Especial #1: Mães não convencionais da literatura

Dia especial hoje, hein? Momentos de aproveitar com aquela mulher tão especial que nos deu a vida, ou que dispôs de sua vida para cuidar da nossa. Estão aproveitando com aquelas que merecem um carinho todo especial hoje?


Pensando nisso, me lembrei daqueles que não têm mães muito exemplares, e percebi que isso ocorre também com alguns dos nossos personagens queridos da literatura. Por isso, resolvi selecionar algumas mães não convencionais da literatura e fazer o post especial de hoje:




Janine Hathaway
Mãe de uma das minhas personagens favoritas, Janine deixou Rose para ser criada pelos responsáveis da escola São Vladimir ainda pequena, partindo pelo mundo como guardiã de uma família de Moroi. Isso deixou um certo trauma na protagonista de Academia de Vampiros, e o encontro das duas depois de anos sem se verem foi explosivo, com provocações e um consecutivo olho roxo. Após alguns (muitos) atritos, as dificuldades da vida acabaram aproximando as duas, trazendo à tona aquilo que tinham de mais parecidas.




Helen Thermopolis

Além de não deixar tão claro que sua filha, Mia, era fruto de uma relação sua com o príncepe de Genóvia, Helen esquece de fazer compras, pagar as contas, e outras coisas básicas que uma mãe deveria fazer. Sem contar que resolveu se casar com o professor de Álgebra de Mia, Sr. Gianinni.




Agneta Salander

Apesar de não ser tão especificamente exposta durante a trilogia Millenium, Agneta, mãe de Lisbeth Salander, teve um importante papel para o desenvolvimento da história e da própria protagonista. Ao ter se envolvido com Zalachenko, um ex-espião russo (ou algo assim) com asilo na Suécia, tem com ele duas filhas e suporta várias agressões físicas e sexuais em completo silêncio (por motivos que são explicados no desenrolar da história), até que uma dessas agressões causa danos irreversíveis em seu cérebro. Por sua omissão e essas consequências, Lisbeth, aos 12 anos, resolve tomar uma atitude contra o pai, o que traz para si própria consequências bastante desgradáveis e que a marcariam por toda a vida. Mesmo ainda viva, em um asilo, Agneta não consegue se lembrar de Lisbeth, achando se tratar de Camilla, sua outra filha, sempre que recebe visita.




Rosa Hubermann

Apesar de não ser realmente a mãe de Liesel, protagonista de A menina que roubava livros, Rosa acolheu a menina em casa e deu a ela a proteção necessária durante os tempos difíceis da Segunda Guerra Mundial. Apesar de não parecer tão satisfeita de ter uma garota estranha dentro de sua casa, já que aparentava sempre estar enfurecida, e de dirigir a Liesel seus constantes chingamentos de "Saumensch", mostra mais a frente que esses modos rudes eram apenas uma máscara, e que tinha um modo todo seu de amar.



Linda Heffer

Mãe de Zoey Redbird, de House of Night, Linda não é nada do que uma filha esperaria. Após se casar com John, fanático pela religião que segue, e se converter para a mesma, Zoey sente que a mãe deixou de lado tudo aquilo que construiu em sua vida, inclusive seus filhos, para viver à sombra daquele homem e se preocupar apenas em manter as aparências. Quando Zoey é marcada como vampira, Linda se recusa a aceitar e diz que a fé pode curá-la, não dando à filha outra opção que não seja seguir seu caminho longe da mãe.




E aí, gostaram? Lembram de alguma outra mãe que se destaque um pouquinho do convencional?
Um feliz dia das mães aquelas que o são.

Beijos
Julia

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

20 comentários:

  1. MUITO legal ter lembrado da Rosa! Acho uma grande representante da "categoria" mães literárias :D Com o jeito arrogante de "não" se importar, os palavrões...dá para ver de longe como ela se importa. Adoro! <3 a mãe da Lisbeth também foi um ponto legal. Como não conheço as outras...haha, só deixo registrado que acho a Rosa genial mesmo! Eu tenho minhas mães preferidas, mas dou destaque, além da Rosa, para a mãe de Liz, em Orgulho e Preconceito, que tem um jeito meio Rosa de ser; a Adela, de Espólios de Poynton (Henry James) que faz de TUDO para encontrar uma dona "ideal" para os seus objetos mais amados, e Emilie a matriarca de Relato de um Certo Oriente, do Milton Hatoum :D Mãe é tudo, até na literatura ;)
    Beeeeijo!!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post!
    Estou lendo agora O diário da princesa e achei o cúmulo a mãe da Mia não ter contado que ela é filha de um príncipe.
    Acho a mãe da Zoey tosca demais, mas não gosto muito da própria Zoey...
    Já a mãe da Liesel, eu até gostei dela conforme fui lendo o livro heheh
    Mas ando tão desmemoriada que não lembro de nenhuma outra para citar :/

    ResponderExcluir
  3. Oie Julia ;D

    Destas mamys da literatura eu só conheço a Helen e a Rose ^^ e as duas são bem diferentes entre si né rs...

    Adorei a homenagem querida *-*

    bjus ;***

    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do post, são mães nada convencionais mesmo, achei muito chocante a mãe Agneta Salander, não li esse livro ainda, quando ler vou dar mais atenção a história dela. Enfim, acho que não lembro de uma mãe nada convencional nos livros, só mães 'boazinhas', como a Molly Wesley de Harry Potter ><

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  5. Oi flor!
    As duas únicas que não conheço são Agneta e Linda!
    De resto, adorei as escolhas! Eu sempre penso na mãe da Mia, impossível não lembrar dela! Adoro!!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Julia!
    Adorei o post de dia das mães.
    De todas as mães não convencionais a pior na minha opinião foi a Agneta Salander. =/
    Não consigo me lembrar de mais nenhuma para acrescentar a sua lista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ei Júlia!
    A única mãe que tive a oportunidade de ler sobre foi a mãe da Rose, que não é digamos lá, exemplar... :)
    Adorei o post, super criativo!

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Julia!

    Não conheço todas as mães dos livros citados, mas Helen Thermopolis é uma figura! Gosto muito da série O Diário da Princesa, e me lembro vagamente de como a mãe de Mia é.
    Muito legal o post!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Julia!
    Adorei sua seleção... Como mães literárias nos cativam, né? Gosto muito da Sally, mãe de Pj, fazendo de tudo para salvá-lo, até suportar um marido nojento e agressivo... Beijos
    Lendo de Tudo

    ResponderExcluir
  10. Desses livros eu conheço a menina que roubava livro
    Que é muito emocionante e otima escolha delas, que não tem mãe

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Ju
    adorei o post
    dessas mães eu tive vontade de matar a mãe da Lisbeth hahahahhha
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Obrigada pelo comentário!
    Julieta Imortal é bem legal, leia e conheça! Se apaixone pelo Ben (sério, ele é muito fofo...), e viva as histórias na pele de Julieta...
    Mas a opinião é sua, espero que você goste!

    Eu só conhecia duas mães, a da Mia do Diário da Princesa, e a Linda, mãe da Zoey de House of Night!
    Ótima ideia!

    Bjs,
    Ariane;)

    ResponderExcluir
  13. Oi Jú!
    Achei a ideia do post muito boa e diferente, não li nenhum desses livros acredita, mas vi o filme "diário de princesa" e o "Millenium". Já pensei em comprar essa trilogia Millenium mas não sei se vou gostar...
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi Ju!
    Adorei o especial de mães!!
    Mas eu tenho raiva da mãe da Zoey ¬¬

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  15. Olá Julia.
    Adorei o post. Muito legal mesmo...
    Muita criatividade :)
    Beijão

    http://pollymomentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Não posso ver A Menina que Roubava Livros e deixar de comentar.
    Este livro me fez rir e chorar, e a personagem Rosa, apesar se ser rude, acolheu Liesel e deu um lar para a menina, em tempos tão sofridos como aqueles. Apesar de seu jeito durão, Rosa tinha um enorme coração.
    Bjos!!
    Cida
    http://www.moonlightbooks.net/

    ResponderExcluir
  17. Oi Julia!
    Muito legal esse post, gostei mesmo!
    A Rosa é um amor, aquele jeito rabugento dela não esconde a ninguém, até porque pra ser casar com o Hans Hubermann, ela só poderia ter alguma coisa especial, aquele homem é a bondade em pessoa.
    Não quis ler sobre a mãe da Lisbeth pois até agora li apenas o primeiro livro da série e ela ainda não aparece, então fiquei receosa de encontrar algum spoiler.
    Li apenas os dois primeiros volumes da série de The House of Night, mas jã são o suficiente pra saber que a mãe da Zoey dá nos nervos, uma das que menos gosto.
    Gostei de você misturar mães chatas, com mães que apenas são um pouco incompreendidas rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Dessas mães da literatura que você escolheu só conheço a Janine Hathaway e a Rosa Hubermann(e gosto muito das duas), adorei o post e as mães escolhidas.
    Beijos.

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Julia =D
    Desse livros, só conheço a mãe da Rose e da Zoey, e elas não são bem o tipo "mães presentes", não é? Mas como só li os primeiros volumes de cada série não sei bem se elas "mudam" então não posso falar muito.
    Adorei o post!

    Beijão
    -glowofthemoonlight-

    ResponderExcluir
  20. OI Ju!

    Vc acredita que eu não li nenhum livro que vc citou, portanto não conheço nenhuma dessas mães! Já assisti O diário da princesa, mas tenho certeza que não é a mesma coisa. Tentarei ler A menina que roubava livros. Sempre tive vontade, mas me falta tempo.

    Gostei mto do seu post!

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e Livros

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.