Fênix: A Ilha - John Dixon

Sinopse: Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos? (Skoob)
DIXON, John. Fenix: A Ilha. #1 Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2014.


Carl Freeman era um adolescente que perdera seus pais e vivia de lar em lar, por não conseguir ficar longe de encrenca. Depois de várias passagens pela polícia por agressão – todas para defender vítimas de bullying -, Carl teria sua última chance: participar de um treinamento militar na Ilha Fênix, até completar seus 18 anos e limpar todas as suas dívidas junto às autoridades.

Sem celular, Internet ou qualquer tipo de comunicação com o mundo exterior, os adolescentes enviados à Ilha logo perceberam a intensidade daquele treinamento. Contudo, não se imaginava a real gravidade da situação até Carl encontrar um diário escrito por um antigo morador: havia algo muito, muito errado naquele lugar.


“- Não há liberdade condicional na Ilha Fênix. É uma instituição terminal, o que significa que você permanecerá lá até se tornar adulto. Falhe em aprender com esta oportunidade e lhe antecipo que passará o resto da vida entrando e saindo da prisão. Se, contudo, aproveitar ao máximo a situação e aprender a dar aos outros uma segunda chance, da mesma forma que eu estou lhe dando hoje, pode levar uma boa vida como membro produtivo da sociedade. Se adquirir controle sobre esse seu temperamento explosivo, acho que se tornará um baita policial. 
- Obrigado, senhor. 
O juiz olhou Carl bem nos olhos. 
- Chegará o dia, filho, em que você terá que decidir exatamente quem é e o que pretende ser.” (p. 16)


Iniciei a leitura de Fênix – A Ilha, de John Dixon, sem saber muito o que esperar. Por algum motivo inconsciente tenho evitado ler sinopses, e mergulhar em uma leitura como essa sem nenhum conhecimento pode ser realmente surpreendente – e assustador.

Narrado em terceira pessoa, o livro intercala o ponto de vista de Carl, protagonista da história, que tem o maior espaço, e o de Octavia, outra órfã de quem Carl se aproximou durante o treinamento. O clima de mistério já pode ser percebido nos primeiros capítulos, e a leitura se torna tão envolvente que é quase uma necessidade. Porém, se engana quem acha que as coisas vão se resolvendo; os problemas parecem ter apenas começado.

Desde a leitura de Noturno, não encontrei qualquer outro livro que me causasse tanta aflição ou que me fizesse revirar o estômago como Fênix – A Ilha fez. Acredito não ser o tipo de livro que alguém considerará absolutamente fantástico, tampouco algo com o que não se possa lidar, mesmo para os mais medrosos, mas não deixa de ser aterrorizante, por tratar da pior face do ser humano trazida à tona por métodos conscientes.

De maneira bem clara, verifica-se que este livro é um volume introdutório, e o suspense sobre o que realmente acontece na Ilha é mantido até quase o final. Não por isso, o autor economiza os sentimentos aos leitores, pelo contrário. A todo o momento há algum elemento para manter a atenção, para despertar os instintos, para nos levar ao final da leitura com os nervos em frangalhos.

É um livro que mexe com a razão, com a estrutura social que conhecemos, que nos faz questionar conceitos e até a própria humanidade. Apesar de ter personagens adolescentes como principais elementos da narrativa, engana-se quem pensa ser superficial, porque a verdadeira história está além daquilo que está escrito.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

15 comentários:

  1. Parece um livro muito bom! Vendo a capa confesso que eu não leria rs Mas depois de ler sua resenha me pareceu interessante =)

    ResponderExcluir
  2. Parece o tipo de livro que nos muda, quero dizer alguns de nossos pensamentos.
    Gostei de sua resenha, nunca tinha ouvido falar do mesmo, mas pelo visto é um bom livro. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju*
    Este livro não chama muito minha atenção sabe, acho que não faz muito meu estilo. E não gostei muito dessa capa. Este eu passo.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  4. Oie Ju =)

    Esse livro não me chamou muito a atenção não =/
    A premissa embora interessante um pouco confusa. E de verdade estou fugindo de livros muito extremos, que me causem essa sensação de aflição que você descreveu rs...

    Beijos e um ótimo final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  5. Os dois últimos parágrafos da sua resenha me fizeram mudar de opinião quanto á ele, já que á princípio e capa eu não o leria.

    Beijos.
    Páginas na Estante - Sorteio!
    Twitter

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ju!
    Quando vi esse livro nos lançamentos da Novo Conceito não me interessei muito, na verdade mal me chamou atenção. Mas fiquei curiosa agora, me parece uma leitura intensa.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Oi,

    estou louca para ler esse livro! Como você, ando evitando ler sinopses de livro, mas a capa desse me conquistou e corri para ver do que ele tratava e, logo, fiquei louca para ler o livro. Entretanto, como se trata de uma série, não acho que o lerei tão cedo, estou evitando séries no momento... Mas confesso que sua resenha me deixou bastante tentada a começa-lo agora!

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Julia!
    Se o livro mexeu tanto assim com você, ele deve ser bom mesmo! Antes não havia me interessado tanto por ele, mas agora estou com vontade de ler.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  9. OI Julia! Eu pensando que era um livrinho leve, de aventura e me surpreendo com sua resenha, mostrando o quanto é uma trama forte e complicada, agora sim fiquei muito mais interessada, estou precisando de uma leitura menos água com açúcar. Bjos!

    ResponderExcluir
  10. Esse livro parece mesmo ser uma leitura intensa e surpreendente, e espero que seja assim comigo também. Eu também estou evitando ler sinopses de livros, assim como você, para não sei, me surpreender de uma certa forma com a leitura, mesmo às vezes sendo assustadora.
    Enfim, o livro já chegou por aqui e espero ter uma leitura boa dele ><

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Estava adiando a leitura por estar com um certo medo do que me esperava por entre as páginas. Não fiz como vc e deixei de ler a sinopse, porque não nego que sou bem curiosa. E nossa, sua resenha me surpreendeu afinal, descreveu o livro como imaginei que seria e ainda pior, sabe? Com toda certeza eu vou o ler para ter a minha própria opinião sobre ele. Porém acho que vou fazer igual a você com a minha próxima leitura: não lerei a sinopse. Para arriscar, rs

    Beijos,
    Larissa♥

    - Vitamina de Pimenta -

    ResponderExcluir
  12. Oi Ju,
    A premissa até tinha me interessado, e vc ter salientado o aspecto aflitivo do livro atraiu ainda mais minha atenção, mas por ser uma série e o livro se tratar de um volume introdutório, vou ter que adiar a leitura. Sim, sim, estou traumatizado com séries hehehe
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Ju!
    Menina, eu estou evitando esse livro por enquanto. Só de ler a sinopse eu percebi que ficaria em frangalhos a cada capítulo que aparecesse alguma monstruosidade. Talvez eu dê uma chance pra ele só quando já estiver com a continuação em mãos.
    Esse livro me lembra muito o filme A Ilha - Prisão sem Grades e definitivamente eu não estou pronta pra embarcar nessa leitura.rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. wow! eu fiquei tensa só lendo a resenha! rs admito que quando vi o lançamento não fiquei interessada em lê-lo mas sua resenha me fez mudar de idéia. acho legal livros bem construídos e que deixam a gente no limite, com nada gratuito, tudo dentro do contexto da história. vou procurar ler com certeza!

    ResponderExcluir
  15. Olá Julia,

    Ai esta um livro que estou bem curioso, essa é a primeira resenha que leio dele e pelo visto vou gostar bastante, é uma das minhas próximas leituras....parabéns pela resenha....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.