Emily The Strange: os dias perdidos - Rob Reger

Sinopse: Emily é uma menina de 13 anos e poderia pular de prédios muito altos, se estivesse a fim. É mais provável que esteja cochilando ao lado de seus quatro gatos pretos; ou montando rapidamente um acelerador de partículas com fios de algodão, lentilhas e alfinetes de segurança; ou tocando bateria/guitarra/saxofone/cítara; ou pintando um mural furioso no esgoto; ou forçando alguém a dizer “três tigres tristes” treze vezes e bem rápido... Para poder apontar na cara desse alguém e rir. (Skoob)
REGER, Rob. Emily The Strange: Os dias perdidos. Galera Record, 2011. 278 p.

Enquanto esperava o vendedor buscar um livro que queria comprar, fiquei olhando as prateleiras, e meus olhos bateram na edição caprichada de Emily The Strange: os dias perdidos.


Reconheço que foi a capa o motivo de folhear o livro, mas foi seu conteúdo que me convenceu a arriscar. Ele é cheio de listas de pistas, desenhos, pontos de interrogação e mais uma série de características que remetem a histórias de bruxas e magia. Para um apreciador desse gênero, a curiosidade foi imensa.

Já adianto que não me arrependi da compra. Tanto, que pretendo comprar o segundo livro.


Emily é uma garota de 13 anos que acorda em uma pequena cidade chamada Blackrock, com um caderno em branco com 11 páginas arrancadas, sem saber seu nome, quem é, de onde vem, por que está ali ou o motivo de não se lembrar de nenhuma dessas informações. E na cidade, também ninguém conhece ela. Assim, Emily começa uma busca pelas pistas que podem resgatar sua memória e explicar toda aquela confusão.


Apesar da personagem principal ser uma garota e da edição ser, visualmente, direcionada para meninas, o conteúdo é totalmente direcionado para meninos. A primeira coisa que me veio à mente durante a leitura, foi a similaridade com os extintos jogos do estilo adventure para computador. Nesses jogos, nós controlávamos um personagem, que precisava reunir pistas, através da procura e confecção de objetos e ações, para conseguir avançar no jogo e na história, até chegar ao final.


E é exatamente isso que o autor Rob Reger faz: ele permite ao leitor acompanhar Emily na busca dessas pistas e itens, e descobrir, junto da personagem, o que aconteceu. O mais contagiante no livro é exatamente essa cumplicidade entre a personagem e o leitor. Ela não é mais inteligente do que quem lê, e todas as descobertas e ideias são feitas em parceria com o leitor. Em certo ponto, senti-me parte da história e totalmente satisfeito por pensar nas soluções no mesmo momento em que lia que Emily pensava igual.


Vale um destaque para essas pistas e soluções, tão mirabolantes, divertidas e criativas quanto os jogos de computador. Todas remetendo a magia e tecnologia baseada em magia. Temos de tudo: vestidos com bolsos onde cabem todos os objetos encontrados, robôs, máquinas do esquecimento, gatos misteriosos, veículos equipados com equipamentos fantásticos, materiais que concedem poderes, leitura e pensamentos, desafios e batalhas de poder.


Mas tudo isso poderia ser perdido se a personagem principal não agradecesse. Acontece que Emily é extremamente cativante. As indagações que ela faz no diário, como se estivesse perguntando e desabafando com o leitor, cria uma empatia automática. Suas tiradas cômicas fazem rir na medida certa, e os apuros em que se mete, obrigam o leitor a quase querer entrar na história para participar.


Emily The Strange: os dias perdidos foi uma agradável descoberta. Um livro escondido nas prateleiras das livrarias, que gritou para que eu o encontrasse.

Viva à magia!
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

23 comentários:

  1. Oi Carlos!

    Olha, você me desculpa mas eu vou ter que te xingar. Não existe essa coisa de livros pra menina ou pra menino, pelamor de Deus, vamos combinar né? Assim você me decepciona, uai. Quer dizer que um menino não pode ler Diário da Princesa???? Ele não pode querer ser uma princesa??? Claro que pode, assim como as meninas podem gostar de jogos de computador sim sem or. Mas enfim, eu fiquei bastante curiosa com a história justamente por causa do mistério e do fato de acompanharmos a personagem principal. A diagramação está realmente maravilhosa, fiquei desejando aqui viu. Magia é sempre um prato cheio para temas de livros.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      Concordo com você, tanto que eu mesmo leio livros de todos os gêneros. Mas não vivemos em um mundo perfeito e, mesmo eu não concordando, existe, sim, essa diferenciação imposta pelo preconceito. Um garoto não vai pegar o livro da Emily e abrir ele na escola. Não porque ele não gosta, mas porque vira bullyng. Ja ouvi várias vezes, garotas dizerem que Star Wars é filme de menino, e Jogos Vorazes é filme de menina. Os autores e editoras moldam as edições com mira nessa diferenciação de público. Ou seja, não é porque não concordo, que vou levantar uma bandeira que os mais interessados não estão dispostos a levantar. Um exemplo: as feministas brigam por seus direitos, mas são fans de livros como Crepúsculo e A Seleção, onde a mulher é tratada como objeto, incapaz, dependente do homem, entre outros estereótipos preconceituosos. Mas isso nós já conversamos no nosso grupo de whats :P kkkkkkkkkkkkkkk
      Bjs e obrigado pelo comentário provocativo. Da próxima, comenta lá no GetTub também. Bom saber que vc não lê as resenhas de lá :/ tsc tsc que feio!

      Excluir
  2. Olá :)
    A edição do livro ta linda demais, mas pra mim para ai não curtir muito esse diário, mas deve ter sido o momento que estou vivendo o culpado disso.
    Adorei seu blog e já estou seguindo!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu lembro que na época do orkut (a tia velha falando) vários perfis usavam a foto da Emily e eu não sabia da onde essa menina vinha e para ser sincera só descobri agora, não fazia ideia de que era um personagem de livro. Eu adorei essas ilustrações no meio do livro e gostei da história em si e fiquei curiosa para saber mais coisas sobre ela.

    ResponderExcluir
  4. Que livro lindo *-*
    Vai pra listinha de compras!

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos confesso que achei a sinopse meio estranha rsrrsrs mas ai li a resenha e o livro parece ser bem diferente do que eu costumo ler, gostei da historia da pistas e tal com certeza vou ler obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  6. Já vi uma resenha sobre esse livro em outro site e fiquei muito empolgada em lê-lo. Adorei o fato de a personagem ser cativante e nos envolver na leitura. Muito legal quando o livro nos envolve dessa forma. Ah, e essa capa é maravilhosa e as imagens do livro também *o*
    Fiquei muito curiosa para saber mais sobre Emily e como ela perdeu a memória. Com certeza irei procurar para lê-lo :)

    ResponderExcluir
  7. conhecia a personagem mas ñ nunca me interessei sobre. bacana saber que o livro tem uma tirada sarcástica, divertida e leve ao mesmo tempo. gostei também das ilustrações. com certeza quero conhecer mais sobre o mundo de Emily.

    ResponderExcluir
  8. Estou doida pra ler esse livro, curto muito esse gênero e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  9. Carlos!
    É tão bom quando nos surpreendemos com uma leitura que parecia não ser tão boa.
    Confesso que gostei muito da diagramação, cheia de ilustrações e com letras boas para leitura.
    E quem diria que Emily seria uma protagonista tão ativa e cheia de interação com o leitor... gostei!
    “A imaginação é mais importante que o conhecimento.” (Albert Einstein)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro o que é uma pena, pois ele e realmente muito lindo, cheio de ilustração, essa edição ficou realmente impecável, um livro bonito chama a atenção realmente. A história do livro me pareceu bem interessante, e bem envolvente, irei colocar esse livro na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  11. Oi Carlos!
    Faz tempo que eu quero este livro, a diagramação é linda!! Sua resenha só aumentou minha curiosidade, adoreii.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Carlos!
    Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, confesso hahhahahha
    A capa e a diagramação da edição estão lindas!
    Achei a premissa interessante por eu curtir jogos e tals..
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  13. Oi, Carlos!
    Essa é a primeira resenha que leio do livro. Nunca li uma historia assim, mas estou ansiosa para viver essa aventura junto com a Emily.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  14. SABE UMA DAS COISAS QUE MAIS ME ALEGRAM É FAZER O QUE GOSTO.LER CROCHETAR,TRICOTAR PINTAR COSTURAR E BEIJAR MUITO UM PEQUENINO DE 23 MESES QUE MUDOU MINHA VIDA.NÃO VOU MUITO AS VEZES POR RESENHAS POIS CADA UM ENTENDE DE UM JEITO.A LEITURA PARA MIMI E UM ESCAPE PARA UM MUNDO SÓ MEU.PARABÉNS.

    ResponderExcluir
  15. Carlos me desculpe mas discordo de você.
    Há sim esta coisa de menina e menino. Lógico que nós, meninas temos a cabeça mais aberta, encaramos tudo numa boa. Claro que nem sempre o desfecho é aquilo que almejamos, mas enfim recomeçarmos novamente. Certas coisas que, as meninas fazem para enturmar num grupo, mesmo que tenha mais meninos, sempre estamos dispostas a enfrentar os desafios; mesmo que estes desafios não são apropriados para a área feminina, mas encaramos.
    Porém os meninos não conseguem encarar com tamanha naturalidade certos desafios que, eles podem ter para serem aceitos em grupo que a maioria é a ala feminina.
    Sobre o livro adorei ....amo livros que tem ilustrações.
    Eu quero este livro para mim.
    Beijos....e desculpe se exagerei no comentário.

    ResponderExcluir
  16. Olá Carlos,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui, parece bem interessante e as ilustrações são bem legais,ótima dica...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Gostei do livro achei muito legal, esse mistério sobre a menina não lembrar quem é e o leitor junto com ela descobrir é bem interessante. Adorei as ilustrações estão bem bacanas e achei um livro ideal para ler e presentear também.

    ResponderExcluir
  18. como assim livro para meninos???
    e pq uma menina não ia gostar de um livro de mistério?
    tirando isso, tenho que concordar que a capa do livro realmente chama muita atenção e adorei as fotos das páginas internas do livro. quando eu for numa livraria eu vou dá uma olhada (e olha que eu sou menina tá :P)

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Que livro legal a capa também foi uma das primeiras coisas que me chamaram atenção é ela está muito linda e adorei os desenhas de dentro e gostei da historia e ainda mais com um mistério e acho que um livro para todos as pessoas !!

    ResponderExcluir
  20. Ameii a capa desse livro queroo muito ele já ate adicionei na minha lista muito lindo e amei a sua resenha que me deixou ainda mas com vontade.
    Bjss

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Achei interessante ver que tinha gatinhos pretos, mas nãos sei se leria. Apesar de parecer interessante e as ilustrações serem lindas fico naquela: "Talvez... quem sabe um dia?"

    ResponderExcluir
  22. Gente, que li mais perfeito e lindo! O trabalho gráfico está perfeito e parece ser um livro muito divertido, a Emily parece ser uma personagem bem legal ^^ Quero muito ler, já tinha ouvido falar mas não sabia que era assim. Abraços

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.