Aprendendo a Seduzir - Patrícia Cabot

Sinopse: Durante um baile, Lady Caroline Linford abre a porta de um dos cômodos e flagra seu noivo, o marquês de Winchilsea, nos braços de outra mulher.
Para a sociedade vitoriana do século XIX, tais escapulidas masculinas eram normais, e cancelar o casamento seria impensável. O jeito, decide a jovem, é aprender a ser, ao mesmo tempo, a esposa e a amante, para que o marquês nunca mais tenha de procurar outra mulher fora do lar. Por isso, resolve tomar lições - teóricas, claro - sobre a arte do amor com o melhor dos professores: Braden Granville, o mais notório libertino de Londres.
Logo nas primeiras aulas começam a voar faíscas e as barreiras entre professor e aluna caem.
Escrito por Meg Cabot, sob seu pseudônimo, esse romance vai mostrar que o amor escolhe seus próprios caminhos, sempre imprevisíveis. (Skoob)
CABOT, Patricia. Aprendendo a Seduzir. Planeta, 2010. 368 p.


Lady Caroline Linford estava noiva do encantador Marquês de Winshelsea, Hurst Slater, e acreditava que não poderia ser mais feliz ao lado de outro homem; até encontrar seu noivo em um "abraço comprometedor" com Lady Jacquelyn Seldon. Sabendo que tinha uma dívida de gratidão com Hurst, por ele ter salvado seu irmão da morte e que, se rompesse seu noivado, provavelmente nunca mais encontraria alguém com quem se casar, ela começa a pensar em maneiras de fazer com que ele se apaixone por ela, para que não procure novamente ter satisfação nos braços de outra mulher.

E, então, por meio de uma idéia inconsequente, Caroline procura o Senhor Braden Granville com uma proposta que seria benéfica para ambos. Ele, noivo de Jacquelyn, queria uma prova da infidelidade da noiva que o permitisse romper o noivado, e ela queria que ele, o Lothario de Londres, a ensinasse como seduzir. Braden só não imaginava como seria difícil permanecer apenas na teoria.

Aprendendo a seduzir, de Meg Cabot sob seu codinome Patrícia, sem dúvidas é uma boa história. A escrita da autora, como já conhecido, torna o texto agradável e, junto ao enredo, fica impossível não querer devorar mais e mais páginas.


"O fato é que Caroline Linford era uma criatura tão carnal como ele, fraqueza que se escondia sob aquela aparência virtuosa, aquelas luvas brancas, as roupas íntimas todas cheias de enfeites e rendas. Ele se dava conta agora de que soube isso desde o primeiro momento em que a beijara, quando ele percebera que ali estava, finalmente, o que ele havia procurado durante toda a vida: uma boa mulher, uma mulher honesta e bondosa, cuja surpresa diante do mundo era carregada da sensualidade mais voraz que ele já havia encontrado, com exceção talvez da sua.
Mas como fazer para que ela admitisse isso, que tirasse as luvas brancas e aceitasse o fato de que os dois pertenciam um ao outro? O único jeito era mostrar isso a ela.
E então ele tentou." (pág. 265)


Teve algo, porém, que não me agradou completamente. Quando comecei a ler a história tive a impressão de que Caroline era a própria Mia Thermopolis, de O diário da princesa. A insegurança das duas quanto a suas aparências, a paixão pelos animais, o apoio pelas causas sociais, a ingenuidade de ambas e a força que tinham para defenderem aquilo em que acreditavam, além de todas as demais características de suas personalidades, são iguais. Não que isso atrapalhasse a história, nem que fosse ruim, até porque adoro a Mia, mas era como se a mesma personagem estivesse em outro século e vivendo outra história.

Os outros personagens são bem construídos e muito bons: gostei da excentricidade do Granville pai, do jeito doce de Tommy, irmão de Caroline, da originalidade de Emmy, melhor amiga da protagonista (que também não pude deixar de comparar à Lilly), e também me diverti bastante com o caso da inteligente Jacquelyn e do tapado Hurst.

Braden era um homem bem interessante: misturava a rigidez de um homem forte e decidido e a suavidade necessária para agradar uma mulher. Ele e Caroline, por sinal, protagonizaram cenas quentes, que conseguiam descrever o desejo latente entre os dois e o sentimento que florescia, ao mesmo tempo.

Apesar de não ter muitos toques de humor, característico de Meg, o livro não perde a essência da autora e cumpre seu propósito: leitura leve e fácil, que nos deixa instigados até a última página.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

15 comentários:

  1. Oi Julia!
    Sou doida pra ler todos os livros da Meg como Patricia, só li A Rosa do Inverno até hoje.
    Ainda que alguns pontos desse tenham te desagradado um pouco, o livro parece ser ótimo e devo dizer que você é a primeira que vejo apontar sobre essa semelhança entre a Caroline e a Mia!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Ei Julia,

    Da Patrícia Cabot só li A rosa do inverto também. Tenho vontade de ler este, acho que vou gostar da protagonista lembrar a Mia pq adoro a personagem rs.

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi Julia, ainda não li este livro dela, que pena, mas adorei sua resenha. Estou lendo agora um dela, Pode beijar a noiva e estou adorando. Bju

    ResponderExcluir
  4. Eu ri muito da parte que ela pega um bloquinho de notas para anotar tudinho... kkkk' Aprendendo a seduzir foi bem legal, os personagens tiveram personalidade. Não li o 'Diário de uma princesa', então não deu para comparar muito a Mia com a Caroline... :)

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju.
    Eu ainda não li esse livro mas pretendo, pois prefiro começar a ler os romances históricos da Meg para depois partir para Mediadora. Pena que esse não é tão divertido quanto aos outros! Porém acredito que irei gostar.
    Parabéns pela resenha.
    Beijinhos.

    http://booksedesenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu já li este livro e gostei, muito bacana
    Amo os livros da Patricia, sou super fã

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Nossa, a Meg é de d+ né!
    Acho linda esta capa e eu morro de curiosidade para ler o livro. pelo que vc fala deve ser bom!!

    Bjinhs
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Julia,

    Nossa ainda não conhecia esse livro, gostei bastante da capa e já vou colocar na minha lista.
    Amei parabéns pela linda resenha *-*


    Beijo
    http://marifriend.blogspot.com/
    @Storieandadvic

    ResponderExcluir
  9. Oi Julia!
    eu já li esse livro e amei!
    Não tinha relacionado a Caroline com a Mia... Acho que é porque faz muito tempo que li Diário da Princesa.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  10. Ei Julia!

    Como eu não li toda a história da Mia, não senti esta semelhança com a Caroline.
    Eu achei a história bem legal também.
    Quero ler mais livros da Meg como Patricia.

    Bjins

    ResponderExcluir
  11. Oi, adorei a resenha. E eu quero muito ler livros tanto da Meg, quanto da Meg como Patricia.
    Bjs

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho muita vontade de ler este livro. Nunca li nenhum livro da "Patricia". É ruim quando temos a impressão que um mesmo personagem parece com um outro. Acho essa capa linda!

    Beijos :D

    ResponderExcluir
  13. Oi!!
    Eu ganhei esse livro presente da minha amiga! E amei, sou apaixonada por romances históricos, e os livros da Patricia (Meg) são ótimos! *-*
    Sua resenha disse tudo de bom do livro, ficou ótima! :)
    Beijos!

    Elidiane - Leitura entre amigas

    ResponderExcluir
  14. Oi Julia!
    Eu comprei Aprendendo a Seduzir super empolgada e não consegui gostar do livro de jeito nenhum. Também percebi logo de cara as semelhanças com a Mia. Acho que a Meg queria escrever um livro mais adulto com a sua personagem favorita. Mas sei lá...não rolou pra mim. Achei o livro um pouco forçado. =/
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  15. Hummm não li O diário da princesa então as comparações entre a personagem desse livro e a princesa Mia estão descartadas, rs.
    Mas li algumas resenhas por ai que também não acharam o livro tão bom e digno da diva Meg.
    Tenho muita vontade de ler os livros adultos da Meg vou procurar um lugar na minha longa lista.

    Beijos, Caline
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.