Oníria - B. F. Parry

Sinopse: Existe um mundo de cuja existência ninguém suspeita. Um lugar, porém, para onde todos nós viajamos a cada noite. Um universo em que tudo é possível. Oníria, o Reino dos Sonhos. Eliott, de doze anos, aparentemente é um menino como outro qualquer. Até o dia em que sua avó lhe dá uma ampulheta mágica que lhe permite viajar a um mundo tão incrível quanto perigoso: Oníria, o Reino dos Sonhos. Um mundo onde milhares de personagens e universos ganham vida, assim como as coisas mais loucas e assombrosas sonhadas todas as noites pelos seres humanos. Um mundo no qual o espírito do pai de Eliott, mergulhado em um sono misterioso, estaria preso há vários meses. Estudante comum de dia, mas um poderoso Criador à noite, Eliott pode fazer aparecer tudo o que deseja pelo simples e imenso poder de sua imaginação. Explorando Oníria para salvar seu pai, Eliott se verá confrontado com seu extraordinário destino: ele descobrirá que é o Enviado, encarregado de salvar o reino, ameaçado pela sangrenta revolução dos pesadelos. (Skoob)

PARRY, B. F. Oníria. Editora Verus, 2016. 252 p.

Pode ser muito complicado apresentar todo um mundo novo, repleto de criaturas e conceitos a que não estamos habituados, a um leitor pela primeira vez. É assim com Oníria, mas a autora, Parry, consegue executar a tarefa com relativa competência. Digo relativa, porque, em certos momentos, há uma perda na descrição das criaturas e ambientes, como se Parry não soubesse bem como descrever o que estava acontecendo.

De qualquer forma, isso acaba sendo um problema menor, diante da diversidade de criaturas e locais que Eliott percorre em sua aventura para salvar a vida do pai. O garoto, de apenas 12 anos, aceita a árdua tarefa de partir em busca do Mercador de Areia, o único que poderá ajudá-lo. Mas as coisas se mostram mais difíceis do que ele esperava. Felizmente, conta com a ajuda de Farjo, uma criatura que pode mudar de forma, mas que usa a de um macaco com mais frequência; e com Katsia, uma garota que luta como ninguém, mas que é dura de convencer, apesar de se mostrar, aos poucos, como uma fiel amiga.

"Paralisado e furioso, Eliott viu três criaturas irromperem do dorso da Besta. Tinham corpos de mulheres, mas seus olhos eram enormes e não possuíam nariz, nem boca. Usavam malhas grudadas na pele e se deslocavam com quatro patas a uma velocidade alucinante: mulheres-aranha!"

Além dessas alianças, Eliott é dono de uma ampulheta que lhe dá o poder de Criador. Ou seja, no mundo dos sonhos, com apenas um pensamento, ele pode ir a qualquer lugar que consiga visualizar, além de criar qualquer coisa, até seres vivos, desde que tenha a força de vontade suficiente para isso.

Usando seus poderes, além de tentar salvar a vida do pai e enfrentar a madrasta no mundo real, uma verdadeira vilã, Eliott ainda terá de enfrentar dragões, conquistar uma princesa, fugir de prisões, atravessar lugares como vulcões e desertos, além de fugir da rainha de Oníria, que quer seu poder de Criador para formar um exército e expulsar os pesadelos do mundo dos sonhos. Só que os pesadelos não são criaturas assim tão más.

Oníria é uma aventura voltada para o público infanto-juvenil. Mesmo assim ele é facilmente apreciado pelo leitor que gosta de fantasias, distopias ou aventuras com criaturas e batalhas entre reinos mágicos. Como é o primeiro volume de uma série, a história é interrompida, literalmente, numa parte chave, o que pode frustrar o leitor desavisado, como eu rssssssssss.

Espero que a continuação não demore a ser publicada. Muito!
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

16 comentários:

  1. Esse é um livro que eu considero bem diferente das minhas leituras habituais. Me lembra muito aqueles filmes de fim de tarde, que a gente senta e acha o filme fofinho kkkk
    Confesso que talvez eu não leria esse livro, não gosto muito de personagens tao novos. Talvez, seja uma leitura pra criança mesmo, com todo esse universo de sonhos 😉
    Abraços !

    ResponderExcluir
  2. CARLOS!
    Gosto demais de livros de fantasia, voltados ao público infanto-juvenil porque sempre são carregados de aventura e precisamos usar nossa imaginação para acompanhar.
    O que achei estranho é que toda essa responsabilidade para uma criança de 12 anos...
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Oi
    primeira resenha que leio desse livro, parece ser uma leitura interessante e bem gostosa, gostei da proposta do livro.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Não sei nem quanto tempo que eu não leio nada de infanto-juvenil, mas eu adoro, principalmente porque a narração é sempre de fáicl entendimento. Aliás, fico imaginando que essa livro deva ser assim também, mesmo com a quantidade de criaturas diferentes apresentadas, e essa coisa de o garoto procurar o pai é bem legal. Gostei muito da sua resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Carlos!
    Realmente o final dá uma certa raiva huahua mas me deixou mega curiosa para a continuação. Também curti a leitura.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DO HOBBIT

    ResponderExcluir
  6. Oi Carlos!
    Gosteeei mto da resenha! Aai eu tenho mta vontade de ler esse livro, desde q eu vi gostei dmais!
    Bom, pelo que li, é mto bom realmente!
    Preciso!

    ResponderExcluir
  7. Achei essa capa bem legal e gosto de fantasias, é verdade é difícil inovar nesse meio e quando algum autor consegue desperta logo a curiosidade no leitor em ler. Queria uma ampulheta igual a de Eliot rsrs e ter esse poderes, achei ela super interessante.

    ResponderExcluir
  8. Fantasia é meu gênero favorito de livro, mas alguma coisa nessa história me incomodou. Pelo que percebi a autora criou um mundo com mil coisas e mil possibilidades e não sei explicar mas me pareceu tudo muito forçado.
    E realmente queria entender pq os autores de fantasia não conseguem fazer uma história num volume único comecei a ler outros livros por conta disso, não tenho condiçõe$ de ficar comprando séries hahaha

    ResponderExcluir
  9. Oie
    Gosto de ler fantasias para diversificar minhas leituras, ainda não conhecia este livro. Não curto livros sem finais, que nos deixam loucos pelo o próximo da série, por isso até ando evitando ler séries. Mas é interessante este livro.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito de ler livros desse gênero, sempre tem alguma coisa interessante. Esse não me deixou muito curiosa, mas mesmo assim acho que leria se tivesse uma oportunidade. Seria ótimo poder conhecer melhor o mundo criado pelo autor.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  11. Ola.
    Já tinha ouvido falar do livro e fiquei bem curiosa com o enredo. Apesar de não estar lendo muito infanto-juvenis no momento, esse livro me chamou a atenção por ser diferente de todas as fantasias que li.
    É uma pena que a autora deixou alguns elementos poucos descritos, mas creio que isso não prejudique a leitura.
    Como é uma série, acho que vou esperar o lançamento dos demais volumes para ler a série.

    ResponderExcluir
  12. Oiie
    Meu contato com a fantasia fica restrito aos clássico de Pullman, Paolini e Lewis. Mas imagino como deve ser realmente difícil equilibrar uma rica descrição de cenas, criaturas e várias coisas nunca vistas com certa agilidade para que o enredo não fique enfadonho. Contudo, o enredo parece ser muito bom mesmo e os personagens bem construído.
    Beijos.

    http://notasmentaisparaumdiaqualquer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto muito fantasia e distopia, agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  14. eu amo fantasia! e esse livro apesar de ser voltado para o público-infanto juvenil parece ser bem legal
    mas eu acho que vou esperar sair a continuação antes de começar a ler...

    ResponderExcluir
  15. Que resenha legal,livro tudo é possível,queria eu ter essa ampulheta mágica e viajar de verdade pelo meus sonhos

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.