Turma da Mônica: Lições - Lu e Vitor Cafaggi

Sinopse: Mônica, Cebolinha, Magali e cascão cometem um erro grave na escola. Agora terão que encarar as consequências. E elas não serão poucas! Depois do sucesso de Laços, os irmãos Vitor e Lu Cafaggi retornam aos clássicos personagens de Mauricio de Sousa em Lições, mostrando o real valor da palavra amizade nesta turma. (Skoob)
CAFAGGI, Lu e Vitor Turma da Mônica: Lições. Editora Panini, 2015. 82 p.

O segundo trabalho dos irmãos Cafaggi à frente da Turma da Mônica é muito mais intimista e profundo do que o primeiro. Ele me surpreendeu nos traços, mais artísticos e bonitos, nas cores, menos saturadas e dispersas, nas formas dos personagens, mais detalhadas e expressivas, e, principalmente, no teor da mensagem moral que é entregue.

Na verdade, posso afirmar que toda a história me deixou depressivo. Não porque ela seja triste, mas porque ela demonstra, de forma muito clara, três coisas: como é doloroso amadurecer; como os pais, na sua gigantesca maioria, não tem a menor ideia do que os filhos pensam e passam; e como os filhos não tem abertura, ou incentivo, para expressarem seus problemas, seus desejos, seus medos, seus sentimentos perante os adultos.


Por terem esquecido de fazer o dever de casa, Cebolinha convence Cascão, Mônica e Magalí a matarem aula. Na fuga do colégio, ao pular o muro, Mônica cai e quebra o braço. A consequência disso é a suspensão por uma semana e o castigo de ficarem separados de segunda a sexta-feira. Os pais de Mônica vão um pouco mais além e a transferem de colégio. Ela só poderá ver os amigos nos sábados e domingos.

A partir de então, são impostas, aos quatro, mudanças de hábitos: Cebolinha terá que frequentar uma fonoaudióloga; Cascão terá que aprender a nadar, ou seja, entrar na água; Magalí terá que aprender a se comportar à mesa e a controlar suas refeições; e Mônica terá que se adaptar a novos colegas, que não conhecem sua fama de durona.


Turma da Mônica: Lições é uma obra ambiciosa pela complexidade do enredo. Ela não se contém apenas em apertar nosso coração, mas ela também extrapola todas as barreiras impostas aos quatro amigos, que, de certa forma, são o que definem cada uma de suas personalidades. Além de enfrentarem a solidão que sentem por estarem separados, eles terão que aprender a controlar e superar suas próprias limitações, seus defeitos físicos e de comportamento.

Isso é crescer, é amadurecer. E é doloroso. Ainda mais quando os pais dos quatro não têm a menor sensibilidade do que eles estão enfrentando. Os pais de Cascão não oferecem apoio ao medo que o garoto tem da água; os de Cebolinha não reparam em como ele apanha do Tonhão no colégio, uma vez que não tem mais a proteção da Mônica; os de Magalí não controlam o apetite da menina e a matriculam em um curso de etiqueta, onde a professora a ridiculariza na frente das outras alunas; e os da Mônica não tem a menor ideia de como a filha é forte e de como ela se sente abandonada no meio de um ambiente estranho e hostil, que é o novo colégio.


Esta edição é, emocionalmente, muito forte. E cada quadrinho, cada composição de cena, cada posicionamento dos personagens é feito de forma a expressar toda a angústia e dificuldade que os quatro amigos enfrentam. Como nas partes que eles brincam separados por paredes, através de janelas, escondidos, de noite, à distância, uma vez que não podem ficar juntos. É triste, mas é lindo como a amizade deles persiste e é mais forte do que qualquer imposição dos adultos.

E no fim da história, quando os quatro estão prestes a vencer todas as suas barreiras, os autores paralisam a cena, deixando para o leitor imaginar como é essa passagem da inocência para algo mais maduro, algo menos belo.


Mas nada nos prepara para o último quadrinho, quando já estamos convencidos de que eles aceitaram a nova fase, somos presenteados com um único quadrinho, um único balão com três pequenas palavras, uma única expressão no rosto da Mônica, que nos mostra como eles continuam sendo a mesma turminha.


É difícil não chorar e rir ao mesmo tempo.

Ah, só uma pequena reclamação: pela pequena introdução feita por Maurício de Souza no início da edição, acho que ele entendeu o mesmo que os pais dos quatro meninos, ou seja, nada.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

13 comentários:

  1. Oie
    Fiquei encantada com a diagramação do livro e com o enredo. Fiquei louca para ler.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ai meu coração já ficou pequenininho :(
    Li Laços e achei a coisa mais fofa ♥
    Já quero esse, só pelo aprofundamento da história.


    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia essa versão dos quadrinhos da Mônica e fiquei com muita vontade de ler, as ilustrações estão lindas e a história parece ser de uma sensibilidade enorme.

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Que lindoooo! Minha infância toda lendo os gibs...Fikei mto curiosa pra ver essa nova versão, tá incrível realmente!
    Mto fofurinha!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos, fiquei emocionada só em ler sua resenha, imagino como não deve ser o livro. Fiquei pensando agora sobre quando eu for mãe, espero conseguir ter abertura com meus filhos. rsrs
    Adorei seus comentários, fiquei muito curiosa para conhecer essa versão da Turma da Mônica ;)

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Poxa...vou começar pelo fim, kkk, bem a minha cara, kkk
    Louca para ler a introdução do Maurício, kkkk
    Não conhecia essa versão da Turma da Mônica e só de ler a sua resenha, já fiquei pensando em como eu faço com o meu filho, kkkk
    Muito interessada em ler esse livro...
    E sempre repito...quero que meu filho curta a sua infância, pois ser adulto ele vai ter tempo de sobra e não é aquelas maravilhas, kkkk...a melhor fase de nossa vida é a infância, com certeza!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  7. Curto muito HQs e a turma da Mônica, lia muito os gibis da turma da Mônica quando criança, agora depois de ler essa resenha esse livro foi para o topo da minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  8. Adorei os desenhos, o enredo parece ser bem reflexivo. O tema em si é bem interessante, fiquei realmente curiosa para ler. Espero rir e chorar também <3
    Os quadrinhos da turma da mônica marcaram muito minha infância, espero gostar também desses ''novos''.

    ResponderExcluir
  9. Ah, eu adoro essa história em quadrinhos, já li tantos ! Esse esta bem diferente mesmo, mas as aventuras são as mesmas não ?
    Só achei a atitude dos pais um pouco precipitada demais, mas eu iria adorar ler essa Lindeza :)

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia essa turma da Mônica é bem diferente das outras, como já diz essa é uma lição de vida para os pais, deve nos passar aprendizado de como as vezes lidamos com a situação de uma forma radical e isso afeta e muito os filhos, devemos conversar mais com eles.

    ResponderExcluir
  11. Olá Carlos,
    Apesar de terminar de ler a resenha com o coração apertado devido ao enredo emocionalmente forte, tive uma nostalgia de rever essa turminha! Passei a minha infância lendo os gibis da Turma da Mônica, ainda guardo algumas edições, fico sentida de lembrar que me desfiz da grande maioria :/
    Amei os traços, e a história me tocou demais, vou dar um jeito de comprar a edição de Laços e essa também.

    ResponderExcluir
  12. Nossa, me emocionei agora com essa resenha. :') Cresci lendo os gibis da turma da Mônica e essa versão é um presente enorme para os fãs da turminha. É como se acompanhassemos agora essa fase de amadurecimento que é tão complicada, cheia de mudanças. Vou procurar para ler!

    ResponderExcluir
  13. Olá Carlos!!!
    Estou escrevendo esse comentário com lágrimas nos olhos e pensando se só com a resenha estou assim, imagina quando eu ler essa obra prima :'(
    Nossa que história mais forte e logo com os meus personagens preferidos de Maurício de Sousa.
    Parabéns pela belíssima resenha que me tocou totalmente e que trata de um assunto tão complicado que é a passagem da infância para adolescência para a fase adulta.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.