Teoria do Amor - Halice FRS

Sinopse: Será possível que duas pessoas de temperamentos e convicções tão opostas, cedam aos impulsos do coração?
Alex é cético quanto ao amor. Não entende como alguém pode se tornar afetivamente dependente de outra pessoa. Aos 39 anos, é um solteiro convicto. Por uma necessidade ocasional, vive recluso em uma casa afastada da civilização, onde não há eletricidade, água encanada, meios de comunicação nem veículos.
Maya é uma leitora aficionada e uma romântica incurável. Não consegue imaginar a vida sem amor, mesmo que seja um amor platônico. Aos 26 anos decide investir em um relacionamento e aceita passar as férias na companhia de William, por quem é secretamente apaixonada. O que ela não contava era que ele se envolvesse com uma desconhecida na primeira oportunidade.
E por obra do destino, os caminhos de Alex e Maya se cruzam, obrigando-os a conviver sob o mesmo teto por três dias, em uma inusitada relação, que forçará ambos a lidar com as diferenças um do outro. Mas essa tarefa não será nada fácil, uma vez que o convívio entre eles se assemelha ao de cães e gatos. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a editora
FRS, Halice. Teoria do Amor. Ler Editorial, 2016. 368p.

Esse livro é leve e perfeito para alternar entre uma leitura mais densa e outra. É muito interessante quando uma historia se passa no mesmo país de origem do leitor, isso traz uma conexão instantânea com o que nos é narrado. Por falar em narrativa, a mesma é alternada entre os personagens principais, o que nos dá uma maior amplitude sobre o que se passa na história. Adoro um bom romance e quando li a sinopse confesso que as minhas expectativas foram parar lá no alto.    

A Maya está naquela fase da vida em que já conquistou a própria independência financeira, trabalha com o que gosta, além de dividir um apartamento com a melhor amiga. Só falta um grande amor para fechar a lista de metas com chave de ouro. Ela até já encontrou o cara aparentemente perfeito para isso, mas o dito cujo não parece querer se enquadrar nessa categoria de jeito nenhum.

Em meio a sentimentos confusos e um acidente de moto ela acaba conhecendo Alex, um enfermeiro recluso muito mal humorado e com um estilo de vida no mínimo muito intrigante. Não quero adentrar muito nos detalhes a partir desse ponto já que o mistério em volta do Alex é que dá o tom ao enredo.

– Um cara que enche a cara por amor devia ser internado – Alex desdenhou. – Isso de afogar as mágoas é para os fracos. Ninguém é tão importante para outra pessoa.
- Pensa isso de verdade? – Se, sim, ele seria encrenca ao cubo.
- Tudo bem, eu não vou polemizar generalizando, mas, para mim, nunca alguém seria tão importante. Sendo sincero, acho que amor nem existe.

Infelizmente, a história em si não conseguiu me cativar tanto. Não senti nenhuma conexão com os personagens principais. Achei a Maya um tanto quanto carente e sem um pingo de amor próprio, o que a fez passar por situações que poderiam ser evitadas se não estivesse tão focada em precisar de alguém desesperadamente para amar. Já o Alex, no auge dos seus 40 anos, é um personagem machista e terrivelmente obtuso. O tipo de homem que não se importa muito com os outros a não ser que sejam úteis para que ele possa alcançar os seus próprios objetivos. Confesso que já li alguns livros com personagens irritantes, mas ele conseguiu parar no topo da minha lista.

Apesar da minha falta de empatia com os personagens, preciso admitir que não larguei o livro até o final por curiosidade em saber como eles conseguiriam sair das trapalhadas homéricas que cometeram durante a maior parte da história. E isso só aconteceu por conta da escrita da autora que é impecavelmente agradável. Ela soube alternar com maestria os momentos de romance, tensão e comédia. 

Mesmo com todas as reviravoltas em Teoria do Amor, a minha experiência com o livro não foi das melhores. Porém, a estrutura que não funcionou para mim pode ser perfeita para outros leitores, independentemente de ser de um autor nacional ou não. Tendo isso em mente, indico para quem procura por uma leitura leve e despretensiosa.



Dé Lima
Dé Lima

Meu nome é Débora, mas pode me chamar de Dé. Minha vida é cheia de livros, provas para concursos, doramas coreanos, turismo pela minha cidade, rock n´roll, felinos, moda vintage e café amargo. Tenho muitos planos de conhecer os lugares pelos quais já viajei através dos livros, mas o que eu queria mesmo era sair correndo pelo Louvre.

12 comentários:

  1. Vou ser sincera: não sou muito chegada em narrações que se alternam, principalmente se for em primeira pessoa. Acho que já vi a capa desse livro por aí, mas ele nunca me chamou a atenção realmente, mas percebe-se logo de cara que tem uma história leve. Uma pena que os protagonistas não tiveram uma conexão boa.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Dé, sabe que vejo muitas pessoas falando que não se tornaram fãs desse livro? Pois e, acho que não foi só com você que não funcionou muito bem. Eu nunca li, mas acho a sinopse bem divertida. São mesmo muito diferentes e ficamos imaginando com eles vão se acertar .
    Nao sei mesmo se eu leio com tantas criticas negativas, quem sabe algum dia ne? Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei um pouco desanimada, mesmo assim ainda pretendo conferi essa história, que pena que não te agradou.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Dé!
    Que pena que o livro não funcionou pra você.
    Eu estava com vontade de ler, mas depois do que você comentou na resenha, acho que vou passar.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Gosto de histórias com pontos de vista diferentes mas o livro em si não me despertou curiosidade, achei a história muito fraca e não consigo gostar de personagens tão apáticos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Dé. Sei muito bem como não é gostar de algum personagem, isso dificulta muito mais as leituras e deixa uma coisa divertida meio árdua para continuar. Eu até leria o livro, mas eu não sei se os personagens carentes e machistas demais me chamam atenção.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  7. Dé!
    Estava até animada com a sinopse, afinal, é um romance entre adultos e não com adolescentes, porém, fiquei triste em saber que o comportamento dos protagonistas não trouxeram empatia alguma para você e a leitura não foi como gostaria...
    “A missão suprema do homem é saber o que precisa para ser homem.” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Adoro quando a narrativa é alternada entre os personagens... Nunca li nada da autora e confesso que tenho um fraco por personagens mal humorados como o Alex rsrs agora fico pensando qual o segredo de Alex..
    Geralmente me sinto mais ligada com livros que se passam fora, os nacionais que li não fizeram eu me sentir aqui... nem pareciam acontecer no Brasil

    ResponderExcluir
  9. Não despertou meu interesse esse livro, a historia parece ser meio rasa, sem aprofundamento e não vi nada demais, que passa algum ensinamento ou curiosidade no leitor. Achei muito comum.

    ResponderExcluir
  10. Quando o livro não atinge o que esperamos realmente é decepcionante, pela sua resenha eu estava até me interessando, mas quando você falou o que achou, me desanimei...acho que não vou ler.

    ResponderExcluir
  11. Poxa, Dé, uma pena que o livro não tenha sido tão bom pra você assim. Mas realmente, só por esse quote já deu pra ver que o Alex é bem turrão e insensível, e tendo mistério em torno dele ou não, eu não gostei nada dele. Se eu tivesse o livro em mãos o leria por pura curiosidade mesmo, mas não faria questão.

    ResponderExcluir
  12. Oii Dé!!
    Que gracinha de livro!! A leitura parece fluir super bem!
    Adorei! Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.