O Teorema Katherine - John Green


Sinopse: Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera. (Skoob)

GREEN, John. O Teorema Katherine. Intrínseca: 2013. 304 p.


Imaginem só podermos prever o tempo de duração dos nossos futuros relacionamentos. Imaginaram? Pois é isso mesmo que Colin Singleton, menino prodígio e fissurado por anagramas, resolve fazer depois do seu décimo nono pé na bunda. E o mais curioso é que todas as dezenove ex-namoradas de Colin se chamam Katherine. 

Depois de quase um ano de namoro, Katherine XIX resolve que é hora de seguir seu caminho (assim como as outras). Acontece que Colin não reage muito bem dessa vez. Para amenizar a dor, ele resolve fazer uma viagem no Rabecão de Satã com seu melhor amigo árabe Hassan.

Durante a viagem, os dois meninos resolvem parar em uma cidadezinha chamada Gutshot. Lá eles conhecem Lindsey Lee Wells, a menina que consegue ter uma personalidade diferente para cada grupo que frequenta. A mãe dessa menina, Holly, oferece um emprego de verão para Colin e Hassan e os dois acabam se hospedando na casa das duas por um tempo. Ao longo da estadia, além de ajudar Holly, Colin começa a trabalhar freneticamente no seu teorema. 

"— Eureca — ele disse, e só após falar foi que percebeu 
que havia acabo de sussurrar pela primeira vez. — Eu me dei conta 
de uma coisa — falou em voz alta. — O futuro é imprevisível."

Uma coisa que eu gostei muito nesse livro é a amizade que vai surgindo entre os personagens. Chega em uma parte que a própria Lindsey percebe que ela só consegue ser ela mesma quando está com Colin e Hassan. Além disso, há um pequeno romance que, apesar de ser um pouco previsível, não é nem um pouco forçado. Não que tenha me feito suspirar também, mas acabei torcendo bastante para dar certo. 

Preciso ser sincera com vocês: morria de medo de ler esse livro. Em todos os lugares as pessoas diziam que esse é o livro mais fraco do John Green. Mas preciso ser sincera com vocês de novo: ter lido esse livro sem nenhuma expectativa foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido, porque me apaixonei perdidamente por ele. O livro é, sem sombra de dúvidas, o mais original de todos os que li do autor. É tão carregado de humor que a leitura flui super rápido. Eu mesma li em uma sentada só! Os personagens são bem construídos e a história é fantástica (principalmente para aquelas pessoas fãs de exatas).

No final até encontramos um apêndice escrito pelo Daniel Biss, um dos melhores matemáticos dos Estados Unidos segundo o próprio Green, que explica direitinho a fórmula que Colin encontra para fazer o teorema "funcionar". Uma leitura leve e, apesar de todos os comentários, fascinante.




Ana Clara
Ana Clara

Amante de livros sonha em ter uma biblioteca gigantesca em casa. Lê qualquer coisa que colocarem na frente, desde biografias a rótulos de shampoo. Detesta cachorros e, para ela, os gatos são as criaturas mais fantásticas do mundo. Quando o assunto é música, não cansa de mostrar seu amor pelos Beatles, além de ser fã de fé dos Engenheiros do Hawaii. Também é apaixonada por MPD e louca por O Teatro Mágico do último fio de cabelo até a planta dos pés. Se quiserem saber mais, acompanhem também o blog Roendo Livros.

4 comentários:

  1. Oi Ana!
    Eu só li "A culpa é das estrelas" desse autor, mas esse é o livro dele que mais tenho vontade de ler, justamente por ser tão diferente. Parece muito bom!

    Beijos,

    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu tentei ler este livro, mas sei lá, comigo não funcionou, e acabei trocando ele. Uma amiga minha leu e gostou. Isso depende de pessoa pra pessoa eu acho.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ana! Tudo bem contigo?
    Eu li esse livro e acho que justamente por eu ser MUITO de humanas e detestar as exatas, não me envolvi muito com a parte matemática do livro. No entanto, fora isso, adorei também o desenvolvimento da amizade de Colin, Hassan e Lindsey. Deu-se de forma natural e convincente, assim como o romance que encontramos no livro.
    Bem, é um bom livro e que realmente arranca boas risadas. Eu gostei!

    Um abraço!

    Blog || FanPage

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana!
    Eu já li dois livros de Green, A Culpa é das Estrelas e Quem É você, Alasca?, mas não gostei de nenhum deles. Mesmo assim, fiquei curioso quanto a este que leu, pelo fato de dizer que ele é engraçado. Vou arriscar uma terceira tentativa com o autor. Abs

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.