Pasta Senza Vino - Eduardo Krause

Sinopse: Na Florença dos anos 60, o jovem Antonello Bianchi é um italiano indolente, machista e metido a conquistador. Sua única ocupação é atrair clientes para o restaurante em que trabalha (ou para si, quando for una bella donna). Essa vida de aventuras amorosas sofre uma virada quando ele conhece uma turista carioca, que o leva a atravessar o oceano para compreender o próprio coração. Em tom leve e envolvente, Eduardo Krause apresenta um romance com sabor e graça, os ingredientes da boa literatura. (Skoob)
KRAUSE, Eduardo. Pasta Senza Vino. Porto Alegre: Terceiro Selo, 2014.

Admito que nunca havia ouvido falar sobre Pasta Senza Vino ou sobre o autor Eduardo Krause antes do contato da Oasys Cultural para resenha do livro. Não por isso deixaria passar a oportunidade de conhecer mais um autor nacional que tinha em seu livro uma ótima proposta de enredo e, muito embora tenha demorado um pouco a iniciar a leitura por conta da necessidade de me organizar neste período do ano, encontrei nas suas páginas uma escrita envolvente e uma história deliciosa.

Pasta Senza Vino narra, em primeira pessoa, a vida de Antonello, um italiano de Firenze assumidamente marpione, palavra italiana que designa os homens "especialistas em cortejar mulheres em qualquer lugar, a qualquer hora". Até mesmo seu emprego é usado como um meio para isso, e o italiano só muda após conhecer uma brasileira que mexe profundamente com ele.

A escrita de Eduardo Krause mistura, na narrativa em português, termos italianos, o que dá maior credibilidade à trama, pois o contato com a língua pátria de Antonello auxilia na caracterização do próprio personagem. Essa composição até é um pouco complicada para quem não está habituada à língua, como é o meu caso, mas nada que atrapalhe a leitura, especialmente porque, depois de imerso na história, essa diferenciação da linguagem deixa de se destacar, dando espaço devido ao romance, tão somente.
 
"- Pasta senza vino è come un bacio senza amore.
'Massa sem vinho é como um beijo sem amor'"

Particularmente, Antonello está longe de ser um personagem para com o qual guardo algum tipo de admiração ou respeito. Ele representa muito do que eu desprezo em uma pessoa: falta de compromisso, infidelidade, malandragem. É automático imaginar que, se não houve identificação com o protagonista, o envolvimento com o romance estaria comprometido. Para minha surpresa, neste caso, não foi isso o que aconteceu. Apesar de não gostar de Antonello e discordar das atitudes dele, eu torcia, mesmo assim, para que as coisas dessem certo, principalmente porque a história de Pasta Senza Vino foi além de um romance entre homem e mulher.

A paixão, aliás, foi o que menos me envolveu na leitura, mas eu adorei acompanhar as peripécias de Toni com Nicola, conhecer a história do velho Gennaro, ver o resgate da relação entre familiares, e sofrer com as trapalhadas com o chefe Duccio e o colega Giuseppe.

"- Toni, olhe para mim.
Em um reflexo, obedeço. Então ela me beija. Enquanto sinto sua língua na minha, coloco uma mão em sua cintura e outra em sua nuca, envolvendo seus cabelos entre meus dedos. Aline tem um perfume frutado. Duas frutas misturadas. Mas não sei dizer quais são.
- Calma, Toni... precisamos de ar.
- Mais que isso: precisamos de vinho. Aceita?
- Vino sempre!"

Se, por um lado, Aline, la donna que mudou Antonello, pouco importava para mim, Karolina realmente fez a diferença na trama. Quando percebi, era por ela que eu torcia, era com ela que eu queria que o final feliz chegasse. Nesse ponto, fui surpreendida novamente, já que Eduardo Krause conduziu o enredo a descobertas inesperadas e a uma reviravolta entre Antonello e Aline que modificou todo o resto, sem deixar o marpione perder sua principal característica em momento algum.

Pasta Senza Vino me conquistou com uma trama inovadora e tradicional ao mesmo tempo, que por suas tantas características inesperadas me surpreendeu positivamente, arrancou alguns sorrisos e, mesmo com um protagonista que está longe de estar entre meus favoritos, conseguiu um lugar cativo entre os livros nacionais que  me encantaram.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

13 comentários:

  1. Olá!
    Tbém não conhecia esse autor!
    E confesso que o livro não me agradou...só leria se eu ganhasse...
    Vou deixar amadurecer a ideia, quem sabe mais para frente!!!!
    Lindo FDS!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  2. Olá Ju! Também nunca tinha ouvida falar antes desse livro nem do autor, essa resenha me deixou bastante curiosa em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Não conhecia o livro, uma pena nao ter me interessado...mas pra quem curte parece ser legal...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha ouvido falar desse livro e apesar de gostar de conhecer autores novos essa história não me chamou atenção, a resenha me mostrou que no livro tem tudo o que eu não gosto de ler, então dessa vez passo a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o autor, gostei do envolvimento de um Italiano com uma Brasileira. Mas não gostei de Antonello por ser machista e garanhão entre outras coisas, mas se ele muda seu caráter sobe no meu conceito kk. Se tiver oportunidade leria a obra.

    ResponderExcluir
  6. Uma grande reviravolta na sinopse hein. Esses homens quando se apaixonam, sei não viu? Kkkk
    Você citou essa parte de ter alguns trechos em italiano e que não te incomodoram. Que bom! Pois vi uma resenha em um blog amigo que isso atrapalhou totalmente a leitura, e faz os leitores ficarem perdidos. Que bom mesmo que isso não foi um ponto crucial pra você.
    Esses protagonistas causam mesmo uma repulsa. Eu gosto dos libertinos(nos romances de época) e dos garanhões ( atualmente) quando deixam de ser no momento certo. Não sei se isso acontece nesse livro.
    Bem, que bom que no final gostou da leitura, no sei se eu iniciaria a leitura, já li varias crítica negativas, a gente fica meio na duvida ne?
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Olá Julia,
    Também não conhecia o autor e o livro, mas estou buscando conhecer mais os autores nacionais, então vou anotar a dica e se algum dia tiver a oportunidade pretendo ler. A história parece ser envolvente e bem escrita, só não gostei da personalidade do Antonello, mas só lendo para tirar as minhas próprias conclusões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Júlia. Confesso também que nunca ouvi falar do livro e se eu fosse julgar pela capa, também não gostaria de ler, mas lendo sua resenha, vejo que se trata de uma história de redenção, de aprendizado, onde os personagens principais acabam aprendendo com a vida e mudando justamente por causa dela. A premissa de ter palavras italianas me é interessante porque você dá mais credibilidade ao lugar onde retratam a história. É como se acabássemos entrando no enredo que se passa na Itália, nos fazendo parte da história também.
    Sua resenha está perfeita! Um beijo.
    O Reino Encantado de uma Leitora

    ResponderExcluir
  10. Oi Ju
    Não conhecia o livro, achei interessante o enredo, mas não sei se o leria. Não faz muito meu estilo. Mas adorei saber seu ponto de vista.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    É tão bom conhecer livros nacionais! Confesso que o protagonista parece ser bem intragável, mas espero me surpreender com ele. Com certeza pretendo ler esse livro. Fiquei bem curiosa com relação ao desenrolar do enredo.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia esse autor também, e apesar de a resenha ser positiva, não consegui me interessar pela história e nem gostei muito dos personagens. :/ Acho que isso atrapalharia na fluidez da leitura, então não leria esse livro.

    ResponderExcluir
  13. Olá Ju!!!
    Eu me encantei com esse livro, também recebi ele pela Oasys através do blog Malucas Por Romances para resenha.
    Eu li o livro com um certo receio, pois já embarquei em livros com mais ou menos o mesmo enredo e acabei me decepcionando. Porém, quando vi já tinha me encantado e me apaixonado pela obra :3
    Ao contrário de você eu torcia pela Aline e pelo Antonello juntos rsrsrs
    Adorei a resenha, como sempre está incrível :)

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.