Nunca, Jamais - Colleen Hoover

Sinopse: Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar. Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado. (Skoob)
HOOVER, Colleen. Nunca, Jamais. Editora Galera Record, 2016. 192 p.


Para conseguir aproveitar a história de Charlie e Silas, um casal de adolescentes que perde a memória episódica, ou seja, de quem são, de seu passado individual, mas continuam com todas as outras memórias, como falar, usar celular, computador, etc., você deve abandonar um pouco seu senso comum. Isso, porque a história não existiria se eles simplesmente procurassem um médico para realizarem exames.


O que os dois fazem é exatamente o oposto. Escondem a perda de memória de todos e resolvem procurar pistas do que aconteceu no mundo exterior, sendo que o que eles têm é um problema biológico. Ignorando esse pequeno detalhe (!), você poderá aproveitar melhor as agruras pelas quais os dois passam.

Charlie é uma personagem complicada. Não consegui simpatizar com ela em nenhum momento. E isso não é um defeito de construção pelo autor, mas, sim, proposital. Hoover fez Charlie dessa forma, para ser chata, egoísta, temperamental, individualista, fria. Exatamente o oposto de Silas.


Silas é carinhoso, romântico, companheiro. Ele se preocupa com Charlie, pensa nela em primeiro lugar, deseja descobrir que o sentia por ela, antes da perda de memória, era tão forte quanto o que ele começa a sentir depois da perda de memória. Ele se apaixona por ela de novo, enquanto Charlie tenta se afastar de todas as formas.

E nesse ponto, fica interessante, porque Charlie reconhece seus defeitos, sua mãe alcoólatra, sua irmã rebelde, todos os problemas que a rodeiam, e não gosta do que vê. É como se ela visse seu reflexo em um espelho quebrado e deseja consertar esse espelho. Por isso, o desejo dela em não se apaixonar por Silas, uma vez que ele é o retrato do que funciona, do que é bom e quente.


O casal funciona tão bem que, quando descobrimos que ambos fizeram coisas para magoar um ao outro, sentimos um pesar no coração. E esse pesar também é sentido por eles. A incredulidade de que o que sentem foi maculado por más escolhas, intrigas e atos provocativos para machucar propositalmente.

O que aconteceu para eles terem chegado a esse ponto? Bem, como eles, o leitor também fica sem saber, uma vez que Nunca, Jamais faz parte de uma trilogia. No primeiro livro, pouco descobrimos. E a história acaba abruptamente, e de uma forma que apaga tudo o que lemos.

Isso é mau? Não. Faz todo o sentido terminar dessa forma. Estamos tratando com perda de memória, com uma busca frenética pelo que aconteceu. É importante o leitor se sentir da mesma forma que os personagens.


Nunca, Jamais consegue misturar uma história romântica bastante casual, com um tempero de mistérios, de urgência, de desespero. Usa de desvios criativos para torar a vida do casal uma tortura, e obriga o leitor a ler página atrás de página para descobrir o que aconteceu. Tanto, que li a obra de uma só vez, em um par de horas.

Que venha o segundo livro, que, infelizmente, ainda não foi publicado no Brasil.
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

20 comentários:

  1. Oi, Carlos!!
    Adorei a resenha!! Ainda não li esse livro mais quero muito!! Acho a história bem interessante, pois como uma pessoa perde a memoria do nada, mais lembra de usar e como usar vários objetos? Bom espero descobrir lendo essa trilogia!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem divida com essa resenha, não sei o que achar direito desse livro, ele parece ter um grande teor de drama e isso me incomoda em algumas situações, acho que não leria.

    ResponderExcluir
  3. Carlos!
    Não conhecia a obra e achei um enredo bem complicado e carregado de muito drama, porque afinal, perder a memória e não ter mais sua identidade própria deve ser totalmente constrangedor em determinadas situações.
    E fiquei feliz em saber que há um romance e quem sabe esse, não traga a cura de ambos?
    “Ano Novo!
    Um novo ano começou, e assim, eles passarão: um a um… São mais 365 dias... Novas outras 365 oportunidades de fazer diferente! Fazer melhor, fazer mais, em alguns casos, fazer menos… Espero que ao final desse tempo, possamos contabilizar quantas estrelas fizemos brilhar…” (Desconhecido)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Adoro um bom drama e que drama desses dois perderem a memoria, fiquei intrigada com essa coincidência ou não de ser os dois a perderem a memoria e não só um, o que será que esta por trás disso. Não sabia que era uma trilogia.

    ResponderExcluir
  5. Já li dois livros da CoHo e AMEI a escrita dela.
    Estou bem interessada em Nunca Jamais, parece ser uma história diferente, que consegue prender o leitor, gosto disso!
    Fiquei bem curiosa para saber qual o desenrolar da história dos principais.
    Achei bacana também que é uma trilogia, então a gente fica com aquele gostinho de quero mais.
    Espero conferir em breve a obra, já está na minha listinha de desejados.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Oi, Carlos!
    Através de sua resenha, eu percebi que o livro 'Nunca Jamais' é completamente misterioso e envolvente. Acredito que vale a pena ler só para observar o quão talentosas essas autoras são em brincar com nossas emoções. Quero conhecer toda sua estória e portanto esperarei a editora lançar os demais livros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada da Colleen. Apesar das ótimas resenhas que tenho lido, não consigo me interessar pelos enredos. Sou racional demais, então não conseguiria deixar pra lá que perderam a memória e preferiram esconder o problema a procurar um médico ou falar com alguém. Mas pretendo começar a ler Colleen em breve.

    ResponderExcluir
  8. Li alguns livros da autora e realmente me encantou, acredito que esse não será diferente, amo livos que mostra o que podemos descobrir em cada momento em que lê um capitulo e cada pagina sendo uma surpresa inesperada acredito que a autora quis mostrar assim.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Carlos!
    Gostei mto da sua resenha, esse livro está na minha listinha faz tempo, mas ainda não tive oportunidade de ler...
    Tenho mta vontade de conhecer a escrita de Collen, já q tanta gte fla super bem...Espero conseguir nessa meta!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Achei meio louco a forma como terminou esse livro. Pelo que vejo falando é bem PAM! e vi gente até frustrada com isso. Por isso e outros motivos ainda não procurei o livro pra ler. Acho que seria melhor ter o outro em mãos, já que esse final deve deixar ou a gente doido pra saber o que acontece ou frustrado mesmo. Achei interessante também porque parece que as autoras fizeram a história de um jeito que a gente se sente tão perdido quanto os personagens. Gosto dos livros da Colleen e queria ver como ficou essa história. Mas ainda vou esperar que lancem o outro pra ler...

    ResponderExcluir
  11. Amo essas autoras! E amei esse livro, tem tudo que eu gosto, um romance bem fofo e muito suspense e mistério, também achei a Charlie bem chatinha, mas em compensação o Salas é muito fofo e acho até que essa combinação ficou perfeita, e é notório como o amor eles é forte,mesmo que eles não lembem.

    ResponderExcluir
  12. Eu lembro de um colega meu falar muito bem desse livro mas depósito de um tempo eu esqueci totalmente sobre esse livro, afinal muitos lançamentos vêm. Depois dessa resenha quer ver como esse casal vai superar a perda de memória é o porquê dela, vamos aproveitar que o segundo está pra lançar.

    ResponderExcluir
  13. Oi! A resenha ficou mto boa,mas não me interessei em ler. Talvez qd tda tiverem sido lançados no Brasil. Tenho pavor d séries q nunca continuam. O enredo me parece um pouco confuso.... Ou é só impressão? Da pra acompanhar? Rs

    ResponderExcluir
  14. olá Ju! saudades que eu tava daqui! então eu gosto da escrita da Collen Hoover e não sabia que esse livro era escrito com ajuda de outra autora. sinceramente eu não sei se eu o leria. achei um tanto confuso(?) essa perda de memória dos personagens, acho que não senti empatia pela história. mas Collen tem livros maravilhosos, quem sabe eu dê uma chance a esse. =)

    ResponderExcluir
  15. Eu comecei a gostar dessa autora depois do livro "O Lado Feio do Amor",que eu devorei em 2 dias,e olha que livro em papel eu leio igual formiguinha,mas esse livro foi muitooo bom,enfim,adorei a escrita dessa autora,e aí ela têm companhia p/ escrever,porém da Tarryn ainda não li nenhum livro.
    Como sou a impaciência em pessoa,pouquíssimas séries eu me atrevo a ler sem estar completa,ainda mais essa trilogia que é com o mesmo casal e os finais são daqueles que: "NECESSITO do próximo" haha ..... Super me interessei pelo livro,mas vou esperar publicar os três,Deus me livre já sofro demais p/ ficar esperando por série,tá certo que de vez em quando dou umas recaídas kkk mas tento esperar!

    Esse tipo de trama me chamou super a atenção,pois em romance,nunca vi um enredo c/ amnésia assim kkk,onde ambos os protagonistas perdem a memória do passado,geralmente é só um personagem...ooh casal sortudo kkkk mass ADOREI o seu aviso p/ ignorarmos o pequeno detalhe de que "esqueceram" de consultar um médico especializado kkkkk e nossa,tb deve ser mto fácil esconder das pessoas próximas essa perda de memória kkk
    Enfimmmm,em livros é assim mesmo,pq se fosse p/ ser igual a realidade não teria tanta graça kkkk e nem história rs
    Pelo visto,mesmo a mocinha tendo sua parte chata,pelo menos ela têm motivos p/ isso,odeio mocinhas chatas só por ser chatas mesmo,s/ um motivo contundente kkkk Mas creio que os personagens irão evoluir bastante c/ o decorrer dos livros... e o mocinho,pelo que vc descreve,deve ser um personagem bem adorável e altruísta <3 Adorei a descrição dele!!

    Irei ficar de olho p/ as resenhas de quando saírem os próximos!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Colleen sempre consegue destruir meu coração. Não vou ler até ter a trilogia na mão pq cometi esse erro com Métrica e me ferrei demais sofrendo rsrs Achei interessante eles perderem parte da memória e ainda assim se apaixonarem novamente. Quero saber esse final fodástico

    ResponderExcluir
  17. Carlos, reconheço suas resenhas só pela foto que tem no início! hahahah muuuito boas. Aliás até agora não entendi bem se você monta todo o cenário ou se você faz no Photoshop. Sério, perfeitas!
    Enfim, esse é um livro que eu quero muito ler, mas prefiro esperar todos serem lançados no Brasil pra não ficar na angústia esperando pela continuação.
    Estranho os personagens não procurarem um médico, mas vai saber o que se passa na mente de uma pessoa nessa situação, né? não vamos julgar haha

    Acho que vi algo sobre o lançamento da segunda parte, mas não tenho certeza... pena que as editoras demoram tanto!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho curiosidade de saber se é montagem Kemmy! rsrs

      Excluir
  18. Eu estou a um tempão querendo ler este livro, e a cada resenha que leio sobre a história dele fico mais ansiosa para lê-lo, achei a história bem diferente e acredito que irei gostar muito da leitura.

    ResponderExcluir
  19. Oie,
    Imagino (como escritora) como deve ser difícil para você ser capaz de fazer alguém odiar um protagonista seu. Porque, querendo ou não, você sempre acaba gostando dele, mesmo sendo tão ruim como a personagem do livro e não merecendo, e isso acaba sendo passado para o livro. Só por conseguir fazer uma protagonista ser odiada eu fiquei curiosa para ler os livros da autora auehuehaueha

    http://notasmentaisparaumdiaqualquer.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.