Fullmetal Alchemist - Hiromu Arakawa


Sinopse: A história de dois alquimistas à procura da pedra filosofal. Resumido assim, o enredo pareceria bem trivial… Mas em Fullmetal Alchemist nem tudo é o que parece ser, a começar por esta definição da busca dos irmãos Elric. Neste primeiro volume conhecemos Alphonse e Edward Elric, dois alquimistas que chegam a uma cidade profundamente devota ao seu Deus e àquele que divulga sua fé, o Pai Cornello. Este religioso tem praticado atos milagrosos que se parecem muito com transmutações alquímicas, e investigando a origem de tais milagres eles conhecem Rose, uma garota que busca na religião a esperança de rever seu amado. Assim se inicia a jornada que desafiará os limites da fé e da ciência (Skoob)

ARAKAWA, Hiromu Fullmetal Alchemist. JBC, 2016. 192 p.


Se tem um anime/mangá que ficou gravado em minha memória, ele se chama Fullmetal Alchemist. O primeiro anime alcançou o mangá no 25º episódio. Depois, os acontecimentos ficaram um pouco diferentes, mas em nada inferiores. O último episódio me fez chorar. Depois, veio o filme que encerra por definitivo o anime. Chorei demais! Mas não de tristeza. Pela saudade que iria sentir de Ed e Al e todos os personagens secundários que aprendi a amar, como Roy, Alex, Winry, e tantos outros.


Mais recentemente, lançaram uma nova versão do anime, fiel ao mangá, com a mesma qualidade do anterior, menos as músicas. Duas, em especial, do primeiro anime, não canso de ouvir. Deixo o clipe delas no fim deste post.

Bem, mas vamos à história, para quem não conhece.


O pai de Edward (Ed), e Alphonse (Al), desapareceu quando os dois ainda eram crianças. Anos mais tarde, a mãe deles morre de uma doença. Na tentativa de trazê-la de volta à vida, os dois irmãos fazem uso da alquimia, especificamente da transmutação humana. Mas as coisas dão errado. Ed perde o braço, e Al o corpo inteiro. Para evitar que o irmão morra, Ed consegue prender a alma dele em uma armadura de aço, mas perde a perna no processo.

Após a tragédia, Winry, uma amiga de infância dos dois, e a avó dela, Pinako, duas mestres na construção de próteses mecânicas chamadas automail, criam um braço e uma perna para Ed.

Recuperados, Ed vira uma Alquimista Federal e parte, junto com Al, na busca da Pedra Filosofal, um catalisador que poderá fornecer os meios para que Al recupere seu corpo, e Ed seu braço e perna.

Essa é a premissa básica de Fullmetal Alchemist. Mas é apenas a fagulha que inicia o fogo.


Por todos os volumes do mangá, bem como pelos episódios das duas versões do anime, você conhecerá personagens incríveis, de personalidades bem moldadas, histórias alegres e tristes, conquistas, perdas, mortes, amores, sacrifícios, batalhas, derrotas, vitórias...e, em tudo isso, aquilo que torna a série única: o amor que une os dois irmãos, bem com a amizade dos amigos que os cercam.

Aí você me diz que tem outros mangás onde também existem amor e amizade. Sim, tem. Mas não igual Fullmetal Alchemist.


Os personagens principais, além de Ed e Al, são poucos. Isso facilita o leitor a criar um vínculo mais rápido e forte, porque acompanha sempre a trajetória deles. Além disso, a ligação que os une é muito bem feita. Eles realizam sacrifícios, no real sentido da palavra, para que quem eles amam fique protegido ou seja salvo. A relação emotiva entre todos é algo muito bonito. Em diversas partes é quase impossível você não chorar ou pular de alegria.

Em Fullmetal Alchemist você conhecerá dois dos personagens mais bem criados psicologicamente de todos os mangás que conheço, com exceção de Lobo Solitário (obra prima que fica acima de qualquer outro mangá), e de Battle Angel Alita. Inclusive, estou devendo resenha dessas duas obras aqui no blog.

Felizmente, a JBC está relançando todos os volumes de Fullmetal Alchemist no Brasil, e você pode encontrar o número um ainda nas bancas de todo o país.


Por último, mas não menos importante, Fullmetal Alchemist possui duas músicas da primeira série que correm o mundo de tão bonitas e contagiantes. Abaixo estão os vídeos de abertura em que elas tocam, bem como a versão brasileira da mais famosa das duas.

MELISSA, versão original:


MELISSA, versão nacional:



ASU HE NO BASHO


Não perca! Mesmo! Sério! Vai logo na banca! Compra! Está esperando o quê? Ainda aqui? Vai! Vai!
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

13 comentários:

  1. Oi, Carlos!
    Menino, eu tentei ler mangá, mas sou um tanto quanto dislexa e não consegui :( Mas estou me preparando para uma maratona do anime.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção seis anos de Caverna Literária

    ResponderExcluir
  2. Não consigo gostar de animes/mangás, o estilo das histórias e do jeito que elas são escritas não me agradam em nada e sempre fujo desse tipo de leitura.

    ResponderExcluir
  3. É bem difícil eu ler resenhas de mangas e animes, mas tenho visto bastante opiniões sobre esse volume de fullmetal alquemist, e tenho ficado curiosa. A temática familiar é bem interessante e os desenhos são super bem feitos. Acho que vou dar uma chance ao anime primeiro.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Este não é o meu estilo, mas para quem gosta parece ser interessante.

    ResponderExcluir
  5. Um dos únicos animes que eu sou apaixonada é Naruto. Nunca dei uma chance pra outros animes, mas confesso que gosto de como funciona. Alem de todos os ensinamentos que cada um traz, sempre com reflexões e diversão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Carlos!
    Eu chorei tanto assistindo ao final do anime. Fullmetal Alchemist é um dos meus favoritos. Por muitas vezes eu senti vontade de proteger o Ed e o Al de tudo o que estava acontecendo. E a trilha sonora é mesmo maravilhosa. Tem umas versões ao som de violino no youtube sensacionais!
    Nunca li o mangá e sinto uma dorzinha no bolso só de pensar em colecionar. É uma história que vale muito a pena ter na estante, isso é um fato!
    Não conheço Lobo Solitário ou Battle Angel Alita. Vou aguardar as suas resenhas pra saber mais por aqui.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi olá, menino Carlos!

    O mangá é tão lindo...;-; come on, let me touch it! HAHAHAHA Nunca vi o anime, SHAME ON ME. Preciso muito ver, tanta gente fala tão bem, e já que agora só tenho tempo de ver um anime por ano, essa seria a escolha perfeita, não seria? HASUHUASHUAS

    /Beijocas da Saroca - interesses-sutis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Carlos!
    Achei bem interessante um mangá/anime que confronta o alquimismo com a religião.
    Não tenho lido muitos animes, mas fiquei interessada neste.
    E realmente as músicas são boas.
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Nossa esse anime/mangá parece super interessante, não leio frequentemente mangá mas de vez em quando curto variar minhas leituras e me aventura por outros gêneros.

    ResponderExcluir
  10. Não costumo ler mangá, mas achei bem interessante esse, muitos assuntos abordados e que confusão os irmãos se meteram querendo trazer a mãe de volta. Confesso que fiquei curiosa em saber se eles conseguem a pedra filosofal rs.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Carlos!
    Não sou muito chegada em mangás, os únicos que eu cheguei a ler foram alguns de Naruto. Já conhecia Fullmetal pelo nome, mas não fazia ideia de que era tão diferente assim. Adorei a premissa com a pedra filosofal e também os dois irmão serem tão unidos, me lembrou dos Winchester.

    ResponderExcluir
  12. Olá Carlos,

    Não li nenhum mangá ainda mas admiro bastante e quero ler alguns e esse pode ser um deles, ótima dica...abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Carlos!
    Como já disse á vc...Tenho vontade de começar ler HQs...e esse parece bem bacana, adorei conhecer um pouquinho!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.