Sangue na neve - Jo Nesbø

Sinopse: O mestre do thriller escandinavo está de volta. Olav tem apenas um talento: matar pessoas a sangue-frio. Não há nada que ele preze mais que ter o poder sobre a vida e a morte. Porém, sua natureza sensível é proporcional às suas habilidades como matador de aluguel. Uma vez tentou roubar bancos, mas não deu certo – ele se sentiu tão culpado que foi visitar uma das vítimas no hospital. Agenciar mulheres para prostituição, idem – Olav se apaixona muito fácil. O assassinato foi tudo que lhe restou. Ele leva uma vida solitária em Oslo até se ver envolvido em um trabalho importante para um dos mais perigosos chefes do crime organizado na cidade, Daniel Hoffman. Ao aceitá-lo, Olav finalmente conhece a mulher da sua vida, mas logo se depara com dois problemas. O primeiro é que ela é a esposa do chefe. E o segundo é que ele foi contratado para matá-la. (Skoob)
NESBO, Jo. Sangue na neve. Record, 2015. 154 p.

A leitura de Sangue na neve não é apenas rápida, ela é muito rápida. Não só pela narrativa ágil, nem pela ansiedade de chegar ao fim da história, mas porque o livro realmente tem poucas páginas. E isso acaba por ser um defeito.

Olav é um assassino que, por sua sensibilidade diante de situações inusitadas, sua ingenuidade diante do chefe e suas ações que antagonizam com sua profissão, lembra bastante o personagem Léon, do filme O Profissional, vivido por Jean Reno, com a ainda criança Natalie Portman. Isso não é um defeito, pelo contrário, consegue dar uma áurea cômica, dramática e carinhosa a um homem que mata a sangue-frio.

A ele temos duas personagens femininas que são contrárias em todos os sentidos: Maria, uma garçonete que Olav ajudou no passado; e Corina, a esposa bonita e sexy do chefe, a quem Olav precisa matar e por quem se apaixona.

Obviamente o desfecho dessa história não teria como terminar de forma satisfatória, apesar de eu torcer para que sim. Mas o que não me deixou feliz com o livro, foi o fato dele ser superficial em quase todos os momentos. Não existem páginas suficientes para desenvolver qualquer personagem, com exceção de Olav, a ponto de nos importarmos com eles.

"Enquanto eu estava ali, imerso em pensamentos felizes, Corina Hoffmann entrou na sala vindo do quarto, e tudo mudou. A luz. A temperatura. As considerações."

A relação de Olav com Maria é composta de memórias e momentos de observação à distância. Isso até que faz algum sentido quando você chega ao final do livro, mas deixa uma sensação de que a coisa poderia ser melhor se houvesse um pouco mais de contato entre os dois.

Corina é ambígua e sua entrega à paixão de Olav soa tão artificial que ficam óbvias as verdadeiras intenções dela. A relação dos dois começa tão rápido, de forma tão intensa, que não tem como o leitor acreditar na sinceridade das palavras da garota. Mais ainda: torna o próprio Olav um cara burro e coloca em dúvida como ele conseguiu se manter vivo por tanto tempo.

"Nós fizemos amor. Não é por modéstia que escolho esse eufemismo romântico, casto, em vez de uma palavra mais direta, técnica. Mas porque fazer amor realmente é a descrição mais adequada."

Apesar desses pontos que não me agradaram, o resultado ainda poderia ser positivo, se não fosse tão frio. Sem querer me alongar, uma vez que, para isso, teria que contar um pouco do desfecho, ele é vazio. Explico: numa história, no clímax, ou você apresenta algo que deixe o leitor surpreso, como uma reviravolta, ou entrega o fim da luta dos personagens principais pelo que eles batalharam durante todo o livro. Mas isso não acontece em Sangue na neve. A forma como termina, deixa sem objetivo tudo o que você leu. A pergunta que ficou na minha mente, foi: como assim? Então, essa história é sobre o quê?

Acho que Olav é construído de forma bastante cativante e que merecia uma história muito mais contundente, com mais conteúdo. Ele tem bagagem suficiente para, até, ser personagem de mais de um livro. Acho que houve um total desperdício de ideias. O que é uma pena.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

22 comentários:

  1. Quando vi o título do livro logo pensei que fosse um que está na minha lista de leituras, mas o da minha lista é d Lisa Gardner. Gosto muito de histórias sobre crimes, mas pela resenha esse parece ser decepcionante, não gosto de livros curtos, isso sempre faz com que a história não seja explorada mais profundamente e não dá tempo do leitor se sentir conectado com os personagens. É uma pena pois a história aparentemente tem tudo o que precisa para ser muito boa.

    ResponderExcluir
  2. É muito triste termos um livro vazio, que não nos marca de alguma forma. Não sei se ainda estou interessado em lê-lo depois dessa premissa, mas acho que para uma história ser boa, seus personagens e desenvolvimentos devem fazer valer a leitura. Amei a resenha, abraços =)

    ResponderExcluir
  3. Poxa, de início super me animei pelo livro, mas sua resenha deu uma apagada legal no meu fogo. Apesar d'eu gostar de estórias do gênero e me empolgar com leituras rápidas, faço questão que, além de rápida, seja forte como um soco. É uma pena que o livro tenha sido fraco, pois ele tem uma imagem inicial muito boa.

    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
  4. Oie Carlos =)

    Não lembro se cheguei a ver esse livro em algum blog, mas pela sua resenha percebi que a história é um pouco superficial. Uma pena, pois pelo visto o autor tinha campo para desenvolver melhor a trama.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Oi Carlos, uau que sinopse incrível não conhecia esse livro a historia dele parece ser surpreendente com certeza vou ler e como sempre sua resenha está maravilhosa bjs.

    ResponderExcluir
  6. Um bom título cativa o leitor, este, para quem gosta deste tipo de história, certamente seria; mas, sua resenha, nos dá indícios se compensa ou não a leitura.

    ResponderExcluir
  7. A capa é muito bonita, a sinopse me deixou muito curiosa, mas quando terminei de ler resenha perdi totalmente a vontade de ler o livro, não quero perder meu tempo com um livro que não se aprofunda nos personagens e deixa um final meio ruim. Mas, caso tenha oportunidade posso até lê-lo, a história realmente pareceu boa só pela sinopse.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia esse livro, não é o tipo de leitura que mais gosto...mas pela sua resenha...não vou ler...pois vou acabar com raiva no final, kkkkk
    Por ser uma leitura que eu considero pesada "o assunto", e chegar no frio e nada resolvido sobre o tema, Ahhhhhh.... não dá!
    Valeu por compartilhar!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia esse livro, mas eu jurava que ele era maior, mas no momento eu passo essa leitura. Mas quem sabe no futuro eu não o leia, mas agora não.

    ResponderExcluir
  10. Fiquei triste em saber que o livro não é tão bom quanto parece ser. Me interessei muito nele, mas vai que eu acabe gostando né. Beijos.

    potato-purple.blogspot.com
    youtube.com/potatopurpleblog

    ResponderExcluir
  11. Esse não é exatamente meu tipo de leitura favorito, mas me lembrou muito bem o sentimento que eu tive ao ler Os Assassinos do Cartão Postal, que eu senti que os únicos personagens que foram bem explorados foi o casal principal e ainda assim no final sobrei com muitas duvidas sobre tudo!

    wecansaysomethinh blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Esse não é exatamente meu tipo de leitura favorito, mas me lembrou muito bem o sentimento que eu tive ao ler Os Assassinos do Cartão Postal, que eu senti que os únicos personagens que foram bem explorados foi o casal principal e ainda assim no final sobrei com muitas duvidas sobre tudo!

    wecansaysomethinh blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Quando vi esse livro me interessei, mas depois de ler algumas resenhas, vi que não é lá essas coisas. Mas coitado de Olav esta em um mato sem cachorro, se apaixonar pela mulher do chefe que quer ela morta, mas confesso que fiquei curiosa em saber como essa historia termina.

    ResponderExcluir
  14. Até hoje nunca li nenhum livro desse gênero, por ser uma pessoa medrosa, mas a trama desse livro me pareceu ser bem envolvente e muito bem construída, e para quem gosta e uma boa indicação de leitura.

    ResponderExcluir
  15. Olá Carlos,


    Não li nada do autor ainda mas tenho muita curiosidade, gostei de saber que a leitura é cativante, pena que o livro é curto.....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Ganhei esse livro numa promoção e ele tá parado sem saber quando vou pegar e ler porque thrillers policiais não é uma coisa que goste muito mas quando o livro chegou parei pra ler uns trechos ele parece ser bem escrito e ser bem movimentado e fiquei curioso com a distinção dos pontos positivos e negativos da trama.

    ResponderExcluir
  17. Sua resenha está muito boa, mas lendo um pouco mais sobre esse livro acredito que ele não faz muito meu estilo de leituras, então por esse motivo não pretendo lê-lo no momento.

    ResponderExcluir
  18. Oie! Não curto livros assim não, pra quem gosta dever ser bom...Parabéns pela resenha! Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Conhecia apenas o outro livro da autor, e sua resenha me interessou bastante. Parece ser uma ótima história, quero ler :)

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pela resenha, como sempre, ótima! Não li esse livro, mas me pareceu bem interessante...

    ResponderExcluir
  21. Olá Carlos!!!
    Eu tinha gostado bastante da sinopse do livro e que eu tenho certeza faria eu lê-lo, mas aí quando fui lendo sua resenha eu percebi que seria mais um livro que chegaria no final e me desapontaria. É uma pena :(

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. oii Carlos, nunca tinha lido sobre esse livro.
    Gostei da sua resenha. Mas acho que não iria querer te-lo na minha estante, ele não me interessou muito.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.