cena diversas vezes com sua fofura. 

A narrativa é feita em primeira pessoa, alternando entre os personagens. A edição está bem simples e segue o mesmo padrão do livro anterior, folhas amareladas e letras confortáveis, não encontrei nenhum erro de diagramação. Essa capa é linda e tem tudo a ver com a história e os personagens. 

Com contexto geral, essa foi uma leitura agradável, que trouxe diversos ensinamentos acerca do perdão e do amor familiar. O próximo livro, como comentei anteriormente, contará a história de Cage e eu não vejo a hora de desfrutar dessa leitura.

Leia Mais
13 comentários
Compartilhe:

Comer para não morrer - Michael Greger com Gene Stone

Sinopse: Um guia do poder dos alimentos que vai garantir saúde e bem-estar ao lado de sua família e amigos por muitos e muitos anos
Infecções, diabetes, depressão, cardiopatias. Seja qual for a doença, a rotina é a mesma: após exames e consultas, a maioria dos médicos se restringe a receitar um remédio ao paciente. Tratamentos alternativos não são mencionados, e medicina preventiva parece uma realidade distante. O resultado é que milhares de vidas são perdidas prematuramente em virtude de doenças que poderiam ter sido evitadas ou revertidas. Mas não precisa ser assim.
Escrito pelo médico Michael Greger, Comer para não morrer trata de um estilo de alimentação capaz de prevenir, controlar e até reverter muitas das principais causas de morte da atualidade: a dieta à base de vegetais — ou plant-based diet, como é conhecida pelos especialistas. Com uma linguagem clara e ferramentas práticas que nos indicam o que comer, quando e em que quantidade, o livro se fundamenta em estudos acadêmicos para desmistificar a ciência por trás dessa forma de nutrição revolucionária e mostra que adotá-la está longe de ser um bicho de sete cabeças. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
GREGER, Michael; STONE, Gene. Comer para não morrer. Editora Intrínseca, 2018. 496 p.


Em outra ocasião, comentei aqui no blog que alimentação é um tema que tem me atraído com cada vez mais frequência. Desde nova, tive problemas de digestão e outras questões periódicas de saúde, mas muita coisa mudou depois que adotei uma alimentação mais equilibrada. Faz anos que não tomo antibióticos e quase nunca fico nem resfriada. Conheço bem o poder que a comida de verdade tem e percebi que a natureza possui todos os remédios que o corpo precisa, é só saber aproveitar o que ela tem para oferecer. Por isso, quando Comer para não morrer foi lançado pela Editora Intrínseca, não tive dúvidas de que queria ler, ainda mais porque seu título reflete muito o que eu acostumei a vivenciar no meu dia a dia.

Antes mesmo de iniciar o livro, o prefácio à edição brasileira, o prefácio e a introdução já trazem informações relevantes e nos contam um pouco da história que deu origem ao livro. O autor, que é médico e tem conhecimentos práticos sobre o assunto, defende uma alimentação à base de vegetais - plant-based diet - o que quer dizer que, durante o livro, vai apontar as vantagens de excluir os alimentos de origem animal da dieta. Por minha experiência pessoal - que, é claro, não se compara à do autor -, não acredito que ser saudável requeira impor restrições à alimentação, mas entendo os argumentos utilizados por ele e acho que são bastante válidos - até porque são todos fundamentados em pesquisas científicas. 

"Por que a proteína animal causa a reação de sobrecarga e a proteína vegetal não? Por causa da inflamação que os produtos de origem animal podem ocasionar."

Meu entendimento, porém, não obstou que a leitura fosse muito proveitosa e rica em ensinamentos valiosos que, sem dúvida alguma, levarei para minha vida. Até porque, na verdade, não se trata de concordar ou não com o que está escrito - não tenho dúvidas de que o autor tem razão em cada aspecto mencionado e eu mesma já tinha lido a respeito de diversos conceitos trazidos por ele no livro. A questão é saber se vale a pena ou não deixar de aproveitar determinados benefícios de certos alimentos por eventuais malefícios que eles podem trazer. Para o autor, não valem a pena os riscos, para mim, podem valer.

É importante entender que o autor não coloca os alimentos de origem animal como vilões, mas menciona em quais casos o consumo pode influenciar e agravar certas doenças. Os maiores vilões, segundo menciona no livro, são os alimentos vegetais ultraprocessados e os alimentos animais processados.

"Uma vez que se é fisgado pelos alimentos hiperdoces e hiper-salgados, os botões gustativos do organismo ficam tão fracos que os alimentos naturais podem ter gosto de papelão. A fruta mais madura não tem o gosto tão doce quanto o do Froot Loops."

Michael Greger divide o livro em duas partes. Na primeira, o autor menciona as doenças que mais matam os americanos, como doenças cardíacas, diabetes, câncer, infecções e até mesmo depressão, e comprova a relação dessas doenças com a alimentação. Cada doença tem um capítulo específico, e o autor aproveita para citar os alimentos que agravam esses problemas e aqueles que auxiliam na sua prevenção e redução.

Na segunda parte, o autor dá ênfase à dieta que criou e os doze itens que devem estar presentes todos os dias na alimentação. Essa parte se dedica, portanto, a mencionar os benefícios de diversos alimentos vegetais, como os feijões, as frutas e verduras, a semente de linhaça e oleaginosas, entre vários outros. Fiquei feliz em perceber que quase todos os itens mencionados por ele estão presentes quase sempre na minha geladeira e na minha lancheira, e algumas dicas trazidas no livro ainda me influenciaram a mudar um pouco a forma como preparo esses alimentos.

"O fato é que, quando pessoas reais fazem mudanças reais, elas têm resultados reais."

Por ser uma leitura mais técnica, o livro pede atenção e uma dedicação mais especial, mas mesmo para aqueles que pretendem continuar a consumir alimentos de origem animal, é relevante conhecer a obra pelas reflexões que traz. Não se trata apenas de saber quais alimentos são mais ou menos benéficos, mas saber que a prevenção é muito mais simples do que a gente pensa e que o interesse é nosso. Como o autor menciona a certa altura do livro, não é possível patentear os vegetais, por isso ninguém faz propaganda deles, mas milhões - senão bilhões - são investidos todos os anos em publicidade com medicamentos.

"Qualquer que seja a herança genética que herdamos de nossos pais, aquilo que comemos pode afetar a interação desses genes com nossa saúde."

Para aqueles que gostam do tema, o livro traz conhecimento vasto e riquíssimo sobre diversos alimentos e sobre as formas de incluí-los no dia a dia. É uma leitura prazerosa e diferente, que fico feliz em ter feito. Para quem quiser conhecer um pouco, o autor também coordena o blog NutritionFacts.org, em inglês, que traz algumas das ideias mencionadas no livro.

Leia Mais
13 comentários
Compartilhe:

Top Comentarista - Novembro


Oi meus queridos, como vocês estão? Novembro começou bem? Espero que sim!

Aqui vamos mais uma vez com Top Comentarista, mas dessa vez ele será um pouquinho diferente. Decidi dar uma filtrada na estante, doar alguns livros e, quando comentei isso no twitter, alguns me pediram sorteios! Então o Top Comentarista de novembro será o primeiro sorteio dessa "leva", ok?

Os livros são usados e estão em bom estado, é um sorteio do desapego mesmo. Os três livros da foto irão para um só ganhador.

Para se inscrever é preciso:
  • Seguir o Conjunto da Obra pelo Google Friend Connect (clicar em "Participar deste Site" na barra lateral direita).
  • Ter endereço de entrega em território Brasileiro.
  • Preencher o formulário abaixo.
  • Comentar em todos os posts publicados no mês de novembro.

Serão três títulos para um só ganhador:


1. Além da magia
2. A magia do inverno
3. La belle sauvage

  • Seguidas todas as regras iniciais, para participar, basta preencher a primeira entrada do formulário. A primeira entrada confirma sua participação no Top Comentarista, enquanto as demais constituem chances extras, sendo opcionais.
  • Serão considerados válidos os comentários nas postagens do mês de novembro se feitos até o dia 1º de dezembro. Ou seja, será concedido um dia a mais para que os participantes consigam comentar nas últimas postagens do mês.
  • O participante deve fazer comentários válidos, que demonstrem que a postagem foi lida. Não adianta dizer que está curioso para conhecer a história, isso não é suficiente, e o participante será desclassificado.
  • O vencedor será definido por sorteio, dentre os participantes que comentarem em todas as postagens do mês. Apenas depois de feito o sorteio será conferido se o sorteado comentou em todas as postagens do mês. Caso essa regra não seja cumprida, o mesmo será desclassificado, e um novo sorteio será realizado.
  • O sorteado receberá os três livros da lista acima.
  • O sorteado será contatado por e-mail, tendo o prazo de 24h para fornecer seus dados. Caso não envie resposta no prazo, será realizado novo sorteio.
  • O prazo para envio dos prêmios é de 60 dias após o recebimento dos dados dos vencedores.
  • O Conjunto da Obra não se responsabiliza por extravio ou atraso na entrega dos Correios. Assim como não se responsabiliza por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador e o livros não será enviado novamente;
  • A Equipe do Conjunto da Obra se reserva ao direito de dirimir questões não previstas neste regulamento.
  • Esta postagem também conta para o Top Comentarista.
a Rafflecopter

Boa sorte!

Leia Mais
15 comentários
Compartilhe:

Sonhei que amava você - Tammy Luciano

Ele estava vivo nos meus sonhos. E que sonhos! Mas era pouco. Eu queria ele na minha vida. Uma história cativante e inesquecível, cheia de mistérios e perguntas a serem respondidas. Pode um grande amor existir somente enquanto sonhamos? Kira, aos 22 anos, está apaixonada, vivendo um momento único de amadurecimento pessoal e profissional. Quem é o sedutor garoto que transforma suas noites em poesia e êxtase? Mas, apesar do maravilhoso momento que está vivendo, a garota terá que enfrentar obstáculos e barreiras. Mas sabe que a vida reserva o melhor para o final. Um convite para dar asas à imaginação e aquecer o coração.

Livro recebido em parceria com a Editora
LUCIANO, Tammy. Sonhei que amava você. Valentina, 2014. 296 p.

Kira é uma jovem de 22 anos, muito carismática e determinada. Ela abriu uma loja com sua melhor amiga, Lelê, e estão indo muito bem neste novo negócio. Sua vida está se encaminhando de forma tranquila, porém tem uma coisa que às vezes a incomoda: ela nunca teve um namorado sério, nunca se apaixonou de verdade e sente que isso está longe de acontecer. Só que isso muda quando, em seus sonhos, um apaixonante rapaz aparece e trás um novo sentido para suas noites de sono. Depois de alguns desses sonhos, por uma grande coincidência, ela encontra o rapaz em um acidente. E passado alguns dias, ela se depara com o rapaz novamente e decide tentar entender o que está acontecendo, quer saber se o rapaz também tem os sonhos e se sente o mesmo que ela.

Para quem gosta de romance com uma pitada de sobrenatural, esse livro é uma boa pedida. Os sonhos lúcidos estão presentes durante toda a leitura, então a protagonista tem vários sonhos que consegue controlar tudo o que faz nele. Lá ela pode voar, ir para os mais diversos locais com o garoto misterioso e, quando acorda, consegue se lembrar de tudo.

O rapaz dos sonhos se chama Felipe e, tanto nos sonhos como na vida real, é encantador. O romance entre ele e Kira ocorre de forma gradual, e é tudo bem delicado. É impossível não torcer por eles, pois realmente parecem ter nascido um para o outro. Só achei que o romance deveria ser um pouco mais arrebatador, com mais paixão, mas foi bonito como a autora conduziu tudo.

O livro é todo narrado em primeira pessoa por Kira, com uma linguagem bem informal, o livro parece ser para um público jovem, ou para quem está iniciando agora no mundo da leitura. O começo é um pouco lento, pois os personagens ainda não se conhecem, mas depois o ritmo fica muito bom. Lá para a metade final do livro, a autora inseriu um mistério e saiu daquele romance, o que achei ótimo, pois deu um pouco de ação à trama e mostrou a versatilidade da autora.

As relações são bem abordadas, seja entre o casal principal, os familiares e os amigos. Kira tem uma ligação muito forte com a família e a autora fez questão de mostrar isso, pois em cada oportunidade ela abordava essa relação, então foi fácil sentir empatia por todos. A mãe de Kira tem um restaurante super badalado e é uma mãezona para todos. O pai é juiz e foi o que menos apareceu, mas ainda assim é possível ver como ele ama a família. Mas o destaque vai para os irmãos gêmeos Cafa e Cadu, que são umas figuras. Cafa é um conquistador, e Cadu é mais na dele, mas os dois tem um carinho enorme pela irmã e torcem muito por sua felicidade. A relação com Lelê também é maravilhosa. A garota é muito divertida e se mostrou ser uma amiga para todas as horas, além de alguns outros amigos que são grandes companheiros e deram um toque especial na leitura.

O livro não é inovador, mas é um bom passatempo. Trouxe um assunto diferente, que são esses sonhos lúcidos, e abordou as relações humanas em sua forma mais carinhosa. Além de ser de uma autora nacional, que merece todo o nosso carinho.     


Leia Mais
9 comentários
Compartilhe: