Loja de Conveniências - Guilherme Smee

Sinopse: Como um romance erótico às avessas, 'Loja de conveniências' é a história de um jovem que se deixa levar pela inércia até o momento em que é abordado por uma garota, que se dispõe a fazer dele seu 'projeto pessoal'. Ante a expectativa da chegada do namorado dela, seu mundo vai se modificando aos poucos, e passa a viver num pós-apocalipse emocional. Com personagens que vagam sempre isolados e devastados, colocam-se em discussão o amor, o sexo e a culpa pelas escolhas que são (ou deixam de ser) feitas. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
Smee, Guilherme. Loja de Conveniências. Não Editora, 2014. 128p.


Guilherme é um jovem de dezoito anos que vive em um mundo repleto de opções e escolhas a serem feitas, mas não consegue encontrar a motivação nem a força de vontade para tomar qualquer tipo de atitude. Até mesmo o cursinho pré-vestibular que faz é uma grande perda de tempo, já que ele não tem a menor ideia do que pretende cursar na faculdade.

Em meio a essa inércia, eis que surge em seu caminho Heloísa, uma jovem audaciosa que parecer o conhecer melhor do que ele mesmo e que está disposta a fazer alguma coisa para socorrer Guilherme de um futuro tedioso e sem expectativas. Tudo o que ele precisa fazer é deixar tudo por conta dela e seguir suas ordens sem questionamentos.

"Esse é o problema. Você deixou de acreditar nas coisas.
Sim, Mestre Yoda, eu sei que a força está dentro de mim.
Não, é sério, olha pra você, olha pra sua vida. Você está assim porque deixou de acreditar nas coisas. E o pior, deixou de acreditar em você."

Guilherme não é um personagem fácil de aceitar, pelo menos não foi para mim. Ele é preguiçoso ao extremo e, apesar de afirmar ter medo de fazer escolhas e das consequências que isso possa trazer para o seu futuro, não teve medo nenhum de colocar a própria vida nas mãos de uma desconhecida e praticamente acatar de olhos fechados todas as ordens que ela lhe dava. Totalmente surreal!

Através de muitos questionamentos sobre o que seria verdadeiramente amar alguém e sobre a importância do sexo em um relacionamento, aos poucos vamos descobrindo quais são as reais intenções de Heloísa e que ela não é tão livre e descolada quando aparenta ser. O retorno de Davo, namorado dela e que por sinal é um traficante de drogas foragido, do meio para o fim da história só faz o clima ficar mais confuso do que já era inicialmente. 

O uso desenfreado de drogas e álcool me incomodou bastante. Em muitos momentos Guilherme mais parecia estar vivendo uma alucinação do que a realidade. Apesar de saber que essa é uma idade em que a maioria dos jovens tem dúvidas sobre o que será do futuro e, consequentemente, acabam experimentando coisas novas para descobrir exatamente em qual lugar se “encaixam”, acredito que depois de toda essa aventura o nosso personagem principal terminou mais perdido ainda do que já estava no começo de tudo. 

A menção a clássicos do rock traz certa familiaridade com o ambiente no qual a história se passa, criando todo um clima grunge e melancólico que remete muito aos anos 1990. Fico pensando que esse livro ficaria muito mais interessante se estivesse em formato de quadrinhos como na imagem de capa. 

Loja de Conveniências apesar de ser bem curtinho não é um livro leve e indicado para todas as idades. Definitivamente, a história não funcionou para mim. Levando isso em consideração, a leitura fica como alerta para as consequências das escolhas (ou falta delas) em nossas vidas.


Dé Lima
Dé Lima

Meu nome é Débora, mas pode me chamar de Dé. Minha vida é cheia de livros, provas para concursos, doramas coreanos, turismo pela minha cidade, rock n´roll, felinos, moda vintage e café amargo. Tenho muitos planos de conhecer os lugares pelos quais já viajei através dos livros, mas o que eu queria mesmo era sair correndo pelo Louvre.

14 comentários:

  1. Oi, Dé!!!
    Nunca ouvi falar desse livro!! A história parecer ser interessante e ao mesmo tempo um pouco confusa!! É um livro muito curto e no momento não leria pois não acho que a leitura do livro vai prender minha atenção.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Livros com uso excessivo de drogas e alcool me incomodam um pouco, entendo que as vezes é necessário para a construção do personagem, mas ainda assim tem que se tomar um certo cuidado. Achei o livro um pouco confuso e não me atraiu

    ResponderExcluir
  3. Por incrivel que pareca eu curti a história do livro, acho muito legal livros que mostram a realidade das adolescências, porque todos sabemos que é raro ter alguém nessa idade "normal" que não beba e afins. Acredito que no fim das contas o livro deve trazer uma lição para quem usa ou tem vontade, se tiver gostei mais ainda. Eu sou apaixonada por livros/filmes/series que mostram a realidade do nosso dia a dia, que na maioria das vezes é omitida.
    Vou querer ler, com toda certeza.

    ResponderExcluir
  4. Dé!
    O enredo tem mesmo coisas bem questionáveis.
    Como um 'rapaz' entrega as escolhas de sua vida nas mãos de uma 'garota' totalmente desconhecida?
    Como uma 'garota' que aparentemente é obstinada e descolada, se deixa envolver com um traficante de drogas? Que se passa na cabeça dela?
    E o pior, vai acabar envolvendo o 'rapaz' que nada tem haver com os 'rolos' dela.
    Bem confuso o livro, viu?
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Rudynalva! Foi justamente por esses questionamentos do seu comentário que o livro não funcionou para mim. Foi muito difícil de aceitar algumas situações, sabe?
      Talvez o livro até funcione para outras pessoas, mas pra mim não rolou de jeito nenhum.rs
      Beijos e boa semana!

      Excluir
  5. Oii! gostei da sua resenha, mas não me interessei pelo livro, pelo simples fato de ter uso excessivo de drogas e bebidas e o livro ser beeem confuso, a ponto de eu não ter achado nada que me chamasse atenção, mas certamente há pessoas pra todos os gostos, só achei mt burrice do personagem, não conseguir fazer as escolhas ( importantes ) na vida dele e deixar as suas escolhas de lado, pra deixar uma desconhecida controlar a vida dele. acho que concordo com você quando diz que se fosse como na capa seria melhor.

    ResponderExcluir
  6. Não sei se foi influência da resenha, mas não tive a menor vontade de ler esse livro. Acho personagens como esse protagonista chatos, e não acho que iria entender ele, e aceitar as coisas que ele fizesse. Nunca se sabe, um dia posso até acabar lendo, mas não é algo que eu eu esteja pretendendo agora.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha visto falar desse livro, história com uso desenfreado de drogas e álcool me incomoda bastante também, acho muito pouco provável que eu leia esse livro.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, e não gostei, só de você falar já dar pra perceber que Guilherme não é um personagem cativante. Também não gostei do enredo, achei muito confuso, e como você mesma falou, surreal.

    ResponderExcluir
  9. Oi Dé! E o tanto q eu apaixonei pelo livro e pelo marcador?!
    rsrs
    Gostei mto do enredo e personalidades dos personagens...
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      Esse marcador é muito fofinho, né?
      Dá uma chance para a história, quem sabe você acabe gostando do que lê! ;)
      Beijos!

      Excluir
  10. O livro não despertou meu interesse achei Guilherme muito desmotivado, sem perspectiva e para completar ainda vai pelo caminho errado das drogas e álcool, como mal conhece uma pessoa e já da confiança pra ela conduzir sua vida, o bom como mencionado é o alerta sobre esses vícios, mas achei só isso de bom.

    ResponderExcluir
  11. Que pena que o personagem é tão desmotivado assim, mas acredito que atualmente essa é a realidade de muitos jovens. Acho que o livro ser pesado é o fato que faz com ele gere uma discussão e isso é muito bom. Gostei da ideia de ele ser um quadrinho, concordo que talvez assim ele funcionasse melhor. Ótima resenha.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  12. Nunca ouvi falar desse livro e só pelo que li em sua resenha e na sinopse do livro, já não gostei. Não gosto de pessoas derrotistas, sem ação, sem objetivo.O tipo que se entrega ao nada e deixa a vida passar. Isso me deixa irritada. E como não quero ficar irritada não pretendo ler o livro.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.