Os Bons Segredos - Sarah Dessen

Sinopse: Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho. (Skoob)
DESSEN, Sarah Os bons segredos. Editora Seguinte, 2016. 408 p.

A família é uma estrutura que pode ser abalada facilmente, se não estiver preparada para enfrentar os problemas que surgem na vida. E mesmo que esteja, dependendo da gravidade do problema, ela pode ruir da mesma forma. Além disso, os integrantes de uma família reagem de forma diferente perante a mesma situação.


Sydney, a narradora e personagem principal de Os bons segredos, se sente excluída da sua família, porque os pais só se preocupam com Peyton, o seu irmão mais velho. Ele é um garoto que teve tudo, além de ser simpático e muito bonito. Mesmo assim, jogou tudo fora com atitudes de um vândalo, marginal. Uma noite, dirigindo bêbado, ele atropela um garoto chamado David, que fica paralítico. Peyton é preso.

Os pais de Sydney não a notam. Eles apenas se preocupam em como Peyton está conseguindo superar a vida dentro de um presídio. Não se preocupam, sequer, em saber como está o garoto que foi atropelado. Então, Sydney, inconscientemente, assume sozinha toda a culpa moral do acontecido. E se tortura com isso.


Depois de mudar para um novo colégio, ela acaba criando amizade com Layla e Mac, dois irmãos que são donos de uma pizzaria. Através dessa relação, Sydney começa a enxergar a vida de forma diferente, além de conseguir forças para confrontar a situação dentro de sua casa. Que é agravada com a presença constante de um amigo de Peyton, que a assedia de forma cada vez menos discreta.

Os bons segredos é uma história reflexiva, sem ação ou acontecimentos marcantes. Na verdade, até o romance entre Sydney e Mac, por quem ela se apaixona aos poucos, não chega a ter um destaque. O que importa, realmente, são os sentimentos e a responsabilidade moral diante de um acidente que causa o sofrimento de duas pessoas (Peyton e David), e a relação de uma adolescente que não consegue apoio familiar.


Durante boa parte do livro, o leitor é levado a ficar com raiva, muita raiva, dos pais de Sydney. Não pelo que eles fazem, mas pelo que não fazem. Mas lá para o fim, quando Sydney, por acidente, faz algo que não devia e fica de castigo, mesmo sendo seu pecado infinitamente inferior aos que o irmão cometia, e depois de um diálogo que ela tem com a mãe, é que eu compreendi a real posição dos pais dela.


Não gosto de envolver citações religiosas, mas esta se aplica perfeitamente à essência de Os bons segredos: não é o filho perfeito que precisa de atenção, mas, sim, aquele que está perdido e não encontra o caminho. Essa é a moral da obra de Sarah Dessen. Por mais injusto que possa parecer, em algumas situações, precisamos abrir mão da atenção de nossos pais, para que eles consigam salvar algum membro da família. Mas isso não é fácil de compreender, ou de aceitar. Ainda mais quando estamos na fase de amadurecimento.

Ainda bem que existem livros que podem nos ajudar. ;)
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

9 comentários:

  1. Olá!!!
    A para essa historia ser tão maravilhosa assim tinha que ser dessa editora mesmo, acredito que a historia serve de boa lição para muitas pessoas, assim como eu claro adoraria ler também. Ainda acredito que a autora foi bem direta ao assunto com toda a repercussão da historia!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlos, achei a historia um tanto comovente. Como o livro não se preocupa em trazer romance ou algo que se torne o maior centro da atenção, a familia é mesmo o tema principal.
    É bom fazermos essa leitura ate pela critica e ensinamento que ele pode fazer. Fiquei com pena da personagem em vários pontos da dua resenha, senti que ela é uma pessoa solitária ate se envolver com outras pessoas.
    Espero que no final, a escolha dos pais dela tenham uma explicação bem plausível.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Nossa, já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser super emocionante e que passa um mensagem.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carlos!
    Gostei muito da sua resenha.
    Eu li opiniões bastante divergente sobre esse livro e ainda não decidi se dou uma chance ou não.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oo Carlos!!
    Nossa se me lembro bem, esse livro foi um dos primeiros q li resenhas qdo comecei á acompanhar blogs...Ainda não consegui ler, mas espero em breve...
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Carlos!
    Minha mãe sempre diz isso... os mais fracos é que merecem atenção, mas o amor é igual para todos os filhos. Não sou muito a favor disso, mas fazer o que?
    Gostaria de ler esse livro.
    Desejo um ótimo Halloween e um mês maravilhoso!
    "O conhecimento chega, mas a sabedoria demora."(Alfred Tennyson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Só li coisas positivas sobre os trabalhos da autora e mesmo sendo um estilo de livro que não me agrada muito estou curiosa para ler. Já sei que vou passar raiva em vários momentos pq odeio injustiça e odeio qdo vejo gente passando mão na cabeça de quem não merece, mas estou curiosa para ver um outro lado disso.

    ResponderExcluir
  8. Pelo que entendi aqui se trata muito mais do que uma exclusão social, mas de uma exclusão emocional por parte da família à um membro que se sente invisível. Acredito que em famílias com mais de um filho isso seja completamente comum de se acontecer, afinal surge sempre uma comparação, um ciúme e as vezes se isso não for trabalhado com cuidado pode gerar sentimentos muito contraditórios e danosos no seio familiar! Esse livro muito me interessa!

    ResponderExcluir
  9. Acho que essa historia nos passa reflexão, sobre comportamento, atitudes, família e muitas outras coisas, não gostei dos pais dela serem assim com o filho que não merece, isso acontece e muito na vida real. Mas lendo quem sabe tiramos outra lição da historia.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.